Minhas lembranças (VII)

Autor

Me tornei a putinha do Papai, O tempo foi passando vagarosamente!!!! (Eu sou a Flavia e hoje estou com 17 anos), mais os fatos que vou narrar aconteceram quando eu tinha 14 anos, depois que eu e papai transamos a 1ª vez ele ficou mais agarrado comigo e eu mais grudada nele, eu amo o meu protetor, sempre me defendendo, e eu sempre que tinha uma oportunidade de ficar a sós com ele, eu já sentava no seu colinho pra sentir seu pau ficar duro e fazer pressão na minha bundinha, e eu sempre sem calcinha ficava esfregando minha boceta no seu pau, já o fiz gozar assim diversas vezes.
Mais eu queria mais; eu queria que o homem que eu sempre confiei e que eu tinha certeza que se precisasse ele dava sua vida para defender a minha, meu protetor, fosse também o homem que ia tirar minha virgindade, eu tinha certeza que esse homem jamais ia me decepcionar. Uma sexta-feira como de costume minha mãe saiu pro encontro com sua amigas, eu falei pro papai que queria ser dele por completo, queira senti-lo inteirinho dentro da minha boceta, aí ele pediu pra eu falar com mamãe para irmos no ginecologista dela fazer uns exames e começar tomar anticoncepcional, que ele não queria que acontecesse comigo como aconteceu com minha mãe, embora eles se amassem muito, minha mãe ficou gravida com 16 anos, eles usavam camisinha mais ela não tomava anticoncepcional, transavam desde os 14 anos dela, e dessa vez a camisinha se rompeu e minha mãe engravidou, eram duas crianças criando outra criança, (que era eu) esse dia ele ficou mais excitado ainda, fiquei peladinha e ele também, meu pai deitou de barriga pra cima, seu pau apontando pro teto do quarto, eu subi encaixei seu pau na minha fenda e fui esfregando, tirava suspiro profundos, beijei meu pai na boca, ele me agarrou, me abraçou, mamou nos meu peitinhos, depois ele me tirou de cima, ele me deitou de barriga pra cima, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha boceta, mamou no meu grelo que já estava bem durinho, saindo pra fora dos lábios da boceta, aí me deixou na posição de frango assado, começou a pincelar seu pau do meu grelo indo até meu cuzinho, encaixou na entrada da buceta e forçou até entrar a metade da cabeça senti encostar no meu cabaço, eu implorava pro meu pai: eu falei , Pai soca tudo de uma vez, arrebenta meu cabaço, eu não aguento mais quero ser sua por inteiro, ele me disse, calma filha você vai ser do papai, deixa você fazer os exames e começar a tomar o anticoncepcional que eu terei o maior prazer de ser o seu pai e o seu homem, tirar esse cabaço que tanto esta te incomodando, mais hoje vamos fazer como o de costume, você é a melhor filha do mundo te amo muito, tenha um pouco de paciência, aí ele lubrificou o pau e o meu cu, encaixou a cabeça na entrada e foi socando devagar, nessa posição ele me beijava e também sugava meus peitinho, aí ele pegou minha mão e quis que eu ficasse tocando na minha buceta, ele queria ver eu gozar com o seu pau atolado no meu cu e tocando uma siririca, aí quando ele viu que eu comecei a acelerar meus movimentos e piscar o cu apertando seu pau, ele foi acelerando também e gozamos os dois juntos, quase desmaiei de tanto que eu gozei, vinha em ondas e não parava nunca, fiquei largadinha e ele ficou com o pau dentro do meu cu, mais ficou quietinho até eu me recuperar, aí sem tirar de dentro, ele puxou meu corpo junto ao dele, se sentou na cama, e eu continuei com o pau dentro, ai ele me falou: vamos tomar banho e eu levo você no colo até ao banheiro, levantou-se comigo no colo sem tirar o pau de dentro de mim, aí ele em pé e eu com uma perna cada lado da sua cintura e com seu pau dentro dos meus intestinos fomos até o banheiro, mais ele me perguntou se eu aguentava mais uma e seria em pé mesmo, eu disso que aguentava, aí ele foi socando, me levantava com a pica, foi socando até que ele gozou novamente, tomamos banho, ele me secou, passou um creme no meu cuzinho, passou dentro e no rego, eu vesti minha camisola fomos pro sofá esperar minha mãe chegar, e ela demorou muito e eu dormi, meu pai me levou pra minha cama, fui acordar no outro dia.
Falei com mamãe sobre minha consulta com o seu médico, ela ficou um pouco curiosa mais não me encheu de perguntas, ligou pro médico e marcou duas consultas uma pra ela e outra pra mim, ainda ouvi a mamãe falar pro médico: até outro dia levava minha filha no pediatra, agora quer o ginecologista,
Bem o dia chegou, eu me vesti, com uma camiseta, calcinha e um shortinho, e minha mamãe se vestiu normal, e fomos pro ginecologista, entramos as duas no consultório, fomos pra sala reservada do médico, curiosa olhei pra todo lado uns aparelhos esquisito, e um tipo de maca ou cadeira que mais parecia que servia para tortura, com uns suportes esquisitos, aí minha mãe combinou com o médico que ela seria a 1ª para eu ver como era o procedimento, minha mãe se despiu, colocou um tipo de camisola aberta totalmente atrás deitou na maca, o médico mediu sua pressão, apertou sua barriga pra ver se tinha alguma dor, depois ela subiu naquela coisa esquisita, colocou uma perna em cada suporte e ficou toda arreganhada para o médico, eu do lado do médico observava tudo em silencio, ele colocou um negocio dentro da vagina da mamãe um tipo de alargador, ficou toda arreganhada, olhou com uma luzinha dentro, ele me disse que era para ver se não tinha nenhum machucado dentro, depois colocou outra coisa para colher material para exames, ele me deu uma aula do aparelho genital feminino, o que era e para o que servia, inclusive falou de um tal de ponto G que é invisível, mais que quando tocado da muito prazer, minha mãe estava excitada pois seu grelo estava duro como um pintinho de criança, o médico tocou nele e me falou que isso também dava muito prazer(como se isso eu já não soubesse) terminou a consulta da mamãe foi a minha vez de ficar pelada, não tinha nenhuma camisola do meu tamanho, fiquei nua mesmo, deitei na maca foi o mesmo procedimento da minha mãe, depois fui pra aquela cadeira esquisita, e fiquei toda arreganhada pro médico, minha mamãe ficou do lado do médico olhando, como eu ainda sou virgem ele não introduziu nada na minha vagina, só abriu os lábios, apalpou meu clitóris, abriu um pouco a entrada da vagina pra ver se estava tudo bem, ele mostrou meu cabaço pra minha mãe, disse que estava intacto, aí minha mãe disse que minha menstruação as vezes atrasava e quando vinha eu tinha cólicas, ele fez um pedido de exames e eu fui com minha mãe num laboratório, tiraram um pouco de sangue e também fizeram um ultrassom pra ver se meus órgãos internos estavam ok, passado uns dias minha mãe pegou os resultados e voltamos pro medico, ele olhou os exames, pediu pra eu me despir que ele queria me ver mais uma vez, e assim eu fiz, fiquei nua subi naquela coisa e fiquei toda arreganhada, minha mãe também estava do lado dele, ele apalpou meus peitinho, depois abriu os lábios da minha buceta, pegou no meu grelo, meteu dedo até encontrar meu cabaço, e não sei porque, mais ate apalpou meu cuzinho, aí ele disse que estava tudo bem comigo e para regular minha menstruação ele receitou um anticoncepcional, pra mim foi ótimo, nem precisei falar nada, passamos na farmácia compramos os remédios esperei chegar minha menstruação e comecei a tomar os comprimidos, não vejo a hora de passar uns 60 dias tomando o anticoncepcional certinho e aí o meu pai tirar meu cabaço, mais isso eu conto depois…….

E-mail: flaviacmantovanni@gmail.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...