#

Minha doce ladyboy Julia

10490 palavras | 10 |4.14
Por

Apesar de ser hétero descobri com a minha doce Julia o prazer de transar e amar uma ladyboy. Com ela descobri prazeres que jamais sonhei em ter …

A vida é cheia de surpresas! Disso eu já sabia e ela me deu uma que jamais esperei que aceitaria por ser algo normal hoje, mas era algo que eu jamais imaginaria que me envolveria nessa experiencia que foge dos conceitos de um hétero de carteirinha.
Em um único relato quero falar o que vivi com a minha doce Julia. Com ela tive uma das melhores experiencias da minha vida e ganhei uma segunda família por tê-la tratado como sempre sonhou. Espero que gostem e curtam minha experiencia com ela. Não sou preconceituoso e respeito a opção de cada um tanto que tenho colegas do gênero e me dou muito bem. Sou o Beto e depois de nascer e crescer no interior paulista me mudei pra SP e já fazem cinco anos que moro na capital, residindo na Zona Leste na casa de um tio e hoje tenho 27 anos. Sou um cara normal, boa pinta e mesmo não sendo aquele galã chamo a atenção das mulheres. Sou moreno e adepto do cabelo comprido. Quanto a altura por volta de um e oitenta de altura. E graças a Deus nessa aventura aos 22 anos consegui um serviço para me ajudar e também comecei a fazer um curso e foi nele que uma grande surpresa me aguardava. Com três meses na vida nova conheci uma jovem de dezoito anos que namorei por dois anos e infelizmente não deu certo mesmo nos dando muito bem, principalmente no sexo onde ela também gostava de umas brincadeiras e já tive a oportunidade de um ménage por ela gostar de beijar e chupar uma garota bem gostoso.
Mas voltando a surpresa, ao ingressar no curso que me ajudaria muito na minha vida profissional me deparei com Julia com seus dezoito anos, uma morena linda, cabelos curtos, olhos verdes devido a lente de contato, uma boca com lábios bem sensuais, peitos médios, cintura fina e uma bundinha redonda. Apesar da idade era muito carismática, sabia conversar sobre qualquer assunto e já tinha sua opinião própria mostrando que era bem madura pra sua idade. Algo que foi conquistado pela educação e pelo apoio que seus pais lhe deram nessa escolha dela. Como tinham uma boa renda e moravam em uma casa boa a ajudavam na sua metamorfose para que virasse uma linda borboleta. Minha namorada era linda, mas ela era realmente mais linda e me chamou a atenção mesmo percebendo que havia algo estranho a primeira vista. Ela sempre ficava sozinha e ao terminar as aulas ia embora e evitava de ficar conversando. Nem todos a admiravam e percebia que surgia comentários sobre ela que não dava bola para isso por descobrir que ela era uma ladyboy. E num trabalho em grupo vendo que ela era meio que deixada de lado me ofereci para fazer com ela que agradeceu e ali começamos uma amizade e na primeira oportunidade ela me falou que na verdade ela não era mulher e sim uma ladyboy como eu já havia descoberto. Me fiz de surpreso e vendo minha reação falou se quisesse fazer em outro grupo que não teria problema. Mas mesmo sabendo de que não era mulher e que Julia era seu nome social mantive minha posição e continuamos com nosso trabalho. Aos poucos fui conhecendo-a melhor e no fim viramos grandes amigos e chegávamos a ir em barzinhos que ela conhecia onde muitos nos olhavam como que condenando, mas sabia que devido a sua beleza as mulheres ficavam com inveja e sem nos preocupar batíamos autos papos inclusive sobre sexo. E por incrível que pareça, eu ficava cada vez mais fascinado por ela e via que também passou a me ver como um amigo ao começar a falar de onde eu morava e do que desejava para mim. Ao sentir que estávamos bem mais íntimos nas conversas, em um de nossos papos pedi que me contasse como era uma transa dela com um homem, se ficava também com mulher, e ao me falar percebi que alguns homens gostavam e curtiam ter relações com membros desse gênero. E dependendo da mulher os orgasmos eram daqueles devido ver os dois gêneros nela. E para ajudar sempre ficava de pau duro quando conversamos. Já havia passado uns seis meses e precisávamos fazer mais um trabalho e ela perguntou se tinha problema eu ir em sua casa num sábado pois estaria sozinha e poderíamos estudar bem tranquilos e aquilo me ascendeu pelo fato de estarmos sozinhos, e aceitei falando que chegaria após o almoço. Coloquei uma bermuda, uma camiseta bem descolada e passei o perfume que eu mais gostava e que também chamava a atenção pelo aroma amadeirado. Chegando lá eu não acreditei quando a vi abrindo o portão que dava acesso ao sobrado onde morava para me receber. Vestia um shorts jeans bem curtinho e um top deixando sua barriga e suas poupas da bunda a mostra.
– Viu fantasma Beto?
– Me desculpa, mas você está demais!
– Lembra que você tem namorada e não quero levar uma surra por ciúmes. Ela sabia me deixar descontraído e assim entrei e vendo daquele jeito era impossível dizer que tinha um pau no meio das pernas. Mas tinha e eu já sabia de como ela optou por ser mulher e dos problemas que já enfrentou até ali. Sentamo-nos na sala, ela pegou seu note e começamos a pesquisar, mas eu estava tão fascinado que não parava de admira-la e ela apenas sorria para mim e percebeu que estava de pau duro mesmo tentando disfarçar. Ela conduziu aquela situação até terminarmos tudo que já era umas cinco da tarde. Mesmo sabendo que era uma trans eu não conseguia deixar de admira-la como se fosse uma ninfeta de dezoito anos e não percebia, mas já estava meio que envolvido com ela e só não admitia isso.
– Pronto Beto! Acho que ficou bom e agora é só relaxar.
– Ficou perfeito!
– Sim! Bom, ia te chamar pra buscarmos um sorvete, mas acho que tem que ir ver sua namorada e assim eu não apanho dela.
– Quanto a minha namorada pode ficar de boa, que ela sabe que estou aqui e que não teria nada com você.
– Isso que é confiança!
– Ela é bem liberal e nos damos bem no quesito sexo.
– Então deixa eu só trocar de roupa e vamos!
– Tudo bem! Eu espero aqui.
– Qual o problema! Vem comigo e assim você conhece meu quarto e vai ver que não é todo emperiquitado como muitos acham que deve ser por eu ser assim. Ao memos tempo que queria ir junto, também não queria e no fim eu fui. E realmente seu quarto era de uma cor tranquila e nada de abusivo como uma cama de casal, uma TV na parede e um som para curtir sua músicas preferidas.
– Gostei do seu quarto!
– Mas não esperava ver uma cama de casal, né! É que eu gosto de espaço e de me esparramar quando estou cansada.
– Se eu pudesse também teria uma em meu quarto, mas moro com meus tios e é meio complicado. Em seguida ela pegou um vestido de alcinha que deixava parte de suas coxas a mostra, entrou no banheiro e quando saiu estava mais deslumbrante e havia tirado o top onde vi pela primeira vez seus peitos livres me mostrando que eram maravilhosos mesmo sendo de cilicones. Me chamou me tirando do transe e saímos. A tarde estava gostosa e apenas tomamos um sorvete e voltamos pra sua casa para evitar das pessoas ficarem nos encarando o que incomodava as vezes.
– Acho que ficaremos mais a vontade aqui na minha casa Beto. Mas o que acha de conversarmos no meu quarto enquanto ouvimos uma musica? Não estou te cantando apesar de você me olhar com uma cara de surpreso com o que vê.
– Não fala uma coisa dessas! E nunca pensei que faria isso e meu olhar é por ver como você é linda independente do que veste. Mas e seus pais? Devem estar chegando!
– Meus pais só amanhã porque foram na casa de um tio meu. E eu só não fui porque não gosto muito dos meus primos. No fim aceitei o convite e subimos pro seu quarto, nos sentamos naquela cama e ela me falou mais de sua vida e me vendo todo esquisito devido a minha admiração e por ficar de pau duro em certos momentos ela arriscou fazer um papo aberto comigo.
– Beto, eu gosto muito de conversar com você porque você é sincero e não tem medo de falar o que pensa ou sente. E por ver você assim vou abrir algo que pode te deixar mais a vontade ou também pode romper nossa amizade. Espero que isso não aconteça, mas se acontecer vou sempre lembrar de você com carinho.
– Julia me desculpa se estou te deixando constrangida…
– Não fique nervoso com o que eu disse! Eu apenas quero falar que percebi sua admiração desde o começo do curso e o que me fez aceitar sua amizade foi sua sinceridade e não fazer julgamento a meu respeito depois de eu te falar da minha opção de gênero. Não tenho muitas amizades igual a que tenho com você e também não sou de me relacionar com qualquer um.
– Fico feliz de pensar isso de mim Julia! É que mesmo sabendo da sua opção sexual você me atrai e vejo que sabe respeitar os que estão ao seu lado.
– Entendi! Se acha que eu sinto atração por você, não vou mentir que não! Mas só rolaria algo se soubesse que estaria a fim também. Fora isso continuaremos como grandes amigos como estamos sendo agora. Mas! Se tem alguma curiosidade e queira perguntar não se feche e poderei te ajudar a tirar essas duvidas. Como disse não vou te estuprar e nem te pegar a força. Só rolaria se os dois estivessem a fim, porque se eu não estiver pode ser o cara mais cobiçado do mundo que não vai rolar. E lembrando que o que falarmos aqui morre aqui porque do mesmo jeito que quero que respeitem minha intimidade também faço o mesmo com os que estão ao me lado.
– Isso eu percebi por não reclamar de eu ficar te olhando. E realmente você me encantou! Te acho linda, atraente e…
– Sente tesão por mim? Pode falar Beto! Não estou te forçando a transar comigo!
– E você sente por mim?
– Te perguntei primeiro, mas sinto sim! Acho que se se você sentisse algo também até rolaria um lance. Mas respeito sua opção e quero apenas te ajudar a entender.
– Julia! Nunca me imaginei numa situação dessas e não estou te descriminando! Mas confesso que nunca imaginei sentir tesão por uma trans! Mas eu olho para você e só vejo uma mulher linda e não consigo imaginar um pau no meio das suas pernas. Sinceramente você é encantadora e vi que percebeu que fiquei de pau duro na sala e não se importou.
– Beto! Essa é a diferença! Minha alma e minha mente são de uma mulher! Já meu corpo é de uma mulher com uma pequena observação devido ao meu órgão genital e outros detalhes que não posso ter. E não sei por que sinto que estou te deixando confuso e que podemos perder a amizade pela situação. Então se quiser ir embora e assim esfriar a cabeça e os seus pensamentos pode ir sem medo que te tratearei da mesma forma na segunda. Mas você é livre para fazer o que quiser e só faça se não for se arrepender de algo. Ela realmente não me forçava a nada e apenas queria me ajudar a decidir o que queria fazer naquele momento. E o que me chamava a atenção era de vê-la naquela cama e imaginar ela transando com outros homens e do que faziam juntos. Mas estava me segurando pra não beija-la porque se o fizesse ia rolar muito mais coisa. Só que nesse dia comecei a ter uma das melhores experiencias da minha vida com a ajuda dela e fiz coisas que jamais imaginei na minha vida.
– Você é realmente incrível Julia! E metade de mim quer ir, mas metade quer ficar. E não te vejo como homem e sim com uma mulher independente do seu órgão genital.
– Então tem que decidir por alguma metade! Qual vai ser? E se quiser ficar somente para jogarmos conversa fora e comer uma pizza vou respeitar sua decisão também Beto.
– E se rolar mais que isso?
– Você quer?
– Não tenho certeza, mas realmente estou fascinado por você, caso queira também.
– Podemos ficar conversando e se rolar rolou, o que acha? Mas também tem a sua namorada!
– Combinado! E quanta a minha namorada eu já dou uma desculpa pra ela e amanhã eu a compenso do bolo de hoje.
– Já que combinamos uma rap wear a dois vou tomar um banho enquanto você pede a pizza. E se quiser tomar um depois fique a vontade Beto. Ela era incrível! Em nenhum momento se insinuou diretamente pra mim e sempre agia com sensualidade como uma verdadeira diva. Ela ficou uma meia hora no banho, mas nem imaginei o porquê da demora e enquanto isso pedi uma pizza de margarita que havia sugerido e depois de esperar ela aparece em outro vestido de malha, mas dessa vez estava com um sutiã. Eu tomei um banho também e depois desci até a sala onde me esperava com uma garrafa de vinho aberta para lhe fazer companhia. Ela era muito sedutora e agora eu conversava sem medo e vi que ela apenas preparava tudo pra me deixar a vontade e conseguia ainda mais com seu perfume de aroma suave que me embriagava. E durante a conversa eu levei minha mão até sua perna o que já fez meu pau trincar de duro, mas ao mesmo tempo tentei voltar atras.
– Me desculpa Julia!
– Tem certeza do que quer? Porque se tem eu também tenho! Se não, continuamos como antes e fazemos desse momento uma noite alegre. Eu a olhava só que não me aguentei e fui até a sua boca e a beijei começando com um beijo contido se transformando num beijo ardente e cheio de tesão. Ainda era só o beijo, mas a deixou acesa com ele devido a ter poucos relacionamentos como me confidenciou.
– Se não estiver enganada, pelo beijo tomou sua decisão.
– Sim Julia! Tomei e quero essa experiência com você, porque eu sei que posso confiar em você e que também vai me ajudar a te entender um pouco mais para mantermos nossa amizade depois que eu for embora.
– Se é a sua decisão, é a minha também e para te deixar mais a vontade caso queira me cortejar pode fazer o que faz com sua namorada e não se preocupe com meu órgão genital Beto. Eu sei que é estranho para você e pra mim também está sendo devido aos fatos que nos trouxe a esse momento. Esse era o problema! De ouvir ela falar que alguns a masturbava enquanto fodia seu cuzinho eu tinha essa curiosidade de vê-la nua e poder comtemplar seu corpo, e lutava contra meus preconceitos de pegar uma pica dura que ia pulsar na minha mão caso acontecesse. Mas no fim a tratei com uma verdadeira diva e enquanto a pizza não chegava ficamos nos beijando e nos cortejando e a cada carícia dela a via ainda mais como uma verdadeira mulher. E até me ver confiante no que fazíamos ela não avançou mesmo sabendo que meu pau estava duro. Ficamos uma meia ora nessa brincadeira e o interessante que ela era bem reservada o que a deixava mais fascinante. Se vestia na moda, nada vulgar demais e sempre discreta.
– Você é demais Julia! E não me importo com o que rolar entre nós dois. Quero te conhecer como você realmente é!
– Não esperava ter você desse jeito, mesmo já te desejando a algum tempo. Não pense que quero você pra mim! Apenas me identifiquei com você e senti esse desejo de poder também te conhecer melhor Beto.
– Por Deus do céu! Se não falasse nunca saberia desse seu desejo, e pelo jeito é discreta em todos os pontos.
– Como eu disse, não tenho muitos amigos e não fico com qualquer um. E mesmo te desejando foi uma surpresa nesse sábado. Percebia seu tesão, mas deixei você a vontade para descobrir o que realmente queria comigo. E se não rolasse seríamos amigos do mesmo jeito. E não vejo a ora da pizza chegar para podermos ir pro meu quarto. E pena que não está pronto pra dormir comigo, senão gostaria muito de ter essa noite toda com você.
– Por ser tudo novo ainda estou me adaptando a esse momento. Mas vamos deixar acontecer e quem sabe não rola seu desejo. Vendo-a ali era minha maior vontade dormir grudado nela. Mas sabia que teria que estar a vontade por saber quem ela era realmente. Mas o vinho me ajudou a relaxar e ela não deixou que eu bebesse muito para que pudesse aproveitar sem estar sob o efeito do álcool. A pizza chegou e demos aquele tempo em que ela me falava mais dos seus pais, do preconceito que eles enfrentaram e do amor que eles tem por ela. Depois levamos tudo para a cozinha e ela falou que ia subir e pra que esperasse uns dez minutos pra subir. E que se eu demorasse mais do que isso ela saberia o que aconteceu e entenderia. Nesse momento meu coração disparou e era realmente a ora da decisão. Fui até o lavabo, dei um jeito na boca com um bochecho que encontrei e assim que deu o tempo eu subi e fique deslumbrado. Estava com um baby doll vinho onde fazia parte a calcinha e o sutiã de likre e detalhes de renda no mesmo tom a deixando linda com o batom que passou dando mais volume aos seus lábios. Aí eu me perguntava! Meu Deus! Como não a desejar! Ela é simplesmente linda! E ao me ver deu aquele sorriso e eu fui até ela e lhe dei um beijo que até ela ficou surpresa.
– Obrigada por me aceitar como eu sou! Fiquei com medo que mudasse de ideia.
– Você mais uma vez está divina! E até parece que faz tudo para me agradar.
– E porque não fazer isso para alguém que te respeita e entende sua escolha nesse mundo cheio de preconceitos. E o que estou usando, nunca usei com nenhum outro parceiro. Quero que seja um momento seu! Que você aproveite e se entregue ao que tiver vontade de fazer.
– Então me ensina como me entregar a você que se estava em dúvida agora é o que mais desejo Julia!! Independente do seu sexo! Não estava apaixonado, mas sentia tesão por ela e sinto ainda. E sem esperar ela começou a tirar minha camisa e depois foi desabotoando minha bermuda liberando meu pau que tem seus quase dezoito centímetros e não é tão grosso, mas consigo satisfazer uma mulher. E enquanto ela me deixava pelado também conseguiu me convencer em dormir com ela.
– Pena que não sabe se vai dormir comigo hoje! Porque se dormisse aproveitaríamos muito mais. Enquanto falava ela me beijava e alisava meu pau e aos poucos foi se abaixando e primeiro senti sua língua percorrendo toda sua extensão. Ela subia e descia e depois com o maior cuidado foi engolindo meu pau me arrancando um gemido de tanto tesão. Não falávamos mais nada e a partir daquele momento apenas nos amávamos, era o que sentia naquele momento! Ela judiou do meu pau, mas não me deixou gozar ainda e veio até minha boca e me beijou com mais tesão me mostrando o que queria. Eu tirei seu baby doll, a deitei na cama e comecei a beijar todo seu corpo e percorria sem medo, mas sem a avançar pra calcinha e ela entendia. Depois tirei seu sutiã e pude admirar seus peito que eram perfeitos para ela como já havia imaginado. Mamei e chupei enquanto ela segurava no meu pau e queria retribuir a altura do que me dava e pedi ajuda.
– Julia! Estou tentando te dar o mesmo que está me dando, mas não sei se estou conseguindo. Então se quiser pedir ou sugerir algo não tenho medo e vou ficar grato por me ajudar a te satisfazer como deseja.
– Você está indo além do que esperava. Mas se que me ver excitada, sinto muito tesão no meu cuzinho, mas você sabe que vai ser diferente em relação ao que está acostumado. Eu a beijei e fui virando seu corpo a deixando de quatro e pude contemplar uma bunda perfeita também. Olhava para a calcinha enfiada e não via sinal do seu pau e nem do seu saco o que me explicou depois como faz para esconder. Mas conforme fui abaixando sua calcinha pude ver ele surgindo e para me ajudar ela o puxou para a frente e agora pude ver seu saco todo depilado. Ela me olhava preocupada, mas abri sua bunda e sem medo e com tesão meti minha língua naquele cuzinho bem depilado e perfumado devido aos seus cremes que realmente não era tão judiado e pude ver ela gemer mostrando que realmente sentia prazer comigo. E pelo que percebi havia preparado ele pra mim e do jeito que estava ia gozar logo, só que eu queria mais tempo com ela.
– Obrigado por me ajudar Julia! E se ainda quiser minha companhia essa noite te farei com o maior prazer. E realmente foi uma experiência e tanto com ela! E devido ao seu tesão pude ver seu pau começar a ficar duro e ela o segurando enquanto eu chupava seu cuzinho.
– Então se prepara para essa nova experiência Beto! E sem ela esperar ou imaginar eu a surpreendi e fiz o que imaginei que não faria e fui levando minha mão por baixo passando pelo seu saco e segurei na dela e fui envolvendo a minha podendo sentir um outro membro masculino na minha mão e naquela cumplicidade comecei na masturba-la enquanto a chupava e a fiz gozar como desejava. Depois ela se deitou de lado e eu me encaixei atrás dela com meu pau no meio de suas pernas sentindo seus testículos.
– Acho que fui rápido demais com você Julia! Mas para mim isso é novidade e não esperava…
– Muito menos eu sentir sua mão no meu pênis! Mas foi maravilhoso Beto! Depois eu me afastei e a virei de barriga pra cima pra ver como ela era realmente e pude ver seu pau meia bomba que me deixou surpreso por ser mais grosso só que menor que o meu. Nos beijávamos e aos poucos ela foi me virando e primeiro ela o chupou sem dó, depois pegou um preservativo e um gel lubrificante onde encapou meu pau, passou um pouco de gel e lambuzou a entrada do seu cuzinho.
– Vejo que é bem prevenida nesses momentos!
– Beto! Nunca faço sem camisinha e sempre faço exames para ver se está tudo bem comigo. Sei que também é saudável pelo que me conta, mas quero te dar segurança por estar fazendo sexo com alguém que faz parte do grupo de risco segundo as opiniões. Gostaria muito de fazer sem a camisinha, mas primeiro nossa segurança.
– Eu também não sou muito fã delas e não uso com a minha namorada e que bom que é sincera nas palavras. Após essa explicação ele ficou de costas e se posicionou em cima do meu pau e foi sentando me fazendo vê-lo ser engolido aos poucos por aquele cuzinho que olhando de costas era como se estivesse fazendo sexo com uma mulher. E ela ainda era bem apertada e se sentava aos poucos pra ir se acostumando com meu pau e depois de tudo que ela fez comigo não aguentaria por muito tempo me segurar ainda mais vendo aquela bunda subir e descer no meu pau até que eu explodi em um orgasmo incrível e ela só parou quando meu pau amoleceu de vez. E com cuidado foi saindo e realmente havia se preparado para mim pois era tudo perfeito e enquanto eu me recuperava ela ficou quieta me observando demonstrando um certo receio quanto a minha reação sobre o que havíamos acabado de fazer começando a se vestir eu a interrompi. Mesmo sendo aquele hétero assumido, naquele momento com ela havia me entregado a um prazer desconhecido e por mais que tivesse pego em um membro masculino que não fosse o meu, me sentia seguro com minha intimidade e não tinha o porque desfazer dela só porque não tinha uma vagina no meio das pernas. E a olhando a puxei pro meu lado a deixando surpresa.
– Eu ia me vestir para te deixar mais a vontade Beto!
– Não tem necessidade Julia! Parece estranho, mas me sinto bem com você e te vejo como uma mulher ao meu lado e não se preocupe com seu pênis. Afinal eu o segurei e o masturbei com tesão enquanto chupava seu cuzinho.
– Quer falar disso?
– Só se você se deitar do meu lado! Ela fez isso e eu estava disposto a conhecer mais sobre aquele nosso relacionamento. E ficamos os dois pelados, mas antes ela tirou a camisinha suja, limpou meu pau com uma toalha e removeu o cobre leito que estava todo gozado para deitarmos. Para quem está lendo por curiosidade deve estar achando hilario o que estou escrevendo. Mas se conhecessem na Júlia iriam ter certeza do que estou escrevendo. E apenas a tratava como queria ser tratada. Como uma mulher! E deixei isso claro para ela e que mesmo tendo um membro masculino não a via como um homem e sim como uma mulher. Apenas queria que não se preocupasse já que eu não estava preocupado com esse detalhe. Ela me beijou e pediu para ir buscar duas taças de vinho para comemorar aquela amizade que ia ser mais do que uma simples amizade. E quando voltei ela estava com um lingerie preto e novamente falei que não precisava se preocupar e ela me fez entender o seu ponto de vista ao responder que sabe disso, mas que se eu a vejo como uma mulher ela queria ficar bem sensual como uma para mim. E o fato de estar com algo sex para impressionar um parceiro deixava sua alto estima lá em cima. E novamente olhava pra sua calcinha e era como se não tivesse nada e ao perguntar me falou que antes de dormirmos ela me mostrava o processo. E enquanto conversamos seus pais ligaram e vendo que estava feliz devem ter perguntado e ela falou meio por cima pra que eu os conhecesse um pouco colocou no viva voz e pude ver que realmente a apoiavam na sua escolha e depois mandou uma foto minha para eles me conhecerem. E voltando ao ponto “do quer falar disso” vou ser mais direto no que falamos sobre essa minha experiência.
– Seria interessante!
– Você é demais Beto! Parece que estou vivendo um sonho com você. Mas então me fala o que sentiu em segurar em um membro masculino e o masturba-lo igual o fez?
– Como te disse se fosse com uma outra trans não sei se chegaríamos ao que chegamos e nem ousaria a segurar seu membro Julia. Mas minha relação com você foi diferente, cativante e você me deixou muito a vontade pra fazer o que quisesse. E quando vi seu pau duro e lembrando dos seus relatos com outros parceiros onde me descreveu como se relacionavam me deu vontade de segura-lo e foi algo fora do normal porque realmente senti tesão de ver você sentindo também. E percebi que se quisesse ter uma experiência agradável com você deveria me entregar e curtir o que quer me oferecer. E se não se importar vou segura-lo mais vezes essa noite. Então acho que é isso que está me deixando relaxado. Mas posso te fazer uma pergunta sobre suas escolhas?
– Depois desse jogo aberto que estamos fazendo pode perguntar o que quiser e serei sincera nas respostas.
– Pra vocês o sexo anal é mesmo prazeroso e pode fazê-las gozarem ou precisam se masturbar pra chegarem a um orgasmo?
– Cheguei a ler que podemos sim ter um orgasmo só com a penetração anal! Isso é possível, mas que vai muito do momento. Quanto ao prazer vai também do momento! Eu sinto tesão em ser penetrada por trás, mas nem sempre fico excitada igual estou hoje. Por isso que falei que parece que estou sonhando. E me admiro por você ser totalmente hétero e se entregar a esse relacionamento como está fazendo. E chego a ficar confusa com sua espontaneidade em relação a esse fato. Me desculpa, mas não é desconfiança em achar que possa ter atração por esse sexo. Mas a situação é totalmente diferente do que já vivi.
– Acho que agora te entendo mais Julia! Mas não tenho desejo por homens apesar de parecer depois do que fiz. Mas sinto tesão em estar com você e poder viver isso! Sou muito aberto ao sexo e como já te relatei minha namorada também é e já fizemos ménages com amigas dela e fico imaginando um ménage com você junto! Você a penetraria também se rolasse?
– Como te disse já transei com algumas amigas e até acho gostoso! Mas nunca pensei nessa hipótese, mas se ela estivesse a vontade pra se entregar porque não! Mas e ela aceitaria uma trans que no momento poderia perceber mais de nossa intimidade?
– Seria complicado, mas muito prazeroso. Mas estar com você me abriu a mente pra abrir espaço para fazer um ménage com um outro do sexo masculino com ela. O ménage com a Julia infelizmente não rolou, mas surpreendi minha namorada e arrumamos um parceiro de confiança e ela teve uma dupla penetração e ficou acabada de tanto gozar nesse dia.
– Realmente seria demais eu penetrando o cuzinho dela e você o meu ao mesmo tempo!
– Só de pensar já fico cheio de tesão!
– Pode ficar que já vamos por ele pra fora! Mas antes queria também te perguntar uma coisa, mas só por curiosidade e saber o seu limite nessa relação, e sei que vai ser sincero também.
– Pode perguntar o que quiser Julia! Eu até imaginava e já me preparava pra responder.
– Você ficou com sua boca bem próxima do meu pênis aquela hora. Te passou pela sua cabeça uma vontade ou um desejo em também chupar um membro masculino?
– Naquele momento não! Mas como eu disse com você é tudo diferente e se acontecer não vou estranhar minha atitude. Você queria que eu a chupasse também?
– Só se for da sua vontade! Não são todos que chupam um pau e as vezes tenho esse desejo. Mas quero que seja como está sendo e que aconteça o que for pra acontecer. Já estávamos mais íntimos e a puxei para mim e comecei a beija-la com ela sentada em cima do meu pau. E sempre falava para me avisar se fizesse algo que a incomodasse. Mas já sabia como lidar com ela na cama e ela estava mais a vontade comigo por não me preocupar com seu pênis. E novamente ela começou a me chupar e fazia melhor do que a minha namorada o que me levava as alturas. Curti até chegar no limite de um sinal de orgasmo e a puxei para outro beijo e agora era minha vez. A coloque de quatro e imaginei que era mesmo uma mulher que estava comigo e enquanto beijava sua bunda alisava seu pau e suas bolas que estavam escondidos dentro da calcinha como se fosse uma buceta. Aquilo parece que mexia com ela e aos poucos fui tirando sua calcinha e o liberando sem sua ajuda enquanto já chupava seu cuzinho vendo seu pau ficando rígido em minha mão. Depois empinei bem sua bunda, peguei o gel para apenas dar uma lubrificada no seu pau e depois no seu cuzinho e fui penetrando um dedo nele enquanto a masturbava como eu gostaria que fizessem em mim. Bem cadenciado e sem muita pressão na mão para que sentisse os movimentos e aproveitasse o momento com prazer. A sensação de estar ali dando prazer para uma mulher que também era um homem era imaginável. E ela se entregava sem medo para mim como sabendo que eu a faria ter a melhor noite da vida dela. E depois de curtir minha mão e meu dedo se levantou e pediu para me deitar e olhando para ela falei que queria fazer algo já que havia quebrado tantas barreiras e me olhando a deitei, me deitei do seu lado e joguei sua perna em cima da minha e levei sua mão até o meu pau e eu a minha no dela e a beijava enquanto nos masturbávamos.
– Tem certeza que está gostando do que estou fazendo! Lembre que sou leigo nesse tipo de relação.
– Se não gostasse, hoje estou adorando pela forma que me trata Beto! Vejo você apenas me querendo dar prazer e isso é gostoso! Mas não consigo segurar por muito tempo e não sei se aconteceria uma terceira vez por não ter uma vagina no lugar de um pênis e depois dessa você pode perder o entusiasmo por não podermos variar tanto.
– Então vamos tentar! E qualquer coisa procuramos esse tal entusiasmo. Ou melhor! Eu quero muito te penetrar de quatro ao mesmo tempo que também te masturbo. E isso vai ser pra terceira! Então me fala como quer gozar e eu farei.
– Primeiro quero que me penetre um pouco lado e depois eu te surpreendo. Só não goze no meu cuzinho agora. Depois de curtimos aquele momento a virei de lado e ela já ia se levantando e eu lhe interrompi.
– Eu sei que é errado, mas precisa mesmo disso?
– Eu penso mais na sua segurança Beto!
– Mas se você se cuida e sempre está fazendo exames de rotina não tem necessidade disso a não ser que também pense o mesmo com a sua segurança.
– Eu sei que tem parceira fixa e que está bem de saúde. Por mim não teria problema porque também não gosto muito da sensação delas e não é sempre que posso deixar de usar. Quanto ao meu ânus ela está bem higienizado pra você. Então se estiver tudo bem não vejo problemas e podemos fazer sem. Eu sei que não é recomendável, mas ali havia confiança um no outro e dessa forma continuamos sem. E parece que meu pau ficou mais duro ainda com essa decisão. Passei mas gel e agora o controle era meu e segurando sua perna com uma mão fui encaixando meu pau naquele cuzinho com a outra e fui forçando enquanto ela me olhava com tesão. Outro detalhe que nos aproximou mais foi o fato de parecer estarmos fazendo amor pela forma que passei a conduzir nossa transa. Era muito envolvente sem muitas palavras de expressão até ela se soltar deixando ainda mais picante o que fazíamos.
– Minha nossa Beto! Fode meu cu com esse pau e enche ele de porra!
– Com o maior prazer, mas quero te ver se masturbando e só não quero que goze ainda Julia! Que eu vou te fazer gozar depois. Eu comecei num ritmo e aos poucos ia aumentando e percebendo que estava gostando não parei até que ela parou de se masturbar e era o sinal que ia gozar. E quando senti o meu vindo juntei seu pau e comecei a masturba-la e o que tinha em mente consegui fazer e gozamos juntos onde eu ejaculava no seu cuzinho e ela na minha mão até que não aguentei mais e fui relaxando sentindo sua respiração normalizando. Fiquei um tempinho abraçado com ela enquanto refletíamos sobre tudo aquilo.
– Nunca me senti assim Beto!
– Assim como?
– Assim! Amada e respeitada por um homem. Geralmente quando rola algo é aquela coisa mecânica onde faço um boquete, ele fode meu cu até ele gozar enquanto eu me masturbo pra gozar também. Depois é um banho e acabou! E o que me admira muito é em ver você apenas me vendo como uma mulher esquecendo do meu outro lado.
– Você me fez agir assim! Quando há sinceridade e carisma ao mesmo tempo resulta nisso que está vivendo. E percebi que gosta de apimentar no momento!
– E por que não gostaria? Sentir seu pau ejaculando lá dentro enquanto me masturbava foi o máximo do prazer que já tive até hoje. Mas só preciso de um banho e depois você vai caso queira pra restaurar as energias e depois podemos terminar de comer aquela pizza.
– Se está sendo sua melhor noite, então se não se importa queria tomar banho junto com você. Vai ser meio apertado, mas assim é mais gostoso. Dessa vez ela me beijou e me puxou pro banheiro. O banho foi daquele jeito e não teve como não sentir seu pau esfregando em mim, mas demos muitas risadas e quando acabei ela apenas pediu pra ir preparando a pizza e enchendo as taças que só ia conferir um negócio e já descia. Imaginei o que seria e a deixei a vontade para terminar. E novamente ela surge com outra calcinha, agora era uma de likra estampada, um cropped cobrindo seus peitos, cabelos molhados e perfumada. Via sua alegria em estar comigo e novamente aproveitei para tirar minhas dúvidas do que ela estava sentindo por mim ou que poderia vir a acontecer. E num breve resumo foi isso que falamos desse sentimento.
– Julia! Posso entrar num assunto delicado e meio chato nesse momento?
– Já falei que não temos que ter medo de perguntar nada sobre nossas dúvidas em relação a esse momento. Então pode e assim não ficamos com receio um do outro.
– Sabe Julia! Eu estou te vendo tão feliz ao me lado e cada vez mais entregue e pelo que já sei da sua vida desconfio que nesse momento deseja muito mais do que essa noite comigo. E tenho medo de te machucar por saber que já sofreu muito e as vezes ainda te machucam se não nesse sentido, mas de outros também. E não queria perder sua amizade e esse vínculo com você! Ela me ouvia atenta pensando numa resposta franca pra me dar.
– Realmente você me fez sentir algo que nenhum homem fez até hoje Beto! E mesmo sabendo que sou uma trans independente de me achar linda ou não, somente me tratou como uma mulher mesmo tendo um pênis no meio das pernas. Hoje mesmo sendo fora do contexto não vi até agora uma transa apenas para você gozar e eu sentir um pau me fodendo como muitos falam para mim. Hoje pude me sentir amada como mulher e estou digerindo ainda o fato de você não se preocupar com o meu pênis! Então estou sim atraída por tudo isso e porque não por você? Mas eu sei que é algo que não posso alimentar mesmo desejando muito. Sinto que teremos outras noites e isso já me conforta e muito. Mas não quero perder sua amizade independente do que eu sinta por você Beto! Só de você me respeitar já é muito gratificante para alguém nessa condição. Então pode ficar tranquilo quanto aos meus sentimentos! E você! O que sente por mim depois do que já fizemos?
– Você me fez sentir um tesão que já mais imaginei! Também me fez quebrar tabus que nunca imaginei e nem sonhei! Mas em nenhum momento te vi como um homem e sim como uma mulher. E queria muito que tivesse a sorte da Roberta Close. Não precisa ser um empresário que ser for é melhor ainda, mas alguém que te ame como parceira e te trate como uma verdadeira mulher. Mas se quer muito minha amizade e já que vamos ter outras noites juntos o que queria que eu fizesse agora? Quando falei das noites ela deu um sorriso lindo para mim e respondendo a minha pergunta foi direta.
– Que continue me tratando como fez até agora e me faça sentir mais mulher do que já fez. Eu a puxei pro meu colo e a beijei com tesão novamente. E como já estava habituada sempre se preocupava de eu sentir seu pau. Mas a beijei chupei seus peitos fiz tudo o que uma mulher desejaria naquele momento. E apenas me preocupava com a segunda quando nos encontrássemos no curso. Mas graças a Deus ele realmente mostrou maturidade e manteve o que falou mesmo sofrendo por desejar algo que não poderia dar para ela. E depois de curtimos, comermos e bebermos mais uma taça vinho voltamos pro seu quarto e já passava da meia noite.
– Se achava que não teria entusiasmo para mais uma, acho que se enganou Julia!
– Já que está com disposição, quero que dessa vez tenha mais pegada e quando me pegar de quatro me foda com uma pouco mais de força. Ela tirou o cropped e já foi de boca no meu pau e tendo também um instinto masculino, fez questão de me masturbar como eu havia feito com ela.
– É assim que você gosta?
– Você percebeu?
– Se esqueceu que tenho um pênis e que sei como um homem gosta de ser masturbado?
– Não Julia! Mas está uma delícia! E novamente ela voltou a judiar onde me chupava e já que me via bem a vontade me fez uma pergunta toda receosa ficando surpreendida com a resposta.
– Beto! Sua namorada se deu um beijo grego em você?
– Sei que ganhou muitos hoje, mas por me conhecer ela nunca arriscou, porque?
– Gostaria de ganhar um? É apenas um beijo e tenho certeza que não vai se arrepender! Mas se não quiser não vou ficar chateada porque apenas quero te dar mais prazer. Lamber meu cu! Realmente apenas eu o tinha tocado depois de grande porque minha mãe cansou de me limpar quando bebe. E agora tinha essa proposta dela e vindo dela me balançava.
– Podemos ver seu eu vou gostar, porque não?
– Então relaxa e aproveita. E se não gostar e só falar e eu paro. Ela voltou a me chupar e depois foi erguendo minhas pernas e pediu para ajuda-la onde me senti um frango assado com meu cuzinho a disposição dela. E quando senti sua língua tocar nele enquanto me masturbava me veio aquela sensação de tesão e me entreguei ao seu beijo grego. Meu pau pulsava na sua mão e vendo que estava muito excitado deu um beijinho, chupou meu pau e depois veio me beijar e mais uma vez ela conseguiu me envolver. E ao tentar se virar para ficar de quatro não a deixei e fui no meio de suas pernas e me deitando em cima dela a beijei e fui descendo ate seus peitos dando aquela chupada e percorrendo minha língua até seu umbigo onde parei e comecei a puxar sua calcinha onde ela me olhava se perguntando se eu ia fazer o que ela imaginava. Tirei sua calcinha vendo novamente seu pênis e num momento de luxúria que já tomava conta de mim ao lado dela envolvi minha mão em seu pau que ao passar seu nervosismo ele começou a ficar duro e o foda que devido aos seus creme sentia aquela aroma suave no seu pau e só ouvi seu gemido ao sentir eu passar a língua por ele. E depois de fazer isso nem eu acreditava, mas o fato de ver seu tesão pelas minhas atitudes me incentivavam a continuar.
– Beto! Não precisa fazer isso!
– Você quer que eu te chupe?
– Se falar que não, vou estar mentindo! Só não quero que vá além do que queira realmente apenas para me fazer feliz. Quero que faça se isso te der prazer e tesão também. Ver sua expressão de ansiedade por desejar sentir minha boca engolindo seu pau me excitava e conforme sentia ele duro na minha mão me abaixei e engoli um membro masculino pela primeira vez. É pessoal! Nem eu acreditei! E desse fato só duas pessoas sabem. Eu e ela! Se vocês querem saber se gostei! Não saberia dizer, porque não tive tesão em chupar um outro membro e só ficava à vontade em chupar o dela. Mas era como se estivesse chupando a Júlia e não um homem! Com essa atitude a deixei com muito tesão e depois de saborear por uns instantes e já que tinha provado daquela fruta resolvi inovar e chupar duas coisas ao mesmo tempo. Então me deitei e a puxei para um sessenta e nove que com seu tesão se virou invertendo seu corpo e sem pensar eu já abocanhei seu pau e depois fui pro seu cuzinho enquanto ela chupava o meu pau.
– A minha atitude te mostrou que te chupei por tesão ou pra te deixar feliz?
– Você está sendo imprevisível e sinto tesão na sua boca e nas suas atitudes.
– Mas não goze ainda! Que quero você de quatro! Realmente estava entregue aquela situação e não me arrependo de nada do fiz com ela e ainda faço as vezes. Chupar o membro dela é como se fosse uma tara minha, por ser só o dela! Mas sempre aproveitávamos muito nossos encontros e por umas horas a deixava se sentir aquela mulher que tinha dentro se sua alma. E o que me deixava feliz é que ela procurava se cuidar e eliminar o que podia de traços masculinos e com isso ficava cada vez mais linda. Passou a fazer academia sem exagerar na musculação o que torneava ainda mais sua bunda e coxas.
– Não vou! E depois de duas gozada que me fez ter acho que essa da pra segurar mais. Em seguida voltei a chupar seu pau e seu cuzinho como pediu e querendo mais tirou seu pau da minha boca e quando me dei conta já estava sentando de frente e agora podia ver sua expressão de prazer e seu pau que não amolecia de jeito nenhum enquando cavalgava no meu pau. Parecia indomável e depois de um tempo falei que queria mudar de posição e ela já ia ficando de quatro, mas a deitei de barriga pra cima e coloquei nos travesseiros embaixo do seu quadril.
– Assim te incomoda?
– Já falei que com você nada me incomoda e só sinto tesão e prazer com tudo isso. Mas porque assim?
– Espero que não ria da resposta, mas pra ver melhor sua expressão e seu pau enquanto eu fodo esse cuzinho com meu pau. Eu sei que te vi enquanto cavalgava nele, mas assim é diferente.
– E porque quer ver o meu pau assim se já o viu como disse?
– É curiosidade para vê-lo reagindo com as minhas estocadas no seu cuzinho! Me desculpe pelo linguajar, mas estou atendendo ao seu pedido
– Estou adorando e quero ser fodida por esse pau que me levou a loucura essa noite.
– Então enquanto eu te fodo quero vê-la olhando pra mim enquanto aperta os bicos dos seus peitos. E assim ela fez e eu comecei num vai e vem bem cadenciado enquanto via sua alegria até que me pediu para fazê-la gozar. Tirei meu pau vendo mais uma vez seu cuzinho aberto, a coloquei de quatro e antes de começar passei mais gel naquele cuzinho e no meu pau e dei aquela enfiada pra espalhar a lubrificação e depois comecei a acelerar enquanto ouvia ela gemer e me incentivar num momento de mais prazer.
– Isso meu macho! Fode esse cuzinho e enche ele de porra! Me deixa arrombada de tanto sentir esse pau! Via que estava se divertindo e depois de um tempo onde já começava a transpirar meu orgasmo começou a dar indícios e na hora já juntei o pau dela e comecei a masturba-la pedindo pra me avisar. E quando falou tentei gozar junto de novo, mas o dela veio antes e parecia que curtia mais por eu ainda estar socando enquanto ainda segurava o seu pau até que soltei um gemido pra ela ver que era um macho que fodia ela e gozei gostoso, mas não dava mais. Tirei meu pau e quando dei conta estávamos suados e exaustos.
– Se falar que quer mais vou ter que usar a boca e os dedos! Meu Deus! Que loucura Julia! E não te machuquei não?
– No meu caso ia ter que te por para fora! Mas estou bem e meu cuzinho também! Mas jamais vou esquecer esse dia ao seu lado Beto! Ainda estou degustando esses orgasmos que tive hoje. Me ajeitei de frente para ela e nos beijamos sentindo os dois membros se roçarem e agora ela viu que realmente não me importava com o que ela tinha no meio das pernas. Depois tomamos outro banho e ao pegar uma calcinha me mostrou como ela ajeitava seu pau e por ser uma calcinha estilo shorts pedi pra que dormisse só com ela. Nos beijamos e enquanto eu fui tomar uma água ela trocou a roupa de cama e deitamos de conchinha podendo curtir o perfume do seu creme hidratante. E antes de pegarmos no sono lhe falei da minha intenção com ela.
– Julia! Você gostaria mesmo de me ver de vez em quando para matarmos a saudade?
– E você tem certeza que ainda quer ter esses momentos comigo Beto? Porque eu sei o meu lugar e não quero estragar a sua vida nem te dar problemas com a sua namorada.
– Só vou ter certeza se você realmente quiser fazer o que te perguntei!
– Você sabe que sim!
– Certo! Mesmo sabendo da minha situação?
– Mesmo sabendo e te esperaria como se fosse meu homem mesmo!
– Então quero te pedir outra coisa?
– E o que seria agora?
– Simples! Eu quero que conte para seus pais o que estamos vivendo juntos, da minha situação com a minha namorada e se eles não se importarem, ficaria feliz de te encontrar em algum lugar e depois vir para sua casa e dormir com você no seu quarto.
– Mas e a sua namorada?
– Ela não tem que saber! E se por acaso aparecer alguém em sua vida quero que seja feliz e saiba que sempre estarei te apoiado nas suas decisões. Ficarei com saudades, mas a sua felicidade também é importante para mim. E só vou te ver se fizer o que estou pedindo! Quero que eles saibam que não estou te prejudicando e que te respeito muito na sua escolha.
– Posso te falar uma coisa?
– O que quiser Julia?
– É nosso primeiro encontro e posso afirmar que te amo, bebê!
– Bebê!
– E um jeito carinhoso que chamo meus mais íntimos, não gostou?
– Claro que sim! E também te amo de um jeito muito especial gatinha!
– Gostei da gatinha! Agora vamos dormir porque o meu bebê acabou com a sua gatinha e ela vai querer muito tomar leitinho pela manhã. Nos beijamos e dormimos gostoso e já imaginei o que ia rolar de manhã! E ao acordar estava sozinho na cama e dei aquele tempinho de reflexão e ao olhar no relógio já passava das de dez da manhã. Depois tomei um banho, disfarcei o bafo e quando desci novamente a encontro de calcinha e uma camisa de botão aberta sentada numa banqueta mexendo no seu note em cima de um balcão enquanto me esperava me abrindo um sorriso, mas não se aproximou e até entendi o porque.
– Bom dia bebê! Espero que tenha dormido bem ao me lado!
– Bom dia gatinha! E como dormi! Mas senti um certo receio quando te vi! O que foi que pensou?
– Acho que é coisa minha! Mas apesar de tudo que rolou entre nós dois, hoje é outro dia e aquela adrenalina abaixou e é como se fosse algo que aconteceu e passou. Eu a abracei me encaixando em seu corpo e lhe dei um beijo e novamente reafirmei o que havia dito.
– Gatinha! Eu não estava drogado, não estava de porre e sabia muito bem o que fazia e com quem fazia! Então o que eu disse está valendo caso realmente seja o que quer e concordar com meus termos. E você está muito gostosa de calcinha e camisa! E se me lembro minha gatinha falou que queria tomar leitinho hoje de manhã, já tomou ou estava me esperando?
– Eu sei que falou com sinceridade e que estava bem sóbrio! Mas sempre há uma empolgação e as vezes uma decepção. E foi tão gostoso nosso momento que ainda não acredito no que me fez sentir ao seu lado. Mas quero muito e só preciso me adequar a essa situação. Mas quero muito sim e não vejo a hora de contar para os meus pais. Só que agora eu quero tomar meu leitinho na mesa do café. E dessa vez ele meu beijou e me puxou pra cozinha onde me fez sentar na ponta da mesa e foi abrindo minha bermuda e começou na me chupar com tudo que podia usar. Usou geleia de morango, leite condensado cobertura de chocolate, até que falei que estava quase gozando e ela deixou meu pau limpo o lambendo e voltou a chupa-lo até que gozei na sua boca e a vi engolindo tudo.
– Minha gatinha gostou do leitinho?
– Estava uma delícia! Mas e meu bebê, também vai querer tomar um leitinho? Ela tinha feito a pergunta brincando só pra ver a minha reação e a deixei de olhos arregalados.
– Como ontem não consegui tomar um leitinho, será que vou conseguir tomar agora?
– Fala sério Beto! Eu estou brincando com você!
– Eu estou falando! A não ser que você não goste que eu chupe seu pau? Ela se levantou trocando de lugar e adorava sentir aquele cheiro que já era dela. Primeiro a beijei, chupei seus peitos apertando sua bunda, me sentei e fui abaixando sua calcinha liberando seu membro e já que procurei eu caprichei no boquete e via sua cara de tesão pra ver se ia engolir sua porra e não ia dar pra trás. E lembrando dos pornozão da vida dei uma de atriz pornô e a chupei até sentir seu pau pulsar e sair o primeiro jato de porra com ela gemendo com seu orgasmo. Um pouco desceu garganta abaixo, mas segurei um pouco e num beijo fiz ela sentir sua porra na minha boca o que fez o beijo ficar melhor ainda.
– Você jura que nunca fez isso!
– Juro! Por quê?
– Porque você se entrega a tudo comigo!
– Falou bem! Com você! E isso vai ser só com você Julia! Se pararmos de nos encontrarmos esse será o primeiro e o último pau que não seja o meu que peguei e chupei. Como falei, te amo de um jeito muito especial! Mas quero deixar claro que no meu cuzinho não entra nada e só libero o famoso beijo grego.
– Vou respeitar! Mas se mudar de ideia vai ser eu que vou tirar sua virgindade! No fim rimos das besteiras que falávamos e tomamos café com ela no meu colo. Em seguida liguei pra minha tia e falei que ia almoçar na casa de um amigo e que depois do almoço ia na casa da minha namorada. E assim fiquei mais um tempo com ela, depois nos despedimos e fui embora.
Naquela semana ela deu um tempo do curso e quando liguei pra saber porque estava faltando, me explicou que havia contado pros meus pais o que pedi e que eles ficaram felizes de vê-la radiante, mas pra ela analisar melhor a situação e se for isso mesmo que ela deseja que meu pedido estava liberado e que eles apenas queriam me conhecer melhor. Resumindo! Ela topou e assim faltamos do curso numa quinta feira e fui até sua casa onde me receberam muito bem e ela me tratou apenas como um amigo muito próximo em respeito aos seus pais por estarem me conhecendo. E enquanto tomávamos um vinho falamos de coisas atuais da nossa cidade, até que me perguntaram o porque daquela proposta e eu expliquei tudo novamente como descrevi nesse relato. Falei que realmente namoro e que a minha relação com a Júlia era algo diferente e envolvia cumplicidade e tesão. Precisei pedir permissão para me expressar sobre o que senti e como eles eram bem abertos a assuntos concederam. E que só ficaríamos se encontrando se ela quisesse mesmo e contasse tudo para eles. E apenas queria vê-la feliz como vi nesse dia que foi tão especial. E não faltou a pergunta de eu ser hétero, ter namorada e afirmar que gostou de ficar com sua filha que é uma trans. E eu apenas fui direto e falei que não era pervertido como podia estar imaginando. Gosto muito de sexo e no caso da Júlia realmente foi uma experiência incrível e apesar de saber da sua condição a via realmente como uma mulher. E seria algo que viveria para deixá-la feliz até aparecer alguém que lhe faça feliz como todos desejamos. Eles realmente ficaram desconfiados, mas viam sinceridade no que falava e vendo que ela já me conhecia muito bem, aceitaram nossa relação por ver que ela estava muito feliz e que naquela semana conversaram muito sobre nós dois, viram que ela sentia minha falta e assim me concederam essa liberdade de poder dormir com ela e depois de uns quatro meses, já estavam acostumados e me viam como um namorado dela e viram que eu realmente a respeitava quando estávamos juntos e sempre que dava mandava mensagem através de um número que comprei e falei pra minha namorada que era um número privativo do serviço e na foto coloquei o logo dele e só ela tinha esse número.
E como estamos hoje?
Ela continua linda! Deixou seu cabelo crescer e tingiu de cobre, está terminando sua faculdade de gastronomia depois de trancar devido a pandemia e apenas nos falamos por aplicativo pois está a um ano com um namorado que a seu pedido dei aquela investigada e continuo investigando para que seja feliz. Seu corpo é de uma mulher e se chamava a atenção dos outros agora nem se fala. E também turbinou ainda mais seus peitos. E durante quase dois anos tivemos muito momentos juntos e até ela começar a namorar fui seu único parceiro a transar com ela sem camisinha até terminar com minha namorada e ficar um tempo só com ela onde podíamos nos ver com mais facilidade durante uns quatro meses.
Hoje somos grandes amigos, nos encontramos para bater papo e quando da muita saudade ela me chama para uma brincadeira em um motel e assim sempre pernoitamos, mas com o uso de preservativo o que frustra os dois. Mas a deixo maluca de tanto faze-la gozar chupando e masturbando seu pau. E como eu afirmei esse foi o único pau que não seja o meu que chupei e alisei gostoso. Talvez perguntem se não pensei em ficar com ela depois que terminei meu namoro? Até pensei, mas pensei nela também! Porque se não desse certo acabaríamos com nossa amizade.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,14 de 14 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

    Bom! Se leu é porque gostou e tem medo de admitir que curte também.
    Mas relaxa, aproveita e é só manter em segredo que ninguém fica sabendo da sua tara.

    • SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

      Esse comentário foi feito pra um leitor que foi baixo no que escreveu.
      Então peço que quem leu e gostou, ou curte esse tipo de relação que desconsidere ele.

  • Responder SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

    Bom! Se leu é porque gostou e tem medo de admitir que curte também.
    Mas relaxa e aproveita e é só manter em segredo. Blz!

  • Responder Viper ID:8ef6vikv9b

    Me fez tirar a mão do pal e botar na consciência

  • Responder UberSafado ID:41igm7bw20a

    Ótimo conto. Parabéns.

    • SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

      Muito obrigado UberSafado!

  • Responder grisalho ID:g6313i49d

    Ótimo, realistra e verdadeiro, gosteiu muito. Parabéns

    • SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

      Muito obrigado Grisalho!

  • Responder Adorador de ppk ID:funr0pb0a

    Um dos melhores contos que eu ja li, parabéns toda a trama foi muito bem organizada, nem gozei, fiquei esperando o final pra ver se iam ficar juntos, muito bom conto

    • SEM PRECONCEITO ID:w72o4lbh

      Muito obrigado Adorador de ppk!