#

Esperanza e Nelson – 2

3406 palavras | 0 |4.00
Por

Um aniversário em Sevilla, uma noite de loucura numa noite de lua nova.

Bom, quem leu a parte anterior, já sabe como me enamorei do meu marido, Nelson. Não vou escrever mais nada sobre isso, porque seria apenas repetir-me. Quem quiser descobrir pois que leia a primeira parte.
Nessa primeira parte, terminei-a escrevendo um pequeno resumo sobre a minha vida com o Nelson, agora irei aprofundar mais um pouco os acontecimentos.
Conheci o meu marido numa manhã de Domingo e nesse mesmo dia de madrugada estava a foder com ele na sala da casa dele. A nossa atração foi como quando se deita um fosforo aceso em pasto seco, pega imediatamente, e nem eu nem ele nos conseguíamos controlar, os nossos corpos pediam as carícias dadas pelo nosso parceiro. Eu desejava estar sempre toda nua, a foder com o Nelson, e ele a mesma coisa em relação a mim.
Passados apenas 5 meses de nos conhecermos estávamos a sair do Registro Civil, já casados. Apenas foram os meus pais e a Raquel como convidados, e a minha prima Elena como madrinha, e o amigo do Nelson, o Rui como padrinho.
Os meus pais conheceram o Nelson uns 10 dias antes do casamento, porque fomos a Sevilla para que eles o conhecessem.
A minha mãe fez-lhe uma verdadeira bateria de perguntas, e o pobre do Nelson, lá ia respondendo como podia, enquanto eu e o meu pai estávamos na varanda da casa, aproveitando o fresquinho do fim do dia:

– ESPERANZA…TENS MESMO A CERTEZA DE CASAR…ÉS TÃO NOVA…18 ANOS…
– PAI…ESTOU ENAMORADA. O NELSON É O HOMEM QUE EU QUERO PARA MIM, SOU FELIZ COM ELE.
– ESTÁ BEM…JÁ VI QUE ESTÁS MESMO APAIXONADA POR ESSE TIPO, MAS TAMBÉM SABES, QUE SERÁS SEMPRE A MINHA PRINCESA, E TERÁS SEMPRE AQUI O TEU QUARTO Á TUA ESPERA SE ASSIM QUISERES.
-EU SEI, PAPÁ…AMO-TE MUITO, MEU ALENTEJANO.
– E EU A TI, PRINCESA. AGORA DUVIDO É QUE ELE SOBREVIVA AO INTERROGATÓRIO DA TUA MADRE.
– LOL…COITADO JÁ ESTÁ A SUAR EM BICA, AHAHAH. MAS É MELHOR QUE SOFRA TUDO AGORA, NÃO É VERDADE?
– SIM… SABES EU TAMBÉM ESTIVE NO LUGAR DELE, SÓ QUE COMIGO FOI O TEU AVÔ QUEM O FEZ, COM UMA PISTOLA EM CIMA DA MESA E UMA FACA ENORME… NUNCA TIVE TANTO MEDO NA VIDA, LOL.
– COITADINHO DO MEU PAIZINHO…

O interrogatório durou quase uma hora, depois o Nelson, que a minha mãe quis saber tudo sobre ele, as famílias, se o emprego dele era certo…e que antes de acabar ela jurou-lhe que lhe cortava os colhões se ele me trata-se mal, LOL. Não duvidem ela fará isso mesmo se desconfiar que ele me trata mal.
Depois dias mais tarde casámo-nos.
O meu marido, como já expliquei ausenta-se muitas vezes de Lisboa, por causa do seu trabalho e eu nos primeiros tempos de casada, custava-me bastante a sua ausência. Faltava-me a presença dele na cama, para que pudesse saciar o meu corpo, que estava sempre a pedir para ser levado aos limites.
Eu andava sempre cheia de fogo na cona, só estava bem era a ser saciada pelo pau enorme do Nelson. Chegava a procurar ele cerca de 8 a 9 vezes por dia quando ele estava em casa. Ele também me procurava bastante, não era só eu.
Mas quando ele tinha que se ausentar mais do que 2 dias…eu ficava louca, esfregava a cona o dia quase todo, quer na escola quer no trabalho no hipermercado, passei a não usar soutien, e é um hábito que ainda hoje mantenho, deixo andar as minhas mamas enormes á vontade nas roupas que eu uso.
Cerca de mês e meio depois de me casar com o Nelson, ele teve de se ausentar uma semana inteira para Chaves, por causa de um projeto. Aguentei 2 dias…ao terceiro dia, apanhei um comboio para o Porto, depois um autocarro até Chaves, cheguei lá era quase hora do jantar, o Nelson estava hospedado numa pensão, ele dissera-me o nome, e eu fui ter a essa pensão. fiz-lhe uma surpresa.
Quando eu bati na porta do quarto dele e ele me viu, não foram ditas palavras, ele puxou-me para dentro do quarto, arrancámos as roupas dos nossos corpos, caímos em cima da cama, abri as pernas todas e ele penetrou-me com uma força quase animal…que bem me soube. Fodeu-me assim, eu deitada de costas na cama, agarrada á cabeceira da cama, que batia com força na parede, as minhas mamas enormes voavam para cima e para baixo, para a esquerda e para a direita, eu berrando com tesão e gritando para ele me foder com mais força.
E ele aos berros, chamando o meu nome, agarrado ás minhas mamas enormes, ordenhando-as, metendo o caralho todo nas minhas entranhas, até se esporrar dentro da minha cona.
Aí depois eu coloquei-me de 4 na cama…estava a oferecer-lhe agora o meu cu, eu fiquei viciada em sexo anal, adoro ser bem enrrabada, e o Nelson não foi de modas, chupou-me a cona, e meteu dentro da boca esporra dele misturada com fluídos meus, cuspiu no meu rego do cu, e depois abriu-me as nádegas, e cuspiu para o olho do meu cu e depois abriu ele e meteu a língua dentro do meu cu, e em seguida enrraba-me, metendo aquele colosso todo de seguida dentro do meu cu. Dei um berro enorme, acho que deve ter-se ouvido até no fundo da rua, LOL.
Mas não foi por isso que ele foi mais meigo comigo…ele sabe muito bem que eu gosto tanto de carícias como ser fodida com força, mas no cu quero sempre com muita força.
As minhas mamas enormes, pendidas para baixo, balançando para a frente e para trás, batendo-me na cara quando balançam para a frente e na minha barriga quando balançam para trás.
Depois eu cavalguei o caralho dele quer com a minha cona quer com o meu cu, enquanto ele mama e chupa as minhas mamas enormes ou as ordenha…até que caí exausta e saciada no peito dele, e ele abraça-me…e acaricia o meu cabelo.

– ÉS DOIDA ESPERANZA…APARECERES AQUI…
– NÃO AGUENTAVA MAIS UMA NOITE SOZINHA NA CAMA, MEU AMOR…PRECISAVA DO MEU MAXO…
– E EU DA MINHA FEMEA…DA MINHA ESPERANZA…DO MEU FURACÃO.
– E SABES…TIREI ESTA SEMANA DE FÉRIAS LÁ NO HIPER…PARA FICAR CONTIGO.
– SABES PORQUE TE AMO???
– NÃO…
– PORQUE TU DESCOBRES TODOS OS MEUS DESEJOS…CUSTA-ME TANTO DEIXAR-TE EM LISBOA. QUERIA TANTO QUE AQUI ESTIVESSES, ASSIM DEITADA TODA NUA, SUADA DEPOIS DE FODERES COMIGO… E EIS QUE TU APARECES Á PORTA.
– BASTA PEDIRES, MI AMOR…SOY TUA.

Passei essa semana com ele em Chaves, fodendo que nem doidos, LOL.
Bom outro episódio especial na minha vida com ele, foi quando engravidei da minha filha, a Macarena.
Ainda não estávamos casados havia 9 meses, e eu comemoro o meu aniversário apenas 16 dias antes do Nelson, eu faço anos a 17 de Março, e ele a 2 de Abril.
Quando eu fiz os anos, eu já tinha notado que o meu período não aparecia, mas como por vezes isso acontecia, confesso que eu não dei muita importância ao assunto. Mas a minha mãe parece que é bruxa, e como ela veio com o meu pai, comemorar o meu aniversário, no dia seguinte ela pediu para falar comigo a sós.

– ESPERANZA, COMO TE SIENTES??? ( peço desculpa mas a minha mãe fala sempre em espanhol, percebe bem o português mas só fala em espanhol).
– SINTO-ME BEM, MAMÃ.
– HUMMM…ESPERANZA, ¿CUÁNDO FUE POR ÚLTIMA VEZ AL MÉDICO?
– QUANDO ANDÁMOS A FESPACHAR OS PAPEIS DO CASAMENTO…MAMÃ, ESTAS A ASSUSTAR-ME.
– ESPERANZA, VAYA AL MEDICO LO ANTES QUE PUEDA, PORQUE ESTA EMBARAZADA. ¿HAS TENIDO TU PERÍODO REGULARMENTE? ¿O NO?
– BEM…ESTOU ATRASADA APENAS UNS DIAS, MAS ISSO JÁ ACONTECEU…
– MIS OJOS NUNCA ME ENGAÑAN, HIJA. YO TE CONOZCO, SALISTE DE MI DENTRO, SOLO TE MIRO Y SE COMO ERES. Y ESTAS EMBARAZADA.

Bom, o que é certo, é que fui ter com médico, ele fez os exames e eu realmente estava grávida. Aquela veia cigana da minha mãe, assusta-me, parece que ela sabe ler o futuro, e quando ela se mete a olhar para mim, sem pestanejar com aqueles grandes olhos esverdeados dela, eu fico logo assustada.
Sei que estou grávida a escassos dias do aniversário do Nelson, e decidi só lhe contar nesse dia que ele ia ser pai, novamente.
Eu andava secretamente a ensaiar, um coreografia de uma dança, que a minha mãe fez, para o meu pai.
Eu lembro-me como se fosse hoje, de a ver ensaiar sozinha, eu tinha 16 anos. Ela só ensaiava aquela coreografia quando estava sozinha, eu observava ela ás escondidas. Ela dançava e dançava até quase á exaustão, lembro da frustação dela quando as coisas não saiam como ela planeara, e depois da satisfação dela quando a coreografia ficou como ela a idealizara.
Era bastante complicada, só uma mestra como ela a poderia realizar.
Eu apesar de não seguir a profissão de bailadora, sei dançar bastante bem, a minha mãe ensina-me, e compreendi que aquela coreografia era especial… dias depois descobri que ela a fizera como presente de aniversário para o meu pai.
A minha mãe e o meu pai fazem um casal cheio de contrastes…a minha mãe é fogosa, irrita-se com facilidade, é ciumenta, e não queiram cair nas más graças dela e nunca a traiam ou tentem enganar ou lhe mintam, pois ela jamais vos perdoará. Ela tem o sangue quente, é orgulhosa…é sevillana e gitana. É apaixonada, tem um coração do tamanho do universo.
O meu pai, é aquele homem calmo, calado…fala pouco, mas quando fala todos o escutam o que tem para dizer, pois são sentenças. Ele vive a vida com a típica calma dos alentejanos. Eu muitas vezes perguntava-me como é que ele domava a minha mãe, até que vi naquela noite, ás escondidas, a minha mãe a bailar para ele, estavam os dois sós, no meio do campo, só havia uma fogueira acesa, eu segui a minha mãe, tinha na altura uma scooter que eu comprei com o meu dinheiro por isso a pude seguir. O meu pai, vestido com um fato caro, com o chapéu andaluz na cabeça, estava estático perto da fogueira, e aminha mãe dançando, aquela coreografia sensual, roçando pelo corpo dele, e ele apenas a seguia com o olhar.
A minha mãe estava quase possuída, parecia uma cobra, os movimentos da coreografia parecia uma luta de cobras capelos, até que ando acaba, cai de costas para trás e o meu pai segura ela, e depois vira-a para ele, e deu-lhe um beijo tão apaixonado na boca dela…ela estava vestida de Sevillana, um lindo vestido vermelho, com bolas negras, toda bem pintada, os cabelos soltos…ele e ela despem-se, e fazem amor ali no meio do campo, só com o calor da fogueira para os aquecer, e os seus corpos.
Estava ali explicado como ele a doma, fodendo-a como ela gosta, fazendo-a desejar foder com ele, para saciar o seu corpo, e a sua luxúria. Todas a mulheres querem ser saciadas e bem fodidas, senão forem as coisas complicam-se e elas podem procurar o que não têm em casa…
Bom, pouco antes de eu ir para Lisboa estudar, confessei á minha mãe que a tinha visto a ela mais o meu pai a fazerem amor naquela noite. Calhou, numa conversa corriqueira, estávamos as duas em casa a arrumar a casa.
A minha mãe, deu-lhe um ataque de fúria, que seu não fosse filha dela estou desconfiada que me dava um tiro. Mas eu lá a consegui acalmar, e disse-lhe que achava tão lindo eles ainda se amarem tanto, e ela disse que cada dia que passa ama cada vez mais o meu pai.
Disse-lhe que nunca tinha visto uma coreografia tão linda como aquela, e ela olhou para mim, e fez-me prometer que ela ensinava-me a coreografia, mas que eu só a poderia ensinar a uma filha minha, e se eu nunca tivesse uma filha, jamais a poderia ensinar a alguém.
Demorei quase dois meses, a treinar com ela, 3 horas por noite, todos os dias, mas aprendi.
E quando o Nelson fez os 39 anos, os primeiros depois de ter casado comigo, resolvi dar-lhe de presente aquela dança e depois a notícia que eu estava a espera de um bebé.
Fomos passar a Semana Santa a Sevilla, a Raquel também foi. Eu nessa semana estou sempre em Sevilla, para mim é impensável não estar lá. Na noite de Quinta feira tenho de acompanhar sempre a mi Virgen, la Esperanza de Triana ( sim a minha mãe chamou-me de Esperanza, por causa da Virgen), pelas ruas de Sevilla e depois rezar a tarde inteira dentro da sua casa, pedindo-lhe apenas saúde para mim e todos aqueles que eu amo.
O dia 2 de Abril, calhou naquele ano, na segunda feira a seguir ter acabado a Semana Santa, e depois de termos jantado todos na casa dos meus pais, com bastante música, e baile, de madrugada, e estávamos apenas os dois no quarto eu digo-lhe:

– MOR, NÃO ME PERGUNTES NADA E FAZ APENAS O QUE TE PEÇO…PODE SER???
– SIM DIZ.
– TENS AQUI ESTE FATO…VESTE-O, E VAI TER A ESTA RUA…LÁ ALGUEM TE IRÁ BUSCAR.
– MAS…
– MOR…SEM PERGUNTAS.

Saí do quarto, e fui-me vestir de Sevillana na casa da prima, a Elena, em seguida ela levou-me para um local, onde costumávamos ir as duas passear, no campo. Depois foi buscar o Nelson. Tive tempo de acender uma fogueira e esperar por eles.
O Nelson chegou no carro com a minha prima, e ela mandou ele descer e foi-se embora. Estava um luar incrível, parecia que poderias tocar na lua com as mãos, o Nelson estava vestido conforme eu pedi…e eu tinha um vestido cor de rosa, justinho ao corpo, as minhas mamas enormes quase saiam pelo decote, as minhas curvas todas bem realçadas, o meu cabelo solto, tapando metade da minha cara, dando-me um ar misterioso, estava bem maquiada.
Aproximei-me dele, andando devagar, olhando-o nos olhos, e parei a escassos centímetros dele.

– ESPE…

Não o deixei continuar a falar, passei os meus dedos devagar pelos lábios dele, e ainda lhe disse:

– E NÃO TE MUEVAS.

Afastei-me uns passos, eu tinha levado um pequeno gravador, coloquei a música que acompanha a coreografia, e comecei a dançar apenas para ele…dancei como nunca, roçava-me nele, ele queria tocar-me mas ele tinha que ficar quieto… eu sentia a respiração dele acelerada, devia estar cheio de tesão a sentir o meu corpo a roçar nele, eu sentia por vezes a respiração dele ou na minha cara ou no meu pescoço… eu roçava o meu rabo pelas pernas dele, as minhas enormes pelo peito dele, dançando sensualmente, quando a música acaba, estou perto dele, de costas, deixo-me cair para trás e ele segura-me, eu estava super cansada, a coreografia é mesmo muito exigente e eu digo:

– GOSTAS-TE DO TEU PRIMEIRO PRESENTE,MEU AMOR???
– ESPERANZA… FOI DIVINAL…PARECIAS UM SONHO, OS TEUS MOVIMENTOS…SENSUAIS… DEIXASTE-ME LOUCO DE DESEJO E TESÃO…QUE PRESENTE TÃO BELO…ESTÁS LINDA COM ESSE VESTIDO…MAS EU QUERO ARRANCAR-TO DO TEU CORPO E VER-TE TODA NUA… E FAZER AMOR CONTIGO…DEIXAS-TE O MEU SANGUE A FERVER.

Ele beija-me na boca, tira uma das minhas mamas pelo decote do vestido, começa a mamar nela enquanto tira a outra, eu vou desabotoando as calças dele, até que caem até aos joelhos dele, e seguro no pau dele…está duríssimo.
Ele em seguida despe-me o resto do vestido, eu estava toda nua por debaixo do vestido…ajoelho-me e começo a mamar no pau dele…adoro mamar naquele pau grosso e grande cheio de veias, e quando ele me segura na cabeça e me obriga a engolir ele todo, engasgando-me eu deliro com tesão, porque sei que em seguida serei penetrada sem piedade por ele…e assim foi ele segura-me pelos cabelos e levanta-me, depois mama com sofreguidão nas minhas mamas enormes, chupando-as, brincando com os bicos delas enormes e tesos, mordiscando-os e baixando as mãos, agarrando-me por debaixo das nádegas, eu puxa-me para o colo dele, eu envolvo a cintura dele com as minhas pernas e deixo-me descair e o pau dele entra na minha cona um bocadinho…e ele dá uma estocada e enterra ele todo…eu deixo a cabeça pender para trás ele mete a boca dele na minha garganta, como se fosse um felino a asfixiar a sua presa e fode-me assim, apenas a lua, as estrelas e a fogueira viam um maxo e uma femea a foderem-se que nem doidos, disfrutando do prazer do toque nos seus corpos, ele procurando estar dentro do meu corpo, tanto pela boca como pela cona ou pelo cu, e eu desejando que ele o fizesse, procurando-o, provocando-o, oferecendo-me toda a ele, gemendo suspirando, chamando por ele…e ele fodendo-me.
Raiava já os primeiros raios de sol quando parámos exaustos, cobertos de suor, sorrindo, todos sujos por causa da terra no chão, eu deitada aninhada nos braços dele.
Ele diz:

– ESPERANZA…ADOEREI O TEU PRIMEIRO PRESENTE AMOR, MAS ESTE SEGUNDO FOI AINDA MELHOR…
– MAS MEU AMOR…ESTE NÃO FOI O MEU SEGUNDO PRESENTE…
– AI NÃO???
– NÃO.
– ENTÃO QUAL É???
– BEM… ELE REALMENTE SÓ CHEGA DAQUI A UNS MESES…MAS JÁ CÁ ESTÁ SÓ QUE NÃO O VES…E ANDA CONTIGO E COMIGO Á JÁ UNS DIAS…
– ESPERANZA…ODEIO QUANDO TE METES COM ESSES MISTÉRIOS…DIZ LÁ O QUE É.
– PENSA…
– ESPERANZA…DEIXAS-TE-ME DEMASIADO CANSADO PAAR PENSAR, MULHER…DIZ LOGO.
– OK… ESTOU EMBARAZADA.
– EMBARAZADA??? MAS QUE É ISSO???
– LOL…PENSA, JÁ DISSE O TEU SEGUNDO PRESENTE.
– EMBARAZADA…ISSO PARECE SER EMBARAÇADA…
– POIS MAS NÃO É BEM ISSO. MAS ESTÁS A PENSAR BEM.

De repente as mãos dele que estavam segurando-me pela cintura começaram a tremer levemente, e ele virou-me para ele, olhando-me nos olhos, diz:

– ESPERANZA…ESTÁS GRÁVIDA?
– SIM ESTOY. VAIS SER PAPÁ OUTRA VEZ, ESSE É O MEU SEGUNDO PRESENTE.

Ele abraça-me com tanta força que quase me sufoca, LOL

– PÁRA HOMEM, AINDA ME MATAS…
– DESCULPA…MAS ESTOU TÃO FELIZ, ESPERANZA.
– E EU TAMBÉM.
– MAS AGORA PENSANDO MELHOR… ESSE NÃO PODE SER O MEU SEGUNDO PRESENTE.
– NÃO???
– ENTÃO PENSA LÁ…EU TIVE DE TER O TRABALHO E O ESFORÇO DE METER A SEMENTE NA TUA BARRIGA, LOGO DIGAMOS ISSO SIM QUE FOI UM PRESENTE MEU…
– ÉS MESMO UM ORDINÁRIO… disse eu a sorrir.
– ACHO QUE NUNCA PODERIA SER MAIS FELIZ AO LADO DE OUTRA MULHER, ESPERANZA. SOU UM AFORTUNADO, FUI AMADO POR UMA GRANDE MULHER E AGORA SOU AMADO POR OUTRA GRANDE MULHER, TU ESPERANZA.
– ESTÁS A TENTAR EMENDAR O QUE DISSESTE Á POUCO…LOL.
– BEM…ATÉ ESTOU, MAS SABES QUE FALO A VERDADE. AGORA PERGUNTO-TE…QUANDO VÊM BUSCAR A GENTE???
– OOPPSSS…ESQUECI-ME DE DIZER ISSO Á ELENA…
– ESTOU LIXADO CONTIGO…E AGORA???
– AGORA… e eu meti-me em cima dele…TEMOS DE MATAR O TEMPO…

E meti o pau dele na minha cona e comecei a cavalgar ele.

– EXCELEENTTEEE…IDDEEIIAAAA…QQUERRIDDAAA… MAS AINDA ME DEVES O SEGUNDO PRESENTE…
– CALLA-TE E FOLLAME, HOMBRE. ESSSOOOO…AAAHHAAAMMMM..MMASSSSS…MMMAASSSS…
– ASSIIMM AINDA ME MATAS… ESTÁS INSACIÁVELLL…
– FOLLA-MEEEEEEEEE….

CONTINUA

Uma foto minha.

2032645181

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 6 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos