# # # #

Minha namoradinha foi deflorada por 2 moleques negros em um terreno abandonado

1635 palavras | 4 |3.65
Por

Meu primeiro contato com sexo, assisti minha namoradinha ser abusada por dois moleques.

Quando eu tinha por volta de 10 anos aconteceu algo um tanto traumático em minha vida, mais precisamente na vida de minha primeira namoradinha. Eu sou de família bastante religiosa e costumeiramente frequentava a igreja para ensaios do nosso coral. Eu tinha uma amiguinha (namorada platônica) filha de um casal evangélico (da mesma igreja) de meus pais. Débora era uma garota da mesma idade que eu (ou um pouco mais novo), muito lindinha, cabelos lisos até o bumbum, mais baixa que eu, porém com as coxas grossinhas e cintura fina, era um tanto tímida daquelas garotas muito inocente.
Como nossas mães eram amigas e eu não tinha maldade alguma, muito menos sabia de coisas além de pegar na mão (para mim já era algo de muito afeto) os pais de Débora não viam problema dela andar comigo; por isso vez ou outra ia somente nós dois a tarde para igreja ensaiar os hinos.
Apesar de eu ser evangélico e meus pais lutar para eu não ter contato com os garotos de rua, vez ou outra eu encontrava o Dinho, um menino de uns 12 anos, negro, que vivia pelas ruas correndo atrás de pipas. Eu colecionava cartões de desenho e ele, que tinha contato com muito outros garotos vez ou outra encontrava alguns para me vender. Dinho tinha um irmão mais velho que ele (16 anos), hoje sei que era usuário de drogas. Tanto meus pais quanto os pais de Débora não tolerava contato com esses meninos e na época eu não entendia o porquê.
Certo dia eu fui buscar a Débora para o ensaio logo após o almoço, no caminho encontro o Dinho que me disse:
– Jhonatan, eu tenho uns cartões para trocar contigo. Quando tu voltar me encontra lá naquele terreno da casa em construção.
Era um terreno tipo abandonado com muito capim e uma estrutura de casa não construída totalmente. O irmão do Dinho utilizava o local para ficar por lá. Neste dia, o ensaio terminou bem mais cedo e eu e Débora voltamos pela rua daquela casa abandonada. Logo Dinho me chamou para entrar lá, Débora ficou meio receiosa em entrar, mas como confiava em mim foi junto… Abrimos a capim que estava alto, logo chegamos a estrutura as casa. Dinho ficou me mostrando as figuras quando ouvimos um barulho vindo dos fundos… Era o irmão do Dinho, só de short, falou com a gente. Ficamos meio assustados mas o garoto nos tranquilizou dizendo que estava tudo bem. Após a gente ficar mais tranquilo o irmão do Dinho perguntou a Débora se ela queria ver uns filhotinhos de pássaros (garrincha) ela de pronto ficou curiosa e eu e Dinho continuamos contando nossas cartas. Ficamos ouvindo eles conversando, ela curiosa… Tempos depois eles pararam de conversar. Dinho que já tinha malícia e sabia o que seu irmão queria disse:
– Vamos ficar escondidos vendo o que eles vão fazer?
Fomos caladinhos e ficamos escondidos olhando do canto da janela. Ele falava algo baixinho pra ela e ela ficava tipo mordendo as unhas, indecisa… Ele falava mais alguma coisa e se aproximava do rosto dela, cheirava seu pescoço… ela que era bem mais baixa que ele, ficou sobre o batente mais alto de modo que ficava na altura dele. Ele então começa a pegar na cintura dela, pega no bumbum… Encosta o corpo no dela. Encaixa a região da sua jemba na altura da ppk da menina, como estava de short mole já se via o volume. Ficou apertando a região na dela e falando algo no ouvido dela… Depois se afastou… Abaixou o short e surgiu um pênis igual o de um adulto, os testículos flácidos e com os fios (pelos) compridos… Tanto Débora quando a gente ficamos admirados. Deu pra ouvir ele dizendo – chupa!.
Ela ajeitou os longos cabelos lisos atrás da orelha e agachou e … Ficou chupando na haste do pau enorme do moleque, e ele olhando aquilo… Eu e Dinho ficamos olhando… Daí ele tocou na cabeça da pica e ela olhou para ele… Ele baixou o courinho e tinha um pouco de massinha amarela. Ela ficou meio que com nojo, mas ele segurou na cabeça dela e falou para ela abrir a boca… Então colocou e disse:
– Chupa essa rôla como se fosse uma chupeta
Ela assim fez, dava pra ouvir o som da mamada. Ficaram assim um bom tempo. Até ele pedir para ela voltar para o batente. Então subiu a saia jeans (ela usava uma saia jeans acima do joelho) depois falou para ela segurar a saía levantada, então foi baixando a calcinha da menina… Ela tinha as coxinhas grossas e sua ppk era bem inchada, lisa sem nenhum pelo… O pau do moleque latejava de duro…
Ele passou o dedo sobre a racha dela, ficou massageando o clitóris dela. Lhe deu um beijo… Pegou seu pau, punhetou um pouco e falou para ela abrir o priquito usando suas mãos, ela assim o fez. Ele então veio com a vara e triscou a cabeça bem na entrada… Ficou fazendo movimentos de vai e vem… Beijando ela. Mas como o pau dele era enorme para a rachinha dela, não dava para entrar.
Então, depois de um tempo ele cochichou algo no ouvido dela, depois gritou:
– Dinho! Da um pulinho aqui, deixa seu amigo aí olhando as cartas.
Tomamos um susto. Dinho me falou pra eu ficar ek silêncio que ele ia lá. Demorou para dá o tempo, daí chegou lá.
Débora já tinha colocado a roupa de volta. Mas o irmão do garoto falou:
– Essa rapariguinha tá querendo que tu descabace ela. Abre a buceta dela aí pra mim.
Ela só abaixou a cabeça. Dinho baixou o short e seu pau já tinha uns 12 cm, fiquei besta de ver, como ele tinha um pau tão grande nessa idade. Estava duro. A menina se abaixou e chupou o pauzão dele até ficar muito duro, depois baixou a calcinha. O irmão do Dinho subiu ela em uma pilha de tábuas, deitou ela, de modo que sua ppk ficava na altura da cintura do Dinho… Como ela estava sem calcinha, abaixo de sua saía estava sua borboletinha frente a frente a vara do menino. Dinho então tocou na perseguida dela, abriu um pouco… Enquanto isso o irmão dele falou:
– Enquanto tu vai abrindo ela aí, ela vai me chupando. Quero que ela lembre toda a vida como foi desonrada, recebendo vara de um e chupando outro.
Então colocou o pau na boca da menina. E Dinho que já estava com pressa tocou a cabecinha de seu pau bem no anelzinho (hímem) da Débora. Ela se encolheu um pouco. Mas o irmão dele ficou massageando a região do clitóris dela. Dinho foi dando estocadas curtas e lentas… Ganhando centímetro a centímetro… Logo a cabeça do pau entrou no furinho sem nem mesmo romper. Então ele enterrou toda a rola nela. Ela arregalou os olhos, largou a outra pica e olhou para ver…
Dinho tinha enterrado tudo, estava topado sua virilha na parte externa na minivagina dela.
– Pronto Débora. Agora tu é uma mulher. Está nas medidas do pau do Diego, (que tinha um pau maior ainda, uns 18 cm, além de ser grosso).
Ele demorou um pouco para ela se acostumar, depois foi fazendo o vai e vem. Retirava quase toda depois socava tudo de uma vez…Após alguns minutos assim se viu um pouco de sangue (seu hímem tinha sido rompido).
Fiquei olhando aquela cena… Minha namoradinha levando vara de um e chupando outro… Aí o irmão dele falou:
– Sai Dinho, quero regaçar ela ainda mais e gozar fundo nessa bucetinha virgem. O útero dela vai receber gala pela primeira vez.
Dinho tirou o pau e estava um pouco aberta a buceta da menina. Ele veio com seu pau enorme. Segurou nas coxinhas grossas dela, abriu um pouco os lábios vaginais dela, tocou a cabeça do pau. Mesmo após ela já ter sido aberta, ainda era muito grosso para o buraco. Ele pressionou e ela fazia cara de dor….
Ele viu que poderia arrebentar ela e que os pais poderiam notar, mas ele não estava nem ai.
Falou para ela guardar seguedo a todo custo e não deixar ninguém ver ela pelada. Então avisou que colocaria só a cabeça no hímem dela, pra ela aguentar. Empurrou até as laterias da buceta se abrir e aguentar a rola… Daí eu ví aquela cabeça dentro e ela assustada e desesperada.
Ele foi socando cada vez mais forte, já estava quase chegando no fim da sua rola, mas parecia que não ia mais de jeito nenhum, acho que já tinha chegado no útero dela.
Ela falou aguenta só mais um pouco putinha.
Ele fez alguns movimentos e deu uma estocada final até o fim e gemeu… Estava gozando dentro dela, enchendo seu útero de esperma quente. Pegou na haste para deixar tudo dentro. Logo que tirou o pau, colocou a mão tapando a buceta dela para não sair o esperma. Vestiu a calcinha dela, colocou a saía, desceu ela da mesa…
Eu corri lá para a sala da frente e logo em seguida ela apareceu desconfiada… Fomos para casa, no caminho perguntei porque ela estava caminhando devagar e ela disse que tinha se machucado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,65 de 49 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Maria José ID:1v7d4dm4

    MUITO BOM

  • Responder Akira23cm ID:44oekdirk09

    Ela ficou grávida depois disso?

  • Responder Doidao ID:wc564tv4

    Continua

    • Komedor de casada ID:8eez8enpqj

      Comer um cabaço é bom demais…aconteceu no ano de 1997(flm)vou chamar assim,estaca pr completa 32a eu com 31a,após 6mse meio de namoro ao final da década de 80(f l m)ex namorada me procurou para completar aquilo que não 🙈 aconteceu no tempo de namoro,se pediu pr tirar a virgindade dela,fomos prum motel e na primeira vez sem sucesso…gozei 2x na bct dela se penetra,na segunda vez fomos a primeira tentativa nada de entrar gozei mas ao gozar usei a porra como lubrificante e comecei a pincelar a entrada da bct mas entrou até o talo,os meus 21cm,ela deu um gritinh bem de leve,sua bct contraiu sem querer apertou me o pau e deu aquela famosa mordida,nossa wue que 😋 gostoso n aguentei mas dei uma gozada tão gde que parecia que eu tava mijando…neste tempo eu tava namorando,tava noivo(de set/97 a ago/2000 eu comi a ex namorada e a atual)…depois eu conto sobre a 2°mulher casada que eu comi…cont