# # #

A nova fase 01

1789 palavras | 1 |4.18
Por

Nessa nova fase eu irei relatar como foi a introdução da nossa filha no meio do sexo como era esse mundo mais séria tudo do jeito dela e não nosso.

Nessa nova fase da nossa vida depois que quebramos as barreiras entre nós,
Era fácil tomar umas decisões em grupo fazemos escolha colocamos limites entre nós tudo isso foi discutido entre nós.
Primeiro coisa foi não bastava eu falar pra Daiane pra ela dá pra alguém ela teria que aceitar também ela não iria fazer só os meus gostos.
Assim também seria com ela se ela me falasse que queria dar para alguém eu teria que saber quem era se eu concordava ou não,
A minha mãe também iria entrar nesse tipo de escolha nosso.
Fazemos muito critérios para não deixamos virar bagunça entre nós pra não ficamos falando na cidade.
Poriso nós já vamos logo colocando o seu Antônio no lugar dele e falando também com o seu Geraldo que as coisas iriam ser assim entre nós e que tinha espaço pra ele também.
Ele de início ficou meio preocupado com o tempo virou ótimo companheiro nosso um grande amigo eu tinha mais confiança no seu Geraldo doque no seu Antônio.
Mas o seu Antônio nunca vez nada fora do normal com nós sempre foi um bom companheiro também.
Bom na nossa conversa era como nós iríamos discutir isso com a Abgail ?
Primeiro não era chegar nela e falar pra ela ir dar pra quem ela quisesse.
Depois tenho aquela coisa que se ela era uma menina que já estavam procurando sexo pela a vontade ou se ela estava procurando sexo por curiosidade,
Será que ela tinha visto eu mais a mãe dela isso provocou desejo sexual nela ?
O será que ela já tinha no sangue os mesmos desejos da família ?
Poderia ser também só uma curiosidade dela também.
Então teríamos que reforçar os olhos nela pra ver oque ela estava procurando pra gente entrar no assunto com ela.
A Daiane de início achava que era muito cedo pra gente fazer aquilo que deveríamos esperar mais um pouco porque ela era muito nova pra isso.
Ela iria fazer dez anos e menos de quatro meses.
Eu até aquela conversa nunca tinha olhado pra Abgail com os olhos de malícia ou vê nela coisas impura pra mim ela era uma criança não sabia de nada ainda não fazia ideia de nada sobre o sexo então tinha uma barreira tanto entre eu como na Daiane sobre a Abgail.
Nós iríamos marcar a Abgail em cima iria passar a ficar de olho nela em tudo.
Nós buscamos eles no domingo e no caminho de casa já passamos a observa ela,
Eu que nunca tinha reparado nada nela já passei a observar ela com outros olhos,
Eu já tei uma olhada nas perninhas dela olhei a bundinha dela que era bem redondinha e bem empinanda olhei os locais de onde iria nascer os peitinhos dela tinha um biquinho bem fininho dava pra ver até um caroço querendo forma.
Ela quando me deu um abraço eu apertei ela em mim só pra sentir aquele peitinhos dela mas não deu pra sentir nada ainda.
Eu não sei oque me deu mais eu passei a imaginar como como era a bucetinha dela porque eu não tinha costume de reparar ela.
Então eu passei a imaginar como era ela eu nunca tinha reparado a bucetinha dela nada dela mais passei a ficar com vontade de ver tudo nela.
Como ela seria na cama se ela já aguentaria um pau inteiro dentro dela se ela iria gostar de sentir isso se ela tinha vontade de sentir um pau na bucetinha como seria isso ?
A minha mãe mais a Daiane tinha me contado que já aguentaria um pau mais não poderia ser um pau grande teria que ser um pau pequeno no máximo médio.
Bom voltamos pra casa os meninos tomaram banho eu fui tomar banho só pra olhar a calcinha dela pra ver como estava.
A calcinha dela estava muito babada tinha uma coisa amarelada no rumo da bucetinha dela parecia mais um cebo e sujeira tinha um cheiro muito forte de urina era forte mas gostoso aquele cheiro.
Eu não sei oque eu estava pensando ou procurando na calcinha da minha filha,
Porque eu não tinha tesão nela não via ela como mulher eu mesmo estava mais perdido que tudo naquela curiosidade minha.
Mas a imagem de vê ela brincando com uma pica que me chamava a atenção.
Bom os meninos estavam de férias então a Daiane ficou de olho neles pra ver se descobria alguma coisa que eles estivessem fazendo errado.
Mas nada saiu do normal durante esse tempo nisso nós ficamos nas reformas que iríamos fazer na casa da minha mãe nós estávamos disposto a fazer até piscina na casa era uma reforma geral iríamos mudar tudo na casa da minha mãe.
Durante esse tempo nós ficamos trepado só entre nós mesmo era o seu Antônio o seu Geraldo o Vinícius eu a minha mãe a Daiane e a Laís.
Nós estávamos na casa da minha mãe até tínhamos esquecido dos meninos porque não vimos eles fazerem nada de errado então achamos que era coisa da cabeça da gente.
Bom do nada Abgail sentou no colo do seu Geraldo.
Ele tirou ela do colo dele foi nesse momento que a Daiane viu e me chamou pra me mostrar ele entre as pernas dele e o seu Geraldo tinha colocado a mão pra tampa o pau dele pra Abgail não fica pegando porque ela disfarçava e do nada ela levava a mão no pau do seu Geraldo.
Ela mostrava determinada a pegar no pau dele.
Nisso nós mostramos pra minha mãe que passou a observar também o jeito dela.
A minha mãe mandou a Daiane chamar ela pra fazer alguma coisa mais não era pra falar nada com ela.
Era só um meio pra distrair ela dali.
Nisso que a Daiane chamou ela para arrumar uma coisa pra ela a minha mãe foi até o seu Geraldo e falou alguma coisa pra ele que chegou a assusta ele mais a minha mãe tinha mandado ele deixa ela mexer no pau dele pra ver oque ela estava querendo ver ou fazer.
Bom nisso a minha mãe deu sinal pra Daiane soltar ela pra ver se ela iria voltar para o lado do seu Geraldo.
Ela primeiro foi pra perto dos irmãos dela depois ela voltou pra perto do seu Geraldo.
Ela colocou o os braços em cima das pernas dele depois ela começou com uma coisa como se estivesse batendo nas pernas dele.
Até ela chegar com a mão no pau dele ele correu os olhos em nós e nós fizemos sinal pra ele não mexer era pra deixar.
Ela passou a mão depois ela tentou fechar a mão no pau dele ela foi mexendo no pau dele até colocar o pau dele pra cima das pernas dele ela foi tão esperta que ela colocou o pau dele pra cima e ainda fechou as pernas dele para o pau dele correr pra baixo.
Ela ficou ali alisando até que ela quis subir no colo dele isso era ela fazer ninguém estava falando nada pra ela.
Então ela sentou de um jeito que o pau dele ficou no meio da bundinha dela.
Ela tentava disfarçar mais dava pra ver no semblante dela que aquilo estava mexendo com ela.
Ela estava ficando vermelha nisso ela dava pequena mexida no colo dele era como se estivesse esfregando a bundinha mais a bucetinha no pau dele ela levava o corpinho dela pra trás para que encaixasse melhor a sua bundinha no pau dele.
Ela suspirava forte o suor dela começou a correr nisso a Daiane veio para perto de mim e segurou no meu braço nisso ela tremia toda vendo aquilo acontecendo alí na nossa frente.
Realmente e uma situação que acaba deixando a gente muito nervoso com isso mais aquilo era coisa dela e não nossa.
Nós disfarçava mais estávamos todos de olhos abertos em tudo.
A Abgail toda aberta no colo do seu Geraldo esfregando a bundinha e a bucetinha no pau dele não era uma coisa que se vê todos os dias.
Ela estava tão focada no que ela estava fazendo que ela chegou esquece de nós alí,
Alí não tinha ninguém pelado ela estava com uma bermudinha de pano e uma camiseta branca.
O seu Geraldo estava de calça e a camisa social velha.
Então a Abgail começou a apertar as pernas e segurar a respiração abaixo a cabeça levou as mãos na colcha do seu Geraldo ficou ali tremendo um tempo em cima do colo dele.
Eu estava com o meu pau tão duro que eu achei que ele iria pular pra fora de tanto tesão que aquilo tinha me dado.
A Abgail desceu do colo do seu Geraldo e foi pra perto dos irmãos dela e lá ela ficou pensativa.
Eu chamei a Daiane La para o quarto e não quis nem saber fiz ela deitar e subir em cima dela e comi ela que nem louco não demorei nada porque eu estava com muito tesão aquele momento.
Eu fui saído de cima dela o seu Antônio estava atrás de mim e me pediu pra mim se podia também eu só sair de cima dela o seu Antônio começou a comer a Daiane mais a Daiane estava muito pior que nós porque ela tinha gozado antes de nós começamos a comer ela.
Eu sair pra fora e deixe ela dando para o seu Antônio sozinha.
Eles ficaram um tempo bom lá dentro eu fui ficar de olho nós meninos.
Isso se eles fossem para lá tinha que alertar eles no quarto.
Bom agora nós tínhamos oque falar com a Abgail agora nós iríamos fazer de um jeito diferente com ela.
Era o início de tudo era sabemos oque iriamos fazer pra não deixar ela com medo doque tinha feito.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,18 de 11 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Gregorio de Mattos ID:1eqhzz3ub7h1

    Ora, ora . Eis que o autor nos presenteia com uma fase mais ousada e perigosa pois estará andando no fio da navalha.
    Estou ansioso para ler e degustar a fase nova.