# # # #

Diário de menina pobre 3 (primeiro anal)

1240 palavras | 7 |4.65
Por

Me chamo Renata sou branquinha olhos castanhos cabelos castanhos claros 1,54 60. Sugiro vcs lerem meus outros relatos para entenderem como fui e pq fui me envolvendo com o Sr Ricardo.

Ele tinha encomendado um bolo para o sábado e pediu que eu levasse no apartamente dele na sexta-feira a noite. Eu queria terminar aquilo tudo que tinha começado, mas nao sabia como e de certa forma era um dinheiro a mais que entrava para mim. Dentro da minha cabeça fervilhava um monte de sentimentos que nao sei explicar, era uma coisa errado, mas que me puxava para fazer sabem? Nao consigo explicar..
Anquela sexta-feira enquanto finalizava o bolo recebi a mensagem do SR Ricardo
-Oi Renatinha, te espero aqui hoje as 19 para trazer o bolo de amanhã. Vem com um vestidinho daqueles que vc usa, vou te dar um presentinho além do bolo.
Eu sabia que isso significaria ter que me entregar novamente para ele, nao me julguem mas pensava nas coisas que poderia faze rou comprar com aquele possível dinheiro extra. Era um circulo, eu nao queria, mas ao mesmo tempo o dinheiro era importante para mim.
De certa forma eu acho que ele até gostava de mim e tava me ajudando.. Errado pensar assim ne? Mas pensava.
Tomei um banho demorado, passei creme na pele, de certa forma eu queria deixar aquele homem satisfeito, talvez pudesse me dar mais por isso, nao sei rs. Pensava mil coisas rs.
Minha vó estava indo para a igreja e depois iria ficar com as amigas da igreja num karaoke, eu falei que só ia entregar o bolo e ficar em casa. Ela ainda falou que bom, tomara que ele fique feliz.
Mal sabia ela.. Me arrumei, coloquei um vestidinho desses soltinhos que ele pediu e fui. Toquei no apartamento dele
-Olha ela.. chegou! Que bom. Entra me daqui o bolo, ficou bonito.
-Brigada, o valor é aquele mesmo, mas o Sr já adiantou uma parte dos ingredientes.
-Relaxa, vou pagar integral. Eu te ajudo e vc me ajuda lembra.
-Eu termenei meu namoro – Falei do nada e sem pensar
-Humm, mas eu nao te pedi isso nao, pode namorar a vontade. Vc sabe que nao temos nada não é?
-Sim; Respondi e fiquei em silêncio.
Nisso ele vem para perto de mim. e me beija , beija meu pescoço, sinto a mão dele descer a alça do meu vestido .
Quero beber alguma coisa- falei cortando
-O que vc quer?
-O que vc beber. – Falei querendo algo forte para me tranquilizar
-Vou preparar um wisk. sentei no sofa e ele preparou o wisk, voltou para perto de mim e ficou em pe´na minha frente e me deu um copo, eu virei e ele se assustou.
-Calma, nao era para virar nao, falou rindo
-É assim ó, – Nisso ele molhou o dedo no wisk dele e paoou na minha boca.
-Abre a boca e chupa meu dedo – Eu sentia aquele dedo gelado da bebida e ele colocou outro, chupava dois dedos dele.
-olha pra mim.
Olhei para ele, ele tirou os dedos e me deu um tapa na cara, nao forte, mas um tapa.
-Bebe, nao quer virar, então bebe de novo.. bebi aquela dose e fiquei um pouco tonta,nao sei se é bebida ou a rapidez. Ele tirou a bermuda e eu peguei no pau dele.
-Chupa vai, amo seu boquete.
Chupava lentamente, bem babado lambendo a cabeça, o pau e seu saco. Quando fui lamber suas bolas senti ele bater com o pau no meu rosto. Ele puxou meu cabelo
-Olha pra mim – E batia com o pau duro no meu rosto
-Tira o vestido e fica de calcinha. Falou isso e foi pegar outro wisk- Ele sentou pelado no sofa e falou
-Dança pra mim de calcinha
-Dançar, eu nao sei rs. Falei dançando um pouco segurando meus seiosl, virei de costas e senti um tapa na bunda e um puxão me fazendo cair no seu colo
-Rebola vai, rebola nele piranha – Rebolei e ouvia seus gemidos falando da minha bunda..
-Vira de frente, tira a calcinha. – Tirei e me preparei para sentar nele,
Sentava no seu pau com sua boca no meus seios, lambendo apertando, chupando, eu tava até curtindo aquillo, fechei os olhos e cavalgava nele. Estava curtindo aquele lance, até que ele pediu para parar.
-Para para, nao quero gozar, vamos para o quarto. No quarto ele me debruçpi na cama e me penetrou por tras, socou por um tempinho e tirou.. Olhei para tras e vi ele mexendo no armário pegando um creme, que passou em mim, super gelado, ele passou no meu cuzinho; era gelado. Nisso ele comecou tentar penetrar um dedo, Apesar de nunca ter dado a bunda, aquele dedo nao estava doendo, era estranho me sentia invadida, mas nao com dor… Ele tirou o dedo e encostou a cabeça do pau dele . e foi forçando senti uma pressao mto grande, uma dor enorme, a sensação que era de um coco preso doendo.. rs
-Ai ai tira ta doendo..
-Calma renata, doe um pouco mas passa, faz força para fora.
Eu nao entendia nada, me senti aliviada que ele tirou .
-Nao dá, a gente faz outra coisa, mas isso nao vou conseguir. Falei tentanto me virar., ele me segurou pelos quadris e passava mais creme no penis dele.
-Shii calma. Se doer eu vou parar. – Falou isso e veio encostando de novo a cabeça do penis e forçando, do nada escapou para cima,
Ele enquanto passava mais creme, colocou o dedo de novo, agora o dedo dele entrava fácil
-Olha como já ta abertinho, é so relaxar. Ele colocou a cabeça com mais creme ainda e eu senti uma dor gigantesca, ele foi jogando o peso do corpo em cima de mim
-Ai ai ta doento, tira por favor.- Sentia a cabeça dele abrindo meu cuzinho
-Agora já entrou e vai entrar maisssss. Ele falou isso e colociu tudo; Eu chorava um pouco, tava doendo pacas..
-Agora vc ta dando a bunda pro teu macho putinha. Agora vc é uma puta completa.
ele ficou nisso pouco tempo e falou que tava gozando. Depois disso ele foi amolecendo e tirando a pressao de cima de mim..Ele levantou e falou
-Caraca meu pau ta todo sujo de sangue e coco. E foi para o banho.
Eu fiquei ali de bruços, nao tinha força para levantar, senti um liquido escorre na minha perna, era um pouco de sangue, Corri para o banhero e pedi para entrar no box.
Ele me disse entra com ele lá dentro, eu entrei e comecei a me limpar, ele ajudando, senti mtaaa dor quando o sabonete bateu, e tava meio aberto,
Ele fechou o chuveiro e falou
-Ajoelha aqui pra mim, Seu pau tava mole e eu ia colocar na boca achando que era boquete que ele queria
-Nao nao, fica parada- Nisso senti que ele comecou a fazer xixi, tentei tirar meu rosto mas pegou um pouco e foi nos meus seios..
Ele ria e balançou o pinto acabando
-Vc é uma delicia e saiu do box. Fiquei lá um pouco deixando a água cair e pensando…
Quando sai ele disse que o dinheiro estava na mesa, peguei e vim embora.
Ele me deu o dobro do valor.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,65 de 57 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Alice ID:g3j1dj6ii

    Já fiz isso também

    • Dmd_87 ID:830xog1qr9

      De onde vc? Idade?

  • Responder DOM ORFHEU ID:1diyf01kzyf4

    li seus contos e o que percebi que no comeco vc ate sentia repulsa por estar se vendendo pra ele mas vc sabe que ama como ele te trata e o pretexto de vc ganhar um dinheiro extra e mentira, vc ama quando ele te trata como uma cadelinha no cio uma putinha de esquina e ama ser usada e fodida sem do por ele, ja conheci mtas como vc e admita vc ama ser uma puta submissa

  • Responder Oto-san sensei ID:gy0k82ndhnj

    Muito bom seus contos, parabéns!

  • Responder Sp mil grau ID:41ii13z0m9i

    Delicia re, conta mais pars nos.

  • Responder 40tão ID:1e4hjitq8y55

    Hummmmmmmmmmmm
    Que delícia de conto
    Continue escrevendo seus relatos
    Bjsss

  • Responder Vaphi ID:1e87b7r05lz0

    Muito bom, só pulou a parte 2.