Mané do sexo 2

Autor

Vocês leram na primeira parte, a minha primeira relação com minha filha. Depois fomos muito cansados a festa de aniversário da amiga Ingrid. Chegando lá cada um para o seu lado. Fui conversar com o Antero, pai da Ingrid e quem mais falava era a Rosa, mãe da Ingrid. Porra, que mulher! Fiquei tesudo pela coroa. Mas, depois da festa, durante um longo tempo, eu e a Marcy passamos a vicer maritalmente. Mas, a safadinha abriu a boca para a família da Ingrid, que logo passou também aproveitar do produto, meu pau. A Vitoria veio ao Brasil e levou a Marcy para passar alguns dias na casa de meus sogros. Fiquei sozinho. Bem, a Ingrid veio me visitar. Coitado, sozinho, vim te fazer companhia até as cinco, quando minha mãe sai da academia e vem me buscar, tá. Tá, ué. A moça estava boa demais. Nota: Porque a filha dos outros atrai mais tesão e safadezas que as nossas, fecha nota. Ingrida, vem assistir um filme aqui comigo, Pera aí, já vou, tô tomando água. E, ela veio, já pronta para o abate, sem calcinha, vestido justo um pouco levantado, mostrando para o que veio. Não pensei duas vezes, deitei ela no sofá e chupei aquele bucetão, mordi, enfiei o dedo junto, enfiei dois dedos no seu cuzinho e, ela gozou e gozou. Espera, vou tirar o vestido e o sapato, tesão. Eu fiquei nu, completamente. Ela deu um gritinho, que cacete enorme, deixa eu chupar, deixa vai. E, eu deixei. Quase não cabia na boca dela, mas, foi indo, indo e eu não aguentei, esporrei na boca dela e ela cuspiu toda a porra. Mas, deitou, e pediu que eu deitasse ao seu lado. Começou a me punhetar e a beijar, lambendo minha língua. Foi descendo e chupou meu pau, enfiando de leve o dedo no meu cu. Ei, espera aí, eu não tô acostumado Mas, vai ficar, pois vou fazer teu caralho ficar que nem pedra de duro e, vou enfiar ele em mim até eu aguentar, essa delicia, tá vendo, Valter, olhe como ficou. Porra, ficou duro mesmo. Ela sentou, guardando todo o meu pau na sua boceta. Caralho, como você mete bem, Ingrid. É, eu que ensinei a Marcy, somos amantes a muito tempo. AAAAAI, USH, PORRA, QUE CACETE, QUE CABEÇA, TÁ ME ARROMBANDO, ANIMAL, TA DOENDO, MAS, DEIXA EU GOZAR PRIMEIRO. O DO MEU PAI É MENOR, MAS EU NÃO GOSTO DE FODER MUITO COM ELE, AAAIIIIIIEEEEE, GOZEIIIII. Ai, desceu do meu pau, partiu para a chupação. Parou, deitou do meu lado e falou que eu a fiz gozar mais que muito cara por ai. E, olha que eu já transei muito, ao contrario da Marcy que queria dó dar para você, aaaaqueeeleee bucetãi peludo e molhado, me enche a boca e da minha mãe. Descansamos e partimos para boceta e cu. Não era apertado, come, meu pai insisti em comer meu cu e meu amigos também. Coitada da minha boceta, só você fez ela gozar. Fode meu cu, foodeee, aiiii,uiiii, goza ai dentro, UUUUUUIIIIII,USH USH, Agora, chupa minha boceta, chupa, limpa o pau e me come de novo, estou pegando fogo, vem, enterra teu pau em mim, ainda está duro, vem amor, tesão, AHHHH, FUFF, PUFF, GOSEIIIIIIIIII. Dá licença, preciso de um banheiro. E, eu também. Nos lavamos, nos beijamos e trocamos de roupa. Não deu vinte minutos, a Rosa chegou. (continua)