Menina da Padaria

Este é meu primeiro conto neste site, e vou narrar o que aconteceu comigo já fazem alguns anos, e até hoje sinto saudades daquele tempo.
Eu sou advogado, formado em SC. Havia vindo para SP para ser sócio em um escritório de um colega.
Aluguei um apartamento na zona oeste de SP.
Estava aqui há poucos meses, quando em uma 6ª feira choveu muito na cidade, e o transito que já é ruim, ficou travado.
Ainda não existia o waze para me salvar.
Tive que fazer caminhos alternativos. Depois de algumas horas, eu parei em uma padaria para comprar cigarros. Logo que parei uma menina veio até mim, e me perguntou se podia ficar cuidando do meu carro. Respondi que sim, e puxei conversa com ela..
Ela estava usando apenas uma bermuda e uma camiseta, e calçava chinelos. Ela era magra, branca e cabelos curtos. Como estava um pouco molhada, não pude deixar de notar que a camiseta branca estava colada ao corpo. A menina não tinha seios, apenas um biquinho, parecendo uma uvinha pequena.
Entrei na padaria e comprei meu cigarro, aproveitei e comprei alguns chocolates para ela.
Voltei para o carro, e ela estava encostada me esperando.
Sorri e perguntei se ela queria entrar, pois a chuva estava voltando a ficar forte.
Ela aceitou. Ficamos ali mesmo conversando amenidades, perguntei o nome, onde morava, como estava na escola, se tinha irmãos… estas coisas.
Passados uns 10 minutos, eu disse que estava com fome, e queria ir para casa, pois iria pedir uma pizza. Perguntei se ela queria me acompanhar, pois moro sozinho e seria legal ter alguém para dividir a pizza. Achei que ela fosse recusar, mas aceitou. Apenas me disse que tinha que voltar logo.
Assim que chegamos em casa, eu pedi a pizza e ficamos esperando. Enquanto isto perguntei se ela gostava de vídeo game. Ela respondeu que sim, mas não sabia jogar muito, afinal ela não tinha este aparelho.
Liguei e coloquei um jogo infantil.
Ensinei para ela como jogar e ficamos sentados na minha cama. Eu fiquei atrás dela e lentamente comecei passar as mãos pelo seu corpinho. Primeiro pernas, depois costas, barriga até chegar nos inexistentes seios. Massageei os biquinhos com muito carinho.
Notei que ela não se importava com estas passadas de mão. Criei coragem e fui descendo até chegar próximo da bocetinha. Dei uma leve passada de mão, percebi que ela teve um leve arrepio.
Em certo momento, ela perdeu no jogo e perguntou se tinha outro joguinho. Expliquei que sim, e ensinei ela a trocar de CD.
Enquanto estava carregando o jogo, eu puxei ela, fazendo-a deitar, e dei alguns beijinhos no rosto. Beijeis na bochecha, depois testa, nariz e finalmente dei um selinho na boquinha.
Ela em momento algum recusou meus carinhos, com isto fui ficando mais ousado. Ela voltou para o jogo, e eu continuei a passar a mão. Agora por baixo da camiseta.
Como ela ainda estava molhada, eu pedi para ela tirar. Ela fez uma carinha de recusa, mas não falou nada. Tomei a iniciativa de ajudá-la.
Que delicia, lisinha e com um biquinho pedindo para ser chupado. Fiz tudo com muito carinho.
Lentamente fui passando a mão por sua barriga e descendo, cheguei abaixo do umbigo e fui tentando colocar dentro da bermuda. Cheguei a tocar sua vagina, mas neste ponto ela segurou minha mão e disse: “aqui não”.
Voltei para os seios.
Quando ela perdeu o jogo, eu a puxei para deitar novamente, e a beijei. Primeiro um selinho, depois pedi para ela beijar direito, e expliquei: de língua.
Fiquei com os selinhos e passei a linha nos seus lábios. Aos poucos ela foi cedendo e abrindo a boca. Quase morri de tesão com aquilo. Uma menina ainda, e eu já beijando assim.
Ficamos mais de 1 min. nos beijando, quando voltei a tentar tocar sua boceta. Ela até deixou um pouco, mas logo me pediu para parar. Tirei a mão. E ela voltou para o jogo.
Meu pau já estava todo melado, até doeu de tão duro que estava.
Criei coragem, e disse o que eu queria fazer: Beijar e apontei o local: a boceta.
Ela colocou a mão e falou: Aqui
Respondi sim. E falei: se você deixar, vou te dar R$ 50,00.
Ela falou: Você fala que vai dar, mas depois eu não ver ver a cor do dinheiro.
Peguei a carteira e dei na mão dela o dinheiro.
Com o dinheiro na mão, eu a puxei para deitar novamente, e fui passando a mão, agora dentro da bermuda. Ela estava sem calcinha.
Fiquei na beirada da cama, e com as duas mãos abaixei a bermuda e vi sua linda xaninha. Lisinha, sem nem sinal de pêlos, apenas a raxinha.
Lambi um pouco, e logo meti minha língua. Sugava com força e passa a língua por toda bocetinha. Um cheirinho de xixi, e um leve gosto de azedinho, que amo sentir. Um sabor ímpar que só quem já sentiu, sabe como é bom.
Passados uns 5 minutos, a bocetinha rosinha, já estava toda vermelhinha. E ela me pediu para parar.
Perguntei se ela queria tomar um banho para se aquecer, já estava frio.
Ela aceitou.
Eu liguei o chuveiro para ela. Mostrei onde estava o xampu e o sabonete. Peguei uma toalha.
A pizza chegou, fui atender a porta e pegar a pizza.
Coloquei na mesa e fui secá-la.
Com muito carinho e beijos por todo o corpo eu a sequei.
Dei uma camiseta minha para ela vestir.
Abri um vinho e perguntei se ela queria provar. Ela só balançou a cabeça que sim.
Ela tomou meio copo, e comeu 2 pedaços de pizza.
Perguntei se ela podia ficar mais um pouco comigo, afinal ainda eram 20:30 hs.
A resposta foi sim.
Peguei uma caixa de bombons e dei para ela. Ficamos na sala. Peguei um edredom e nos cobrimos. Agora ela já me beijava melhor.
Sua boceta estava livre, já que ela vestia apenas minha camiseta.
Sob o edredom, tirei minha roupa.
Peguei sua mão e coloquei no meu pau. Ela segurou. Segurando sua mão, fiz movimento da punheta. Fiz umas 5 vezes e tirei minha mão. Ela continuou com os movimentos.
Lentamente eu a abracei e fui fazendo-a deitar no sofá. Ela não reagiu, apenas seguia meus movimentos.
Tirei meu pau da sua mão e encostei na entradinha da xaninha. Senti seu calor vaginal no meu pau. Fiz movimentos para cima e para baixo.
Ela me pediu para parar, pois tinha medo de doer.
Pedi para ela deixar mais um pouco, e disse que iria ficar apenas passando daquela forma, sem forçar para dentro. Apenas por fora mesmo.
Fiquei alguns minutos assim, quando com muito tesão eu gosei por fora mesmo. Saiu muita porra e ela ficou toda melecada. Limpei com o edredom, e me deite do seu lado.
Depois ela me pediu para levá-la de volta.
Levei ela para o banheiro, liguei o chuveiro e a puxei para tomar banho comigo.
Meu pau endureceu novamente.
Coloquei sua mão para me punherar, enquanto nos beijávamos.
Pedi para ela dar um beijinho. Ela fez carinha de nojo, mas insisti que este seria um sonho para mim. Ela se abaixou e deu um beijinho. Pedi para chupar… ela colocou a cabeça do pau na boca e ficou assim por apenas alguns segundos e tirou. Me contentei com isto, achei que para o primeiro dia estava ótimo.
Sem eu pedir ela voltou a punhetar até eu gosar na sua mão.
Depois ela pediu para ir embora.
Dei mais R$ 50,00 e falei que queria vê-la no dia seguinte.
Ela falou que tudo bem, e combinamos de nos encontrar ao lado da padaria.
No sábado as 15:00 hs lá estava eu com ela novamente… mas conto depois.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,67 de 3 votos)
Loading...