Uma tarde prazerosa!

Olá, vou dissertar sobre um relacionamento muito bom que inciei há alguns meses.

Tenho 37 anos, casado, sou Administrador. Sou de Porto Alegre. Sou branco, 1,80m, olhos verdes, cabelos curtos ficando grisalhos, tenho barba e também malho bastante, mas não tenho um corpo todo definido.

À época meu casamento não estava num estágio legal, parecia estar com os dias contados, então, resolvi baixar o Tinder.

Pois bem, olhei diversos perfis no aplicativo e dei match em alguns que acreditei serem bem compatíveis com o meu. Não sei se por sorte, acaso ou qualquer outro motivo combinei com uma mulher que me interessou muito.

Vou chamá-la aqui de Ana (fictício). Ana é uma mulher muito bonita, 38 anos, casada há 10 anos, advogada.

Então conversamos bastante pelo Tinder e depois pelo Whatsapp. Tivemos conversas interessantes, me disse que também não passava por um momento bom no casamento e após algum tempo essas conversas começaram a ficar bem picantes. Achei que ficaríamos nas boas conversas somente, mas belo dia ela deu a ideia de nos conhecermos pessoalmente. Então resolvemos nos encontrar. Nossas conversas estavam tão excitantes que não pensamos duas vezes em marcamos nosso encontro direto num motel.

Dia e hora marcada fui ao motel, já com quarto reservado. Aguardava ansioso por Ana, então chega a mensagem mensagem no celular, ela afirmando que já estava entrando no motel, minha ansiedade só aumentou. Ela entra no quarto, eu aguardando sentado a mesa bebendo um copo de água. Fiquei impressionado com a beleza daquela mulher. Só a conhecia por fotos e já a achava muito bonita, mas ao vivo foi uma visão magnifica. Bem vestida, Ana usava um terninho grafite e uma camisa branca, saltos que a deixaram da minha altura. por volta de 1,70, uns 65 a 70 kg no máximo, loira, cabelos longos, olhos claros, malhada, belas coxas e siliconada.

Nos cumprimentamos com beijos no rosto, mas o clima era tenso, afinal era nosso primeiro encontro, ambos estávamos um pouco sem jeito, então resolvi servir algo mais relaxante, servi duas taças de um vinho que havia comprado antes do nosso encontro. Bebemos e fomos nos soltando, conversando, eu não via a hora de despir aquela mulher. Que perfume maravilhoso da Ana. Então fui me achegando até o ponto de estarmos de rostos colados e a beijei, sua retribuição foi maravilhosa, nossas línguas se chocavam, seus braços se entrelaçaram em meu pescoço e os meus em sua cintura. Nos beijamos por longo tempo, até faltar o ar, então passei a beijar seu pescoço, escutava sua respiração ofegante e isso me deixava imensamente excitado. Suas mãos agora agarradas aos meus poucos cabelos. Minhas mãos agora percorriam seu corpo, buscando desabotoar seu terno e sua blusa, então ela puxou minha camisa e me despiu na parte superior e depois tirou a parte de cima do terno, logo após com uma rapidez impressionante tirou sua camisa e expôs aquele par de seios lindos, protegidos de minhas e boca apenas pelo sutiã, voltei a beijá-la e agora minhas mãos abriam seu sutiã, ela deixando cair a peça da lingerie por seus braços e nesse momento nossos corpos se tocavam sem interferência e pude sentir aquela mulher deliciosa roçando os seios em meu peito. Passei a beijar, lamber, chupar, mordiscar e acariciar aqueles seios lindos, sentia suas mãos hora em meus cabelos, hora em minhas costas, sua respiração cada vez mais ofegante. A coloquei na cama, me posicionei por cima, a beijei na boca e fui descendo, pescoço, seios, barriga, sentia seu perfume em cada cm do corpo, abri suas calças e fui puxando até suas canelas, tirei seus sapatos, beijei e acariciei seus pés – pés lindos e bem feitos, aliás ela é uma mulher que se cuida, unhas bem feitas e muito perfumada – e terminei de retirar suas calças deixando-a apenas de calcinha. Ali percebi que ela havia colocado um conjunto de lingerie todo preto, muito bonito, desses quase transparente. Fiquei admirando aquela mulher magnifica apenas de calcinha deitada. Agora eu subi beijando seus pés, seus tornozelos, suas coxas. Beijei sobre sua calcinha, então puxei pro lado e passei a língua em sua xana. Ela estremeceu, seu corpo se retorceu, então tirei sua calcinha e voltei a beijar, lamber e chupar sua boceta, suas pernas enlaçaram meu pescoço, sentia suas coxas me apertando. A posicionei de maneira que minhas mãos alcançassem seus seios enquanto minha língua a penetrava. Me deliciei entre suas pernas, ela gemia e se retorcia e gozou assim, me pediu pra parar, algo que eu não queria, mas ela tinha espasmos gozando e me afastou. É algo sem descrição fazer uma mulher chegar ao orgasmo, a satisfação é enorme.

Me deitei ao seu lado e ficamos ali nos acariciando e beijando por alguns minutos…

Ela levantou da cama e foi beber algo, que visão aquela mulher desfilando nua no quarto. Quando voltou pra cama já veio por cima, tirou meu cinto, abriu minhas calças e puxou calça, cueca, tudo, me deixando nu. Deitou por cima e roçava seu corpo no meu, meu pau ereto, desejava loucamente penetrar aquela boceta molhada e deliciosa. Ana agarrou meu pau e masturbava ele devagar e passou a beijar, lamber da base até a cabeça e por vezes engolia ele todo, chupava e sugava com maestria num ritmo lento me deixando a sua merce. Eu deitado, ela se posicionou pra fazermos um 69 fantástico. Ela me chupava e baixava sua cintura esfregando sua xana na minha boca, ficamos por um bom tempo nessa posição até que ela levantou novamente e buscou a camisinha que estava sobre a mesa. Ela mesma colocou a camisinha, se pôs por cima e sentou e começou a cavalgar, por vezes se deitando por sobre mim e me beijando, agora nossos corpos suavam intensamente. Depois deitou-se ao meu lado, ficamos de conchinha, corpos colados mexiam num ritmo perfeito, minha respiração em seu pescoço, minha mão percorria seus seios, eu a beijava e mordia sua orelha, ambos gemiamos baixo. Depois a coloquei de 4 na beira da cama, ela ficou de maneira que sua bunda ficasse bem empinada, a penetrei, ritmando os movimentos, acelerando por vezes e ficamos nessa posição até que não segurei mais e gozei, gozei muito, urrei de tanto prazer… Me joguei na cama e Ana se aninhou em meus braços, trocamos muitas caricias nesse momento, agora sem vergonha alguma um do outro. Ambos pelados e acabados na cama… Resolvemos tomar um banho e fomos os dois para o chuveiro. Lá recomeçamos o namoro, mas como foi a segunda rodada descrevo num próximo texto…

O que posso dizer é que Ana e eu temos nos encontrado com alguma frequência e conversado sobre várias fantasias e que já colocamos algumas em prática…

wanton1979@hotmail.com