# #

No dia que fui enrabado por 3 militares

2067 palavras | 3 |4.70
Por

Olá eu me chamo Benhur, somos eu e mais dois irmãos em nossa família, e atualmente comecei a estudar em uma escola que não fica muito próximo a minha casa no período da manhã por não ter mais vaga e meus irmãos continuaram a estudar no bairro em que moramos, porém eu tomo o ônibus todos os dias às 6:00 para ir para a Escola. Tenho uma amiga a Maitê, que estuda comigo, que mora no meu bairro, e sempre vamos e voltamos juntos da escola. Passados alguns dias das aulas terem começado, alguns pontos depois do qual eu e Maitê embarcamos, entra um rapaz que é militar, e que chama a atenção de alguns passageiros, tanto pelos trajes militar como a sua aparência, o cara é muito bonito. Mas fiquei na minha, pois como adolescente, curioso, só observo, pois então, na escola estava meio que flertando com uma garota de uma sala próxima a minha e longe de mim ficar olhando para um cara, que não estava nem aí pra ninguém, pois andava com óculos escuro e fone de ouvido. Foi se passando os dias e até um fato interessante ocorreu. O ônibus lotou e o rapaz militar estava próximo a mim e a Maitê, porém tinha uma moça que estava à sua frente, percebi então, que ele estava roçando na bunda da garota, e que esta não esboçou nenhuma reação e ao descer no terminal para pegar outro ônibus, notei que ele estava com o pau duríssimo, pelo volume vi que era grande seu pau. Fiquei com receio que Maitê notasse a minha observação ao fato ocorrido, mas nada de relevante.
Foi se passando os dias, porém um dia a Maitê me mandou uma mensagem pela manhã, dizendo que não iria à escola pois estava com suspeita de dengue. Então naqueles dias fui e voltei sozinho da escola. Num belo dia, o ônibus estava bem cheio como sempre, todos espremendo para caber, sinto alguém me encostando e me roçando, fiquei indignado e percebi que era o tal militar, fiquei quieto para ver se ele iria ficar ou se ele logo iria sair de trás de mim, porém não saiu e comecei a sentir o volume do seu pau bem no meio da minha bunda crescer cada vez mais, fiquei nervoso e comecei a tremer e no fundo senti uma sensação agradável e vi estava começando a gostar e ele notou essa minha reação. De repente senti sua mão firmando minha cintura e empurrava mais, parece que seu pau queria invadir minha bunda. Quando o ônibus chegou ao terminal, me recompus e creio que ele também, assim que abriu a porta saí e logo que ele saiu vi aquele volume gostoso, então ele deu um sorriso pra mim e pegou o ônibus que tomava todos os dias e foi embora. Naquele dia tive que ficar na escola, pois tinha um trabalho em grupo e almocei lá mesmo e fiquei até o final da tarde. Quando cheguei no terminal para pegar meu ônibus deparo com o rapaz militar com vários militares conversando. Fiquei eufórico em vê-lo, mas como ele estava acompanhado por aquele monte de amigos fiz de tudo para não ser visto por ele. Quando chegou o ônibus entrei e fiquei bem no fundo num banco, que logo foi enchendo. Seguimos viagem, mas não sabia que estava sendo observado por ele que logo tinha entrado. Quando ele estava preste a descer, olho para ele que me dá uma piscada e um sorriso e desce em seguida. No outro dia ao pegar o ônibus, entro e logo sento num banco do corredor. No seu ponto, o militar sobe, que vejo que começa a procurar alguém, quando ele me vê, sinto um breve sorriso, e chega perto de mim e calado começa a encostar seu pau no meu ombro, que sinto que começa a ficar duro, e com os movimentos do ônibus se esfregava cada vez mais em mim. Logo surge uma senhora com uma criança no colo e faço menção de levantar, ela vem e senta no meu lugar, que logo estou à frente do militar que encaixou seu pau na minha bunda. Sinto sua respiração ofegante e começo a olhar a volta pra ver se nós não estamos sendo observados. Nisso ele sussurra no meu ouvido que no terminal ele queria conversar comigo e faço gesto de positivo com a cabeça, e passo a minha mão atrás de mim, pra sentir aquele mastro latente, e ele vibra mais. Chegando no terminal fomos num canto pra conversar, ele perguntou da minha amiga, disse que estava de atestado por uns dias. Olho pra ele, e olho pra seu pau e não acredito no que estou passando. E digo o que ele queria falar pra mim, e logo em seguida ele diz:
– Eu quero você! Quero transar com você! Quero te comer! Eu fiquei sem graça, pois ainda virgem, nunca tinha tido a minha primeira transa nem com homem e nem com mulher. Ele disse que seu nome era Bruno, e notou minha reação e falou que para eu ficar de boa, que ele era muito gente fina e eu não me arrependeria jamais e eu disse tudo bem, e como vamos fazer? Ele disse se eu pudesse aguardar ele no final da tarde no terminal e dali a gente faria o nosso programa. Fui para a escola, e terminamos o trabalho e quando foi às 17 hs fui ao terminal ansioso demais para encontro com o Bruno. Estou sentado e de repente ele chega e disse:
– Estamos prontos, vamos curtir esse momento, apresentando 2 amigos fardados do mesmo batalhão que ele. Me assustei e disse a ele:
– Mas não era só você? Porque você trouxe seus dois amigos? Eu iria só se fosse com você. E ele retruca:
– Calma meu querido, esses dois são meus melhores amigos, seus nomes é Elias e Alex e eles estão a fim de curtir esse momento com você também, e outra, eles são tão amáveis quanto eu. E nisso chegou o ônibus e a muvuca começou, e foi enchendo de gente, e fomos todos entrando, e o ônibus estava completamente cheio, que nem dei conta que o Bruno ficou atrás de mim e eu ao lado dos dois e sinto seus paus começarem a inchar, e logo estavam todos de pau duríssimos, e Bruno que estava atrás, começou a enfiar sua mão na minha bunda, apalpando e apertando e esfregando seu pau em mim, e eu com uma das mão levantada, segurando o ferro para ter equilíbrio, e a outra abaixada e logo o Elias abaixa o zíper da calça, e pega minha mão e enfia dentro da calça buscando seu pau que começa ficar melado, e Alex se esfregando na minha perna. Logo o Bruno disse que nós iriamos descer na casa dele, pois era mais seguro. Não demorou ele deu um toque e o ônibus parou e descemos os quatros, com cuidado fomos em direção à sua casa. Ele disse que estava sozinho pois morava só ele e sua mãe, e ela estava no trabalho e chegaria só no outro dia, pois ela trabalha num hospital. Quando entramos na sala, todos foram tirando a roupa. Disse a eles que eu nunca tinha feito nada em relação, nem com homem e nem com mulher. O Elias disse afoito que depois daquela transa com eles que eu nunca iria querer transar com alguma mulher, pois eles me levariam à loucura.
Fomos para o quarto de Bruno e os três tiraram as roupas e me assusto com pau deles, o Bruno era maior, e os outros dois era um pouco menor, mas mesmo assim pra mim era grande. O Bruno disse aos seus amigos, que o cabaço do meu cuzinho era dele, era ele que iria tirar e o Elias e Alex fariam o quisessem. Fiquei atônito, mas me pediram pra relaxar e para ajoelhar, e fiquei a frente dos três paus, e comecei a chupar de Bruno, que a cabeça não cabia direito na minha boca, depois de uns 2 minutos comecei a chupar do Elias, e depois foi do Alex, e chupei novamente de todos por uns 20 minutos, foi quando Bruno pediu para eu deitar na cama dele debruço e ele falava que minha bunda era bonita, gostosa, redondinha, e foi chupando, lambendo, mordendo e abria bem a ela e cuspia nela, de vez ou outra ele enfiava o dedo indicador, me pedindo pra relaxar, e eu olhava para a cara de Elias e do Alex que estavam com muito tesão, se masturbando, foi quando Bruno apontou seu pau no meu cuzinho e fez menção de entrar, e disse a ele que estava doendo demais, me pediu pra relaxar, e tentando outra vez a enfiar, e disse a Elias para me beijar nesse momento, quando Elias enfiou sua língua dento da minha boca me beijando, sinto meu cu dilacerando com a entrada do pau de Bruno e foi até a metade, e meu grito foi abafado pela boca de Elias que me beijava muito, e nisso Bruno pede para Elias continuar e ele joga seu corpo sobre mim, enterrando o resto do pau dele que estava fora. Bruno fica sobre mim por uns 10 minutos e começo a relaxar e sinto o pau dele a mexer dentro de mim, e logo vem as estocadas bem devagar e depois começa a acelerar quando a respiração de Bruno fica bem ofegante dizendo que vai gozar e enfiar fundo e sinto aquelas golfadas dentro de mim, foi umas 4 a 5 golfadas, Elias pedi a Bruno que queria gozar, então Bruno sai de cima de mim, e logo vem Elias e enfiar tudo de uma vez, que dá umas estocadas e goza dentro de mim também, e Elias sai e vem Alex e enfia também e não demora e começa a gozar dentro de mim, nisso Bruno vem à minha frente e da seu pau para que eu chupe e diz que quer gozar dentro da minha boca, e começo a chupar aquela mastro grande e gostoso e sendo enrabado ora por Elias, ora por Alex, Bruno goza dentro da minha boca e segura minha cabeça para seu pau se aloje mais fundo e pedi que eu engula toda sua porra.
Levantamos e fomos tomar banho, e os três com seus paus duros ainda, pensei que tinha acabado a transa, e ao adentrar no chuveiro Bruno começou a me ensaboar e passar a mão no meu cuzinho descabaçado e enfiando os dedos, em seguida ele pede para eu empinar a minha bunda segurando na torneira do chuveiro e começar a enfiar seu pau completamente duro em mim, enfiar até o talo, e começa as estocadas e goza, depois vem o Alex e depois que ele goza vem a vez do Elias. Termina o banho, voltamos para o quarto e deitamos e conversamos sobre o acontecido, o Bruno pergunta se eu tinha gostado, e disse a ele que apesar das dores foi bom eu tinha gostado, nisto ele veio e me deu um beijo bem gostoso e começa a me masturbar, ele pede ao Elias e ao Alex e ajude ele e de repente todos começam a se masturbar sobre mim, gozaram na minha barriga, por último foi a vez de Bruno gozar na minha barriga, e me masturbou até que eu gozasse. Ele me perguntou se eu queria repetir a transa. Disse a ele:
– Claro que eu quero! Você me iniciou e eu te agradeço por me proporcionar esses momentos tão gostosos. Pode ser com você ou com o Elias e o Alex. Repetimos muitos as nossas transas e já se passaram algum tempo e continuo com muito tesão pra dar e receber.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,70 de 23 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder anomimo

    gostei

  • Responder Jay16cm

    Meu sonho dar pra um militar caralhudo

  • Responder Passivo discreto mamador

    Conto maravilhoso, adorei, esse e meu sonho antigo, transar com militares, mamar suas picas e dar meu cusinho [email protected] sou só passivo 60 anos procuro machos ativos em Recife