Para as mulheres do Sul de Minas…

Não é um conto mas uma descrição detalhada das minhas fantasias, meus fetiches e desejos mais secretos jamais realizados. Vou me abrir nas linhas que se seguem. Em detalhes!

Com isso sonho em encontrar uma mulher que me entenda e me aceite como eu sou.

Tenho 43 anos, sou solteiro e não tenho filhos, tenho 1,80 de altura, 80 kg moreno claro, muito bem apessoado e com curso superior, situação definida. Trabalho e moro sozinho. Resido em Varginha, sul de Minas.

Mulheres já apareceram muitas, mas nenhuma que se enquadrasse nos meus mais loucos e profundos desejos. Só no trabalho foram umas cinco, solteiras loucas para casar, separadas e até mesmo casadas procurando aventura, mas nunca me envolvi com elas por questão de princípios e também porque não teria coragem de revelar a nenhuma delas meus loucos desejos, minhas mais profundas fantasias sexuais. O risco disso vazar seria enorme.

É muito complicado colocar certas fantasias para uma mulher que só procura sexo convencional. A reação pode ser variada, o mais comum é te chamar de viado, pervertido e depois de uma bela briga o relacionamento termina. Mas elas não deixam barato. Para justificar o fim do relacionamento para as amigas eles contam suas fantasias, pedindo sigilo, mas logo a cidade e a região toda estão sabendo de suas fantasias mais profundas. Nunca quis correr esse risco.

Gostaria de dizer com todas as letras que não sou gay. Nunca tive e nem tenho vontade de ter relações íntimas com homens. Se eu quisesse, oportunidades nunca faltaram. Como tem gay no mundo!

Quando eu tinha entre 14 e 16 anos estudei com um garoto que vivia me secando para me comer, isso perdurou durante muito tempo. Naquela época a oferta de garotas adolescentes para transar era quase nula e os garotos “espertos” comiam outros garotos. Quem comia não era viado perante o grupo, mas quem dava sim. Claro que nunca cedi pois não gosto de homem. Mas eu tinha a faca e o queijo nas mãos, poderia sem problema armar alguma situação e dar o cu pro Anderson. Eu tinha as tardes livres e sozinho em casa, isso facilitaria tudo. Mas claro que se eu desse uma vez teria que continuar dando sempre pra ele ficar de bico calado, caso contrario a escola toda saberia que eu tinha dado pra ele. Certos garotos tipo “alfa” têm grande credibilidade perante o “grupo”.

Além disso é muito fácil a qualquer momento entrar num bate-papo e lá está cheio de gays de todo tipo, solteiros ativos e/ou passivos, discretos ou não, e até mesmo casados. Não é minha praia.

Mas porque estou sozinho e não encontro a mulher que tanto quero? Não é fácil, não quero uma mulher convencional e sim uma que me entenda e aceite e realize minhas fantasias com prazer e muito boa vontade.

Já procurei em sites especializados, já coloquei anúncios na internet, escrevi alguns contos e até apareceram algumas, boa parte de longe ou muito longe o que inviabilizava tudo. De perto até algumas mas se mostraram muito rigorosas e não abriam mão disso. Queriam alguém para dominar o temo todo 24 horas por dia e 7 dias por semana. Não é isso que quero. Eu procuro uma mulher para ter um relacionamento normal a maior parte do tempo, de igual para igual, mas que aceite e goste de realizar minhas fantasias mais loucas e secretas.

Minhas fantasias são de ser dominado, xingado, humilhado pela mulher. Quero que ela me obrigue a usar coisas de mulher como calcinhas, sandálias femininas e outras e que me transforme em sua putinha safada. Quero que ela me bata na bunda e apenas na bunda de forma leve no início e com o tempo de forma moderada me castigando por eu ser uma putinha sem vergonha. Quero também que essa mulher coma o meu cuzinho com consolos de borracha me fazendo sua putinha.

Quero me faça beijar e adorar seus pés, ah que tesão por pés eu tenho!

Isso começou na adolescência…..uma atração forte e profunda por pés femininos…não vou esconder que tenho especial predileção pelos bonitos e bem cuidados. Vivo olhando pés femininos pelas ruas. Não perco um só que seja. Chego a mudar de calçada só para ver um par de pés que se aproxima….O inverno para mim é um castigo pois quase não se vê pés de mulher nas ruas. Sempre aguardo o verão com ansiedade pois é com ele que começa a temporada de pés em chinelos de borracha e sandálias pelas ruas da cidade. Ah que delícia!!

99,99 das mulheres não percebem que seus pés estão sendo observados. É incrível! Mas já aconteceu comigo uma vez do marido perceber que eu estava olhando os pés da esposa. Ele ficou me encarando com cara ruim. Azar dele…

Também certa vez faz um tempo já estava olhando os pés de uma mulher que calçava uma para de havaianas slim azul carbono e ele “me pegou”, a reação foi a mesma, ficou me encarando com olhar de desaprovação. É estranho isso, se cuidam dos pés e usam calçados sexy por quê não gostam de ter os pés observados?

Tenho predileção especial por pés femininos em chinelos de borracha de tiras fininhas. Também curto sandálias sociais bem delicadas e que deixam os pés bem à mostra. Eu não resisto! Estranho mas não curto muito salto alto.

Quando ao esmalte prefiro os clarinhos ou incolor, não gosto de verde, azul, preto. Vermelho só se for bem claro. Unhas francesinhas também acho feio porque dão a impressão que as unhas estão compridas o que é horrível!

E por incrível que pareça tem mulheres que insistem em deixar as unhas dos pés compridas…..que horrível!!! Felizmente são muito poucas.

Não estou procurando uma mulher apenas para realizar fantasias e sim para um relacionamento sério, duradouro com cumplicidade, companheirismo, compreensão, afeto, dedicação, respeito etc..

Não quero realização de fantasias o tempo todo ou 24/7 como preferem as dominadoras com “pedigree” ou aquelas profundamente presas à liturgia BDSM.

Quero um relacionamento dito normal quase o tempo todo mas com realização de fantasias com certa freqüência. No restante do tempo quero um relacionamento de igual para igual.

Vale dizer que uma “sessão” de dominação não se confunde nem se mistura com sexo convencional, ou sexo vaginal. Ou a mulher me domina fazendo assim uma sessão BDSM ou fazemos sexo normal, as duas coisas juntas ou seguidas não tem como fazer. O motivo é que sem dúvida alguma eu irei gozar em algum momento durante a sessão ficando impossibilitado de comer a mulher e também filosoficamente não há sexo normal numa sessão, jamais!

Mas então como a dominadora vai sentir prazer? Bom se for uma dominadora que está fazendo por prazer e não para me agradar ela vai ficar extremamente excitada enquanto me domina, me bate e me transforma em sua putinha safada. Sua xoxota vai ficar úmida e ela estará bem perto de gozar.

Muitas dominadoras vendam o submisso e quando a sessão está vai perto do fim ela retira a venda e já tendo se despido, parcial ou totalmente, ordena ao à sua putinha que faça sexo oral nela, o que vai então culminar no gozo completo e intenso. Eu não tenho nenhuma objeção de fazer sexo oral em uma mulher, adoro lamber o clitóris, a xoxota, a parte interna das coxas, os pés e os seios….sem problema!

Uma sessão de dominação não pode ser combinada, principalmente quando feita por um casal que mora junto.

Geralmente quando a mulher percebe que há clima ela inicia uma discussão do nada e então a partir daí inicia-se todo uma enredo onde ela vai mandar o submisso se despir e colocar coisas de mulher como calcinhas e outras sendo transformado em uma putinha safada . Daí o enredo continuar com a mulher xingando e humilhando sua putinha que aceita tudo passivamente….depois de algum tempo a dominadora pode enrabar seu sub com consolo de borracha, literalmente comendo sua putinha de forma e inverter os papéis….eu morro se vontade de ser comido por uma mulher!!

Mais adiante a dominadora pode ou não, bater, com diversos instrumentos na bunda do sub, mas de forma responsável, lhe castigando por ele gostar “dessas coisas”.

Não se pode esquecer também, claro, a adoração aos pés da mulher que pode ordenar que seu sub beije e acaricie seus pés…..

Finalmente vem, como já foi dito, a hora da dominadora gozar com seu sub lhe fazendo o sexo oral….nessa hora ela começa a mudar de comportamento, passando de dominadora cruel e rigorosa e alterando de volta para uma mulher meiga e carinhosa que vai confortar seu sub inclusive, após algum tempo do gozo cuidando da bunda machucada e vermelha por causa do castigo.

Vale lembrar que uma dominadora com “pedigree” não tem esse comportamento de voltar ao “normal”, ela sempre é rigorosa dominando o tempo todo e controlando seu sub. Claro que não é isso que eu quero, que uma mulher que me domine apenas em “sessões” e não o tempo todo.

Dessa forma eu descarto desde logo dominadoras extremamente rigorosas, dessas já apareceram e eu não me interessei nem um pouco. A mulher deve ser sim rigorosa dentro da sessão, isso sim, mas 24/7 não!!

Dessa forma se alguma mulher ler essas linhas e interessar em me conhecer melhor peço que me escreva. Preferência do Sul de Minas. Aceito sem problemas mesmo separadas ou divorciadas e também com filhos ou solteiras mesmo. Mulheres switcher ou seja que gostem de dominar e ser dominada também serão bem vindas.

Não quero de forma alguma um relacionamento sigiloso mas apenas sigilo sobre essas fantasias, isso significa não dizer para ninguém! Ninguém mesmo! Quero um relacionamento sério e com realização dessas fantasias de forma saudável e responsável.

Meu email: macalango@yahoo.com.br