# # #

É calibre grosso, tio II

2750 palavras | 4 |4.21
Por

Durante a aula mesmo com alguns acontecimentos, minha cabeça só pensava no calibre do tio fê. Difícil seria nos encontrar, mas eu faria de tudo

Assim chego à sala, minha amiga Camille me puxa.

-Viado, tenho que te contar um babado?
-A Larissa 9 B está grávida?
-Eita, mulher que perigosa. Aquela carinha de santa do pau oco nunca me enganou. E quem é o pai?
-Vai ficar mais passada ainda, ninguém sabe se é ele mesmo. O Alan.

O Alan era outro gostosinho da turma do Rod que jogava futebol. Nossa, ela teve sorte

Aquelas pernas e canelinhas grossas de jogador, aquele sorriso sacana e aquele cabelo que suado escorre na testa. Ain, como eu sempre quis sarrar no volume do calção de jogador. Pelo menos a camisa suada ele me deu, ainda que escondido dos demais. Eu tava me esgoelando na torcida, durante um jogo do interclasses. Teve um momento em que ele ficou perto de onde eu estava. Aí puxei um grito e a arquibancada continuou:

-A bola é sua, Alan. Se fizer esse gol você ganhou mais uma fã

Acho que deu sorte, ele fez o gol da partida, pouco antes do fim. Tirou a camisa mostrando aquele peitinho inchado de adolescente e o tanquinho deli, deli. E foi até a rede que os separava da gente. Escorou-se nela.

-Ei, princesa. Valeu aí a torcida!
-De nada, gatinho. Vamos cair na piscina mais tarde lá no Rod
-Mentira, eu não tinha sido convidado ainda
-Cola lá pô. Você também Larissa

Ele piscou para ela, e foi nesse dia que eu percebi que havia algo entre eles.

Voltando de onde parei

-Lembra que eu disse que ele olhava para ela diferente, eu só não ganho na loto porque não jogo haha
-Eu tô de cara até agora hahaha
-Sim, agora, deixe eu te contar, não posso dar detalhe
-Aff, ela sempre cheia de segredos
-Então, dei em cima de um coroa, ele caiu no meu papo?
-Bicha, como assim? Ele ou você no dele? Cê cuidado nesses pervertidos
-Melhore, criatura. Mais pervertida sou eu que dei em cima dele que é casado.
-Naaaaaao! Só pode estar doida. E ele?
-Ahh, mandou até foto. Amiga, as desses machos daqui nem se comparam no tamanho
-Será que tu aguenta?
-Ah, vou ter que aguentar. Tô molhada só de pensar
-Eca, bicha nojenta. Só você mesma para não querer dar para esses gatos daqui. Eu só não dou para não ficar falada. Mulher sofre, viu
-Ah, se eu me importava de falarem de mim
-Primeiro, você teria que nascer e crescer mulher de “priquito”, para saber o que a gente passa
-Dê na minha cara logo! Hahaha, mas eu sei disso, amiga. Mas em segredo tudo é mais gostos hehehe

Ela me deu um tapa e eu ri alto, a fofoqueira entrou na sala e olhei para a Camille

-Silêncio que a difusora chegou
-Hahaha morta com essa
-E não é?! Se eu descubro algum podre dessa bicha, eu lasco ela.

De repente o mau caminho do professor de educação física, Otávio, entra na sala. Ain, aquele pedaço de homem era meu número 2, porquê o 1 era tio fê. Ele era aquele tipo fortão nos braços e com uma barriguinha durinha de quem gosta de cerveja, numa camisa polo sempre justa, a calça apertadinha naquele bundão. Uma barbinha rala e cabelo degradê nas laterais e mais alto em cima. Ele era tão simpático e maravilhoso comigo, sempre me deixava jogar com as meninas nas aulas.

Eu cochicho com a Cami

-Que homem é esse, gente?
-Shi, até ele mulher?
-Essa barbinha nas costas, ai daddy
-Hahaha pervertida
-Ain, obrigada hehehehe

Ele deu uma instrução de uma atividade para entregar

“Vocês farão um trabalho de pesquisa sobre a importância da atividade física para a manutenção da saúde física e mental. Eu gostaria que fosse em duplas, mas quem as escolherá sou eu”

-Ain, que ódio. Se eu pegar a descarada, ele vai ter que trocar
-Vai não, amiga. Tomara que façamos juntas
-Cruze os dedos

-Eita, saiu seu nome
-Passada que farei com o Alê

Eu me viro para trás e ele me olha com um sorrisinho, depois solta um beijo com os dois dedos e pisca para mim. Eu aceno mexendo só as pontas dos dedos. Outra delicinha da minha sala. Um magrinho de bigodinho fininho e cabelinho na régua, usava as roupas bem folgadas. Era o único que não se importava e me dava até cheiro no pescoço, ninguém se atrevia a questionar sua sexualidade. Ele não tinha a masculinidade frágil porquê me agarrava até na frente dos parças dele. Ele tinha o cabelo cacheado, a cara de marrento, os lábios carnudos que ao tocar meu pescoço sempre me dava arrepio.

-Você vai ter que ir lá na quebrada para fazer trabalho com ele. Duvido que ele vá lá na sua casa!
-Sim, e qual o problema. Esqueceu que eu já fui lá, inclusive os gatinhos me adoram.
-Mulher, você já aprontou até lá?
-Ainda não. Ele só me levou para ver a vista lá de cima
-Eu sei qual vista você viu de cima, ajoelhada viu duas bolas e uma salsicha
-Você só pensa isso de mim. Não, querida. Nesse dia estava a família dele lá.
-Sei, você e suas coisas

Meu celular notifica, era o tio fê.

-Desculpa, profe. Esqueci de por no silencioso

Eu não abri ali, pois a Cami estava muito próximo a mim. Então, pedi licença para ir ao banheiro. Eu corri rapidamente, entrei e tranquei a porta.

“E aí, sabia que você tocando meu pau não sai da minha mente hehe. Olha aí o vídeo hehe”

Nossa, uma delicinha de vídeo. Ele batendo punheta sentado, no que me parecia ser em uma das salas do quartel. Que safado haha. Já que ele estava sendo bonzinho comigo, eu decidi fazer um agrado e mandar uma foto da minha bunda para ele. Ele visualizou e não disse nada. Que estranho. Assim que saio da cabine. Quem está lá no banheiro?! O Rod lavando o rosto, assim que ele levanta vejo que estava saindo sangue da lateral do olho. Eu peguei um papel toalha

-Rod o que foi isso, gatinho? Deixe eu limpar
-Tava numa pelada e o Antônio deu um carrinho em mim, aquele pau no cu. A chuteira bateu
-Deixe eu ver se abriu?
-Shh, ai. Eu acho que não, foi só superficial
-É, parece que não é dessa vez que você terá uma tatoo de ponto haha
-Pode crer. Ei, vá lá em casa no domingo.
-O Alan chamou, fiquei triste que não foi você o primeiro a chamar.

Ele, então, pede um minuto. Vai à porta e não vê ninguém. Volta e me leva para uma da cabines.

-O que cê tá fazendo? Deixe eu limpar mais, tá sangrando ainda, calma.
-Eu queria te dar mais um cheiro, posso?
-E precisa pedir, lindo?!

Então ele me puxa para próximo dele, passa as mãos para trás, eu cruzo as minhas na cintura dele e ele me dá um abraço bem apertado, eu sinto o brinquedo dele duro hehe. Ele estava esquisito, começa a me dar cheiro e falar cerrando os lábios.

-Eu só queria um abraço de verdade
-Own, tá dengoso ele, gente!

Eu o abraço, aquele cheirinho de suor com testosterona. Sei sabem como é bom hehe. Eu esperava ele me virar e sarrar, mas ele só me abraçava. Já poderia me soltar se quisesse

-Que aconteceu contigo? A ficante terminou certeza?
-Pode só calar a porra da boca e me deixar te abraçar?

Eu me aproveito e dou cheiro no pescoço dele

-Tá se aproveitando, né safada?
-Você pode e eu não?
-Brincadeira, eu tô querendo carinho
-Humm, tá querendo um carinho

Eu com uma mão vou em direção à sua calça. Assim eu enfio a mão ele fala

-Daqui a pouco vem gente atrás de nós!
-Humm, tá tão animado esse pilulito da cabeça vermelha
-Haha sua cachorra

Ele riu e eu punhetei um pouco por dentro da calça

-Já tá babando, que delícia
-Sabe o que tô com vontade pela primeira vez?
-Nem vem querer me comer, não vou te dar
-Nam, viado. Né isso não? Deu vontade de te beijar, mas é estranho né?
-Melhor não, sabe fofinho. O beijo conecta as pessoas mais forte. Ainda tá sangrando, deixe eu limpar.

A gente sai do box, ele ajeitando o pau que marcava bastante. Eu pego o papel toalha e limpo

-Eu vou de sunga curtinha, não tem problema né?
-Não, meu pais são de boas
-Ótimo, que eu iria mesmo que não fossem hehe
-E é safada

Ele agarra de novo e mete um tapa na minha bunda. Eu gemo e dou de costas saindo do banheiro

-Seu gostoso
-Sua putinha

O que será que Rod tinha, eu hein. Sai pensando na rola do tio fê, ela era o que mais me interessava naquele momento.

-Perdeu o rumo da sala?
-Professor, não é que tive de dar um recado à irmã Crescência.

Ela era uma das freiras da nossa escola, tive que inventar isso na hora.

-Sei, entre que já perdeu o restante das instruções

“As duplas farão a apresentação no Sarau da família que teremos na semana que vem”

-Nossos pais virão? Eu tô passado
-Sim, já está aqui comigo os convites e também enviamos via e-mail a cada um deles
-Que vergonha, que vergonha
-Não é nada para sentir vergonha, vai ser bem legal.
-Vai, muuuito legal

Eu revirei os olhos. Gente, nem tempo meus pais tinham de me deixar na escola, imagine pausar para assistir a uma apresentação. Só nos sonhos que eles viriam. Na mesma hora pensei se o pai do Gabs viria. Por falar nele, havia chegado uma mensagem dele me chamando para ir lá hoje final da tarde. Eu queria que o pai dele tivesse, mas só chegaria no outro dia de manhã. Hummm, que tal se eu dormisse lá, pensei alto.

-Que demora foi essa, amiga?
-Ah, o Rod cortou o supercílio, e eu estava o ajudando a limpar
-Sei, e de quebra tirou uma casquinha
-Casquinha não, a casca inteira hahaha
-Ah, como eu morro com suas coisas haha

A gente riu e finalmente aquela aula havia terminado. Nem sequer deu tempo irmos para o ginásio, aff que ódio. Queria ver os gatinhos do futsal. A manhã passou depressa, na hora de ir para casa eu ando para a parada do ônibus, quando alguém vem ao meu lado.

-E aí?
-Gaaabs

Eu dou um abraço nele que fica meio sem reação. Era fofo esse jeito dele. Ele era o tipo nerd de oculozinhos, cabelo meio grande quase o fazendo esconder os olhos. Andava com ombros caídos e olhando para baixo. Era bem alto, acho que devia ter 1,75, para alguém de 15 anos. Ele segurava as alças da mochila. Falava bem explicado, às vezes gaguejava.

-Então, o que você e me-meu pai con-conversaram?
-Ele perguntou se você era gay? Hahah
-E se eu fosse por certo ele irá me expulsar de casa, igual ao amigo dele do trabalho fez com o filho?
-Não, eu garanto que ele não faria isso?

Valha, mulher. O que foi que falei sem pensar para o menino. Cala-te boca, viado

-Ele foi simpático contigo, ma-ma-mas aquele é o Fernando fora de casa. É um verdadeiro inferno mo-morar com ele.
-Os pais são assim, o meu não é diferente.
-Na-não, o meu parece que não gosta nem da minha mãe. Ela tenta ser carinhosa e ele não reconhecesse nada que ela faz

Nossa, coitados deles. O tio fê que conheço realmente tinha cara fechada, mas era gente boa e, agora, estava sendo ainda mais desde cedo comigo. Mas cada um sabe o que se passa, eu não poderia fazer nada naquele momento, não me meteria

-Entendo, como deve ser. Mas espero que fique bem
-Ah, sei lá. Eu acho que vão terminar se separando
-Nossa, nesse ponto?
-Eu acho
-Deixe eu mudar de conversa, tá pesada. Posso dormir contigo?
-Por que você sempre fala assim com duplo sentido?
-Eu não falei, você que pensou assim, mente pervertidinha haha
-Sei, eu que sou! Pode sim. Mãe está de plantão e o pai de serviço. A gente pode ficar à vontade
-Humm, quero você peladinho
-Porra, mano. Se começar com essas paradas, nem precisa ir

Ele se fazendo de desentendido, sabendo mais do que tudo que queria minha chupada e sarrar em mim a noite toda.

-Até parece que não gosta
-Já imaginou se alguém escuta?
-Tá só nós aqui, bobo! E eu sempre brinco com todos. Ninguém sabe quando tô falando a verdade ou não heeheh
-Cara, você é maluco mesmo.
-Eu sou autêntico, pervertido e putinha. É diferente. Meu juízo é excelente haha
-Então, vá lá para casa às 18:30, tá certo?
-Tá certo.
-Vou pedir pizza para a gente
-Eu levo a sobremesa hehehehe

Ele me olha com uma cara séria e balança a cabeça sabendo que me chamei de sobremesa. Eu perco o amigo, mas não perco a piada hahaha

Foi só eu entrar dentro de casa que meu coroa mandou mensagem

“Oi, princesa. Eu hoje não vou estar de serviço à noite. Parece que o Gabs vai sair. Quer ir lá em casa?”

Eu não acredito nisso, e o Gabs marcou comigo lá hahaha. E agora?

“Oi, gostoso. Gabs me falou que está sozinho em casa hoje à noite! Ele não vai sair!”

“Poxa, pensei que iria poder te mostrar minha arma pessoalmente hoje”

“Ain, que delícia, tio. Eu quero. Vem aqui em casa!”

“Como vou sair de casa, Gabs e a mulher desconfiam até da minha sombra”

“Quem manda ser gostoso e safado ao mesmo tempo?! Haha”

“E seus pais?”

“Nam, vão para uma festa, só chegam de madrugada!”

“Humm, vou ver e te falo. Tô duraço aqui doido para uma mamada de boquinha de veludo”

“Ainda que delícia, titio. A minha é macia, só não sei se caberá essa calabresa. Parece tão grandona”

“Com jeitinho cabe tudo, você vai gostar! Tenho que ir”

“Tá certo. Dê notícias”

É sério que eu correria o risco de não ter nenhum dos dois, aff. Passei a tarde ansioso sem saber o que ele me daria de resposta. Quando já era umas 17 o Gabs manda mensagem

“Ei, princeso, já era. Pai vem para casa. Vamos marcar outro dia!”

“E o que tem a ver? Eu sempre andei ai! Ele nunca me disse nada”

“Vai que ele queira tomar uma e depois de uns gole seja chato contigo?”

“Como assim? Tendi nada”

“É pô, ele tem mania de falar umas paradas desagradáveis sobre gays quando tá bêbado”

Eu passado estava, passado fiquei. O gato era homofóbico, mas a culpa sempre é da bebida, né?! Sei

“Eu não me importo. Se ele fizer isso, eu só escuto e a gente se tranca no quarto”

“Cê tem certeza? Tenho!”

Eu agora tinha certeza de que ele não beberia justamente por eu estar lá. Eu não disse nada que iria. Queria fazer uma festa surpresa hahaha. Quando deu 18:30 eu já estava na porta da casa dele. Toquei a campainha. Ouvi o cachorro latir e a voz grave do tio

-Quem é?
-Oi, tio, sou eu!
-Deixa, pai, que eu abro!

O Gabs veio correndo me receber

-E aí, man suave?
-Quanto tempo, né?
-Pode crer, man. Entre aí!

Em seguida o tio fê aparece e eu quase desfaleço ali na frente. O safado estava só com a calça, o cinto desafivelado e de coturnos. Aquele peitoral aparadinho e a barriguinha deliciosa, não era grande, era proporcional à toda aquela delícia de homem. Ele sério, fazendo a linha tio fê de antes. Eu olho dos pés à cabeça não sei por quantos segundos, só soube quando o Gabs me despertou do devaneio.

Eu aumentei o número de capítulos. Tudo bem?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,21 de 19 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Luiz ID:3v6otnnr6ic

    Tem que da logo esse rabo aos machos todos puta que se preza da todos os dias

  • Responder PE15 ID:w73hy49b

    O conto e interessante, bem escrito. Mas, com muita conversa paralela que tira o tesão e o foco do conto.

  • Responder Mato Grosso 7 ID:1d47p4sb5l19

    Poxa ficou muito longo e não aconteceu nada ..

  • Responder hisoka ID:e58sr8uz6q4

    novinho é bom demais. alguém te le: hisoka875