Aconteceu!

Autor

Dia destes um amigo meu que trabalha para um desses projetos sociais de crianças pobres, mais precisamente guris, pois eles têm um time de futebol só de guris carentes, me convidou para ajudar num evento que eles fariam para arrecadar fundos para comprar calçados e roupas quentes para os garotos pois estava chegando o inverno, como a mulher está viajando, foi para o Paraná visitar uns parentes, eu estava sózinho, resolvi ir ajudar. Era um campinho no meio duma vila, e um galpão que eles diziam ser a sede, já meio velho, cheio de furos , janelas quebradas, mas tinha armários, tinha fogão, mesa, bancos.Eu fiquei encarregado da comida, enquanto eles faziam um torneio com a gurizada. Estou lá dando uma ajeitada nas coisas, improvisando alguns materiais para fazer a comida quando entra um gurizinho magro, sardentinho, com um ar meio triste, me disse oi tio, o senhor quer que eu lhe ajude, quero falei, ele me deu uma mão para ajeitar umas coisas, perguntei se ele estava com fome, ele disse que sim, servi um café que eu tinha levado numa térmica, fiz um sanduiche e dei para ele, ele comeu faceiro e ficou por ali me ajudando, me contou que não tinha pai, e que a mãe era faxineira, moravam num casebre, e as vezes eles não tinham comida. Quando fui embora, perguntei se ele não queria que eu levasse ele, assim eu ficaria sabendo onde ele morava, e ele prontamente foi comigo, realmente era um casebre num lugar meio brabo. Cumprimentei a mãe dele, dei tchau e fui embora, no outro dia eu fui num mercado comprei uma cesta básica com vários alimentos e a tarde levei para eles, foi uma festa. Convidei ele para ir na minha casa um dia destes, e a mãe dele disse que ele estudava de manhã, que uma tarde dessas podia ser, como eu estava de folga na quinta feira, a tarde fui lá e busquei ele, como era um dia frio, liguei o ar quente, mandei ele sentar no sofá, liguei a tv, mandei ele procurar o que quisesse, ele achou um desenho, fui na cosinha fiz uma pipoca com chocolate, sentei ao lado dele e ficamos comendo pipoca e olhando desenho. De repente ele chega mais para perto de mim, se escora bem em mim, e deita a cabecinha no meu ombro, olhei para ele , ele me olhou e sorriu, dali a pouco senti a mão dele em cima do meu pau, olhei para ele mas ele não me olhou, fiquei na minha, dali a pouco ele apalpa meu pau por cima da roupa, olhei para ele de novo, e ele nem aí, aí eu perguntei quer que eu ponha ele para fora, ele só balançou a cabeça, tirei para fora e ele disse que pauzão, eu disse tu nunca tinha visto um assim, ele disse só vi do Beto lá do projeto, mas ele tem 14 anos e é bem menor, ele começou uma punhetinha no meu pau, e eu comecei a fazer carinhos nele, dei uns beijinhos, apalpei a bundinha dele, e ele quietinho, convidei ele vamos lá para a cama e ele foi, tirei minha roupa deitei de barriga para cima, a piça velha dura que era uma pedra, ele beijou a piça tirou a roupinha e deitou em cima de mim, ajeitou meu pau no meio das perninhas e ficou fodendo com as coxas minha piça, comecei a beijar ele na boquinha, na orelhinha, no pescoço, aí perguntei se ele deixava eu foder a bundinha, ele disse que deixava mas tinha medo que eu machucasse pois meu pau era grande, eu disse deixa que eu faço com jeitinho, deitei ele de bruços, peguei um creme para as mãos lambuzei bem o cusinho, deitei em cima, encaixei a cabeça na entradinha, me agarrei bem nele, fiquei bem firme, e empurrei, as preguinhas foram laceando e a cabeça encaixou dentro, ele gemeu, choromingou, mas eu não parei, empurrei até as bolas trancarem na bundinha, dei uma paradinha, perguntei se estava doendo, ele disse só um pouquinho, perguntei ta gostoso, ele disse tá, aquilo foi o sinal para eu começar uma foda gostosa, bem ritmada, tirava e botava lentamente, empurrava até o fim, e ele gemia gostoso, quando vi que ia gozar me agarrei bem nele soquei o que deu, e enchi ele de beijos de caricias, e palavras doces. Ficamos agarradinhos, não tirei de dentro, ficamos conversando, nos acariciando, não saí de cima, nem tirei o pau de dentro, lá pelas tantas o pau começou a crescer de novo, ele disse que gostoso tá inchando dentro de mim, dei outra foda bem lenta, bem gostosa, acho que ficamos uma meia hora fodendo, quando gozei foi uma prazer só,não sei da onde tinha tanto leite. Levantamos levei ele no vaso para botar a porra para fora, depois ele tomou um banho, eu também, fiz um cafezão para nós, e mais tarde levei ele para casa, dei mais um monte de coisas para ele levar. Agora a mulher voltou, to louco para pegar ele de novo, mas tenho de arrumar um lugar, mas com certeza eu vou dar um jeito.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,11 de 38 votos)
Loading...