Meu amigo chegou, minha virgindade se foi !

Autor

Oi gente. Meu nome é Alice. Hoje tenho sou uma mulher casada bem sucedida, com meus 29 anos. Sempre me excito muito lendo os contos desse site. então resolvi criar coragem e escrever sobre a minha primeira vez com 13 anos rsrsrs. Espero que gostem.

Então . Eu não mudei muito da época que eu era criança (a não ser o corpo lógico ) . Sempre fui loira de cabelos lisos longos. pele branquinha, olhos castanhos escuros. Naquele tempo, na minha idade era considerada uma menina alta. Meu corpo sempre formadinho também. Meus seios já estavam se formando bem, não muito grandes, e tinha uma bunda redondinha ( que era a parte do meu corpo favorita).

Eu sempre tive um grande amigo chamado Luciano. Ele naquela época era dois anos mais velho do que eu. No auge dos seus 15 anos fazia sucesso com as meninas, mesmo sendo muito tímido. Era um pouco magro, mas seu corpo era todo definidinho, tinha cabelos loiros e lisos também, além de um belíssimo par de olhos verdes.

Nós praticamente crescemos juntos, pois nossas famílias sempre foram muito amigas. Nossos pais trabalharam juntos na mesma empresa por anos, porém a uns dois anos Luciano e sua família tinham se mudado para Brasília. Mesmo assim a amizade nunca esfriou. Tanto a gente, como nossas mães e pais, estavam sempre se falando pelo msn para matar a saudade e logicamente marcar como de costume um local para nos reunirmos nas férias de verão.
Nesse ano de 2005 o local escolhido tinha sido um chalézinho perto da região da chapada dos veadeiros. O chalé era dentro de uma fazenda. O local era lindo, com muito verde, animais e lindas cachoeiras. Minha família chegou antes no local, pois era mais perto de onde nós morávamos.

O dia foi passando e eu mal podia controlar minha ansiedade de reencontrar meu amigo. Até que o sol já estava se pondo e escuto um barulho de caminhonete chegando. Eram eles ! Saio correndo da sala para recepciona-los. Foi aquela festa quando todos se encontraram de novo. Quando finalmente vi Luciano descendo do carro, me espantei, como ele havia mudado em um ano. Mesmo com olhar de amiga, não pode deixar de notar como ele estava bonito.

Depois de todos acomodados, começaram as comemorações. Aquele churrascão delicioso do meu pai e é lógico, muita bebida e risada por parte dos adultos. Eu e Luciano ficamos conversando sobre escola, suas aventuras amorosas ( ou desventuras ).

Finalmente lá pela 1 da manhã fomos todos dormir. Foi decidido que os casais dormiriam no quarto, e as crianças iriam dormir na sala. Eu adorei, pois era mais tempo para ficar conversando com Luciano. Ficamos mais um tempinho acordado vendo TV enquanto mais assuntos se desenrolavam. As vezes tínhamos que tapar a boca, pois ríamos tanto que o medo era acordar nossos pais.

O sono veio chegando, os papos cessando, Botei meu pijaminha, que era uma blusinha branca do mickey e um short rosa ( lembro perfeitamente rs ) e finalmente pegamos no sono. Ou pelo menos eu peguei no sono. Nosso colchões ficaram no chão lado a lado, quase uma cama de casal. Luciano dormiu de costas pra mim. De repente eu acordo no meio da noite. Sinto alguma coisa deslizando pela minha perna. Quando abro olho de fato vejo a mão de Luciano me acariciando. Até então eu entendi aquilo como um carinho de amigo. Não via maldade na gente. O carinho até que era bom, leve, o que foi novamente me deixando um pouco sonolenta. Porém subitamente a mão dele desvia do trajeto que estava normalmente e começa a ir por dentro do meu short. O que ele ta fazendo? Ta louco ! Pensei. Os carinhos estavam chegando perto demais da minha buceta. Tão perto que dava pra sentir o calor da sua mão. Percebo ainda um movimento estranho vindo debaixo do lençol dele. No dia eu não sabia o que era, mas ele tava batendo uma bela punheta. Não sei se eu estava gostando, ou se era medo de fazer algo e perder a amizade, mas a verdade é que eu não me movi, continuei fingindo que estava dormindo. Sua mão então se aproximou mais ainda e finalmente senti seu dedo tocando no meu sininho. Me arrepiei toda, e acabei me mexendo um pouco, o que o assustou. Ele rapidamente tirou a mão e parou a sua punheta. Chegou perto de mim e checou se eu continuava dormindo. Tratei de ficar imóvel novamente. Então novamente ele vai pondo a sua mão dentro do meu short, dessa vez direto ao ponto. Ele ficava passando dedo em cima do meu sininho.Era bom, me causava arrepios, mas ao mesmo tempo era errado… Sua respiração ficava cada vez mais ofegante. A velocidade do movimento dentro do lençol do Luciano ia aumentando. Até que ouvi um suspiro um pouco mais alto. A punheta tinha parado. Ele gozou. Provavelmente deve ter gozado tudo dentro da bermuda. Novamente ele virou pra lado e enfim dormiu. Eu ainda estava um pouco agitada com aquela leve loucura que tinha acontecido. Senti algo estranho entre minhas pernas, um calor, algo molhado. Quando levei as minhas mãos até minha buceta ela estava levemente molhada. Nunca tinha sentido aquilo. Tente fechar os olhos e dormir, mas foi bastante difícil. Foi uma noite longa aonde muita coisa passou na minha mente. Tinha sido gostoso, mas era meu amigo, de infância, praticamente se aproveitando de mim.

No dia seguinte quando acordei, Luciano já não estava mais ao meu lado. Sua cama já estava arrumada. Perguntei por ele no café da manhã, e seus pais disseram que ele tinha ido visitar uma cachoeira perto da casa, e não tinha me acordado por que eu estava dormindo profundamente. Fiquei um pouco bolada, pois tínhamos combinado de irmos juntos pra lá.

Já era quase a hora do almoço e nada do Luciano retornar. Sua mãe começou a ficar preocupada. Então falei que ia até a cachoeira chama-lo para o almoço. Era uma trilha tranquila, não tinha como me perder até lá. Chegando a cachoeira, começo a procurar por ele, e não acho. Até que o vi atrás de uma moitinha. Tive que olhar novamente, pois o que vi não parecia real. Eles estava completamente nu. Olhando mais atentamente pude ver ele batendo outra punheta. Era um safado e estava com os hormônios a flor da pele. Dessa vez com a luz do dia, pude ver de fato o seu pinto. Não tinha como afirmar na época se era um pau grande ou um pau pequeno, afinal eu nunca tinha visto um. Mas pra mim aquilo era bem grandinho. Estava duro em sua mão e ele firme e ritmado continuava com a sua punheta. Aquilo, não irei mentir, me deixou um pouco excitada. Fiquei lembrando da noite anterior. Um calor tomou conta do meu corpo. Eu ficava apertando de maneira quase que involuntária, a minha coxa uma contra a outra, contraindo assim a minha buceta. Tava bem gostoso e eu não queria sair daquela situação tão cedo.

De repente Luciano nota minha presença de longe e me chamou pelo nome. Eu, ao perceber, fiquei super envergonhada, e já ia saindo dali. Mas novamente ouvi Luciano me chamando, pedindo pra eu esperar. Ele bota a sua sunga e vem correndo em minha direção perguntando o que eu tinha visto… Eu ainda sem jeito, respondi timidamente que tinha visto tudo. Ele então ficou um pouco sem graça com a situação, um pouco calado. Decidi continuar e falei sobre a noite anterior. Ele então ficou mais calado ainda. Foi uma surpresa pra ele saber que eu estava acordada o tempo todo. Então eu perguntei o que era aquilo que ele tava fazendo. Ele me explicou finalmente o que era uma punheta. e falou que fez a mesma coisa ontem enquanto me tocava.

Um pouco mais animado com o rumo que a conversa tomava, ele então começou a dar umas investidas. Ficou falando de como eu estava mudada, linda, parecia uma mulher com corpão. Eu adorei ouvir esses elogios. Mesmo sem graça agradeci a ele. Então ele vai mais além, e fala que a minha buceta ficou molhada naquela noite, e eu nem tinha percebido. Respondi que tinha percebido depois. Então ele pergunta se ele pode tocar nela de novo. Fiquei em choque com a pergunta, e ao mesmo tempo sem saber o que responder. Ele insiste, e eu acabei deixando. Abaixei o meu short e a calcinha até o joelho mais ou menos e mostrei a minha buceta virgem pra ele. Era uma buceta típica de menina novinha, branquinha, com pouquinhos pelos na frente, e mais rosada nos lábios.

Ele ficou na minha frente paralisado. Demorou pra ter ação. Ele então começa a passar a mão por cima da minha buceta. Fui ficando novamente excitada, Os arrepios tinham voltado, e dessa vez nem meus suspiros e gemidinho eu consegui disfarçar. Luciano então baixou novamente sua sunga e começa a mexer em seu pau. Como tava duro ! Ele então pergunta se eu não quero passar a mão no pau dele também. Dessa vez a resistência foi bem menor. Nem questionei, botei minha mão naquele pau. Dava pra sentir ele pulsando na minha mão. Era gostoso, quente, dava pra sentir todas as veias saltadas. Ele então pede para eu me deitar no chão, que ele iria fazer uma coisa que eu iria gostar mais ainda. Novamente obedeci e fiz o que ele pediu. Ele então abriu as minhas pernas e começou a me chupar. Nossa, fui ao delírio. Os arrepios foram mais fortes ainda. Se antes minha buceta estava úmida, agora ela estava completamente molhadinha. Eu só escutava ele falando, caralho que buceta gostosa !

Luciano parou de me chupar, subiu até ficar alinhado comigo e começou a me beijar. Eu nem pensava em mais nada. Como falei no início, ele era lindo, retribui o beijo, mesmo tendo pouca experiência. Então ele levanta meu top, e tira meu sutiã. Dessa vez ele começa a mamar no peitinho, que já estava com o biquinho bem durinho. Aquilo foi outra experiência nova, outro tipo de prazer já ! Então Luciano faz carinho no meu cabelo, me beija novamente. Olha nos meus olhos e pede pra eu confiar nele. Dessa vez ele tira meu short por completo. Agora eu estava igual a ele, completamente nua. Ele então se posiciona entre as minhas pernas, pega o seu pau e bota bem na portinha da minha buceta. Eu olhei assutada, sabia que iria perder a minha virgindade. Mas não sabia se iria doer ou não, se iria ser gostoso ou não. Mas quis pagar pra ver. Estava tomada por um tesão muito grande.

Luciano começa a forçar a entrada do seu pau. Uma leve dor toma conta de mim. Fecho os meu olhos e faço um esforço pra aguentar. Ele continuava fazendo carinho no meu rosto e cabelos, tentando transformar tudo mais agradável possível. Seu Pau vai entrando, e pouco em pouco. De repente sinto uma resistência sendo rompida. Seu pau entrou tudo de uma vez. Dei um gritinho de dor bem baixo. Luciano apenas me acalmava, falando que agora ia ser tudo melhor.

Ele começa um vai e vem gostoso, um pouco incômodo ainda, porém gostoso. Cada vez mais aquilo ia me excitando, e me relaxando. Logo não sentia mais dor. Luciano me beijava e começava a botar com um pouco mais de velocidade agora. Eu comecei a gemer baixinho. Com uma mão agora ele segurava minhas costas, com a outra massageava meu peitinho. Ficava falando umas safadezas em meu ouvido como " caramba, minha amiguinha ta muito gostosinha" ou "caralho que bucetinha apertada" . Aquilo me deixava mais excitada ainda. Luciano então me botou de quatro, e disse que sonhava em ter a minha bundinha só pra ele. Novamente enfiou o seu pau, dessa vez sem resistência e sem dor nenhuma .Me agarrou com as duas mãos na minha minha cintura e começou a bombar forte na minha bucetinha.

Luciano então goza, dentro de mim. Solta um gemido de prazer. Ficamos ali engatados ainda por alguns longos segundos. Ele ainda bombava de leve e fazia carinho na minha bunda e nas minhas costas. Quando tira o seu pau, vejo seu gozo escorrendo com um pouquinho de sangue. Novamente ele me abraça e me beija, e fala que jamais iria se esquecer dessa dia, mas que eu não podia contar pra ninguém. Aproveitei a cachoeira e me lavei. Voltamos pra casa, morrendo de fome, minha bucetinha latejava. Eu ainda estava um pouco incrédula com o que tinha acontecido, mas eu tinha gostado muito, e no final das contas tinha perdido minha virgindade com meu melhor amigo… Não poderia querer algo diferente.

O tempo passou. Anos depois, eu e Luciano até tentamos namorar, mas a química talvez tenha ficado no passado.

OBS: Gente, vi que o conto ficou enorme! Me desculpem por isso. Tentei ser mais detalhista possível . Espero que tenham gostado !
Um beijo da Lika