Meu primeiro emprego, não aguentei acabei sedendo

05-08-18 3 ★ 4.71

Meu no me Marta, sou casada, nunca havia trabalhado, meu marido nunca deixou, devido a situação financeira fui obrigada a arrumar um emprego, foi difícil pois nunca trabalhei, sou uma mulher bonita, morena, 1,65, 62 quilos, umas pernas bonitas, uma bunda linda, bem gostosa.

Consegui um emprego de balconista de uma loja, de roupa, o proprietário um senhor de aproximadamente uns 60 anos, me entrevistou e resolveu me dar uma chance, comecei a trabalhar, eu sempre ia trabalhar de calça compridas, que delineava bem a minha bunda, o percebia que o coroa, ficava me olhando, mais eu sempre me dava o respeito, meu marido começou a me perturbar, dizia que qualquer dia o coroa iria me estuprar, eu nem ligava pelo que ele falava.

Um dia na loja chegou um vendedor, o senhor Alberto meu patrão estava no fundos, eu fui avisa-lo, nossa fiquei abobada, ele estava pelado, percebi o tamanho da rola dele, nossa enorme, e mole, avisei e sai, mais aquilo ficou na minha cabeça, fiquei imaginando aquilo duro, nossa, o pau do meu marido e pequeno, 15 cm, o do senhor Alberto, nossa dava a impressão de ser umas três vezes maior e muito mais grosso.

A noite na hora de fechar o senhor Alberto, tocou no assunto, dizendo olha desculpas de eu estar pelado, eu disse não tem nada não senhor, mais ele parasse que percebeu alguma coisa, e me disse é mais você ficou mexida pelo que viu, eu respondi não senhor e disse boa noite ate amanha, não quis prolongar a conversa, pois realmente fiquei exitada mesmo.

Em casa procurei meu marido para a agente fazer amor, não era do meu costume, ele também estranhou , eu estava me complicando, mais gozei gostoso pensando na rola do senhor Alberto, imaginando aquilo dentro de mim, meu marido quis meter no meu cu nem reclamei, nossa foi uma noite e tanta, imaginando se a rola do senhor Alberto entraria no meu cu, meu marido perguntou se eu havia visto o passarinho verde esta muito exitada, mais eu não podia falar nada.

Depois todos os dias de trabalho eu ficava pensando naquela rola, como seu Alberto era bem safado, um dia ele disse olha Marta eu vou ate os fundos, vou ficar pelado se quiser olhar eu deixo, nossa fiquei toda molhadinha, rezando que chegasse algum, vendedor, e acabou chegando uma pessoa que queria falar com ele, eu fui mesmo chama-lo, o safado estava mesmo pelado e desta vez a rola estava dura, avisei ele, ele disse olha como ficou sabendo que você viria aqui, eu sai fora, ele veio atender a pessoa, depois disse viu como ficou, nossa a coisa parecia bem maior, eu dei uma risadinha, como não tinha ninguém na loja, ele foi atrás de um balcão e tirou a rola para fora e disse olha veja como fica, eu já super exitada fiquei olhando mesmo, ele alisando a rola, e ficava me chamando vem aqui pega nele um pouquinho, me segurei ate um tempo ate que segurei, dei duas sacudida ele gozou na minha mão nossa quanta porra, sai correndo fui lavar as mãos.

Ele começou a insistir queria meter comigo, eu dizia que sou casada, quando foi um dia meu marido acabou ficando desempregado, e nos estávamos com a conta de luz atrasada a ponto de ser cortada, meu marido disse vê se seu patrão de da um vale, neste dia como quasse todos os dias ele ficava mostrando a rola para mim, e insistindo eu disse seu Alberto será que o senhor me fazia um vale preciso pagar a conta de luz, ele disse claro amor, você não ganha mais porque não quer, como na parte da tarde não dá poderia provocar suspeitas, ele me disse faz assim vem amanha mais cedo, a loja costuma, abrir as 9:00 horas, eu vou estar aqui lá pelas 7:00 horas, ai nem desconto o vale, e ainda tu leva mais alguns, fui embora.

No dia seguinte meu marido saiu as 6:00 horas eu acabei saindo cedo e fui 7:00 horas eu estava na loja, o seu Alberto chegou nossa todo cheiroso, abriu meia porta eu entrei ate sem ser vista, ele arriou a porta veio e começou a me abraçar, e foi tirando a minha roupa, pensei que eu não iria conseguir, mais que nada o tesão era maior ele me deitou sobre o sofá e começou a me chupar, e fez eu chupar aquela rola enorme, que mal cabia na minha boca, eu gozei na linguá dele, já bem molhadinha ele foi penetrando aquilo dentro de mim, gozou rapidinho enchendo minha boceta de porra, nem pensei em camisinha, pensei que ele iria parar que nada continuou ai sim demorou nossa eu gozei umas quatro vezes, ate ele jorrar de novo a porra dentro, me lavei e abrimos a loja, no final ele me deu fora o que havia emprestado para pagar a conta mais duzentos reais.

Ai pelo menos duas vezes por semana a gente combinava eu ia mais cedo e ele metia em mim, depois quis meter no meu cu, nossa foi difícil mais eu consegui, me sentia uma puta mesmo, toda foda ele me dava uma grana, que eu fui guardando, me dava presente, meu marido começou a desconfiar, e quando fazia sexo comigo me chamava de puta, vagabunda, eu não ligava eu era mesmo, ate que um dia ele disse seu patrão anda arrombando este cuzinho né sua puta, e perguntou a rola dele e muito grossa, eu muito boba cai na arapuca, e respondi é muito grossa mesmo, ele disse eu sabia que tu ta dando para o velho, e perguntou ele fode gostoso, eu respondi que sim, e ele gozou, eu pensei ele vai brigar, fazer escândalo, mais desmaiou.

No dia seguinte eu tinha marcado com o Alberto e fui mais cedo e fodemos gostoso, a noite meu marido voltou a perguntar e ai o patrão comeu seu cu hoje, eu perguntei porque a pergunta, ele me respondeu quando você vai cedo eu sei que você vai dar para ele, eu perguntei e você não acha isso ruim, ele me respondeu amor se ele te satisfaz te deixa feliz, tudo bem, ai eu passei a foder com o seu consentimento, ele só não queria que eu falasse para o Alberto que ele sabia, tinha que fazer de conta que eu estava traindo ele, se não o Alberto não iria mais me ajudar, e assim ficamos ate pouco tempo trabalhei lá seis anos, a minha sorte e que não posso ter filho senão talvez teria engravidado pois o Alberto jorrava muita porra dentro, sempre gozou sem camisinha.

Eu sai da loja, meu marido quer arrumar homem para foder comigo e eu cobrar uma grana, já sai com alguns, só que agora sempre com camisinha, ele arrumou um emprego numa firma numa Cidade vizinha, e esta para chegar uns engenheiros que vem da Inglaterra e vão ficar numa casa alugada pela empresa, segundo alguns funcionários antigos quando os gringos vem pede para eles arrumar alguma mulher para ele foderem e dão uma grana, ele esta querendo me colocar na fita, mais depois eu conto se rolar.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 24 votos)
Loading...

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Gatinha

    Olá meu nome é Ágata , tenho 14 anos adoro me masturbar lendo esses contos alguém aí teria vídeos de sexo infantil amo esse conteúdo .se alguém quiser me enviem neste [email protected]

  2. Pachecao

    Estou com muita vontade de foder meu pau está bem duro e vou tocar uma Gostosa Punheta pensando em ti…. Continue

  3. Robson

    Q conto delicia , fiquri de pau duro .. conte mais..