Não poderia acontecer, mas não me arrependo II

Boa tarde a todos.

Irei continuar o relato que iniciei semana passada…
Não poderia acontecer, mas não me arrependo

…massageava firme seus peitos, deixando-os melados com o creme e aos poucos caminhávamos para a mesa que estava próxima, passei para sua frente e encostei ela na mesa, estávamos muito próximos e meu pau duro feito pedra escondido pela toalha, roçava levemente em seu umbigo. Nossas respirações aceleradas, ela segurando na minha cintura escorregou a mão ate a minha toalha e a soltou, fazendo com que meu mastro saltasse pra fora ( ele mede 22cm, grosso, cheio de veias e levemente envergado pra cima). Olhando nos meus olhos ela se abaixou e ficou frente a frente com ele, timidamente passava a língua e com certeza lembrava de que eu era seu padrasto e todos os demais estavam dormindo, porem o tesão era maior do que tudo, meu pau pulsava na frente dela, quando ela abocanhou o que podia e tirou, ela tremia, eu tremia e continuávamos nos olhando fixamente, quando ela colocou novamente na boca, desta vez chupando com vontade, babando no meu pau, passando a língua e sugando o que podia. Em poucos minutos senti que ia gozar, quando a levantei e a coloquei sentada na ponta da mesa, ficando frente a frente com aqueles lindos peitos não resisti e cai de boca neles, quanto mamava um, massageava o outro, intercalando. Ela segurava minha cabeça e sentia minha lingua brincar com seus mamilos, sugar eles e fiquei assim por mais uns minutos, quando dirigi minha boca para falar algo ela me puxou para um beijo safado de língua, nossas bocas molhadas e as línguas brincando dentro delas. Neste momento senti que meu pau deslizava em sua buceta melada e aberta, mas com tanto tesão ela se contraia, impedindo meu pau de entrar e nesta situação ficava esfregando o pau no grelo quanto nossas línguas se enrolavam na boca, quando não agüentando mais de tesão apontei o pau na buceta, fui forçando, foi entrando devagar, e comecei um delicioso movimento de vai e vem, estávamos em êxtase, ela tremia o corpo inteiro e apertava meu pau, nem lembramos de camisinha a essa altura. Em 4 ou 5 estocadas ela segurou a boca para não gritar e gozou, tendo espasmos com meu pau dentro dela. A safada gostava de pau, percebi isso quando ela apertou minha bunda com as mãos, me puxando contra ela, forçando meu pau ir mais fundo, continuei estocando, com cuidado para não fazer muito barulho. Estávamos suados, eu segurava as pernas dela e o pau entrava todo e saia até que senti que ela iria gozar novamente, segurou o grito, se contorceu e gozou mais do que na primeira vez, com isso não agüentei e gozei também, como a muito tempo não gozava, enchendo a buceta dela com meu esperma. Exaustos, nos demos conta do que havia acontecido, levantei minha toalha e entreguei a dela e saiu para o banheiro.
Tem mais um episódio que aconteceu faz dois dias, mas conto na próxima se quiserem.

Meu contato e
ze.h.brandes@gmail.com
ou
zeh.brandes@gmail.com