A mulher do caminhoneiro

boa noite me chamo PAULO sou negro 1.80 ,40 anos em forma certo dia fui chamado a um casa para trocar um chuveiro que tinha queimado chegando la me deparo com um senhora alta gordinha tinha seus cinquenta anos mais muito bem cuidada,me apresentei disse que estava ali pra trocar o chuveiro por indicaçao do senhor Mario da loja de material de construçao ela me mandou entra me mostrou o banheiro e la fui eu trocar o chuveiro,quando terminei a chamei e disse que estava pronto ela olhou nos meus olhos e perguntou se o chuveiro estava bom mesmo eu disse que sim,ela disse vou testar espera ai na sala se estiver bom eu te pago,fiquei meio surpreso com o jeito que ela me falou mais esperei afinal tinha que receber pelo meu serviço ao sair do banho ela parou na minha frente de toalha sorriu e disse seu serviço ficou otimo voce merece um premio e deixou a toalha cair seu corpo branquinho ali na minha frente eu fiquei surpreso nunca tive uma mulher tao facilmente sem precisar cantar nem nada simplesmente ali parada ao meu dispor nao tive duvida levantei a abraçei e a beijei demoradamente,seu minhas maos percorria seu corpo sua voz ficou ofegante ela pediu como se estivesse suplicando me chupa eu a sentei no sofa abri suas pernas e sem pensar duas vezes cai de boca naquela boceta toda raspadinha ela se contorcia de prazer pois as maos na minha cabeça e a apertava na sua boceta eu a chupei ela falava coisas desconexas derrepente estremeceu e gozou ficou um momento parada como se estivesse em estase tentei abraça la ela se esquivou como se estivesse curtindo o momento que era so dela depois disse pra esperar foi ate o quarto e voltou com tres camisinhas me entregou se ajoelhou no sofa com a bunda virada pra mim e disse vem comer essa buceta negao nao pensei duas vezes me ajeitei atras dela e meti a vara sem do ela rebolava no meu pau com maestria comendo aquela buceta e com aquela bunda virada tive que enfiar meu dedao no cu dela ai ela rebolou mais ainda vou confessar nao me contive e gozei rapidamente ela ficou desapontada e disse ja eu nao conseguir me conter ela disse sem problema foi ate a geladeira pegou uma cerveja e começamos a beber ela me contou sobre sua vida disse que era casada com um caminhoeiro a trinta anos mais seus filhos ja era casado e o marido nao a procurava mais pro sexo por que as novinhas da beira de estrada que satisfazia ele ;eu disse se tivesse uma mulher como voce nao sai dos seus braços ela sorriu e me beijo meu pau deu sinal de vida ela sentou no sofa de frente pra mim e começou a me chupar com um prazer,sua boca tentava engolir meu pau foi uma sensaçao encrivel ,depois ela ficou de quatro e eu comecei a comer aquela boceta avida por vara mais a buceta nao era mais o bastante pra me abri sua bela bunda tentei penetra la ela disse toda dengosa ai nao vai doer seu e grande demais eu disse que ia por com carinho ela pediu pra esperar foi ate o quarto e voltou com uma pomada chamada lidocaina e disse passa no meu cuzinho pra dar uma anestesiada e ficou de quatro no sofa eu peguei a pomada e fui passando com as pontas dos dedos ela rebolava eu enfiava o dedo no cu dela com prazer um dado momento ela disse ja esta bom pode cravar a rola mais devagar eu fui enfiando devagar ate ela comessar a rebolar feito cobra mal matada ai nao teve jeito fui acelerando e metia sem do ela começou a morder a toalha para nao gritar e esfregava a mao na boceta com muita velocidade ate que ela gozou e eu gozei em seguida foi um prazer comer aquele cu,depois disso nos transamos umas tres vezes ate ela se mudar da cidade.desculpe os erros de portugues e a minha primeira vez e nao sou estudado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...