# # #

A nova esposa

1625 palavras | 0 |1.03
Por

Um pobre coitado que achou mesmo que ia se dar bem

Ainda sonzo levantei minha cabeça , meu pulso doia e latejava , ja havia perdido a consciência de quantos dias tinham se passado , eu estava em meios as minhas fezes e urina , a mordaça em minha boca já rasgava a seca pele de meus lábios, meu corpo nem tinha mais forças pra reagir aquela situação, todos os dias desde que esse inferno começou todos os dias Rosimeire vem ao quarto onde fui posto ela me vem acompanhada de uma garotinha que , dos pés a cabeça seu corpo tinham restrições , assim que as mimha mordaça era retirada diversos comprimidos eram empurados gargata a baixo pela minha boca, assim que se encerrava Rosimeire colocava aquela pobre garotinha com seu anus ainda tampado encima de mimha boca , ela retirava a restrição que era um consolo imenso de seu cu despejando uma diarreia diretamente em min , eu ja nem me importava e o que podia tentava emgolir o que podia , tudo aquilo acontecia apenas por desejo de uma cruel e podre mulher ganancioso de não ser sozinha , esse infortúnio durou por alguns dias a fundo , eu já estava moribundo quando vejo com dificuldade Rosimeire entrando pela porta com uma cadeira de rodas,ja estando saindo daquele escuro quarto sinto o frio vento bater em minha pele , o sol parecia rasgar meu corpo a medida que era levado até o interior da casa , a sensação das restrições em meus pulsos e braços até mesmo em volta impedem até mesmo que eu me ajeite de forma confortável, ao chegarmos a cozinha pude ver em sua saia a cima do umbigo com uma linda blusa azul e meias calças bege que ornavam de forma perfeita com sua sapatilhas azuis, jasmin estava a colocar a última xícara de café na mesa, saltitante e rindo ela caminhou até min e beijando minha bochecha ela diz sorrindo:
-bom dia meu amorzinho , que saudades de você como foi o tempo de punição?- ela se levanta indo para trás da cadeira por mais que não veja posso escultar as duas se beijando suavemente, jasmin termina de me levar até a mesa onde as duas se sentam e com tranquilidade conversan enquanto Toman café da manhã, meu estômago dói de fome e ja salivando sobre meu corpo isso parece dobrar em ver tantas delícias encima da mesa,tento chamar atenção das duas, jasmin percebendo que estou me contorcendo ela se levanta com sua xícara em mãos e caminhado em mimha direção ela fala docimente:
– parece que alguns dias em punição te deixaram um pouco faminto não e meu bem- ela se aproxima de min por trás da cadeira de rodas ela passa a mão pelo meu corpo sua macia pele e como seda na pele nua , o cheiro de café que exalava de sua xícara misturavase com o doce cheiro de flor de seu perfume me faziam viajar:
– você não estava com saudades meu amor? De sentir minhas macias mãos massageando seu pau? – com movimentos ela começava a me mastubar meu pau enquanto tomava seu café, dando um grande gole ela colondo a xícara encima da mesa :
-Ah você se lembra de quando a gente finalmente damos nosso amor pra você? Desde o dia que começamos a frenquentar aquela bosta de colégio eu e a mamãe estávamos buscando alguém que fosse tão trouxa e inútil que ninguém sentiria falta se sumisse , e quem diria que teria um garotinho tão medíocre que ate medicamentos hormonais você tomaria sem nem mesmo perguntar, você tava tão apaixonado assim em min? – ela gentilmente estimualva meu penis enquanto falava , a sensação de sua mão em min era prazerosa , o pouco que podia me contorcia a medida que ela estimualva meu sensível mamilo junto:
-você nem pensava duas vezes quando a minha mãe te pedia algo , você passou a tomar café com ela ,a comprar seus doces favoritos, ate mesmo as “visitas” na sala de recuperação você nem ficava com vergonha de pensar que me traia com minha propia mãe , a medida que as medições fizeram efeitos mesmo achando estranho você adorava a sensibilidade que seu pintinho inútil tinha não e ? E a sensação quente dos meus lábios em seu mamilos? Achava tão ridículo você me pedir pra tomar café enquanto fazíamos aquilo? Você dizia que aquilo era pra deixar a sensação melhor mas você so e um pervetido que amava ver a gente tomar café não e mamãe? -jasmin continuava a estimular lentamente meu penis tornando aquilo mais insuportável a cada minuto que minha baba decia mais e mais , Rosimeire levatando de sua cadeira seguia em minha direção segurando uma cadeira ela sentousse em minha frente e enquanto servia café ela falava:
-de certo modo estavmos adorando isso filha , um machinho desperado por atenção que ate mesmo achava que uma mulher mais velha daria atenção para ele por muita pouca coisa , você era perfeito pra o que nos queriamos – assim que terminou ela começou a tomar café em minha frente enquanto que com dois dedos estimualva a cabeça do meu penis:
-sente saudades disso meu amor? Você adorava isso , sempre prestativo pra ajudar a professora que nem mesmo reparou no café batizado que ela te deu -naquele momento mesmo morrendo de vergonha de tudo aquilo que as duas falavam eu não podia aguentar mais , e quando estava Prestes a gozar ambas pararam com as estimulaçoes , aquilo me deixava louco pois desde que estávamos no colégio sempre que ocorria de uma das duas me mastubar eu nunca podia gozar , Rosimeire se levantou de onde estava e segiu saindo da sala e pude ficar a sós com , jasmin que de forma perfeita terminou seu cafe da manhã , ela era perfeita a mulher mais linda que eu conehcia, e por mais que eu negasse pra min mesmo , eu era um pervetido que amava ver ela tomar café um simples ato me excitava de uma maneira que eu nao sabia explicar, assim que ela acabou ela retirou a mordaça da minha boca , doia somente de manter a minha boca fechada e mesmo sem aquela maldita mordaça eu não conseguia parar de salivar , enquanto via ela me servir um apetitoso mingal de aveia ela enfiava colheres e mais colheres na minha boca quando ja estava no fim jasmin começou a falar:
-você sabe que eu amo você ne? Eu tô muito feliz que finalmente eu a mamãe vamos poder ter uma esposa , logo logo vamos nos casar , so mais alguns dias e o ritual vai ser feito.
Aquilo me preocupava , ja faziam seis meses que essas loucas tinham me sequestrado , e tudo que faziam eram me manter preso e me forcar a tomar cada vez mais e mais remédios , ate mesmo meus peitos começaram a se mostrar , e por mais que elas me estimualassem meu penis nem mesmo conseguia se manter erreto da maneira que deveria , eu me sentia fraco e apesar das restrições eu nem memso conseguiria andar direito,assim que o mingau acabou jasmin seguro uma xícara por baixo de sua saia e urinando nela ela me deu 20 comprimidos que so aumentavam a cada dia que se passava , beber sua urina me excitou e jasmin vendo Aquilo se agachou em minha frente e enquanto acariciando meu penis dizia:
– bem como hoje e a última vez que você vai usar seu pintinho vou te dar um otimo presente , vou deixar você finalmente gozar- com apenas dois dedos esfregando meu penis eu finalmente pude gozar , meu corpo estava em êxtase, eu so pude ver jasmin em minha frente com sua blusa suja de porra enquanto se sentava em meu colo rindo e exclamondo o quanto eu sou patético por gozar tão rápido e tanto , ela retirou sua sua e eu pude ver seus morenos seios redondos , ela colocou a blusa em minha frente e me fez lamber todo aquela porra , ela não parava de me provocar enquanto eu limpava com minha lingua sua blusa sua molhada buceta esfregava em meu penis flacido , isso tudo foi interrompido por Rosimeire que entrou na cozinha puxando pela coleira uma pessoa totalmente envolta de latex , ela caminhava com dificuldade em um saltos que pareciam machucar seus pés, ela estava presa em uma camisa de força totalmente feita de látex também, deixando de fora somente o bico de seu mamilo onde haviam dois pegadores de mamilos que davam suporte pra uma bandeja de metal , por debaixo daquela mascara era possível ouvir gemidos extremamente abafados como se tivesse algonem sua garganta o que mais me assutava e que ela parecia uma garota no auge dos seus 15 anos , Rosimeire sem muita demora testou diversos cintos de castidade por volta de meu penis pude repar que aquela garota era a que constantemente vinha defecar em min, quando me dei por conta da situação ate o momento onde ela colocou um que pude sentir meu penis desejando saltar pra fora daquilo , Rosimeire ria e falava enquanto dava tapas no meu saco escrotal:
-pronto meu amor , agora você está pronto pra gente casar ne filha, leve ele pra se ajeitar enquanto termino de preparar essa daqui
Jasmin me tirou da cozinha me levando ate seu quarto, chegando lá eu pude ver um belo vestido de casamento.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 1,03 de 146 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos