# # #

É calibre grosso, tio III

2654 palavras | 3 |4.23
Por

Eu ali com dois gostosos na mesma casa, não poderia sair de mãos abanando. Tive que usar minha inteligência e safadeza para conseguir o que eu queria.

-Acordou, mano? Cê tá no mundo da lua, viado?!
-Ãh? É que, nem haha,minha cabeça foi longe agora haha

Enquanto isso aquele macho estava ali na minha frente com um sorriso sacana me olhando

-E aí, rapaz? Quem é vivo sempre aparece!
-Né isso, tio. Gabs só quer saber dos amigos da idade dele agora.
-Não é isso. Tipo, os horários da gente não bate, pai
-É tio, fê. Vida corrida

Eu era bem mais baixo que eles. Então dei um abraço no Gabs, que beijou o meu cabelo. Assim que passo pelo tio ele passa a mão no meu cabelo, nada de diferente do que fazia. Na sala o Gabs pede para eu esperar rapidinho ele terminar de arrumar o quarto. Certeza que a bagunça tava grande. E adorei, claro, para ficar a sós com o tio.

-Você tá crescendo rápido, daqui a pouco tá maior que seus pais

Ele com aquela cara de safado, aperta o pau que já estava duro. Queria mesmo me provocar. Em seguida, escora-se no sofá colocando os braços atrás da cabeça mostrando aqueles bíceps e as axilas deliciosas. Para uma putinha ver um homem de verdade fazendo aquilo era o ápice do tesão. “Safado”, falei só com os lábios. Ele ri e pede para eu sentar no seu colo. Só podia estar ficando maluco, o Gabs desceria a qualquer momento. Apontei para cima. Eu escuto o Gabs, me chamar.

-Mano, sobe aqui.

Assim que me levanto, ele também se levanta e vem em minha direção, de costas sinto-o encostar em mim, eu me arrepio por inteiro. Ele se agacha um pouco para que conseguisse me sarrar e ao meu ouvido diz

“-Dê um perdido nele e vem para o meu quarto, eu sei que você consegue”

Eu me viro e olho para ele com uma cara de safado, ele pisca e me desvencilho daquelas mãos grossas

-Tô indo, Gabs, só vou beber água.

Eu puxo o tio pelas mãos, ele me segue. E assim que ele para para colocar água, eu venho por trás e enfio minha mão dentro da sua cueca.

-Sua vadiazinha, aperta o pau do titio

-Humm, quanta baba tio.

-Isso é a vontade de te comer de jeito

Escutamos o Gabs descendo as escadas, então ele me entrega o copo de água e precisa se virar indo para o quintal, a armona dele estava grande demais para não ser notada pelo filho.

-Cadê meu pai?

-Tô aqui, filho colocando água para o Ben

O safado sabia mesmo fingir haha. Ben era o cachorro deles, um akita americano muito fofinho. Eu o segui para vê-lo, ele já foi se esfregando em mim e sem ver de quê começou a querer transar com minhas pernas. A gente começou a rir, e o tio o agarrou para retirá-lo.

-Ele achou que você fosse a namorada dele hahahaha
-Pai, isso é coisa que se fale?
-Relaxa, Gabs. Um machinho sabe reconhecer as fêmeas quando entram no território

Pai e filho me olham com olhos arregalados, o pai cai na risada, mas o filho fica sem reação ao ouvir aquilo na frente do pai dele, tadinho. O pai aproveita para dizer

-Então quer dizer que você é viado?
-Porra, pai. Que vergonha, mano?
-Filho, eu só quero entender. Vocês estão, tipo, se pegando?
-Nam, velho. Olha o que cê tá falando.
-Não, tio. Não estamos. Eu até dei em cima dele, mas seu filho gosta de meninas real
“Diferente do senhor que está louco para descabaçar meu buraquinho, titio”

Essa última parte foi minha mente insana falando só para mim. Então, o Gabs pega meu braço e eu saio arrastado.

-Tchau, tio fê
-Vocês se orientem, mocinhos

Ele me aperta o braço, eu reclamei

-Solta meu braço, tá doendo, Gabs
– Desculpa, só queria sair de lá contigo.

Assim que a gente trancou a porta, eu me sentei na cadeira gamer dele e ele escorou-se na porta.
-Velho, cê viu aquilo?
-Vi, eu soltei uma piada e seu pai ficou de boas com isso, até riu hahaha
-Nooossa, nunca tinha visto ele daquele jeito. Nem parecia o mesmo Fernando que conheço
-Seu pai não é ruim, Gabs. Ele só não sabe demonstrar afeto, mas o faz de outras formas. Ele estava preocupado contigo.
-Mas ele é ou era sei lá puta homofóbico, de repente você fala aquilo e ele ri. Não entendi foi nada
-Seu pai nunca me tratou mal, pelo menos na minha frente. Ele é gente boa, mesmo dentro dessa carapaça que ele se esconde
-Você um dia desses estava o chamando de bruto e agora tá falando isso
-Ah, ele não se mostrou reativo ao meu teste hahaha
-Viado safado, isso foi um teste?
-Claro, se ele me tratasse mal, obviamente eu iria embora da sua casa
-Claro que eu não deixaria, eu te convidei, a casa também é minha.

Eu fiquei olhando para ele com aquela carinha amarrada, sabe que até ficou parecido com o pai. Como sou safada eu me levanto e vou até ele

-Porra, que cara é essa, mano, de vadia no cio

Eu me aproximo dele e olho para cima, seu olhar sério e, ao mesmo tempo, um meio sorriso enquanto coloco minhas duas mãos na sua cintura.

-Lá vem tentando se aproveitar, é sempre assim!
-Eu não posso mais te dar um abraço de carinho, cara
-Pode, cê sabe que sim, mas sua cara demonstra que não é isso
-Seu pau muito menos hehe, tá com saudades?!

Eu sabia que era mentira dele, estava só fazendo cu doce. Eu dei um beijo na altura do peito e o abracei mais forte sentindo seu coração acelerar. Eu não sentia vontade de beijá-lo, era um desejo mais fálico mesmo. Ele desce e me dá um beijo na testa e se afasta ajeitando o pau no calção. Ele se senta na ponta da cama procurando algum filme legal. Eu vou para detrás dele e começa a fazer massagem em seus ombros.

-Nossa, Gabs, você está muito tenso.
– Mano, você não se cansa
– Eu sei que você tá com saudades da gente

Eu me atrevo e dou um beijinho no pescoço dele.Só não esperava que ele me puxasse para seu colo e começasse uma sessão de cócegas

-Não, para, por favor, para
-Cê gosta né, pois agora vai sofrer as consequências.

Ele levanta minha camisa e começa a fazer barulho na minha barriga. Eu morro de cócegas na barriga.

-Ahh, vou vomitar, mano. Para, Gabs
-Só quando você me prometer que vamos só assistir ou jogar vídeo-game
– Tá, tá, eu prometo, por favor, pare, pare

Quando ele para me levanta deitado em seu braço e me joga na cama.

-Aff, chateado contigo.
-Então, escolha um filme para a gente
-Ah, não, escolha você
-Eu tô com fome
-Você já sabe onde tem comida

Fui até o guarda-roupas dele e peguei um saco de salgadinho. Sentei nas almofadas fofinhas que tinha no tapete no chão. O Gabs diz que vai rapidinho ao banheiro

-Se quiser eu balanço haha
-Não fode, viado

O tio bate à porta, eu me levanto e abro. Ele estava agora de calção, sem camisa e com a toalha passada no ombro enxugando a cabeça.

-Pedi pizza para nós, tá chegando

-OMG, que cheirinho delicioso ,tio

Eu falo bem baixinho e aproveito para passar minha mão no seu peitoral deslizando até chegar no calção, o pau dessa vez estava só meia bomba.

-Minha putinha vai dar um perdido

Assim que Gabs sai do banheiro, ele escuta a palavra perdido, entendendo mal a situação

-Pai, cê tá chamando-o de perdido?
-Não, Gabs, ele ía dizer que tinha perdido o quê mesmo, tio?
-Cê só pensa o pior de mim, cara. Eu ía falar que perdi a hora e a pizza vai demorar mais um pouco para chegar.

Mentira, a pizza já havia chegado. Não poderíamos descer tão cedo. Tio fê que se virasse para aquecer as pizzas e nos chamar novamente mais tarde haha. Ele avisa e sai.

-Amigo, você precisa parar de ser assim com seu pai, mano, coitado dele
-É, você tá aqui todo dia para veeeer! Vou ficar calado para não me estressar contigo também!
-Tá, desculpa ter me metido. Cadê o sorriso que eu amo ver, cadê?

Ele faz um sorriso falso e se vira indo para a TV. Eu não acreditava que tendo aqueles dois machos eu sairia de lá sem sequer pagar um boquetinho. Ah, não. Se ele não queria, tio fê queria e não ficaria na mão. Eu tive uma ideia

“Tio, vou dizer ao Gabs que já vou para casa, assim que ele fechar a porta, eu mando mensagem e o senhor abre, tá certo”
“Já tô de pau duro, gostosa! Tá certo, aí você suba as escadas e espere no meu quarto, eu vou dizer que o entregador veio deixar as pizzas”

-Gabs, eu já vou. Cê tá muito chato, sei nem que bicho te mordeu. Tô pedindo uber
-Poxa, mano. Fique mais um pouco, foi mal eu tá assim, só não tô no clima, queria só sua companhia de amigo
-Eu tô com saudades das nossas brincadeiras, você nunca recusou. Melhor eu ir
– Cê que sabe, só não fique com raiva de mim

Ele se aproxima e me puxa para abraçar, falando no meu ouvido

-Cê sabe que se você quisesse, eu tiraria sua virgindade, seu boquete é o melhor que já tive
-Humm, safado. Eu pensei que era o único, mas teve mais alguém
-Isso aí já não posso te contar hehehe
-Cachorro, já tá afogando o ganso, né? Diz a verdade, perdeu a virgindade?
-Digamos que sim
-Eu tô passada, amigo. Por isso, não me quis, tá sendo muito bem servido, cachorro safado hahah

Ele ri e me solta

-Eu conheci uma gata do 1 B
-Quer ver que é aquela mais rodada que catraca de ônibus da Alane
– Hahaha velho, cê é louco, aquela ali nem olha para mim.
-E se olhasse você a queria, né seu safado. Cês são todos iguais
-Claro, comendo de camisinha dá tudo certo
-Para um nerd você tá todo saidinho. E esse pinto aí apontado hahah. Meu uber tá indo para a rua, ajeite esse pau e vamos me deixar à porta.
-Tá certo, depois eu te conto quem é
-Vai me deixar na curiosidade, mano?
-É a Virgínia.
-PQP, aquela patricinha deu para você?
-Cê fala como se eu não tivesse a altura dela
-Não, amigo. Ela que não está a sua altura. Você é muito melhor que ela

Claro que falei aquilo só para o agradar, nunca pensei que a barbie gostasse de nerd. Ela só tinha sorrisos para os meninos do 2, da turma do Rod, inclusive o Rod. Cada um com seus gostos típicos, eu por exemplo, tendo pau no meio das pernas, pode ser qualquer macho hahaha. Eu dei uma abraço nele bem apertado.

-Se essa vadia te fizer sofrer, ela vai sentir o peso da minha mão, não tenho medo dela, nem serei preso porquê só tenho 12 anos ahahaha
-Nooossa, senti firmeza nessa promessa
-Pois saiba disso. E bora logo que vou atrás de algum macho que me satisfaça já que você agora tem a Virgíiiinia

Falei com voz debochada de nojo haha. Ele levantou meu queixo

-Maninho, só tenha cuidado com a vontade de dar. Se der, faça o parceiro usar preservativo
-Ah, não gay, você querendo me dar conselho.
-Eu sei que cê sabe dessas paradas, mas sou teu amigo e quero seu bem
-Eu sei, fofinho, vamos descer logo

Ele me deixa na porta e eu sigo de costas até o portão, viro-me e quando ele fecha a porta, eu abro e bato o portão só para ele ouvir o barulho haha.Aguardo uns segundos.

“Vou abrir daqui a pouco”

Eu fiquei pleníssima esperando sentada na poltrona, quando recebo mensagem do Alê.

“Ei, nega. Tá a fim de tomar milkshake amanhã. A galera marcou de ir. Se desse certo, a gente cola lá no meu barraco para fazer o trabalho. E outras coisinhas, se vc quiser? hehe”

“Você vai me levar na garupa da sua moto? ou uma de suas outras putas?”

“O dia vai ser todo seu, minha gata, pó deixar”

“Humm, sei. Então tá bom, combinado. Amanhã a gente se fala na escola. Tchau, gato”

“Blz, tmj”

Ain, eu fiquei toda molhada só de pensar. Eu tenho que confessar que ele ainda pincelou meu cuzinho uma vez, mas resisti e não dei hehe. Isso eu conto depois. Inclusive ele tem dois irmãos pedreiros que são doidos para me pegar hahahah

A porta se abre e titio tá lá com cara de safado, apontando para eu tirar os tênis. Não fiz barulho algum, subi devagar as escadas e cheguei ao quarto dele. “Uau” pensei ao ver a cama king. Claro, para um macho daquele tinha realmente que ser essa. Fui até a estante que havia fotos da família. Era uma família aparentemente feliz, a tia Helena era linda, não havia o que discordar, estava em diligência aquela noite como papiloscopista da Polícia Civil. A irmã dele, a Gabriela, já era casada, com um gostoso do Edu, ou tio Edu, que era super mal encarado, desses que a gente se derrete ainda mais, trabalhava no adestramento de cães, será que adestraria cadelas como eu? Eu fiquei ali alguns minutos, até que ele entra com aquele sorriso safado, segurando um prato com pizzas.

-Um gostoso esse seu genro!
-Já está de olho nele também, putinha?! hehe trouxe o jantar, espero que você tenha trazido a sobremesa
-Olha que safadinho. Claro que trouxe, look at that!

Eu abaixo um pouco o short e minha lingerie vermelha aparece. Ele deixa o prato em cima da mesa e se aproxima de mim.

-Puta que o pariu, com todo respeito àquela gostosa da sua mãe. Que delícia! Tem até marquinha safada
-E acha minha mãe gostosa?
-Você tem o cuzão dela, man hehe
-Eu faço bronze na laje tbm com ela rsrs. Gostou?
-PQP, queria ver essa cena Hehe. como não gostar?

Ele vem com as mãos na lateral da minha camisa e começa a retirá-la, meu cu piscava. Será que eu aguentaria, eu estava num misto de medo, tesão e ansiedade que me consumiam. A boca secou na hora que ele me virou de frente, agacha-se e vai em procura dos meu peitinhos inchados da adolescência. Eu pensei que ele já fosse chupar, mas diferente dos rapazes que pareciam bebês sedentos, ele começou a beijar e passar só a língua ao redor, eu estava arrepiada dos pés à cabeça, e soltei um gemido. Ele para rindo e me olha

-Tem que gemer, baixinho, minha bezerra.

Ele então retorna e continua chupando um, enquanto uma das mãos entrava bunda adentro procurando meu buraquinho.

-Na gaveta, pegue lubrificante.
-Sim, ain tio, que delícia, os meninos não sabem fazer assim
-Você está com um macho de verdade agora
-Coloque aqui um pouco no meu dedo
-Tio vá devagar, só entrou aí escova
-Cabo é fino, não faz nem cócegas, hoje cê vai levar de Sargento, e de grosso calibre heheh

Continua….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,23 de 22 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Luiz ID:3v6otnnr6ic

    ate que enfim vc vai perder o cabaço putinha

  • Responder Mato Grosso 7 ID:1d47p4sb5l19

    Ficou muito longo e não aconteceu nada

  • Responder Amante de voyeur ID:1elkryxacctu

    Esperando ansiosamente pra a parte 4, lança logo