Minha rotina com meu filho e minha filha

Autor

Me chamo Rodrigo tenho 40 anos, viúvo pai de dois filhos. Meu filho tem atualmente 18 anos e se chama Ramon e minha filha tem 16 anos e se chama Valentina.
Vou começar minha historia como é minha rotina de sexo bissexual com meus filhos, se vocês gostarem eu posso contar como tudo começou.
Sou personal trainer e dono de uma academia, por este motivo eu e meus filhos possuímos corpos esculpidos, todos nós temos o cabelo preto e ondulado, pele morena jambo e olhos verdes. É muito obvio para quem olha de fora que somos uma família, o que só torna algumas de nossas fantasias mais excitantes. Meu filho é minha copia, praticamente uma versão mais jovem de mim mesmo, com a única diferença em nossos paus, o meu tem 24cm o dele ainda tem 20cm, mas eu sei que vai crescer mais. Já minha menina é toda feminina com cabelos compridos, seios incríveis do tamanho perfeito, e uma bunda grande e esculpida.
Nosso dia a dia começa sempre bem cedo, as crianças reclamam sempre mas sabem que vão ser recompensadas com leitinho do papai depois. Meus filhos estudam em um colégio estilo americano, por isso entram apenas as 8, mas acordamos as 6 para malhar antes de ir para o colégio.
Normalmente faço meus filhos malharem de roupa intima, a academia só abre as 8 então é tranqüilo, mas hoje eu queria uma vista especial.
-Comecem tirando a roupa crianças – Minha filha riu.
Val: Pai, você sabe que nunca conseguimos malhar por muito tempo totalmente pelados
– Hoje eu quero ver o cuzinho de vocês enquanto fazem agachamento- Meu filho gemeu
Ramon: Porra!!! odeio agachamento.
Ele pode até odiar agachamento mas eu já podia ver o pau dele duro dentro da cueca, ele também amava uma atenção no cuzinho. O ultimo exercício foi realmente agachamento, sentei logo atrás deles acariciando meus pau enquanto eles desciam. Era lindo ver a bucetinha molhada da minha filha e o cuzinho dos dois abrindo enquanto desciam. Quando terminaram a serie coloquei ambos de joelho para tomarem o leitinho do papai. Essa era a recompensa por malharem tão direitinho, eu amo ver ambos se beijando com minha porra na boca, só fazia meu gozo sair mais e mais.
-Pronto, agora vão se arrumar para ir a escola- Eles foram como os filhos obediente que eles são.
Você devem estar se perguntando porque eles não levaram vara, mas isso é só para o final do dia depois da aula, isso os mantêm se comportando como anjinhos no colégio. Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,95 de 39 votos)
Loading...