# # # #

O Adestramento de Felipe – parte 2

1468 palavras | 13 |3.92
Por

como vocês sabem, no ultimo conto dei inicio ao adestramento da minha nova puta, hoje vamos para mais uma lição.

Para quem não sabe, Sr. Z é um homem rico envolvido na indústria pornográfica, ele é rico e sue hobbie é educar criancinhas para servirem como putinhas que são. No ultimo conto Sr. Z deu inicio ao adestramento de Felipe, um jovem garotinho da favela, marrento, moreninho, e brigão, de 7 anos, ensinando boas maneiras aquele viadinho sobre como obedecer a um macho de verdade, Sr. Z forçou o puto e engolir seu pau enorme, e a engolir o próprio vomito, além de socar os dedos no rabo desse garotinho, e agora ele esta pronto para dar mais algumas lições.

No ultimo conto, Felipe terminou engolindo o próprio vomito porque não aguentou toda a pika do seu novo dono na garganta, e como punição Sr. Z pegou um de seus brinquedos, um pau enorme de borracha, tinha 19cm, e atolou na garganta daquele viadinho, colando com fita adesiva para que o puto não pudesse cuspir. Além disso, também algemou o Felipe, para que não pudesse fazer nada, a não ser sentir aquele pau enorme em sua garganta e se acostumar com ele, e assim o putinho passou a noite, sentado, algemado, e se engasgando sozinho. No dia seguinte o Sr. Z retirou aquele pau enorme da garganta de Felipe, e desalgemou o putinho, e ali houve o primeiro sinal que o adestramento estava dando certo, o putinho abraçou o Sr. Z, e disse “por favor senhor, não me puna mais, eu vou te obedecer”, para um sádico como o Sr. Z isso era como ouvir musica, era tudo que ele queria, que aquele viadinho obedecesse, e fosse leal a ele, mas esse era um momento delicado, se o Sr. Z fizesse algo muito forte talvez o puto mudasse de ideia e não quisesse mais obedecer, e se fosse muito amoroso o puto não iria ser uma putinha obediente no futuro e aguentar tudo que seu dono quisesse, então Sr. Z optou por uma decisão mais tranquila, ele decidiu no começo apenas brincar com aquele corpinho, colocou o Felipe na cama e pegou um óleo de massagear, e começou a brincar com aquele corpo, passou suas mãos na barriga sarada do garotinho, passou em seus peitos, apertou os mamilos, apertou seu pescoço, e ali Sr. Z percebeu outro sinal que o adestramento estava dando certo, o viado ficou de pau duro, e Sr. Z não polpou tempo, logo desceu com suas mãos até o piruzinho de Felipe, começou a massagear, e o garotinho começou a ficar com tesão, não demorou muito para ser punhetado pelo seu dono, estava ofegando de prazer, até que Sr. Z desce um pouco mais seus dedos, tocando o cuzinho de Felipe, que agora não apresentava resistência, e de repente socou de uma vez dois dedos no rabo daquele putinho, ele fez cara de choro na hora, e o tesão havia passado, Felipe estava sentindo muito tesão e de um minuto para o outro sentindo muita dor, e é pra ser assim, pra esse viado associar a dor com o prazer.

Sr. Z: você estava gostando da massagem né meu putinho…

Felipe: ai ai ai… sim senhor…..

Sr. Z: e ta gostando agora, dos meus dedos no seu rabo?

Felipe: ta doendo muito (chora)…. por favor, brinque comigo de outra forma

ao ouvir isso Sr. Z deu um forte tapa no rosto de Felipe, e diz “sua vagabunda, você esta aqui pra me servir esqueceu? eu vou fazer oque eu quiser, quando quiser”, o puto apenas obedeceu, segurando a dor daqueles dedos afundando em seu rabo infantil, e nem esperava pelo segundo tapa, mais forte que o primeiro, em seu rosto, Sr. Z continuou dizendo:

Sr. Z: ta doendo sentir meus dedos no seu rabo? é pra você gostar, peça para por mais dedos

Felipe: mas…mas senhor… eu

Sr. Z: (da um terceiro tapa no rosto de Felipe), PEÇA AGORA SUA PUTA

Felipe: (chorando) sim senhor, por favor, soque mais dedos no meu cuzinho

Assim, Sr. Z coloca Felipe de quatro, e pede para que ele empine a bunda, o garoto não sabia como fazer, então o proprio Sr. Z ensinou a posição, e o putinho obedeceu. Assim, Sr. Z passa lubrificante em sua mão e começa a socar 3 dedos no cuzinho daquele pirralho, tão magrinho, marrentinho, aquele menino briguento da favela não existia mais, agora era uma puta, uma garotinha, mansa, aguentando ter seu cuzinho rasgado pelo seu mestre. Para aguentar a dor Felipe mordeu a coberta da cama, e Sr. Z continuou afundando os dedos no rabo daquele puto, foi socando um por um, até que havia colocado 5 dedos no rabo do puto, cada dedo que o Sr. Z colocava o putinho gritava mais, com o grito tampado pela coberta, mas Sr, Z precisava se controlar, ele não podia nesse momento por sua mão no rabinho daquele putinho, nem o braço, não podia fazer algo muito extremo justamente quando o puto decide colaborar e ser submisso, Sr. Z precisa roubar a confiança daquele viado, precisa que ele se torne menos resistente, se fizer algo extremo agora talvez o puto sempre fique resistindo ao estupro, então tirou os dedos do rabo daquele garotinho e perguntou como ele se sentia, Felipe respondeu “meu senhor, doeu muito, mas sou sua propriedade, faça oque quiser”, Sr. Z gostou tanto dessa resposta que decidiu alegrar aquela putinha, decidiu dar para ele um dia especial, então ele tirou sua calça e seu enorme pau, e disse “muito bem, me diga se isso é melhor ou pior que meus dedos”, e socou o pau no cuzinho infantil de Felipe, que dessa vez quase implorou por pika, o putinho disse “senhor, é muito melhor, muito obrigado”, estava nitido que o puto ainda sentia dor, as lagrimas nunca paravam de descer, mesmo que ele tentasse esconder a dor, e era isso que Sr. Z queria, ele devia sentir dor, mas devia agradecer por ser estuprado, e assim naquele dia Felipe teve seu cuzinho penetrado por um macho, ele tentava esconder seus gritos na coberta, mas era em vão, mas Sr. Z não gostava disso, então mudou de posição, colocou o Felipe de barriga pra cima, em posição de frango, e atolou o pau de uma vez no rabinho daquela propriedade, o garoto dessa vez não conseguiu esconder seus gritos, e no primeiro grito levou um tapão em seu rosto, Sr. Z cuspiu em sua boca e tampou com a mão, dizendo “não chore, não chore viadinho, você queria pika, agora é seu dever aguentar feliz”, o putinho apenas fazia um rosto forçado de alegria, enquanto engolia o choro e o grito, gemendo um gemido de desconforto, aquele pau devia estar em seu intestino. Sr. Z continuou com uma mão no rosto de Felipe, que delicia era dar tapas no rosto daquele puto, passar o dedo em seus lábios infantis, apertar sua boca para não gemer, transaram por meia hora, até que Sr. Z sentiu vontade de gozar, nessa hora ele colocou suas duas mãos no pescoço de Felipe, que começou a ficar sem ar, o putinho começou a se debater com o pau do seu dono no rabo, e começou a ficar roxo, Sr. Z adorava aquela mudança de cor, então o garoto desmaiou, rapidamente Sr. Z subiu no peito daquele puto, e colocou o seu pau no rosto de Felipe, abrindo sua boca com os dedos e socando o pau dentro, enquanto o garotinho recuperava sua consciência, ia se engasgando com o pau do seu dono na garganta, até que teve sua boca preenchida pelo leite do seu mestre, era muito, Felipe se engasgou mas engoliu, e quando recuperou a consciência toda até começou a chupar por sua propria vontade, ele mesmo engoliu o pau inteiro do seu mestre. Naquele dia o putinho havia se comportado tão bem, que Sr. Z lhe deu uma recompensa, levou ele para tomar banho, escovar os dentes, comer em restaurantes, e até comprar brinquedos novos, e foi ai que outro sinal do adestramento apareceu, Felipe mesmo liberto de seu cativeiro e andando com na rua, não tentava fugir, denunciar, ou correr, ele continuava ali, ao lado do seu amoroso dono, sem perceber Felipe ja tinha uma coleira em seu pescoço, invisível, mas ele ja estava se tornando um putinho adestrado.

* a historia de Felipe ainda não acabou, ele precisa aguentar muita coisa ainda para ser uma puta perfeita

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,92 de 25 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

13 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Peerv ID:1cqi7khrmhfj

    Eai, quero conversar cntg, me chama no tel, conto perfeito. @Radahn6

  • Responder Novinho ms ID:1cqi7khrmhfj

    Sou do ms, queria um sadico de vdd que nem vc, tenho 16 anos, amaria ser usado assim, sou virgem

  • Responder Mr. Cruel ID:1cqi7khrmhfj

    Ola, amei o conto, quero conversar com vc sobre sadismo e perversão, chama no tele ai @Radahn6

  • Responder no mercy ID:1d3z6u8i7tw1

    continua por favor

  • Responder NoMad ID:xe2tj144

    Continua, tô adorando! Tel @noyesmad

  • Responder Mamãe Putinha ID:g62bi9b0i

    Meu Sonho sempre foi ser adestrada mais nunca consegui..

  • Responder @Seceol ID:sf5mg7x7tna

    Tesão por macho safado e tarado que une incesto, estupro e faixa maxima de pré teen pra ser mais perfeito…. Ou o q pejorativamente é entendido assim como perversão as necessidades sexuais de um macho.

    • Ano ID:469crjpj8rk

      Deixa mais violento com,animais pau de cavalo ,põe bebes na história

  • Responder viadinho de Curitiba ID:1ea6x9pdlbpp

    tesão de mais, mal posso esperar pelos próximos capítulos

    • Mestre ID:16e8gb5ipteb

      É de onde de Curitiba?

  • Responder Pedro sub ID:81rd8esfib

    Affff..que delicia!!
    Minha Dona me adentrou direitinho, mas se algum Sr.Z quiser me adestrar novamente, ela disse que me empresta por uma semana!! Disse que pode usar meu corpinho à vontade, queimar com velas e cigarros, me espancar com chicotes, palmatórias,etc. Usar minha boca e meu cuzinho como tiverem vontade e me humilhar muito, me fazendo de cadelinha com coleira, guia e plug anal com rabinho, me fazer desfilar usando calcinhas, sutiãs e biquininhos com salto alto…e usar minha boca pra mijar e minha língua para lamber o chão e privadas sujas de mijo e porra!!!

    • Pedro sub ID:81rd8esfib

      *Minha Dona me adestrou direitinho…

    • ㅤ҉Noah ID:1eonb2otnm3i

      Se alguém te chamar me convide 💁