O meu paizinho com a ajuda da minha mãe comeu o meu cuzinho apertadinho

Este relato é verdadeiro e já se passou há alguns anos atrás comigo e com os meus pais, e eu vou relatar aqui alguns acontecimentos íntimos que tive com eles, esses acontecimentos trazem-me à memória boas recordações e eu recordo-os sempre com muita saudade, mas não vou citar nomes poderia inventar nomes falsos mas isso não é importante o que vou relatar vão ser apenas os factos.
Quando eu era criança tive intimidade sexual com os meus pais, assistia eles tendo relações sexuais e era chupada e lambida por eles. Só que o meu pai nunca chegou a penetrar a minha bucetinha, eu desejava muito perder a minha virgindade com ele só que ele nunca teve coragem, cheguei a implorar para ele tirar a minha virgindade e a minha mãe também queria e pedia-lhe, já que era da minha vontade e ela não achava mal nenhum e incentivava-o, pelo menos a ele meter só a cabeça do seu enorme pênis na minha bucetinha
apertadinha, só que ele nunca teve coragem e nem chegou sequer a penetrar a minha bucetinha com um dedo.
Mas penetrou e comeu muito bem comido o meu cuzinho, embora ele estivesse renitente mas eu e a minha mãe lá o convencemos, esse dia foi o dia mais feliz e emocionante da minha vida jamais o vou esquecer, e foi o presente do meu querido paizinho no meu décimo aniversário.
Eu não me recordo quando comecei a ter intimidade sexual com os meus pais, devia ser ainda bebê talvez não sei! O que sei é que gostava muito de participar na vida sexual dos meus pais, eu era uma menina muito feliz e eles sempre me respeitaram e nunca abusaram sexualmente de mim, antes pelo contrário pois além de me terem dado muito prazer sexual e orgasmos muito intensos e prazerosos, também me transmitiram uma educação sexual muito boa, que foi e é de grande valia para mim até aos dias de hoje.
Eu lambia e chupava a buceta da minha mãe e chupava e bebia leitinho dos peitos dela e também lambia, masturbava e chupava o pênis do meu paizinho e bebia o seu leitinho, embora quando eu tinha 5 ou 6 aninhos eu ainda não conseguisse sequer abocanhar totalmente a cabeça do pênis dele, já que o pênis do meu querido paizinho era muito grosso e eu tinha a boquinha pequenina, mas lambia e dava beijinhos na cabeça do pênis dele e lambia ou estimulava com as minhas mãozinhas o resto do corpo peniano e também os testículos do meu paizinho, já que ele adorava sentir a minha linguinha e as minhas mãozinhas estimulando-lhe os testículos, ele também gostava muito que eu lhe introduzisse um ou mais dedinhos no seu cuzinho. Muitas das vezes
esses carinhos ou estímulos sexuais que eu fazia no pênis do meu paizinho, eram feitos juntamente com a minha mãe que era uma excelente educadora sexual, e explicava-me tudo direitinho de como tinha que fazer ao tocar no pénis do meu paizinho, a forma como devia lamber o pênis dele e masturbá-lo, chupá-lo etc para lhe proporcionar mais prazer, essa educação sexual transmitida pela minha querida mãezinha a mim enquanto criança foi muito importante para mim depois de mulher adulta e esposa, porque quando me casei sabia exatamente como estimular devidamente manual e oralmente o pênis do meu marido transmitindo-lhe assim muito mais prazer, e também essa educação sexual me preparou devidamente para satisfazer sexualmente o
meu esposo, em quase todas as áreas da nossa vida sexual.
Nas sessões de sexo que eu tinha com os meus pais antes de completar 10 anos eu nunca fui penetrada na minha vagina nem no meu ânus, nem com um dedo sequer. Mas eu queria imenso ter o enorme pênis do meu paizinho dentro de mim, já que assistia ele possuindo minha mãezinha e ele dava a ela muito prazer sexual e orgasmos múltiplos e muito intensos, durante esses orgasmos muito fortes a minha mãe suava e tremia toda e dava altos gritos e gemidos de puro prazer. E eu vendo o prazer sexual que a minha mãe sentia, ao ser penetrada pelo enorme pênis do meu pai, eu também queria sentir o mesmo prazer que ela sentia, e pedia ao meu paizinho para me possuir. Mas o meu pai nunca quis tirar a minha virgindade, dizia-me que não tinha coragem e que não lhe competia a ele tirar a minha virgindade, e que eu devia perder a virgindade apenas com o meu futuro marido e só no dia do meu casamento.
E foi isso mesmo que aconteceu, embora eu já introduzisse vibradores, dildos e pênis artificiais na minha vagina antes de me casar, mas um pênis de homem a minha bucetinha só teve a oportunidade de receber e conhecer na minha noite de núpcias, e foi o pênis do meu marido, aliás o pênis do meu marido é o único pênis de verdade que até hoje entrou na minha bucetinha. Antes de me casar com o meu marido eu só dava o meu rabinho para ele de modo a manter a minha virgindade, os meus pais assim me aconselharam porque poderia
ficar grávida e o pai da criança me rejeitar e eu ficar mãe solteira etc. Como já referi o meu pai não queria de maneira nenhuma tirar a minha virgindade, mas a minha mãezinha além da sua vagina também dava o ânus dela para o meu querido paizinho comer, e ela gostava imenso de ser enrabada, pelo membro sexual ereto e enorme do meu querido paizinho, e enquanto a minha mãe dava o seu cuzinho para o meu paizinho comer e se consolar, eu a pedido dela lambia e estimulava-lhe a vagina e também o seu clitóris com a minha boca,
linguinha e com os meus dedinhos, e muitas das vezes também a pedido dela eu também usava vidradores e pênis artificiais durante esses estímulos sexuais principalmente para lhe estimular o seu clítóris, às vezes eu até usava dois vibradores ou um vibrador e um pênis artificial, onde com um vibrador lhe estimulava devidamente o seu clitóris e com outro vibrador ou até com um pênis artificial eu o introduzia na sua vagina, aumentando assim grandemente o prazer sexual da minha mãe, levando-a a atingir orgasmos múltiplos e muito intensos, enquanto que o meu querido paizinho se consolava todinho bombeando todo feliz e contente no seu cuzinho. Era habitual a minha mãe também se masturbar e estimular e indicava-me quais os estímulos sexuais que lhe davam mais prazer, e a forma correta de eu usar os vibradores ou os pênis artificiais enquanto a estimulava, às vezes o meu paizinho tirava o
seu enorme pênis da bucetinha ou do cuzinho da minha mãezinha e mo dava para eu lamber e chupar e dar-lhe muitos beijinhos e fazer-lhe uma punhetinha com ambas as mãos, por vezes também me pedia para voltar a colocar novamente o seu pênis na bucetinha ou no cuzinho da minha mãezinha, mas o meu paizinho enquanto bombeava e se consolava todinho no cuzinho ou na bucetinha da minha mãe, raramente masturbava ou estimulava a vagina dela deixava essa tarefa para mim e para a minha mãezinha, ele enquanto bombeava na vagina ou no ânus da minha mãe, gostava mais de lhe estimular e apalpar as mamas, as nádegas, as costas, puxar-lhe levemente os cabelos etc. Eu vendo que a minha mãezinha ao dar o seu buraquinho traseiro,
para o meu paizinho comer tinha muito prazer e orgasmos muito intensos e prazerosos, disse ao meu paizinho que também queria que ele comesse o meu cuzinho, só que ele disse que não porque eu era ainda muito novinha pois tinha apenas 6 aninhos e o meu cuzinho de menina era ainda muito apertadinho, e não iria permitir de maneira nenhuma a entrada sequer da cabeça do pênis gigante dele, mas eu teimei e teimei e continuei a pedir-lhe durante 2 anos, mais precisamente entre os meus 6 e 8 anos, pois queria por força que o meu paizinho comesse o meu cuzinho, e de tanto lhe pedir para ele comer o meu cuzinho, ele disse-me que o comeria no dia em que eu completasse o meu décimo aniversário, quando ele me fez essa promessa eu fiquei toda feliz e pulei de contentamento, e eu e a minha mãe fizemos ele prometer que não podia voltar com a palavra dele atrás que tinha mesmo de cumprir na integra a sua promessa, e ele prometeu que exatamente no dia em que eu completasse 10 anos comeria o meu cuzinho, e exatamente assim aconteceu. No dia em que eu completei 10 anos era um sábado e o meu paizinho nesse dia não foi trabalhar, eu acordei muito cedo e os meus pais ainda estavam dormindo mas eu acordei-os toda empolgada e feliz da vida e perguntei ao meu paizinho:
-É hoje paizinho que você vai comer o meu cuzinho?
O meu paizinho não respondeu nada porque ainda estava ensonado, e a minha mãe achando que ele se tinha esquecido da promessa que fez perguntou-lhe:
-É verdade meu querido a nossa filhinha hoje completa 10 aninhos, e tu prometeste-lhe que comerias o cuzinho dela exatamente no dia em que ela completasse o décimo aniversário, portanto hoje é esse dia e tu vais ter de cumprir essa tua promessa.
O meu paizinho olhou muito sério para a minha mãe e respondeu:
-Claro que vou cumprir eu dei a minha palavra, e portanto hoje vou comer o cuzinho da nossa filhinha.
Eu pulei toda contente de alegria e felicidade ao ouvir estas palavras do meu paizinho, e tirei logo toda a minha roupinha de dormir que tinha vestida e virei o meu rabinho na direção do meu paizinho e disse-lhe:
-Então coma logo o meu cuzinho paizinho por favor!
O meu pai vendo todo o meu interesse e empolgamento de pela primeira vez ser penetrada por ele respondeu:
-Tem calma minha filhinha porque eu agora não vou comer o teu cuzinho, mas vou come-lo logo à noite.
A minha mãe sentindo tanta empolgação e entusiasmo da minha parte, para que o meu pai comesse logo o meu cuzinho dava-me beijinhos na cara e fazia-me festinhas na cabeça e respondeu:
-Oh minha querida filhinha sei que estás ansiosa para que teu paizinho coma o teu cuzinho, mas vais ter de esperar só mais um pouquinho até logo à noite meu amor, o teu querido paizinho vai cumprir com a promessa dele fica descansada, logo à noite vai ser uma noite muito especial para ti meu amor, e eu vou-te dar um banhinho bem dado e vou lavar e deixar o teu cuzinho bem limpinho por dentro, e vou-te preparar e deixar-te toda bonitinha e cheirosinha para o teu paizinho, só tens que esperar mais um pouquinho até logo à noite.
Ao ouvir estas palavras da minha mãe eu fiquei um pouco mais calma, mas continuava ansiosa para que chegasse a noite o mais depressa possivel.
Nessa tarde eu fui passear com o meu paizinho, e a minha mãe para se precaver foi até à SexShop onde habitualmente costumava comprar os produtos eróticos, e comprou mais alguns lubrificantes, um vibrador
cor de rosa muito bonito e também alguns produtos para banho e duche. Quando chegou a noite eu estava muito feliz mas ao mesmo tempo com algum receio, porque essa seria a primeira vez que o meu paizinho comeria o meu cuzinho apertadinho, e tinha algum receio ou medo que sentisse dores ou algum desconforto quando o meu querido paizinho introduzisse o pénis gigante dele completamente todo até à base no meu cuzinho tal como fazia quando comia o cuzinho da minha mãe, porque o pênis do meu paizinho era muito
comprido e grosso e eu ainda era uma menina.
Mas não foi nada disso que aconteceu e eu já vou explicar porquê!
Quando chegou a noite a minha mãe foi-me preparar para o meu paizinho querido, levou-me à casa de banho com ela onde me deu um banho com alguns dos produtos de duche que tinha comprado nessa tarde na SexShop também me fez uma lavagem com uma pêra de limpeza anal no meu cuzinho por dentro deixando-o bem limpinho, perfumou-me e deixou-me toda bonita e cheirosinha para o meu paizinho. Depois levou-me pela mão completamente nua até ao nosso quarto onde já estava o meu paizinho, quando lá chegamos o meu querido paizinho estava na cama deitado de barriga para cima estimulando vagarosamente o seu enorme pénis com a mão direita que estava em estado completo de ereção, ao nos ver parou de estimular o seu pênis
pegou em mim ao colo e começou a fazer-me festinhas e a dar-me muitos beijinhos e disse:
-Olha a minha filhinha queridinha toda bonitinha e cheirosinha que hoje vai dar o seu cuzinho muito apertadinho para o seu paizinho comer!
E continuava a beijar-me e a fazer-me festinhas e carinhos por todo o corpo.
A minha mãe também me dava beijinhos e fazia festinhas na minha cabeça e disse:
-Oh querido come logo o cuzinho da nossa filhinha não a deixes esperar mais coitadinha, a menina está ansiosa para ter o teu pénis completamente todo dentro do cuzinho dela!
E então eles começaram a lamber os dois o meu cuzinho e a prepara-lo para ser penetrado pelo pênis gigante do meu paizinho, depois de lamberem muito bem o meu cuzinho e de fazerem muitas festinhas na sua entradinha com as pontas dos dedos, a minha mãe muito carinhosa e lentamente introduziu um dedo bem lubrificado com gel lubrificante no meu cuzinho, confesso que quando senti o dedo da minha mãe a penetrar o meu buraquinho doeu um pouquinho, porque era a segunda vez na minha vida que alguma coisa entrava no meu buraquinho traseiro (a primeira vez foi a ponta da pêra para lavagem anal feita alguns minutos antes, mas essa limpeza anal feita pela minha mãe no meu cuzinho não me doeu nada, já que consistia apenas na introdução no ânus da ponta de uma pêra para limpeza anal e essa ponta era muito fina) a minha mãe foi colocando mais gel e enfiando mais o dedo no meu buraquinho, entretanto o meu paizinho pede para que eu e a minha mãe lhe chupasse-mos o pênis, embora ele não necessitasse de mais qualquer estimulo peniano, pois
o pênis dele estava na sua ereção máxima e a cabeça peniana mais parecia um cogumelo vermelho gigante de tão vermelha e inchada que estava. Depois colocaram-me na beira da cama com o meu rabinho bem empinadinho para cima, e a minha mãe ainda pôs mais lubrificante dentro do meu cuzinho deixando-o muito bem lubrificadinho, e também pôs bastante lubrificante na cabeça do pênis e no corpo peniano do meu paizinho, deixando o pênis dele completamente lubrificado da cabeça até à base, uma vez feitos todos estes
procedimentos necessários e imprescindíveis a minha mãe disse para o meu paizinho:
-Agora vê lá e toma cuidado para não machucares muito a menina!
Mas o meu paizinho não gostou nada de ouvir estas palavras da boca da minha mãe e todo zangado disse-lhe.
-Oh mulher quem tu julgas que eu sou achas que sou algum monstro ou quê, por amor de Deus tem calma e não te preocupes que eu não vou machucar a menina, se eu a quisesse magoar ou fazer-lhe algum mal já o teria feito, já hà muito tempo que a menina queria tanto que eu lhe comesse o cuzinho, e eu não quis com receio de que ela não aguentasse com o meu pênis todo no seu cuzinho, eu quero é dar-lhe muito prazer e não dor relaxa e não te preocupes que vai correr tudo bem!
Na posição em que eu estava não dava para ver nada do que se passava na entrada do meu cuzinho, mas senti o meu paizinho colocar a cabeça do seu enorme pênis muito gentilmente na sua entradinha e ele ficou ali com o pênis dele apenas tocando ao de leve e não fazendo qualquer pressão para o introduzir, enquanto isso a minha mãezinha estimulava com os dedos a minha vagina e o meu clitóris, ela tinha algum receio que o meu paizinho fosse impetuoso demais e metesse o seu pênis enorme todo no meu cuzinho causando-me dor, e esses carinhos e afagos na minha bucetinha e grelinho davam-me prazer e diminuiriam assim o impacto da dor se o meu paizinho, introduzisse completamente o seu pênis, o meu paizinho também começou a estimular a minha pererequinha junto com minha mãe, e fazia-me festinhas na minha cabeça e acariciava as minhas costas e as minhas nádegas e depois disse-me.
-Oh filhinha eu agora vou pôr só um pouquinho da cabecinha do meu pênis no teu rabinho está bem?
E eu concordei pois eu estava ansiosa para ter o pênis do meu paizinho todo dentro do meu cuzinho, mesmo que isso me causasse muitas dores e sofrimento, mas ele foi muito cuidadoso colocando inicialmente apenas
um pouquinho, eu nesse momento não estava a sentir dor ou desconforto algum, estava sim a sentir muito prazer pois estava sentindo o pênis do meu paizinho na entradinha do meu cuzinho, e os meus pais a estimularem minha bucetinha e o meu grelinho com os dedos, depois o meu paizinho pede-me se pode meter só mais um pouquinho e eu digo-lhe que sim, que pode até meter o pênis dele todo que eu aguento, mas o meu pai respondeu:
-Oh minha querida filhinha hoje eu não vou meter o meu pênis todo no teu cuzinho apertadinho, hoje só vou meter a cabecinha e talvez só mais um bocadinho, nós temos muito tempo meu amor amanhã vou colocar mais
um pouquinho, e vai ser sempre assim aos pouquinhos para não te machucar.
Quando ele disse aquilo eu fiquei desconsolada e queria por força que ele metesse mais o pênis no meu buraquinho traseiro pelo menos até metade, mas ele disse que de forma alguma que tinha que ser aos pouquinhos, até a minha mãe ficou perplexa pois nunca julgou que o meu paizinho metesse no meu cuzinho só praticamente a cabeça do seu enorme pênis, mas foi isso mesmo que aconteceu.
E o meu paizinho todos os dias ia metendo no meu cuzinho mais um pouquinho de cada vez do seu pênis gigante, e de todas essas vezes a minha mãe certificava-se sempre se o meu cuzinho estava bem lubrificadinho, ela nunca lhe deixava faltar gel lubrificante nem ao pênis do meu pai.
Foram precisas 5 vezes ou 5 dias para o meu querido paizinho meter completamente até à base o seu enorme membro copulatório no meu cuzinho. E é da 5ª vez ou do quinto dia quando senti pela primeira vez o enorme pênis do meu paizinho todo dentro do meu cuzinho, que passo agora a relatar.
Eu já tinha referido que o dia do meu décimo aniversário tinha sido o dia mais feliz da minha vida, mas na verdade o dia mais importante e feliz para mim foi o dia em que o meu paizinho finalmente, colocou completamente o seu grande pênis todo dentro do meu cuzinho, eu jamais me poderia dar por satisfeita se
alguma parte do seu pênis ficasse de fora, pois o meu maior desejo era telo todo dentro de mim, e esse dia finalmente chegou. Nesse dia a minha mãe mais uma vez foi-me dar um banho, lavou e deixou o meu cuzinho por dentro limpinho, perfumou-me e levou-me até ao meu pai. Eu sentia que era nesse dia que meu paizinho iria colocar o restante de seu enorne pênis no meu cuzinho, porque na noite anterior ele tinha referido que faltava apenas só mais um bocadinho para ele entrar completamente. Mais uma vez e como sempre faziam os meus pais deram inicio à preparação do meu cuzinho apertadinho para ser penetrado pelo pênis gigante do meu paizinho lambendo-o e fazendo carinhos nele, e a minha mãe procedeu então a colocação do gel lubrificante mas eu já não sentia qualquer desconforto por ela colocar o dedo lubrificado dentro do meu cuzinho sentia era prazer, nesse dia ela pediu-me se poderia colocar dois dedos no meu cuzinho, porque nunca tinha colocado dois dedos mas apenas um, e eu disse que sim que podia, ela então lentamente introduziu dois dedos bem lubrificados no meu cuzinho, e começou a alargar o meu buraquinho um pouquinho, e perguntava-me se estava doendo e eu dizia que não, o meu paizinho antes de proceder à penetração peniana pede para
que eu juntamente com a minha mãe lhe chupássemos devidamente o pênis o que fizemos com todo o gosto, depois mais uma vez e como sempre me colocaram na beira da cama com a minha bundinha bem empinadinha para cima, e a minha mãe mais uma vez colocou mais lubrificante dentro do meu cuzinho, e também em toda a extensão do pênis do meu pai, a seguir o meu paizinho deu inicio à penetração peniana no meu cuzinho e como sempre fazia muito lentamente, e ao ir metendo o seu enorme pênis aos pouquinhos no
meu cuzinho apertadinho certificava-se e perguntava-me se estava tudo bem comigo, se eu não estava a sentir dores ou desconforto, e eu dizia que não o que eu sentia verdadeiramente era só prazer sentindo seu pênis aos poucos
entrar dentro de mim. Depois o meu paizinho disse-me que o pênis dele já estava mais de metade dentro do meu rabinho e que já faltava pouco para entrar completamente todo dentro dele, então eu implorei:
-Meta-o todo paizinho meta-o todo por favor que eu aguento!
Então ele procedeu a colocação do restante do corpo peniano, e passado um momento eu senti que seu pênis já estava todo dentro do meu buraquinho pois seus testiculos e pelos pubianos roçavam nas minhas nádegas, e o meu paizinho confirmou isso mesmo dizendo-me que de facto o pênis dele já estava todo dentro do meu rabinho, depois o meu paizinho ficou parado com o pênis dele todo completamente metido até à base no meu cuzinho apertadinho.
Parece ser impossivel mas é verdade, eu tinha o pênis gigante do meu paizinho completamente todo dentro do meu cuzinho apertadinho e não sentia qualquer desconforto ou dor alguma mas sim muito prazer!
A minha mãe sabendo que o pênis do meu paizinho já estava todo dentro do meu cuzinho e que eu o aguentava perfeitamente bem sem sentir nenhuma dor ou desconforto, pediu ao meu pai para tirar o seu pênis do meu cuzinho e para mudar-mos de posição para que ela tivesse um acesso mais facilitado à minha
bucetinha, então o meu paizinho tirou seu pénis e sentou-se na beira da cama e colocou-me no seu colo e voltou a introduzir gentilmente o seu enorme pênis no meu cuzinho, naquela posição a minha mãe já tinha um acesso facilitado à minha bucetinha, mas o meu paizinho não podia estimular ou fazer carinhos na minha pererequinha com as mãos porque tinha-as ocupadas, eu estava sentada no colo dele com seu pênis introduzido no meu cuzinho e era ele quem comendava a penetração peniana, pegando em mim com as mãos
nas minhas pernas e fazendo-me subir e descer no seu membro gigante. Durante o vai e vem no pênis do meu paizinho ele dizia-me palavras tão bonitas que me deixavam toda feliz e orgulhosa, dizia-me que eu tinha um
cuzinho muito fofinho, quentinho e muito apertadinho e que a partir daquele dia ele iria querer comer sempre o meu rabinho todos os dias, e que o ia encher com muito leitinho quentinho, e que também me iria dar muito leitinho para eu beber todos os dias, que eu era a filhinha bonitinha e muito queridinha dele, que me amava muito etc. A minha mãe que nesse momento masturbava a minha pererequinha com os dedos e estimulava o meu clitóris com o auxilio de um estimulador clitoriano para me tentar oferecer o máximo de prazer sexual
possível, ao ouvir o meu pai a fazer-me tantos elogios, fingiu estar a sentir ciumes de mim sorriu para nós e perguntou:
-Então e eu meu querido achas que eu também vou ter direito a levar no cuzinho e a beber do teu leitinho todos os dias, juntamente com a nossa filhinha?
-Claro que sim! eu prometo-vos que a partir de hoje eu vou comer sempre os vossos cuzinhos todos os dias, e vou dar-vos também muito leitinho, vocês são as minhas duas putinhas queridas!
O meu paizinho todo consoladinho continuava a bombear no meu cuzinho apertadinho com o seu pênis enorme, enquanto a minha mãezinha se certificava de me porporcionar o máximo de prazer sexual possível na
minha pererequinha, com os dedos dela e também com o auxilio do estimulador clitoriano. Passado mais um tempinho comecei a sentir um prazer muito forte me invadindo, começando na minha bucetinha e rapidamente se espalhando por todo o meu corpo, era o primeiro orgasmo da minha vida eu nunca tinha sentido essa sensação tão prazerosa invadindo todo meu corpo, eu já tinha sentido muito prazer sexual de outras vezes em que os meus pais estimulavam ou faziam festinhas na minha pererequinha e no meu
cuzinho, mas nunca dessa forma tão forte e avassaladora, comecei a contorcer-me toda e a gemer e gritar de prazer. A minha mãe apercebeu-se imediatamente que este era o primeiro orgasmo da minha vida, e tanto
ela como o meu paizinho sentiram uma enorme alegria e felicidade por a filhinha tão querida deles ter o seu primeiro orgasmo, e era um orgasmo muito especial pois era proporcionado por eles.
A minha mãe estava muito radiante toda feliz e satisfeita, porque também a obtenção do meu orgasmo devia-se muito a ela que me estimulou devidamente a bucetinha e o meu grelinho até finalmente o obter e ela dizia-me:
-Goza minha filhinha querida goza, que este é apenas o teu primeiro orgasmo das centenas que eu e o teu paizinho te vamos oferecer no futuro!
Ao acabar de sentir meu orgasmo o meu paizinho parou com as estucadas no meu cuzinho, deixando-me quietinha e sentadinha no seu colinho e com o seu pênis introduzido completamente até à base no meu cuzinho, e tanto ele como a minha mãe me começaram a abraçar, a fazer festinhas na minha cabeça e no meu rosto e a darem-me muitos beijinhos, só que esses beijinhos eram diferentes dos habituais eram dados na boca e eles também metiam as línguas deles na minha boquinha, eles nunca me tinham beijado daquela maneira, eu naquele momento senti-me a menina mais amada e feliz do mundo. Ficamos assim um bocadinho abraçadinhos e fazendo muitas festinhas e dando muitos beijinhos nas nossas bocas e línguas. Depois a minha mãe sugeriu que mudássemos de posição sexual, e disse ao meu paizinho para me posicionar junto à beira da cama de ladinho, então o meu paizinho muito lentamente retirou seu pênis, que estava completamente todo introduzido no meu cuzinho, mas antes de eu ser posicionada nessa posição sugerida pela minha mãe ela foi ver o meu cuzinho que estava todo abertinho, mas eu não sentia nenhuma dor nem desconforto nenhum nele só sentia um ventinho a entrar, depois a minha mãe pôs mais gel lubrificante no interior do meu cuzinho, e masturbou e chupou o pênis do meu paizinho deixando-o todo lambuzado de saliva, a seguir posicionaram-me de ladinho à beira da cama e o meu paizinho posicionou-se atrás de mim em conchinha e muito gentilmente reintroduziu novamente o seu grande pênis no meu cuzinho apertadinho, a minha mãe estava fora da cama
ajoelhada e levantou a minha perna que estava para cima para ter um acesso mais facilitado à minha bucetinha, e assim reiniciar as estimulações vaginais e clitorianas, o meu querido paizinho novamente começou a bombear no meu cuzinho enquanto a minha mãezinha com a boca e língua e com os dedos e
também com o auxilio do estimulador clitoriano, preocupava-se em me estimular e de me dar o maior prazer sexual possível, eu nessa posição dava para ver claramente a minha mãe trabalhando com os seus dedos e língua a minha vagina, ela lambia e chupava os lábios vaginais e também metia a língua na entradinha enquanto deixava para o estimulador clitoriano o trabalho de me estimular o clitóris, parecia que ela estava decidida a que eu obtivesse mais um orgasmo, o meu paizinho com uma das mãos também me fazia carinhos na minha pererequinha, enquanto que com a outra acariciava o meu corpo aumentando assim ainda mais o meu prazer. O meu paizinho continuava a bombear todo feliz e satisfeito no meu cuzinho de menina apertadinho gemendo e consolando-se de prazer, passados mais cerca de uns dez minutos
eu senti as primeiras sensações de um preorgasmo se aproximando e pedi aos meus pais que aumentassem mais os estímulos na minha vagina, então a minha mãe tirou o estimulador clitoriano e juntamente com o meu paizinho masturbaram a minha bucetinha e o meu clitóris mais rapidamente, passado mais um pouquinho eu obtive o meu segundo orgasmo mas este foi ainda mais forte, intenso e avassalador que o primeiro, eu gemi e gritei de tanto prazer que mais parecia que me tinham espetado uma faca no peito e fiquei toda tremula e suada, o meu paizinho nesse momento deixou de bombear no meu cuzinho, e ficou apenas afagando o meu rosto e a minha bucetinha, e a minha mãezinha começou a dar-me beijinhos na minha boquinha e a fazer carinhos com as mãos no meu cabelo, e disse-me que estava muito orgulhosa de mim, que eu estava a dar muito prazer ao meu paizinho e a fazê-lo muito feliz e que era uma filhinha muito querida. O meu paizinho depois de uma pequena pausa para eu me recuperar do orgasmo voltou a estucar o meu cuzinho mas agora
mais rapidamente e com mais força e começou a dizer para a minha mãe:
-Ai minha querida que maravilha de cuzinho a nossa filhinhaaaa teeeemmmmm, aiiiiiii queeee maaaraaaraaavilhaaaa deeeee cuziiinnhooo, tãoooo fofinhoooo queeennntttiiinhooooo e aaaapppeeerrrtttaaddinhooooo aiiiii queee maaaraaaraaavilhaaaa aaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiii.
Entretanto o meu querido paizinho dizia palavras desconexas e bombeava cada vez mais rapidamente e com mais força e intensidade no meu cuzinho, depois parou de repente e tirou lentamente o seu pênis do meu cuzinho e disse que ia gozar, levantou-se e pediu para que eu e a minha mãe abrissemos as nossas boquinhas que nos ia dar muito leitinho, e ele começou a hurrar de prazer que mais parecia um animal e a ejacular grandes quantidades de leitinho e com jatos muito fortes, alguns desses fortíssimos jatos iam na direção das nossas bocas, mas a maior parte deles batiam com força nos nossos rostos, cabelos, pescoços, mamas etc outros jatos caíam na cama ou iam parar longe, eu e a minha mãezinha ficamos banhadas de esperma. Depois eu e a minha mãezinha lambemos o restante do leitinho que sobrou no pênis do meu paizinho e deixamos o pênis dele limpinho, e também lambemos todo o leitinho que estava nos nossos corpos, eu lambi todo o leitinho que o meu pai tinha jorrado no corpo da minha mãezinha, e a minha mãezinha lambeu todo o leitinho que o meu paizinho tinha despejado em mim deixando-me limpinha. No final ficamos algum tempo deitadinhos e abraçadinhos e depois fomos tomar banho e dormimos.

Este foi sem dúvida o dia mais marcante e feliz da minha vida, o dia em que finalmente pude receber o pênis do meu tão querido paizinho completamente todo no meu cuzinho. Depois desse dia eu continuei a dar quase todos os dias o meu cuzinho apertadinho para o meu paizinho comer, e participei ativamente na vida sexual dos meus pais, e eles deram-me imensos orgasmos muitos deles eram de uma intensidade de prazer tão forte e avassaladora que me deixavam toda fraquinha, só tenho pena é do meu paizinho nunca ter comido a minha bucetinha, se ele a tivesse comido provavelmente ainda teria sentido muito mais prazer.

Eu participei ativamente na vida sexual dos meus pais até aos 13 anos, depois eles mandaram-me ir dormir para o meu quarto e nunca mais tive intimidade sexual com eles. Hoje os meus pais nem sequer me querem ouvir falar, da intimidade que eu tinha com eles quando era menina, acho que se sentem culpados por tudo o que aconteceu.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,33 de 3 votos)
Loading...