#

Coisas de crianças

676 palavras | 17 |4.56

Não vou me identificar, apenas vou contar um fato inusitado que me fez refletir algumas situações que pessoas julgam errado.

Eu tenho 50 anos, namoro uma mulher de 45 anos, ela tem um filho de 8 anos e uma sobrinha também de 8 anos.

Estava na casa dela uns 15 dias atrás quando o irmão dela chega com a sobrinha, a Lurdes ou Lurdinha, é uma menina magra, carinha e jeitinho de criança mesmo, aparentando os seus 8 anos, ela estava com uma top e um shortinho jeans, nada escandaloso, porém o short era bem larguinho na altura das pernas, um pouco abaixo da virilha.

Resolvemos assistir um filme infantil, deitou no sofá, eu, minha namorada, o filho dela e a sobrinha, o filho dela não parava quieto e com isso descobria a prima, então a minha namorada pediu pra ela deitar ao lado dela e deixar ele na ponta do sofá, o sofá é esse retrátil, fica quase uma cama, então estávamos todos deitado de frente para a tv.

Um determinado momento, eu comecei a fazer um carinho na Lurdinha, porém achei que estava fazendo um carinho no braço dela, pois sempre costumo fazer carinho nela, no braço, na cabeça dela, nunca tive segunda intenção, na verdade esse papo de fazer sexo com criança nunca me agradou, porém esse fato mexeu com minha cabeça.

Então senti a pele dela, e subi minha mão, senti que não era o braço e sim a perna, quando subi mais um pouco, minha mão entrou por baixo do shortinho e senti sua virilha, então meu dedo mindinho (acho que é assim o nome dele) encostou na calcinha e virilha dela, porém continuei a fazer carinho, pois meu braço estava por trás do pescoço da minha namorada que estava deitada no meu peito.

Eu fui tirar a mão e senti que ela puxou de volta, fiquei assutado e continuei, quando sinto ela se mexer e um calor no meu dedo, ela simplesmente foi mais para o lado da minha namorada, e fez meu dedo tocar bem na bucetinha dela, eu não tirei, queria ver até onde chegaria isso.

Fiquei surpreso quando então sinto a mãozinha dela por cima da minha e sinto a rachinha da bucetinha dela, ela puxou a calcinha para o lado, olhei e ela estava de olhos fechados, caralho que tesão eu senti na hora, ela estava se esfregando lentamente no meu dedo e curtindo o momento, então coloquei dois dedos em cima da bucetinha dela e deixei ela se esfregar e curtir o momento, meu pai estava uma pedra, estava rezando para minha namorada não passar a mão e ver minha excitação, pois eu não teria argumento pra isso.

Nesse momento eu também já não fazia mais questão de tirar meus dedos dali, pois ela está numa idade de conhecer o corpo, sentir “cócegas” em certas partes do corpo, sentir emoções e prazeres diferentes, claro que é uma criança e ela não sabe o que é prazer, mas essa descoberta é fundamental nessa idade.

Eu não senti a bucetinha dela melada, como muitos dizem nos contos, sentir apenas a bucetinha dela quente, pegando fogo, apenas deixei ela sentir aquele momento, até ela fechar as perninhas com força prendendo os meus dedos e dar uma risadinha sozinha, acredito eu, que ela teve o que podemos chamar de “orgasmo”, mas nada como um orgasmo de uma menina com mais idade ou mulher.

Não teve penetração, não teve abuso e não tenho vontade de fazer nada com ela, apenas quis deixar ela curtir aquele momento nos meus dedos e acredito que foi uma sensação muito boa, pq logo na sequência ele dormiu com um soninho bem pesado.

É isso, quis apenas narrar um fato que foi gostoso, sem safadeza e que não pretendo levar a diante.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,56 de 59 votos)

#
Comente e avalie para incentivar o autor

17 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Mikaela ID:1e21ngyezzcr

    Ao autor do conto você entendeu mal!!! eu serei a Lurdinha, claro que você nunca poderia saber o que se passa na cabeça de uma garota… lembre-se agua morro abaixo, fogo morro acima e garota que quer “dar” ninguem segura. Retorno segunda para ver tua decisão Abs

    • . ID:1czjkx0amgij

      Doido pra ler isso…

  • Responder Sergio ID:1e9pci3sa46i

    Ola Autor do Conto. Depois que ela praticamente gozou e sentiu esse prazer é claro que ela vai te procurar novamente para repetir. Tens que ter cuidados para não machucá-la se tentares a penetração com os dedos, deixe ela conduzir a situação que assim não terás problemas e quem sabe ela possa querer “algo” a mais no decorrer dos acontecimentos.

  • Responder Mikaela ID:1e21ngyezzcr

    Nena bom dia, caso retorne aqui, gostaria de conversar com você, mas não no aberto, se interessar, coloque aqui teu mail para eu te procurar, afinal ministro aulas sobre expressão corporal em um determinado colégio, e estou acostumada a entender as necessidades de crianças , pré-adolescentes e adolescentes Abs

  • Responder Paulo Roberto ID:81rd4h2v9k

    Deixa rolar. Que fique sendo ela a tomar a iniciativa. Apenas deixe-a te usar para o prazer dela. Nada como as coisas irem acontecendo devagar, progressivamente e com muito tesão para todos.

  • Responder Mikaela ID:1e21ngyezzcr

    Boa tarde ao autor, bem narrado, apenas poderia ter escrito os diálogos, outra coisa (aliás gosto muito de escrever sobre) porque não esta mesma historia agora na visão da Lurdinha? se te interessar podemos conversar. Sabia que A partir dos três ou quatro anos a criança começa a explorar cada pedacinho do corpo e percebe em cada um deles uma sensação diferente. É neste momento que o pequeno acaba tocando o pênis ou a vagina … pois é !!!

    • Nena ID:mo5dl9qccao

      Então Mikaela, não era uma masturbação pois não sabia ao certo né, me lembro que deitava de bruços e ficava pra baixo e pra cima pressionando,e também teve algumas vezes de estar no banheiro sentir essa vontade e pressionar contra a pia que era um lugar mais duro no caso

    • Autor do conto ID:g3j0j5vzl

      Olá Mikaela, tudo bem? Então, não tem como fazer isso contado pela Lurdinha, até pq isso foi real e não tem como eu descrever o pensamento e o prazer dela. Sobre o diálogo, não ocorreu diálogo, aconteceu o que descrito no relato acima, sem conversas, tudo no silêncio.

  • Responder Nena ID:mo5dl9qccao

    Talvez os hormônios estivessem começando a amadurecer quando eu estava com dez , me senti aflorar e sentia vontade de me esfregar nas coisas

    • Mikaela ID:1e21ngyezzcr

      Oi Nena boa noite, só se esfregar ou tentou se masturbar?
      Abs

  • Responder Pau grosso SP P3rv ID:469csta88rd

    Um menino e uma menina de 8 pra vc, nao perde a oportunidade de fazer eles felizes no sexo. Alguem de SP capital? T3l3 Lobowolf55

  • Responder Ronaldo ID:830xmr68rc

    Isso é normal mesmo, Tive uma experiência mas ou menos assim com minha filha de 9 anos quando estava ajudando ela no banho, como tinha machucado a mão e estava enfaixada fui ajudá-la. Normalmente é a mãe que ajuda mas nesse dia como estava somente eu e e ela coube a mim. Quando estava ensaboando a pepeca me detive um pouco no grelinho e notei que ela estava sentido algo, fechou os olhinhos e abriu um pouco mais as perninhas, empurrou mais o quadril em direção a minha mão e começou a tremer, me dando a impressão que gozou. Sei que nessa idade não sabem ainda o que é gozar mas deve ter sentido uma sensação gostosa.

  • Responder N Ramos ID:1ekrt1vc12na

    Compreendo essa situação, pois quando dei por mim estava acariciando a bocetinha da minha sobrinha de 7 anos. Posso afirmar que ela também aproveitou

    • Titio ID:1cyjpzbf4g8f

      N ramos também faço isso com minha sobrinha claro escondido ela gosta

  • Responder @Elis99 ID:mujl2b940

    Muito gente nem faz ideia disso mas é assim mesmo, desde muito cedo sentimos estímulos lá rs

  • Responder Alguem5 ID:10vt1czm6pqe

    E instinto! Passei por algo parecido, meu caso eu dei o pau na mão dela. E nem precisei pedir. Pouco tempo já tava mamando igual bezerrinha.

    • Celso ID:1ex50y4us43e

      A neta da minha vizinha tbm fez isso, qdo deixei-a pegar na minha rola. Só deixei pq ela pediu. Foi uma coisa inesperada. Eu estava no banheiro urinando, e a porta estava aberta. De repente a menina me apareceu com um copo na mão, dizendo que avó pediu um pouco de óleo. Chamei sua atenção, dizendo que tinha que bater na porta qdo ia na casa de alguém. Ela disse que bateu duas vezes, pegou na maçaneta, a porta abriu, ela entrou. Dei o óleo e ela se mandou. Pouco depois, batetam na porta, abri, era ela. Perguntei o que queria, ela enteou, e enrolou pra falar. Não me passou pela cabeça que ia me pedir algo tão inusitado. Disse que quase viu meu pau, mas escondi rápido, pediu pra ver. Falei que ia contar pra avó dela, ela riu e falou que tinha visto a do primo “um monte de vez”. O tal primo qdo vinha visitar à avó, mas até aí era coisa deles né. Acho que ele tinha uns15a, sei lá, e ela 10. Porém insistiu tanto, que resolvi mostrar. Levei-a pro quarto, botei sentada na cama, tirei pra fora e mostrei. Ela pegou com gosto, falou que era “bem grandão”, maior que a do primo. Falei que tem maiores. Ela riu, falou que era tão grandão que nem cabia na boca dela. Opa ! Perguntei se chupava a rola do primo, ela confirmou. Perguntei se queria chupar o meu. A resposta foi meter na boca e chupar. Chupou um pouquinho, parou, olhou pra mim e falou que não era pra “goza” na boca dela. Pqp, pensei, ela é uma tremenda de uma putinha. Qdo senti que ia gozar, estava tão bom que não avisei. Qdo sentiu os jatos de porra, tirou da boca e ficou segurando. Foi porra até na testa. Não ficou tão brava como pensei que ia ficar. Levei-a pro banheiro pra se lavar e dei-lhe até uma escova de dentes nova. Dez minutos de papo, e fiquei sabendo que o primo já tinha tirado o cabacinho, e até as preguinhas. Por isso que ele vinha visitar à avó, era pra meter com a prima, mas ganhou um sócio. Não meti nela naquele dia. Mas no outro, gozei até no cusinho mesmo ela chorando e reclamando que estava doendo.