# # # #

Meu pai gozou dentro de mim

1513 palavras | 9 |4.43
Por

História de como uma provocação entre pai e filho virou uma realidade

MEU TELEGRAM: @lipelops

Sou o Felipe, tenho 16 anos e vou contar como consegui ficar com meu pai, porque sei que muita gente tem vontade, mas tem vergonha de tentar algo.
Eu sou um pouco sarado, cabelos e olhos castanhos, liso e de pele clara. Meu pai é gordinho, peludo, cabelos grisalhos e pele clara. Ele tem jeito e voz de macho folgado, costuma ficar largadão em casa e sempre foi muito gostoso de assistir.
Eu gostava de admirar meu pai antes de descobrir que gostava de homens e eu me achava estranho por isso. Ele sempre foi muito carinhoso comigo, me fazia cafuné antes de dormir, me dava beijos na bochecha e me colocava no colo o tempo todo (era a melhor sensação de todas).
Meus pais trabalhavam todo dia e eu ficava sozinho a tarde inteira. Era o momento de pegar as cuecas usadas do meu pai e bater uma enquanto cheirava e assistia pornô… acabei gozando em algumas e coloquei de volta no cesto de roupas, mas ele nunca comentou nada sobre ter visto.
Eu gostava dessa liberdade de poder ficar sozinho, mas isso mudou quando meu pai ficou desempregado, porque minha mãe ia trabalhar e ficava só eu e ele em casa. No começo foi estranho porque eu não me sentia a vontade com ele em casa e acho que ele também não. Fiquei vários dias sem gozar porque ele queria que eu ficasse com ele o tempo todo assistindo televisão. Era dificil disfarçar o tesão porque ele usava shorts largos que marcavam o volume dele e eu não conseguia parar de olhar… ele me perguntava algo sobre o que estávamos assistindo e eu ficava perdido sem saber responder, só conseguia olhar pra mala dele e acho que ele percebia isso, pois começou a me provocar.
A sala era do lado do banheiro e enquanto assistíamos ele ia mijar e deixava a porta aberta (coisa que não acontecia antes). Enquanto mijava ele olhava de relance pra ver se eu estava observando e balançava pra eu ver, depois deitava do meu lado e voltava a assistir. Depois de alguns dias vendo ele fazendo isso eu decidi fazer o mesmo… ia mijar e deixava minha bunda pra fora, ele olhava e disfarçava, mas nunca tinha feito nada além disso.
Eu achei que poderia ser coisa da minha cabeça, porque estávamos a dias fazendo isso e não acontecia nada. Eu gozava assistindo pornôs de pai e filho, mas era a única coisa que eu podia fazer.
Até que em um desses dias ele esperou minha mãe ir trabalhar e ficou só de cueca no sofá… disse que estava com calor e perguntou se eu também estava, eu afirmei que estava e ele pediu para que eu ficasse a vontade na frente dele, que éramos pai e filho, dois homens e podíamos ficar de cueca ou até mesmo pelados na frente um do outro. Eu fiquei tímido, mas tirei a roupa e deitei ao lado dele no sofá, e na mesma hora ele me puxou pelo braço e deitou minha cabeça no ombro dele. Enquanto ele assistia a novela eu assistia o volume na cueca dele, fiquei de pau duro olhando porque era a primeira vez que eu via de perto, quase podendo tocar… ele percebeu que eu estava excitado porque fiquei tentando disfarçar, mas não aconteceu nada nesse dia. Minha mãe chegou do trabalho e ele pediu para que nós vestíssemos nossas roupas, foi ai que percebi a “intenção” dele.
Eu e meus pais jantamos e eles foram dormir, eu estava tentando, mas o sono não vinha de jeito nenhum, não conseguia parar de pensar no meu pai de cueca.
Então levantei sem fazer barulho e fui no banheiro pegar a cueca que ele estava usando, fui cheirando do banheiro ao quarto e na metade do caminho meu pai apareceu. Ele me perguntou por que eu tava cheirando a cueca dele e eu fiquei tão envergonhado que não sabia o que dizer… inventei que era a minha, mas ele sabia que era dele e continuou insistindo na pergunta. Viu que eu não ia responder e perguntou com a voz quase sussurrando se eu gostava de sentir o “cheiro da rola do pai” e eu envergonhado respondi que sim. Ele enfiou a mão por dentro da bermuda tactel e passou no meu nariz enquanto mandava eu voltar pro quarto (ele deixou eu ficar com a cueca). Obedeci ele e fui pro quarto… gozei muito pensando na cena que tinha acabado de acontecer enquanto cheirava a cueca dele.
No outro dia ficamos sozinhos como sempre e ele não comentou nada sobre o que tinha acontecido, tomou o café preto dele e foi assistir televisão… deitei do lado dele e ganhei um beijo na cabeça. Assistimos um pouco em silêncio e ele disse que ia tomar banho, tirou a roupa na minha frente e jogou a cueca que acertou na minha cara. Entrou no banheiro e deixou a porta aberta… não dava pra ver 100% porque o box tinha um vidro embaçado, mas consegui ver a silhueta do corpo dele. Ele abriu o box, pegou a toalha e se secou sem nem olhar pra mim… eu já tava de pau duro vendo ele pelado secando a bunda e as pernas.
Então ele saiu do banheiro, me olhou e balançou a rola com a mão (era a primeira vez que eu via a rola dele na minha frente). Era pentelhuda, grossa e pesada… não muito grande e tinha a cabecinha rosada. Ele foi andando na minha frente e eu acompanhando com os olhos, deitou no sofá peladão e pegou no meu pau duro brincando e dizendo que “alguém” tava animado… eu dei risada e ele mandou eu pegar na rola dele. Fiquei com olhar de duvida e ele acenou com a cabeça que eu podia, então eu peguei e balancei, brinquei um pouco e aos poucos foi endurecendo na minha mão… dei uns beijos na cabecinha, no saco e nas pernas e vi a rola dele durassa.
Comecei a mamar enquanto ele alisava minhas costas e aos poucos descia as mãos pra minha bunda. Ele molhou o dedo com a lingua e enfiou a mão por dentro da minha cueca, alisou meu cuzinho enquanto mandava eu continuar mamando. Era a primeira rola que eu mamava na vida, mas como já via muitos pornôs antes, tinha uma noção do que fazer. Eu engolia a rola dele com muita vontade enquanto ele gemia e dedava meu cuzinho.
Ele levantou minha cabeça e perguntou se eu aguentaria levar rola no cuzinho, respondi que não sabia e ele perguntou se eu queria… fiquei com medo, porque era minha primeira vez e ainda com meu próprio pai. Ele disse que se eu não quisesse não teria problema, pediu para que eu sentasse no colo dele e começou a me beijar. De primeira impressão foi estranho, senti algo além do tesão e não sabia exatamente o que… estavamos transando de uma forma carinhosa e eu fiquei me sentindo um pouco culpado na hora. Mas ele pediu para que eu me acalmasse, me levantou ainda no colo e com a rola roçando minha bunda ele continuou me beijando, com muito tesão e desejo. Virou de costas e me deitou no sofá com minhas pernas entrelaçadas nele, beijou meu pescoço enquanto passava a rola na minha. Eu fiquei no sofá de pernas abertas, ele ajoelhou e linguou meu cuzinho… falou que fazia tempo que estava doido pra me encher de porra. Mesmo com medo eu deixei o tesão me levar e pedi pra ele meter a rola dentro de mim… ele levantou, ergueu um pouco minha bunda e foi colocando devagar. Senti uma dor insuportável e não consegui aguentar, pedi pra ele parar e apenas gozar com a cabecinha dentro. Então ele começou a esfregar a rola na portinha do meu cuzinho enquanto eu batia minha punheta. Ele olhava no fundo dos meus olhos e eu não sei nem explicar o tesão que eu senti naquele momento.
Ele gozou enquanto gemia feito um macho, senti a porra dele escorrendo pelo meu rabinho… não resisti e gozei também (na minha barriga). Nos vestimos e prometemos que aquilo seria nosso segredo.
Durante dias eu senti um arrependimento enorme, não conseguia dormir e nem olhar pra cara dele. Ficava dentro do quarto o dia todo. Mas com o tempo vi que outras pessoas tinham o mesmo “fetiche” que o meu e aos poucos passei a normalizar e me tranquilizar com aquilo.
Voltei a ficar mais perto dele e nos reconectamos novamente.

Continua…

MEU TELEGRAM: @lipelops

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,43 de 63 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder @Casado_45 ID:8d5g1xtdv1

    A partir do momento que os 2 estão satisfeitos, vai longe. Bora trocar ideia quem curte incesto

  • Responder Rickii ID:1cw7k3bbvgtk

    Tesão de conto. Alguém quiser trocar ideia teleg. @Rlmmmmmm

  • Responder MATHEUS ID:1dv14hdfhycl

    AMEI SEU CONTO

  • Responder Luiz ID:3v6otnnr6ic

    Seu conto foi nota 10 todo viadinho sonho com o que vc viveu de verdade com seu pai e consegui transar com tio, padrinho, irmao mais velho mas com meu pai nunca consegui fiz varia tentativas mas se fazia de desentendido ficava com o pau ruro mas me afastava dele por exemplo todo dia 6 horas da manha minha mae se levantava para fazer as coisa da casa eu ia para cama dele e deitava com ekle so de cueca branca de tecido eu encostava minha bunda no pau dele quando começava a endurecer ele mandava eu sair isso era quase todos os dias

    • Macho bi ID:1h4fjj52v9d

      Conto excelente, diz aí se rolou mais alguma vez, qualquer coisa com teu paizão

    • @lipelops ID:gqawlmxib

      Fico feliz que tenha gostado do conto! Sou muito feliz por ter conseguido o que muita gente sonha, pois infelizmente são poucos os familiares que tem coragem de fazer algo assim…

  • Responder skype: ric.silva2014 ID:1d9wjwu57tu3

    Delícia de conto, novinhos de Brasília que quiserem ter uma experiência como essa, só enviar mensagem para o professor no skype.

  • Responder MATHEUS ID:1dv14hdfhycl

    Tenho 21 anos atualmente quando eu tinha 19 anos eu tirei a virgindade do cuzinho do meu irmão de 10 anos.
    Já faz 2 anos que como meu irmão direto ele viciou na minha rola.
    Quero fazer amizade com você me chama no SKP [email protected]

    • Mulhersinha ID:1dn08sr5xpe7

      Meu tiú de 16 anos me fez de mulherzinha com 8 anos por isso meu codinome , hoje tenho 43anos , se falo isso fora dese Sait chamariam ele de abusador .
      Mas nunca me vitimisei kkk ele apenas inaugurou meu parque 🏞️ de diversão.
      E vc e teu irmão como encaram essa situação