# #

3 cachorros enormes e um menino de 10 aninhos

1146 palavras | 15 |4.00
Por

Atenção: Esse conto é real de quando eu tinha 10 anos e brinquei com meus cachorros. Se não gosta, não leia.

Meu apelido é Dudu, hoje tenho 19 anos e sou gay assumido pra toda minha família.

O que vou contar aconteceu quando eu tinha 10 anos. Quando nem sabia o que era gay ou hetero.

Eu era apenas um garoto descobrindo o que é tocar punheta.

E acredito que todos os homens se lembrem dessa fase. Quando ainda somos crianças e de repente descobrimos que mexer no pau é gostoso, quando ele fica duro de repente e só queremos mexer.

Eu estava naquela fase. Tinha acabado de descobrir prazer no meu pau. Que era tão pequeno. Na época, eu era um garoto bem baixinho e tímido. Nunca fui de falar com ninguém. Tinha o rosto delicado e minha pele toda clara. Cabelos cacheados e castanho como de um anjo. E eu adorava mexer na minha piroquinha, hoje é bem grande, modéstia à parte, mas na época eu era ainda uma criança e era pequena, não entendia como saía tanto leitinho dela.

Eu vivia gritando no travesseiro, punhetando meu pequeno pau várias vezes ao dia. Gemendo baixo pra ninguém escutar.

E nessa época tudo excita. Qualquer coisa. Eu me excitava apenas vendo o braço de um sofá. Porque sabia que era só eu esfregar meu pau ali feito uma cadela no cio que eu gemeria gostoso até minhas pernas gordinhas tremerem.

Eu não entendia aquilo e era tímido demais pra conversar com meus pais. Então guardava pra mim.

E só queria arranjar formas de satisfazer minha piroquinha.

Daí entra os meus 3 cachorros na história.

3 machos golden retriever enormeeeees. Em pé, eram maiores que eu que era apenas uma criancinha.

Eu nem sabia o que era zoofilia, o que as pessoas pensavam sobre isso. O que era isso.

Meus 3 cães, bolota, preto e brancão eram extremamente hiperativos. E não estavam castrados.

Uma vez meus pais tinham saído pro mercado e eu aproveitei pra ficar peladinho e de pernas abertas, mexer na minha piroquinha enquanto gemia alto sem me preocupar. A porta do meu quarto aberta.

Nessa hora eu vi o Preto entrar no meu quarto. Mas tava tão gostoso que nem liguei pra ele.

Só queria saber de mexer no meu cacetinho.

Até que Preto subiu na minha cama e ficou sendo hiperativo, pulando, bagunçando, passando em cima de mim querendo brincar.

Eu empurrava ele de leve e dava bronca Mas ele não me obedecia. Até que o prazer no meu pau tava tão gostoso que nem liguei do Preto querendo chamar minha atenção. Só abria mais a perna e punhetava meu pau.

Mas Preto começou a lamber minha cara, meu pescoço, meu corpo.

Aquilo deveria me deixar puto, mas estranhamente me deixou com mais tesão.

A língua enorme e babada do meu cachorro começou a me arrepiar todinho ao ponto deu virar o pescoço pra ele babar todinho.

Naquele momento eu abracei o enorme cachorro com uma mão, fazendo carinho nele, incentivando a ele brincar comigo, me lamber todinho. Ao ponto deu gemer agarrado ao cão.

Não sei o que passou na minha cabeça naquela hora, mas bati na minha coxa pra Preto ir pra baixo, e quando ele foi esperando o meu comando, achando que eu ia brincar com ele, eu o olhei. Vendo aquela língua enorme pra fora, toda babada e pingando. E segurei atrás dos meus joelhos. Como se fosse um instinto, meu bebê lambeu minhas coxas até começar a lamber minha pica sem parar.

A língua enorme lambendo minhas bolinhas e meu pau todinho.

Naquele momento eu era a criancinha com mais tesão no mundo.

Me dá tesão só de lembrar dos meus gemidos infantis e manhosos.

– Vai, Preto. Aaaain, que cãozinho lindo. Não para, aaaan não para. Lambe meu pintinho…. isso bebê

Eu gozei que nem uma putinha. Meu leitinho de criança se desenvolvendo sujou a pelugem de Preto. Pegou até no fucinho dele.

Preto continuou a lamber, deixando meu cacetinho sensível.

– Não, cachorrinho mal. Awn, para.

Reclamei. Me virando mas ele continuava, lambia meu corpo e quando me dei conto Brancão e Bolota entraram no meu quarto latindo e subindo na minha cama.

Quando me dei conta os 3 cães estavam lambendo todo meu corpo. Mesmo eu me virando toda hora e mandando eles pararem.

Pra eles, eles estavam apenas brincando comigo. Pra mim, eles estavam me deixando sensível.

Eles babaram meu corpo todinho,

Eu Era uma criancinha atacada pelos cães enormes. Todo peladinho enquanto os cachorros lambem.

Eles me babaram todinho. Qualquer homem que me visse naquele estado iria ficar com tesão. Uma criança de 10 aninhos com o pau duro e sendo dominado pelos cachorros.

Pra tentar sair dali, fiquei de quatro. Aquilo só fez eles me dominarem mais.

Eu senti as línguas enormes babando todo o meu corpo, os latidos me deixavam preso ali, porque eu tinha noção que com um pouquinho de força eu sairia dali.

Mas a língua do Brancão me deixou paralisado, eu olhei pra trás e vi ele lambendo meu bumbum, eu nem sabia o motivo do porque meu cuzinho começou a piscar. E ansiar por algo que eu nem sabia o que era até vir, porque eu inconsciente empinei meu pequeno bumbum, e a línguona babou meu reguinho, me fazendo gritar assustado, e meu Brancão gostou do cheirinho e gosto, porque continuou babando meu cuzinho que adorou a sensação.

Eu, a criancinha desesperada que era, comecei a gemer de novo.

Eu tinha o Brancão com aquela língua enorme no meu cu de 10 aninhos, Bolota embaixo de mim lambendo meu saco e cacete, e Preto lambendo meu rosto e pescoço.

– Aaaaaan, bom garoto, continua, oooon aiiiin que deliciaannn

E sorria enquanto alisava a pelugem de Preto, olhando pra ele com tesão enquanto ele babava meu rosto.

Não aguentei de prazer e deitei meu rostinho no travesseiro. Gritando igual uma vadia por ter o cuzinho e o cacete devorados por meus cachorros gostosos.

Sacudi gostoso meu cu naquele linguao, meu saco e piroca batendo na língua do outro cão.

Comecei a gozar de novo e os cachorros continuaram mamando minha piroquinha e meu buraquinho.

Ainda desconfio que algum vizinho deve ter visto o que eu tava fazendo. Porque só depois de tudo que me liguei que deixei a janela do quarto aberta. Mas nunca me deduraram pros meus pais. Deve ser porque quem viu deve ter sido algum adulto que acabou batendo punheta adorando ver uma criancinha pelada deixando os cachorros abusar de seu corpinho.

Foi uma delícia. Meus cachorros me fez descobrir que adoro que brinquem com meu cuzinho

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 40 votos)

Por # #

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder ER

    Tenho 16 anos, é queria um cachhoro pra ser meu macho, sou virgem
    Telegram @yeager0312

  • Responder Leiteiro

    Quando me descobri no zoo foi quase igual, mas só que foi com uma cadela de rua e estava sozinho tarde da noite na calçada, trouxe ela pros fundos da casa onde ninguém escutaria e esfreguei minha rola na cara da cadela até que ela começou a lamber até eu gozar

  • Responder Rebelk

    Continue o conto e conte se te comeram tá umA delícia isso.

  • Responder Romeu

    Belo conto quem quiser saber mais ou ver alguns vídeos só deixa contato ou skype ou telegram adoro Zoofilia

    • Carlos

      @carlos32ro

    • Soldier

      Opa [email protected] chama skype

    • n

      Telegram @ashc

  • Responder Romeu

    Belo conto quem quiser saber mais ou ver alguns vídeos só deixa contato ou skype ou telegram

    • jhe

      @Jorgeluixx

    • Alguem

      @umalguem me chama la

    • R.

      Telegram: onlycnn01

  • Responder Andre

    Espero que tenha mais

  • Responder Rafaella

    Belo conto

    • Jucão

      Bom. Eu gostei. Mas ficaria melhor de vc tivesse dado pra eles. Outro dia teclei com um cara que contou que aos 10 anos morava num sitio e no sitio próximo morava dois caras irmãos gêmeos que vinham até o sitio dele comer ele a força. Até que chegou um tempo que ele ja tava gostando. Diz ele que uma vez esses irmãos trouxeram o cachorro deles e fizeram ele dar pro cachorro tb enquanto eles se masturbavam. Doideira né.
      Mas… cada um cada um né, quem somos nós pra críticas. Hoje ele curti zoo.

    • dalton

      oi gostosa