,

Festa na chácara

13-08-18 Por 0 ★ 4.50

Sou Carlos ela Carol já conhecida de todos, somos bissexuais adoramos sexo. Estavamos viajando e a noite fomos até um barzinho, onde tocavam uma música legal. Ao final resolvemos chamar o garçon para pagarmos a conta e retornarmos ao Hotel. Ele trouxe a conta com uma notinha que dizia: “amanhã (sábado) Ã s 19 horas, festa para entendidos e entendidas na chácara do Beto e do Cacá”. Olhei para Carla e ela disse, como não temos nada melhor, vamos aproveitar.
Ela me disse que uma amiga no ano anterior a havia ido numa festa nessa chácara e que lá rolava uma entrega total dos meninos e das meninas e que os garotos costumavam ir totalmente depilados, como sempre me depilo e quando vou a uma festa assim, já estou preparado. A noite ela me entregou um fio dental que tinha comprado, adoro usar. Coloquei aquela peça minúscula enterrado no meu cuzinho. Carol me avisou que ia levar uma parte baixa de um biquíni bem cavado para eu usar na festa.
Por volta das 19 horas chegamos na chácara e vimos alguns casais de entendidos em volta da piscina. Pagamos as nossas entradas e fui para um banheiro, claro que Carol foi junto para nos vestirmos. Ela vestiu um biquini com a parte de baixo um fio dental. Pensei comigo: logo essa puta vai arranjar um macho para apagar seu fogo, logo em seguida ela me passou a parte de baixo daquele do bikini que era um fio dental, cavado, vesti e ela disse que estava parecendo uma puta, louca para agasalhar um caralho no cuzinho guloso. Fomos para piscina, pegamos uma taça de vinho para cada um de nós.
Nem bem nos sentamos já começamos a bater um papo com dois carinhas, um era meio afeminado e chamava-se Marcos e o outro era o Maurinho e se portava como macho. Ambos nos chamaram para um passeio no pomar e claro bebemos nosso vinho super rápido e fomos. Eu e Marcos fomos apanhar algumas laranjas enquanto Carol e Maurtinho foram pegar limão. Em determinado momento Marcos me abraçou por traz e roçando seu caralho duro na minha bunda apontou entre as árvores e me mostrou que Carol estava de quatro no chão e Maurinjho com um caralho enorme socava em sua buceta. Fiz o mesmo, fiquei de quatro no chão enquanto Marcos puxou o meu biquini para o lado e socou o seu caralho no meu cú. O pau de Marcos deveria ter apenas uns 19 centímetros e era uma delícia a forma que ele me penetrava, eu olhava para trás e vi o seu corpo e rosto delicados, como o meu, enquanto ele me fudia de uma forma muito louca e gritávamos para que todos ouvissem, principalmente Cris e Maurinho, que como nós urravam como doidos. Foi incrível, gozamos os quatro aos berros, quase que ao mesmo tempo. Marcos encheu o meu cú de porra e depois mandou eu chupa-lo e deixa-lo bem limpinho. Chupei o seu caralho por bons minutos e nem percebi que Carol e Maurinho estavam bem ao nosso lado esperando acabarmos. Deixei ele bem limpinho e ainda chupei a rola de Maurinho. Nos despedimos deles e eles disseram que queriam nos ver novamente e retornaram para piscina. Carol me abraçou e nos bejiamos, ela adorou sentir na boca o gosto de porra dos machos, nos deitamos num 69, ela sugando o leitinho Marcos que escorria do meu cuzinho, enquanto eu sugava a porra que descia aos montes de sua buceta. Ela ainda enfiou 3 dedos no meu cú enquanto chupava o meu pau, que estava estourando de tesão, pois eu não havia gozado ainda e foi com seu dedos no meu cú, que eu gozei no fundo da sua garganta. Nos abraçamos, nos beijamos e ainda senti o restinho da minha porra na sua boca. Uma mestiça super gostosa nos chamou para voltarmos para a festa, pois iam servir o jantar.

Depois do jantar, deitamos numa sombra e acabei cochilando, mas uns trinta minutos depois, Carol me acordou para me apresentar um amigo chamado Rodrigo. O rapaz era delicioso, era moreno olhos verdes, magro e pela sua sunga pude ver que tinha um cacete enorme. Fiquei conversando com ele mas não conseguia tirar os olhos do seu caralho, então Carol disse para ficarmos a vontade, pois ia rever umas amigas. Conversei com Rodrigo por um tempo e enquanto bebiamos falamos sobre coisas triviais, acabamos falando sobre sexo, o que me deixava louco vendo aquele caralho ficar mais grosso e quase saindo da sua sunga. Me levante para ir buscar umas bebidas –para nós, ao me levantar, Rodrigo me agarrou e me beijou na boca. A sua lingua explorava a minha boca, eu sentia o seu caralho enorme roçando em mim e o seu peito também liso como o meu. Saímos da beira da piscina e fomos para o banheiro. No banheiro ele me deixou peladinho, elogiou o meu corpo liso e colocou o seu caralho para fora da sunga e mandou que eu chupasse. Rodrigo me pegou pelos cabelos e com força baixou a minha cabeça até aquela maravilha que chupei até ficar bem lubrificado, debrucei sobre a pia e com as minha mãos abri a minha bunda, expondo o meu cuzinho para que ele penetrasse. Rodrigo deu uma chupada no meu cuzinho e encostou a cabeça do seu caraljho, devia ter uns 20 centimentros, e ficou passando ele na entrada do meu cuzinho, eu

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 4 votos)

Por ,

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos