# #

Minhas aventuras caninas

572 palavras | 3 |3.73
Por

Gostaria de contar as minhas aventuras com os cachorros que passaram e ainda passam pela minha vida.

Sou homem, tenho 24 anos, sou afeminado e adoro dar meu bumbum.
Comecei a sentir tesão por cachorros através de um que tinhamos quando era um pouco mais novo, morava em uma cidade pequena, não tinha muitos gays e eu vivia com tesão. Cansado de bater punheta, comecei a sentir vontade de dar meu cu pro cachorro da família que se chamava Astor.

Na primeira vez esperei todo mundo sair, coloquei uma cueca bem folgada e fui la pro quintal. Entrei na casinha do Astor que era um espaço no quintal com um portãozinho que meu pai fechou pra prender o Astor quando tivesse visita pois ele era bravo e ja chegou a atacar um amigo do meu pai. Era um pastor alemão muito lindo e tinha um pau bem grande.
Enfim, entrei na casinha dele e ja fui pegando no pau dele, era tão gostoso, comecou a ficar duro e eu abaixei a cueca, virei a bunda pra ele que começou a lamber.
Ele montou e eu sentia aquele cacetão duro batendo no meu cu apertado querendo me penetrar.
Coloquei a mão e ajudei, foi ai q eu senti uma dor muito forte que foi amenizando conforme ele ia socando.
Que pirocão ele tinha, eu arreganhava meu cu com as mãos pra ele entrar todinho.
Meteu por uns minutos e parou, senti o nózão preso dentro do meu ânus enquanto ele gozava sem parar.
Depois de uns 10 minutos alí parado, ele saiu de dentro, e eu joguei a porra dele toda pra fora, parecia que eu estava mijando pelo cu de tanta porra que saiu.
Estava com o cu todo arrombadinho e satisfeito com aquela foda. Levantei e dei meu pau pra ele lamber enquanto eu batia punheta, gozei a cara dele todinha, mas depois limpei pq senão alguem poderia desconfiar, depois entrei, fui tomar banho e nesse mesmo dia um pouco mais tarde, fui novamente dar meu cu pra ele.
Eu tava viciado naquele pau, todo dia eu dava pra ele quando meus pais saiam pra trabalhar.
Fiquei sendo a cadelinha dele durante todo o tempo que ele viveu na nossa família, mas infelizmente ele faleceu e como eu estava viciado, quando meus pais saiam, eu ia pro portão ver se passava algum cachorro na rua pra eu atrair ele pra dentro e dar meu cu.
Sei que é perigoso pois cachorro de rua pode ter doença mas na hora do tesão a gente acaba não pensando muito nas consequências.
Semana passada eu consegui atrair um cachorro preto que estava passando, ofereci comida e ele veio correndo pra dentro, dei carinho pra ganhar a confiança e quando vi q ele era dócil, abaixei a roupa e fiquei de quatro, ele cheirou meu cu e não montou, fui na cozinha e peguei manteiga, passei e ele lambeu, depois mexi no pau dele e ele montou.
Me fodeu bem gostoso, mas o pau dele não era tão grande, foi gostoso mas eu queria um maior pra me arregaçar mesmo.
Enfim logo eu posto mais contos sobre minhas experiências com cachorros de rua.
Tenho várias, sempre dou meu rabo pra cachorros e filmo tudo.

Meuu telegram é @Yesteryjsk

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,73 de 11 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder @yanlucasz ID:19p3hxtjq

    kkkkk

  • Responder Kkkkkkkkk ID:g3j1dp20c

    Kkkkkkkk

  • Responder Kkkkk ID:g3j1dp20c

    Kkkkk