Dia de escravo desta vez com minha tia. Parte 02

Autor

Fiquei na casa da minha tia sendo usado pela tia Erika e as minhas duas primas camila e Nathalia que maravilha de estadia na mesma noite eu dormi junto com minha tia e como eu estava dormindo na beirada acordei ela passando por cima de me e sentou em cima da minha barriga ela olhou para nos meus olhos e com um tom de voz bem sexy ela deu aquele bom dia:
– bom dia meu escravo.
E quando deu esse bom dia ela se levantou e foi em direcao ao banheiro depois disso não dormi mas fiquei ali na cama deitado, tia Erika tomou seu banho ao termina começou a vesti bem ali na minha frente que visão deliciosa, ela vestiu uma calcinha Rosa bem pequena e um short bem apertadinha que realçou sua bundona deixando ela bem volumoso, minha foi para cozinha e eu fui ao banheiro para escova o dente e depois toma meu café.

Horas depois minha tia decidir telefona para minha mãe querendo saber como está a estadia do Thiago, eu estava perto e ouço a minha tia pergunta para minha mae:
– o Thiago está dando conta minha irmã?
Naquele tempo não entedia a palavra dando conta mas vir no rosto da minha tia o sorriso dela pelo jeito a resposta da minha mãe deixou minha tia super feliz, minha mãe perguntou para minha tia que eu não ouvi mas a resposta da minha tia foi essa:
– sim o Bruno é bom, ele está dando recado na titia e em suas primas, quer falar com ele?
E logo minha tia passou o telefone e do outro da linha minha mãe pergunta:
– ta gostando da estadia na casa da Erika amor?
Eu responde:
– sim mãe, ela até sentou em mim.
Do outro lado da linha minha mãe começar a ri e pergunta:
– qual das duas é a mais pesada?
– a tia Erika rsrs.
Minha mãe ficou feliz pela resposta nisso dou detalhe em tudo aconteceu para termina com a conversa minha mãe falar:
– seu primo Thiago está com tudo ele está adorando esta na casa da tia.
– aonde ele está mãe?
– está com as duas irmãs amor.
Já imaginei o que ele está fazendo com as minhas irmãs e minha se desperde:
– amor vou indo, Thiago está me chamando, BJSSS amor.
– beijos mãe.
Minha mãe desliga o telefone minha tia ficou feliz ao sabe que seu filho está dando conta em sua irmã, as minhas duas primas acordam e a Camila pergunta para minha tia:
– mãe não está na hora de irmos ao churrasco do Iago?
– nossa é mesmo quase esquece.
Nathalia pergunta para tia:
– o Bruno vai ne?
– sim ele vai, tenho certeza que ele vai adora.
Camila vendo que o horário está passando rápido começou então a apressa nós três, fui até o banheiro e tomei banho coloquei a roupa de sair e fiquei na sala esperando as mulheres da casa se arruma, minha tia veio e perdiu uma ajudinha para que eu amarasse seu sutian ela nua sentou no meu colo e amarrei.

Fiquei horas e horas esperando as três terminaram de se arruma ainda mas que as três são vaidosas nessa espera toda vir que tinha compensado, minha tia veio vestida com sua calça jeans bem apertada usando uma blusa tomara que caia com seu salto alto, Camila estava deslumbrante um vestidinho curto Rosa cheio de brilho e sem calcinha pra varia e a Nathalia estava também um vestidinho curto azul e com uma calcinha pequena bem indiscreta e assim partimos rumo a casa do iago.

Chegando na casa da mãe do Iago tinha bastante gente e logo percebe que de criança sp tinha eu e mas quatro o resto é tudo adulto eu não conhece o namorado da Camila e logo de cara vir que ele era todo cheio de pintar ireu apresenta o iago.
IAGO: é moreno alto, tem 26 anos, olhos claros, bombado com uma tartuagem nas costas, cabelo baixo social, estava de óculos escuros e tinha brinco na orelha esquerda.
Logo camila me apresentou a ele e vir que ele era uma ótima pessoa e formos senta em uma mesa quase perto da piscina, Camila saiu para namora e Nathalia foi se enturmar com a galera da família do iago so ficou eu e a minha tia ficarmos nós dois ali olhando o movimento até que chegou a mãe do iago a dona Cecília.
DONA CECILIA: era uma senhora de 53 anos, alta de cabelos encaracolados, peitos caídos e uma bunda diferente da minha mãe e da minha tia era um pouco grande mas espalhados dos lados, olhos pretos e era fumante.

Minha tia falou para eu brinca com as crianças que iria conversa com os adultos e assim o fiz nessa de brinca com as crianças conhece tielo de 12 anos e Fabrício de 11 anos, comecei a joga bola com eles na rua pois a dona Cecília disse que era seguro joga na rua e realmente era pois a rua aonde ela morava não tinha saída para veículos naquele dia estava deserta por causa do feriado, nós três começarmos a jiga bola divertimos demais naquele dia no certo tempo eu chutei a bola bem alto que caiu na casa do vizinho ao lado, nós três fomos lá e apertei a campainha até um senhor e perguntou:
– posso ajudar vocês meninos?
– moço por favor pega a bola que caiu ai.
O senhor ficou procurando e não encontrou a bola tielo começou a colocar culpa em mim e o senhor não achou a bola veio até a porta e ficou nos olhando de baixo para cima e perguntou:
– de onde vocês são?
– somos daquela casa ali.
O senhor olhou em direcao a casa da dona Cecília e ficou analisando nós três mas uma vez, ele abriu a porta e se pronunciou:
– então vocês estão na casa da Cecília.
Tielo respondeu:
– sim moço
O senhor abriu mas a porta e perdiu para entramos, tielo ficou estranhando a atitude do senhor ele não queria entra, Fabrício também não queria entra mas eu tranquilizei os dois dizendo:
– vamos la meninos agente só vai pega a bola e depois ir embora.
Então nos três entramos para dentro da casa e começarmos a procura o Fabrício tinha achado a nossa bola, o senhor veio em nossa direção a perguntou:
– achou a bola meninos?
Eu responde:
– sim o Fabrício encontrou.
– legal, vocês não querem um biscoito e um suco.
Fabrício e tielo na hora respondeu que sim e eu já querendo que fossemos embora mas de tanto o senhor insistir acabei aceitando, entramos em sua casa e o estranho é que ele fechou a porta e trancou com a chave mas naquela epoca eu achava que aquele senhor estava fazendo uma gentileza para nós três e nem liguei, o senhor perdiu para sentarmos no sofá que logo logo ele traria o biscoito e o suco para nós, esse senhor tem cabelos grisalhos,estatura média, barrigudo com seus peitos cheio de cabelo e que eu mim lembre deveria ter na faixa de uns 62 anos e o nome dele até hoje nem sei.

Nós três ficarmos ali esperando o senhor volta para darmos o biscoito depois ir embora mas ele estava demorando muito e foi quando ele voltou com uma bandeja de biscoito e suco usando um avental bem grande, com uma voz sexy ela perguntou:
– quem viu servi primeiro?
Nós três falamos ao mesmo tempo:
– eu, eu.
Nisso eu e os meninos tivermos a maior supresa do dia, quando o senhor virou de costas viemos que ele estava usando uma roupa de empregada e quando ele abaixou nós três virmos seus cunhoes e seu cu cabeludo pois ele agachou bem na nossa frente, os meninos começaram a ri e eu também ele ao ouvi risinhos se levantou e perguntou:
– porque vocês estão rindo?
Fabrício logo respondeu:
– o senhor está vestido de menina rsrs.
O senhor tirou seu avental e virmos que realmente ele estava vestido de empregada, começou a dar voltinhas e perguntou no tom de brincadeira:
– não gostou da minha roupa?
Nos três não parava de ri e o interessante é que ele não ficou bravo ao contrário ele começou a descontrair o ambiente, ele perguntou os nossos nomes e a nossa idade, então ela fez uma coisa que para me não era novidades ele começou a dar seu showzinho e pegou na mão do tielo e faz com que ele passasse a sua mãozinha na bunda dela a reação do tielo foi de espanto pois para ele é novo, depois ele foi em minha direção e disse:
– você é o mas velho então para você vai ser especial.
Ele pegou minha mão e colocou dentro de sua calcinha fazendo-me toca em sua rola e eu como ja conhecia comecei a massagear e bate a punheta, o senhor ficou impressionado com a minha atitude enperguntou:
– nossa você ja tem experiência, quem te ensinou?
Eu na maior inocência responde:
– meu pai.
– huuummm que interessante.
Tirei a minha mão de sua rola e logo ele tirou para fora mostrando aquela rola grande e colocou na boca do Fabrício e ordenou:
– chupa agora garoto, como se fosse um pirulito.
Vir Fabrício chupa a rola do homem e começou a pega naquela rola grande, e o senhor ordenou para que eu e o tielo fizesse o mesmo, ele tirou o pau da boca do Fabrício e colocou na minha como eu tinha experiência naquilo comecei a chupa gostoso aquela rola, sentindo cada centimentro dentro da minha boca que fiz o senhor geme:
– aaahhh que delicia, você chupa melhor que meu filho e minha sobrinha, que porraaaa.
Vendo que eu tinha realmente experiência e ele não querendo goza logo na primeira o senhor tirou o pau da minha boca e colocou no tielo mas ele não quis e vir que o senhor tarado começou a força a situação e mesmo assim tielo começou a chupa sua rola.

O senhor ordenou que Fabrício e eu tirassemos as nossas roupas e assim fizermos, o senhor tirou a rola da boca do tielo e foi até o Fabrício agachou e começou a chupa sua piroquinha e perdiu para que eu deitasse no chão abaixo dele para chupa sua rola gostosa como bom escravo assim o fiz, deitei embaixo dele e comecei a chupa sua rola fazendo até garganta profunda, não sastifeito o senhor ordenou que tielo chupasse minha rola e ele fez nossa que delicia sentir aquela boquinha gostosa no meu pau e na minha.mente veio a imagem que eu tinha feito com meu pai de enfiar o dedo em seu cu eu fiz o mesmo com aquele senhor desconhecido e ouvi um gemido bem gostoso, quando terminou o senhor levou nós três para seu quarto ele ordenou que tielo deitasse em sua cama e eu em cima dele fazendo um 69 e assim o fiz sentir tielo chupa minha rola e eu chupando a rola dele que não era grandes coisas, eu sentir que o senhor estava chupando meu cu e depois foi a vez do fabricio e ouço o estranho falar:
– isso garoto lubrifica o cu do seu amigo.
Não entendia o que ele quis dizer com isso ele ensinou minha bunda e o que estava por vir foi doloroso para mim de todos os sentidos, o senhor bem devagarinho começou a enfiar sua rola dentro do meu cu na hora sentir ardecia comecei a grita e perdi para ele tira mas ele não tirou começou a perdi calma e que eu relaxasse meu cu que entraria mas gostoso mas que nada tudo que ele falava era pura lorota, perdi para ele tira a que não queria mas até lágrimas saiu dos meus olhos, tielo parou de me chupa a Fabrício também perdiu clemência para aquele senhor mas nada adiantou e quando entrou tudo sentir o sangue escorrer e as pregas do meu cu se abri, queria que aquela dor parasse mas não adiantava e meu cu ardia como se jogasse pimenta nele, ele tirou mas não demorou 10 minutos o senhor começou a coloca eu queria desaba na cama mas ele segurava firme o meu quadril e com a lentidão ele começou a enfiar mas e mas, até que ela começou a soca bem de leve sentir sua rola me invadir, meu cu estava arrombado sentir o sangue escorre mas mesmo assim ele não parava.
– aaaaiiiiii por favor para senhor, meu cu tá doendo muito.
– calma so mas um pouco e aí estará terminando.
Essa calma que ele perdiu era para o gozo inunda meu cu, o senhor pegou a cabeça do Fabrício e beijou em sua boca como a fosse dois namorados, minutos depois o senhor urra de puro prazer gozando dentro do meu cu e quando ele tirou uma supresa que eu dei para ele pois eu tinha sujado o seu pau acho que com isso ele está acostumado pois ele não reclamou ao contrário, o senhor se retirou deixando nós três ali na cama e foi se lava, eu desabei na cama com meu cu piscando e eu chorando de dor meus amigos vieram e mim consolaram, o senhor veio até nós e disse:
– não conte a ninguém do que agente faz aqui, tá bom?
E para cada um de nós deu 100 reais para guardamos segredos, comigo ele foi mas atento lavou meu cu e colocou papel no meu cu para não dar na telha e falou para mim que seria o nosso segredo e deu mas 100 para mim escondido dos meus amigos.

Sentir dores terríveis naquele dia fiquei semanas segurando a dor que deixou esfolado meu cu, e quando agente sairmos da casa dele já tinha gente nos procurando e o senhor todo bondoso explicou para os nossos responsáveis o que tinha acontecido mas na versão dele tinha convidado para um lanche gostoso, Fabrício e tielo confirmaram e as mães deles acreditaram enquanto a mim fingir que nada tinha acontecido até segurei a dor do meu ânus e horas depois formos para casa, a noite com a indicação do senhor fui até a geladeira e peguei cubos de galos e coloquei no meu cu aliviado um pouco mas ainda sim a dor contínua mas eu aguentei firme aquele anal.

Foi a minha primeira vez o anal depois disso tiveram outras não com ele e sim com outros então até mas…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,67 de 3 votos)
Loading...