,

A cunhada deu a dica

Há 2 anos 4 ★ 4.67

Meu nome é Rogério, tinha 19 anos, minha namorada Eva tinha 16 anos, e sua irmã Carla tinha 18 anos, que tinha um namorado. Eu sempre falava que queria comer o cu da namorada, que tinha medo e não dava. Eu e a cunhada nos dávamos muito bem, gostava da namorada, mas não tinha como não notar as curvas da cunhada, que eram mais perfeitas. Minha namorada não tinha ciúmes da irmã, então fazia Carla sentar no meu colo, e as mãos descansavam nas suas coxas, ainda mais que ela adorava usar short. Carla sentava automaticamente no meu colo, mesmo na frente da irmã. Minhas mãos eram intimas de suas coxas, Carla nunca reclamou das minhas mãos nas suas coxas. Eu sempre querendo o cuzinho da Eva, sem sucesso algum. Eva disse que ia falar pra sua irmã, o que eu queria comer o cuzinho dela. Disse que não era pra falar nada, somente pra nós dois não passar vergonha na frente da cunhada. Minha namorada achava que eu ira desistir de querer sua bundinha depois de saber. Mais de mês desta nossa conversa, quando encontrei minha cunhada novamente, ela antes de sentar em meu colo, disse que não era pra eu comer o cuzinho dela. Sorte que ela estava sentada de costas pra mim, pra não ver a cara de vergonha que estava. Eu disse que queria só o cuzinho da Eva. E Carla me confessou que seu namorado nunca pediu para comer seu cuzinho. Como o assunto era este, perguntei se ela já havia dado o cu para alguém. Carla sorriu e disse que não, então perguntei se ela tinha vontade. No que ela me respondeu que achava que não. E perguntou como eu fazia quando comia um cu. Querendo passar experiência, disse que era igual a comer uma bucetinha, tinha que fazer um pouco de carinho antes. Nisso meu pau estava duro em baixo da sua bunda, e ela me disse que ainda bem que ela estava de short, porque estava sentindo meu pau em suas nádegas. Fiz ela levantar pra eu arrumar meu pau, e ela sentou novamente, disse que ia dar uma esfregadinha pra ver se sentia meu pau, respondeu que eu tinha escondido bem e não estava percebendo mais o pau. Informei ela para não fazer mais isso, porque assim o pau não ia amolecer mais. Passou muitos dias até revê-la, e ela perguntou se já tinha conseguido comer o cuzinho da sua irmã. Disse que estava difícil de convencer ela e também perguntei se ela tinha dado para seu namorado. Quando ela me respondeu que ele não pedia, vi uma possibilidade de ter mais sucesso com a cunhada. Um dia falei para ela que na outra noite após nossa conversa, tinha sonhado que estava comendo o cuzinho dela. Disse que tinha uma ideia para nós dois, um ajudava o outro, mas que ela podia não aceitar. Que eu podia comer ela e deixaria de pedir para sua irmã, se ela não gostasse, eu não ia insistir. Deixa eu fazer só um carinho então, se tu gostar nós vamos em frente. Enquanto sua irmã não aparecia ela deixou eu passar o dedo de leve no seu cuzinho, perguntei o que tinha achado. Ela respondeu que até ali tinha gostado, disse que seu short estava dificultando o movimento dos meus dedos. Ela saiu e disse que já voltava, foi ao banheiro e tirou a calcinha, coloquei o dedo novamente e pude abusar do seu cuzinho. Disse que ia pra casa, porque ali seria muito perigoso sua irmã nos flagrar neste arreto, e ia esperar por ela em casa. Como ela sempre ia lá em casa sua irmã não ia desconfiar de nada. Passou uns 30 ou 40 min e ela veio e buscar para tomar café com elas. Mas antes de sair pude acariciar bem seu cuzinho, que ela estava adorando minha bolinada no cu. Fiquei alisando ele por vários dias até ela ter coragem de dar pra mim. Ela veio a minha casa me buscar a pedido da sua irmã. E parti pro tudo ou nada, ela ficou com um pouco de medo na hora, mas não deixei ela desistir. Passei o pau em sua bunda e na bucetinha pra lubrificar a penetração. Tudo pronto, iniciei a estocada, o cuzinho estava sendo hospitaleiro com meu pau, e entrou com alguns gemidos. Muito de mansinho, entrava e saia, acelerei até ela suportar, gozei muito rápido, devido meu enorme desejo de comer um cuzinho. E pra não machucar fui tirando de vagar. A camisinha sai destruída, o gozo tinha ficado dentro dela, não deixei ela perceber o estado da camisinha e fomos até a namorada. Conversávamos só por telefone, onde ela dizia que ardeu um pouco, mas ela gostaria de repetir. Em outra ocasião, fiz ela fazer uma siririca enquanto eu comia seu cuzinho, ela estava gostando cada vez mais. Ela mesma me procurava pra come-la, nos encontrávamos sempre antes de encontrar a namorada. Quando a cunhada sentava no colo, pedia para eu colocar o pau para ela sentir na bundinha. Nunca pensei um dia ter que pedir para não comer o cuzinho dela, estava ficando muito perigoso. Ela ficou chateada mas entendeu, não queria magoar sua irmã, e nem eu. Nunca consegui comer o cuzinho da namorada, mas o da cunhada que era mais gostosa, fiz uma festa com o rabinho dela.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 3 votos)
Loading...

,

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Carlos

    Rapaz, sou afim de comer minha cunhada, ela é divorciada eu o cara só casou fez um filho e deixou ela, parece que ele é homossexual, pois ela conta pra irmão que foram poucas vezes que eles transvazaram, ele sempre trabalhando e tal, vez por outra ela passa uns meses aqui em casa, vou investir de leve, e ela nunca mais arrumou namorado….

  2. André

    Novinhas safadas e putonas que gostem de uma rola no rabo me xamem no wats. Tenho pau grosso e cabecudo 11-97641-2640

  3. 20cm

    21991665756

  4. correa

    Parabéns adorei seu conto fiquei com muitíssimo tesão me chama no wat 12981959266.Gostaria de manter contato com casais e casadas. Sigilo absoluto