Não consegui resistir a minha enteada

Autor

Resolvi morar com Ana, uma morena linda e gostosa de 26 anos, mãe de uma menina de 10 anos, o início não foi muito animador, Bia a filha de Ana, não aceitava devido ciúmes da mãe, foram necessário dois anos para que o relacionamento melhorasse. O tempo ia passando e Bia ia ficando cada vez mais parecida com a mãe, eu sempre procurando manter o respeito.
Um fato passou a chamar minha atenção, toda vez que ficava sozinho com Bia notava que as brincadeiras fluíam melhor e que geralmente nos tocávamos, os bicos dos peitinhos dela ficavam durinhos. Numa tarde estávamos sozinhos, Bia estava de costas cheguei lentamente e dei um abraço por trás e beijei seu pescoço a mantendo abraçada, era loucura comecei a ter uma ereção ainda abraçando mais um beijo, escutamos barulho era Ana chegando, meu coração disparou o pavor de Bia contar o ocorrido me deixou em pânico, Ana veio até nos eu sentado a piroca mole devido o susto, olhava disfarçando para Bia, para minha felicidade nada foi comentado. Ana, perguntou para Bia o que ela tinha e o motivo de tanta alegria, para minha surpresa Bia respondeu que hoje ela tinha sentido uma coisa muito gostosa, eu gelei, a mãe querendo saber o que? Mas Bia não falou e depois me olhou piscando o olho e dando um sorriso.
A noite chegou a situação vivida me deixou louco de tesão Ana pagou o pato dei uma foda como há muito tempo não dava, na ânsia de meter a porta do quarto ficou encostada, acho Bia estava tentando ver, eu enlouquecido levava Ana a gozar uma duas vezes meu pau doendo eu controlando para não gozar comi a boceta e parti para o cu Ana não curtia muito mais hoje não tinha jeito tinha que me dar, no fim foi a vez dela me surpreender me pedindo para gozar em sua boca, há muito eu vinha tentando virei colocando a pica para ela mamar senti a cabeça ser engolida a língua um boquete molhado e barulhento e um pedido vai me da leitinho quente não consegui controlar jatos e mais jatos eram depositados na boca de Ana que engoliu tudo de forma bem profissional, caímos exaustos, mais uma dúvida ficou o fato de Ana pedir para gozar na boca será que tenho um sócio e não sei. Mudei de pensamentos só pensava em Bia.
No outro dia nos encontramos na sala Ana estava na cozinha, me aproximei de Bia falando oi, a resposta veio baixinho cadê meu beijo como ela estava de costas tombou a cabeça deixando o pescoço a mostra a piroca logo deu sinal de vida, abracei e beijei seu lindo pescoçinho esfregando a piroca em sua bunda, a resposta foi um ai bem manhoso, depois disso nos afastamos mas era só estarmos sozinhos para rolar umas brincadeiras, o clima ia esquentando cada vez mais.
Ana recebeu um telefonema estranho se afastou para falar quando voltou veio com a noticia que sua prima estava com problemas de saúde e pediu para passar dois dias em sua casa, estranhei minha testa coçou, mais era a chance que precisava, procurei esconder a felicidade e me mostrei chateado com o fato de ficar sozinho, Ana falou que Bia ficaria afinal já tem quase 13 anos e sabe cuidar da casa, e assim aconteceu, Ana partiu me deixando com Bia. Trocamos olhares e nos abraçamos ficando assim um bom tempo sem trocarmos uma palavra. Fazia algumas horas que Ana tinha saído ficamos tipo aguardando, eu sem saber direito se estava certo e se realmente Bia queria, anoiteceu falei que iria dormir, cheguei no quarto apaguei as luzes e só de short fiquei deitado, vi a porta ser aberta e na penumbra via a silhueta de Bia e a pergunta possa dormir com você, meu coração acelerado me afastei Bia deitou um silencio onde nossa respiração nos entregavam, me virei ficando alisando os cabelos de Bia, alisei seu rosto ao passar os dedos em seus lábios senti meu sedo ser sugado simulando um boquete, levei mão e sob uma camisola transparente senti os bicos durinhos, bia gemia fiquei apertando os bicos, Bia logo procurou se livrar da camisola, dei um beijo em sua boca chupei sua língua, Bia parecia bem experiente, busquei seu peitinho fiquei passando a língua e dando mordidas, enquanto mamava fui descendo com a mão a barriguinha Bia ia se contorcendo, mais uma agradável surpresa não encontrei calcinha, uma penugem e uma bocetinha bem gordinha fiquei passando o dedo bem devagar, molhei o dedo com saliva e brincava Bia totalmente entregue se mexia gemendo, lentamente fui metendo o dedo logo percebendo que Bia já não era mais cabaço, sem indagar fiquei metendo bem devagar, lambia o dedo e metia o gostinho da bocetinha me deixando louco, fui me posicionando senti o perfume dei um beijinho e fiquei lambendo Bia abria e fechava as pernas, chupei gostoso senti o primeiro orgasmo de Bia seu corpo tremia todo e eu chupando cada vez mais, passei o dedo em sua bocetinha deixando ele molhadinho levei de encontro ao seu cuzinho que devido eu chupar e lamber tinha escorrido baba deixando bem lubrificado, peguei o dedo e fiquei fazendo círculos, Bia falando vai enfia ai que gostoso, enfiei o dedo ficando fodendo bem devagarzinho voltei a chupar sua boceta enquanto brincava em seu cuzinho Bia gozou novamente, resolvi brincar agora em sua boceta com a piroca posicionei ela encostando a cabeça da pica Bia jogava o corpo para frente pensei que não fosse aguentar era bem apertada mais aguentou firme, soquei bem gostoso em sua boceta, mais uma surpresa ela pediu para eu comer seu cuzinho e depois dar leitinho, pois ela puxou a mamãe para gostar de leitinho quente, eu claro obedeci cravei em seu cu e terminei gozando em sua boquinha, passamos a noite metendo.
Estou chegando a conclusão que tanto mãe como filha são duas putas, vou ficar na minha e continuar comendo as duas, foda-se se sou corno. kkkkkkk

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,67 de 3 votos)
Loading...