# #

Ela preencheu nossas sextas-feiras com um amigo

1147 palavras | 0 |5.00
Por

nossas brincadeiras encontrou mais um com o convite dela.

Somos casados há 23 anos, sem filhos e nos curtimos muito em todos esses anos. Com o passar dos anos fomos trocando ao hábitos, saíamos muito menos e trocamos nossas noites de sextas no nosso barzinho para ficarmos em casa nos curtindo. Por ideia de T*****, assim vou chamar minha mulher, passamos a fazer algumas brincadeiras regadas a safadeza, com muita bebida e invenções eróticas. Comprávamos cervejas, tequilas, vinhos, amarula, alguns petiscos e jogávamos cartas, quem a cada mão perdida, o vencedor escolhia a bebida do perdedor. O objetivo sempre era um embebedar o outro, para ficar mais saliente. Quando um se negasse a beber teria que oferecer uma prenda. A finalidade era deixar alguém nu e dar vazão as nossas sacanagens. Durante um churrasco na casa de um amigo M*******, depois de umas bebidas, ele conversando comigo comentou o fato que T***** lhe narrou de modo superficial e que ele gostou de saber. Na volta pra casa comentei com ela que realmente não só confirmou ter relatado a brincadeira como também do seu entusiasmo por nossa invenção. Caímos na gargalhada e dias se passaram. Depois de algumas semanas T***** conversando comigo durante um almoço confessou que M******* toda vez que se falavam ele perguntava como andavam as brincadeiras, elas sempre dizia que bem, pois era uma forma de apimentar nossas vidas. Como passou a ser um comentário normal, inclusive durante nossos jogos, conosco já pelados, quase bêbados e nos bolinando T***** perdeu u`a mão e ela mesma definiu sua punição, vou te chupar. Deu uma chupada gostosa, levantou a cabeça sorriu e disse, M****** está tão interessado na nossa brincadeira que vou convida-lo pra participar. As palavras atingiram como um raio nas duas cabeças e a de baixo respondeu rapidamente. T***** fez cara de moleca, sorveu uma goelada de vinho, deu outra mamada, riu e falou, parece que você gostou. Ela me beijou, aninhou o corpo em cima do meu, direcionou a vara na gruta e arriou com gosto. Encheu o meu ouvido de sacanagem, todas que vocês possam imaginar, vou brincar, vou fazer charme, vou seduzir, vou enlouquecer e se tudo der certo vou comer vocês dois, você deixa, deixa, aquele filho da puta pensa que não noto as suas insinuações, e cravava com gosto, gozou, desceu o corpo chupou, lambuzou, subiu o corpo pegou a vara e espetou no cuzinho deixando entrar só a cabeça enquanto segurava o pau e falava só a cabecinha, só a cabecinha. Foi uma foda naquela noite como há tempos não dávamos. Passou os dias e na quinta-feira no jantar, T***** disse: convidei M****** pra vir amanhã brincar. Perguntei se tinha ideia de como seria e ela na hora veremos a disposição dele. Quando deu 19:00 de sexta, T***** já tinha tudo preparado na sala, almofadas colocadas de formas despojadas para nosso assento, uma toalha de prato para os petiscos, as bebidas acondicionadas próximas, as disposições em forma triangular para nossos corpos. Não demorou muito M****** chegou, bermuda, tênis sem meias, camisa branca, relógio, latões de cervejas e uma alegria enorme. Eu o cumprimentei, peguei umas bebidas pra nós e ficamos conversando. Depois de 20 minutos T*****chega, blusinha de alça, cordão, pulseira na perna esquerda, bermuda legue estampada, da um beijo no rosto dele, um selinho em mim e displicentemente arria o corpo pega um cálice coloca tequila e bebe. Claro deu pra ver os peitos quase médios por entre o espaço da blusa com o corpo. T***** é um espetáculo de mulher com seus 43 anos, tudo certo, rosto redondinho, cabelos curtos, boca com silhueta perfeita, seios quase médios, e o restante do corpo de dar inveja nas amigas e ela estava deslumbrantes. Conversamos, sorrimos, contamos piadas e bebíamos. Até que Marcelo perguntou: e aí, como é a brincadeira e T*****discorreu como era, seus olhos mostraram um pouco de surpresa e alegria. Sentamos e começamos o jogo montinho inglês. Embaralha, corta e três montes. A menor carta perde, a maior determina o que o perdedor vai beber. Fomos nos alternando nas vitórias e derrotas de cada mão e ríamos dos que tinham que beber, a hora passando, as bebidas fazendo o seu efeito e já estávamos mais que alegres e soltos, foi quando ao perder uma, T***** deu o pontapé na sacanagem, vou dar um tempo na bebida e tirar um prenda, como fui eu que ganhei falei tira a pulseira da perna….ela tirou. Em seguida ela ganhou, M****** perdeu ele entrando na dela também vou tirar uma prenda….T***** ordenou tira a camisa ele tirou, e assim foi se seguindo, bebíamos quase nada e despojávamos as prendas. Ficamos eu de bermuda, M******de bermuda e T*****de blusa de bermuda. M****** perdeu T***** ganhou ele perguntou e agora ? Ela bebe ou tira ? Ele tiro, ela tira bermuda M******ficou de cueca. Eu ganhei, T*****perdeu, ela tiro… e tirou a blusa. Meu pau subiu, M******escolheu as pernas…T*****riu. Antes da próxima jogada, ela pediu para esperar que ia ao banheiro, levantou exibiu toda sua formosura e saiu rebolando. M******deu uma talagada de vinho, eu de cerveja e esperamos ….T*****voltou. Próxima mão perdi, T*****ganhou tirei a bermuda, próxima mão fizemos suspense ao escolher o monte, virei meu monte sete de ouro, T***** virou 10 de espada, M******virou 4 de copas….T*****incontinente rindo….bebe ou tira ? Ele corou, olhou pra mim, pra ela e disse TIRO, ela rapidamente levanta e tira, ele levantou tirou e a vara quase estalou na barriga e sentou. T*****não se conteve…tá ficando bom. Próxima mão eu 5 de copas, T***** valete de paus, M****** rei de ouro, nem esperei perguntar levantei e tirei a cueca, o pau duro que rocha, T***** caiu na gargalhada, então ela incrementou a regra…..pausa para uma bebida, cada um pegou a sua bebida de sorveu, ela mais uma bebemos de novo. Ela agora não tem mais bebida só cumprir ordem. Concordamos próxima jogada T*****virou 8 de paus, eu virei 2 de ouro, M******virou 5 de ouro….T***** então comandou….como não pode beber, dá um beijinho no seio direito…aproximei a boca dei um beijo e ela safada pode dar uma chupadinha nele, eu dei. Próxima mão T*****perdeu, M******* ganhou ela riu e ele como sua ordem não pode beber….T***** levantou arriou a legue e estava sem calcinha, tirou bem devagar passando pelas pernas, deu um tempinho em pé mostrando a xana lisinha, passou levemente a mão sobre ela e sentou. continua.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos