# #

Seu Arnóbio

550 palavras | 2 |3.78
Por

Meu primeiro adulto me fez conhecer o prazer de ter o cu cheio de pica.

Comecei cedo nas brincadeiras, chegando a ser disputado, nos pique esconde já tínhamos nosso esconderijo coletivo, chupava meus amigos, nesta época tínhamos idades que carnaval entre 10 e 12 anos, era gostoso mas eu ficava chateado com alguns amigos que tinham uma piroquinha e não endureciam, as penetrações não aconteciam devido a falta de prática.
Quando completei 13 anos, meus pais fizeram uma pequena comemoração convidando uns vizinhos. Entre esses ursinhos estava seu Arnóbio, morava ao lado de nossa casa, sua esposa morreu na pandemia, desde então ele mora sozinho.
Seu Arnóbio me deu um livro de presente, confesso que não fiquei muito animado, no término da comemoração seu Arnóbio perguntou para meu pai se eu poderia ir na casa dele no dia seguinte, para ajudar, meu pai claro concordou, eu não gostei nada do chamado, mas não foi me dado escolha. E assim no dia seguinte cheguei na casa de seu Arnóbio, fui recebido com um abraço bem apertado, durante o abraço seu Arnóbio sussurrou em meu ouvido que tinha um presente em cima de sua cama.
Quando cheguei no quarto fui surpreendido, um conjunto de calcinha e sutiã e uma camisola transparente, achei tudo lindo, nas não podia aceitar, fui até seu Arnóbio falei que eu era menino e não usava aquelas roupas. Um susto quando seu Arnóbio falou que sabia das brincadeiras escondidas com os amigos, tentei argumentar, mas fui interrompido aí ver seu Arnóbio colocar uma piroca enorme para fora e me oferecer para eu chupar, falei que era errado, mas não conseguia desviar meus olhos, aconteceu o previsível, pela primeira vez eu tinha uma piroca verdadeira dentro de minha boca, o gosto salobro e o cheiro não foram problemas, minha boca passou a ser fodida, consegui engolir toda a piroca, seu Arnóbio tirou a piroca e me fez voltar aí quarto e vestir meus presentes.
Meio sem jeito vesti as roupas, aí caminhar sentia a calcinha dentro de meu rego fazendo uma casquinha gostosa, seu Arnóbio ficou encantado, me elogiou e me pegou no colo, fui beijado na boca, fui me adaptando e imitando seu Arnóbio. Fui colocado na cama, entre beijos fui sendo despido, meus peitinhos eram mamados e mordidos me fazendo gemer, fui colocado de quatro, um misto de nojo e prazer me dividiam, meu cu estava sendo lambido, fui colocado deitado e para minha surpresa seu Arnóbio me chupa na frente, em minutos meu corpo passa a tremer e uma babinha sai, seu Arnóbio continua chupando até que me vira novamente e volta a chupar meu cuzinho, sinto ele cuspir e empurra sua língua.
Uma pausa e logo sinto algu encostar em meu cu, minha bunda é arreganhada, uma pressão e meu cu foi sendo invadido, uma dor intensa, apresar dos pedidos para parar
seu Arnóbio continua metendo, até que nossos corpos se encontram, ganho elogios, sou chamado de gostoso, lentamente seu Arnóbio deu início a um vai e vem, as dores foram diminuindo até que seu Arnóbio passou a meter com vontade, não demorou a gozar dentro do meu cu. Depois eu volto para terminar.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,78 de 23 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder adoro gordinhos ID:1dvvunbeptwu

    joel oque vc quis dizer com ursinhos?? nao entendi!!

  • Responder Bob ID:1cxrrtwofp0y

    Essa sua lua de mel está muito boa. Tomara que ele te arrombe muito 👏👏👏👏