Como Minha Sobrinha, Sonho Realizado 2

Autor

Meu nome é Lucas e venho das continuidade a história de quando iniciei minhas investidas na minha sobrinha Larissa.
Depois daquele dia minha cabeça só pensava nela e naquela bucetinha rosada e lisinha, logo comprei uma Spy Cam pra poder filmar ela e pode ficar me deliciando depois, passei a frequentar mais a cassa da minha cunhada sempre esperando uma oportunidade, até que um dia tudo trabalho a meu favor, o pai da Larissa trabalho como caminhoneiro e passa dias viajando, minha esposa e minha cunhada resolveram fazer compras pra fazer um almoço e pediu pra eu ficar de olho na Larissa que estava dormindo no sofá, assim que elas saíram corri pro quanto da Larissa e instalei a Spy Cam e fiz um barulho pra ela acordar, assim que ela acordou falei pra ela ir banhar pq ela suou pq tava calor e ficava delirando de tesão só de ver q tava dando certo neste dia fiz meu primeiro vídeo dela peladinha, infelizmente na outra semana o pai da Larissa foi transferido pra matriz da transportadora que ele trabalhava e levou minha cunhada e Larissa com ele.
Nestes dois anos e alguns meses que passou só via ela pelas fotos e via como ela a cada dia ficava mais gostosa, no natal ela já com 12 aninhos veio passar o fim de anos com a gente, no dia que chegou foi na rodoviária buscá-la e quando a vi fiquei de pau duro na hora, ela tava com um shortinho jeans e uma blusinha rosa com aqueles peitinhos já a salientar, ela veio me deu um abraço e um beijo no rosto como sempre fez quando erra pequena, eu disfarçando pra não deixar ela ver q tava de pau duro, chegando em casa deixei ela com a tia e fui correndo pro banheiro pra aliviar e já pegar minha Spy Cam e deixar ela instalada no quarto que ela iria ficar, parecia que tava adivinhando que ela iria tomar banho e se trocar, nem acredito q montei a cam na hora certa.
No outro dia chegou o resto da família empatando meus planos, só que no decorrer dos dias achei que minha mente tava fantasiando de mais pq comecei achar que ela tava me provocando pq acho que ela percebeu que eu comia ela com os olhos, até que um dia antes do réveillon ela fez uma coisa que me fez delirar, ela tava com um vestidinho florido sozinha na sala e quando eu entrei ela estava com a perna um pouco aberta deixando ver a calcinha rosa pensei que ela ao me ver assustaria vê fecharia as pernas, só que ela olhou pra mim e abriu mais um pouco, não acreditei no que tava vendo, fiquei ali parado olhando com o pau babando de tesão, quando comecei ir até ela veio minha sogra avisar que a mãe e o pai dela não viria passar o réveillon com a gente devido ao trabalho do meu cunhado, ela levantou com os olhos cheios de lágrimas e correu pro quarto, pq este seria o primeiro réveillon que passaria longe dos pais.
Eu com aquela cena na cabeça dela com as pernas abertas me mostrando a calcinha, fiquei aguardando uma oportunidade para atacar. Até que na noite da virada fomos todos para um festa no clube pra ver a queima de fogos, Larissa toda gostosa com um vestido branco e eu num tesão que não passava, minha esposa tava toda contente pq todo dia comia a buceta dela que deixava ela sem fôlego. Após a virada de anos Larissa tava com lágrimas nos olhos e pediu pra minha esposa levar ela pra casa, foi onde eu entrei no meio e disse que levaria pq não tava me sentindo bem, minha esposa queria ficar pq no clube tinha varias amigas dela que tinha tempo que não conversavam, deixei o carro com ela e fomos embora de táxi, chegando em casa não perdi tempo e já fui chegando nela e pedindo um abraço e um beijo, como ela tinha costume de fazer, só que quando ela abraçou eu tava de pau duro e encostei nela deixando ela sentir o volume, ela dei uma tremida e continuou no abraço, perguntei se ela se assustou da forma q eu estava ela disse um pouco, eu falei que tava assim pq ela tava daquele geito na sala, e pedi se podia ver novamente, ela deu um passo pra traz me olhou e ficou em silêncio, pensei deu merda, mas ela levou a mão no vestido e levantou até me mostrar sua calcinha, perguntei se podia pegar e ela não respondeu, fui levando a mão até pegar na sua bucetinha, daí fui fazendo carinho e deitei ela no sofá, e fui tirando sua calcinha até ver aquela bucetinha linda, meu pau não cabia dentro da calça e disse que ia mostrar pra ela e tirei pra fora ela arregalou o olho e disse que erra grande, falei pra ela não ter medo pq não ia machucar ela é sim fazer carinho, não aguentei e logo comecei a chupar aqueles peitinho e fui descendo pra bucetinha chupando e ela gemendo segurando minha cabeça pra eu continuar a chupa e eu enfiando minha língua sentindo seu hímen até que ela deu uma tremida e gemeu gosando na minha boca e eu peguei sua mão levei no meu pau e ensinei ela a bater uma punheta, logo pedi pra ela chupar, ela meio sem jeito foi colocado a boca e começou a chupar, como não sabia passou dente na cabeça e eu disse pra chupar como se fosse um pirulito só com os lábios e a língua, até que não aguentando mais gostei na boca dela, ela engasgou e assustou com aquilo, expliquei que aquele erra minha porra mas ela disse que sabia só assustou pq nunca tinha visto, fiquei dedilhando aquela bucetinha e pensando em fuder ela só que ela disse que não tava na hora de perder a virgindade mas iria guardar para mim, de repente ouvimos barulho do carro chegando, ela correu pro quarto e eu fingindo que tava dormindo no sofá.
No outro dia infelizmente minha sogra a tarde quando foi embora levou ela para casa dela é de lá ela iria embora pra casa dela.
Ficamos mas uns anos sem nos ver até que fomos passear na casa dela devido um feriado prolongado, no próximo conto como foi a primeira vez que nos fodemos e a realização do meu sonho.