Não era pra valer, ou era

Quando era muito jovem eu adorava ser agarrado pelos meus amigos. Eles pediam para eu sentar no colo deles, eu até aprendi a rebolar em cima do pau deles. Éramos em cinco comigo, mas tinha um dos meninos que só deixava eu sentar no colo dele, quando os outros o obrigavam. Eles contavam para um cara muito mais velho que nós, que eu gostava de sentar no pau deles. Ele sempre perguntava para os meninos, se eles ainda não haviam me comido. Sempre algum respondia que eu tinha medo. Eu gostava mesmo era de deixar eles de pau duro e sentir na minha bunda. Seguíamos naquelas brincadeiras, as vezes um ou outro insistia em me comer. Aquele adulto incentivava eles a me comerem a força, que eu ia gostar de dar meu rabinho. Mas eles também tinham algum tipo de medo. Até que numa tarde, um deles pediu para eu sentar no seu pau que estava de fora, como eu estava de roupa sentei e rebolei como sempre fazia. Depois de ver aquilo, todos arriaram suas calças para eu sentar, aquele menino tímido foi o último a tirar. Quando os meninos viram que seu pau era um tanto pequeno, mexeram com ele, dizendo que o pauzinho dele nem fazia cosquinha. O que eles poderiam saber sobre sexo pra dizer isto. Até que um mais espertinho disse que eu podia sentar nele sem meu calção. Sob o coro de senta, senta, eu sentei mesmo. Pude sentir seu pau durinho roçar minha bunda e o meu reguinho. Deixe ele passar seu pau do jeito que quisesse. Os outro também pediram o mesmo, foi aí que ma vesti ligeiro e paramos a brincadeira. Fiquei com aquela sensação gostosa de sentir o pau dele, eu tinha a certeza que ia repetir, e sabia que podia contar com ele. Sempre que eu sentava nele, eu tirava meu calção. A performance dele era cada vez mais ousada, o pau dele já procurava meu cuzinho. Os outros vibravam, mandando ele empurrar tudo pra dentro. Eu deixava ele tentando, meu cuzinho já queria realizar o sonho deles e meu. Fiquei com vergonha de ter muita platéia e espalharem a notícia. Fiquei querendo encontrar ele sozinho para acabar com nosso tesão. Demorei vários dias por esta chance, só dependia de mim. Esperei ele perto da sua casa, quando fosse chegar da escola, como quem não tinha planejado encontra-lo. Ele pediu para eu entra que tinha que tira a roupa da escola. Depois de tirar a camisa e os tênis, ele tirou a calça, mostrando seu pau já duro e pronto, em seguida pediu para eu sentar um pouquinho. Tirei meu calção e me fazendo de bobo, disse que era só um pouquinho. Senti novamente seu pau procurar meu cuzinho, quando ele pediu para eu ficar de joelhos encostado na cama. Desajeitadamente ele passou várias vezes o dedo no meu cuzinho. Deixei ele cotucando meu cu, até ele conseguir encaixar e enfiar, eu estava adorando e ele só gemia com as mãos nas minhas ancas. Pelos gemidos e as sensações dele, sabia que ele tinha gostado também. Fiz ele prometer pros amigos que seria nosso segredo. A tarde ele já estava querendo de novo, arrumamos desculpas pra outro garoto que estava junto, e fomos pra casa dele. Fiz como ele tinha pedido, de joelhos novamente, fiquei sendo muito bem comido por ele, que gozou rápido, mas ele pediu para eu ficar mais um pouco que ele queria repetir. Cada estocada dele sentia que estava gostando cada vez mais. Até que chamamos outro dos garotos pra brincar junto, os dois meteram muito em mim e eu querendo mais. Até que chegou a vez de dar para todos, nunca mais que dois, para que os vizinhos não falassem pra mãe dele.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 2 votos)
Loading...