# #

Tudo em família lesbica 23

2442 palavras | 2 |3.80
Por

Continuando: Depois que seu Gil saiu da minha casa e já era mas de meia noite eu fui tomar um banho pois estava toda peguenta de porra pois a primeira gozada que ele me deu foi na boca e no rosto e em meus seios no banho eu sentia meu cu mole pois conseguia enfiar meus quatros dedos com facilidade e depois fiz uma chuca como mamãe me ensinou, eu colocava a borracha do chuveirinho e trancava o cu e sentia minha barriga encher e logo trocava e água saía com pressão e vinha porra junto com filetes de fezes quando saiu só água eu me sequei e fui nua pra sala, sentia um incômodo no cu e fui no quarto de minha mãe acendi a luz e como tem um grande espelho no guarda roupa eu fiquei de quatro no pé da cama e abri minha bunda e vi meu cu aberto e a tripa querendo sair e falei pra mom mesma, estou arrombada a pica do Gil destruiu meu cu todo, aí me lembrei que tinha pedra hume em casa e me enrolei na toalha acendi a luz da área e peguei a bacia que usava pra colocar roupas e fui no box e coloquei água quente com as pedra hume e sentei me ardeu muito pois o cu estava aberto ms logo passou logo me vesti e coloquei um absorvente e deitei no tapete pois sentia o cheiro do Gil e fiquei pensado se é na minha buceta ela iria ficar pior e logo peguei no sono, no outro dia acordo tarde assoberbado horas e percebo que estou toda molhada e penso será que fiz xixi ou gozei fui ao banheiro e vi que não cheiro de xixi mas era de fezes aí pensei é da chuca pois a água fica retida dentro troquei de absorvente e vesti uma saia e uma blusa e fui tomar me café e logo lavei o lençol que sujou de esperma meu e do Gil, neste dia ainda chovia e estava tudo deserto e como já tinha tudo pronto fiquei vendo tv sozinha, aí me lembrei do meu cu aberto e fui no quarto tirei minha calcinha e olhei meu cu no espelho e vi que estava fechado não como antes aí eu vi a fita métrica e medi a pica de borracha e vi tinha 15cmts por 4 de grossura e veio na cabeça acho que pica do Gil é maior e mas grossa, fiquei descansando e nada da chuva parar eu preocupa como Gil irá vir, e fiquei detada no sofá e cochilei, e quando acordei olhei e nada de trégua da chuva,fui à cozinha comer alguma coisa, devia ser quase 15hs quando pego uma toalha coloco na cabeça e vou ao portão e não vi ninguém é quando vejo lá vem o Gil na sua bicicleta na chuva, eu abri o portão e deixei aberto, Gil entra e vai direto e deixa a bicicleta e tira a capa eu digo coloca tua s coisas na área, e eu digo pensei que vc não iria vir pois está a chover e Gil me diz como não vir pois vc foi a única que não fez escândalo e aguentou toda minha pica, Izabel eu em casa pensei como pode uma menina aguentar fazer o que vc fez me aguentar e sei que vc sentiu dor e pude sentir suas unhas em minha costas, eu disse Gil doeu muito mas suportei porque tive desejo e tezão por vc e vou te dizer depois que vc saiu olhei meu cu e vi todo destruído e dolorido, pois suportei vc arrombar meu cu todo e não reclamo pois amei e lhe afirmo quero muito mas,Gil olha pra mim e me puxa e diz vc é uma puta mirim e me beija, aí eu digo calma vou trancar a porta, nisso Gil tira um vidrinho do bolso e eu pergunto o que é isso é Gil diz hoje vc ira ser meu doce vou te chupar a base de mel puro, e falo meu coroa eu vou quer tua porra na boca, Gil rir e famos pra sala, Gil me pega no colo me beijando e se senta no sofá e me dava cheiro e dizia queria que vc fosse maior de idade pois eu iria te arrombar tua buceta iria te encher de porra todo dia, eu disse Gil deixa eu pegar uma coberta pra forrar aqui e fui peguei e trouxe a fita métrica ficamo namorando e Gil foi tirando minha blusa e meu short e eu fiquei de pé e tirei meu sutien e minha calcinha ficando nua pro meu velho tarado e fui e fiz ele tirar sua camisa e já fui abrindo sua calça e puxando junto com a cuéca e pude ver a pica mole e flácida e eu comecei a passar a ponta da minha língua fazendo a pica dar sinal de vida, nisso Gil me beija e pega vidrinho de mel e me senta no seu colo e joga mel nos meus bicos que já estavam duros e oriçado em voltados mamilos, Gil mama como um nenê faminto e crava os dentes me arrancando gritos abafados e me abraçava com força que parecia que iria me quebrar, e peço pra me soltar e fico de joelho e jogo mel na sua pica meia mole e vou colocando na boca e levo até na garganta mas sinto ele querer ficar duro e rápido tiro e fico mamando a cabeça que por ser grossa de mas não entra sem forçar, e vou descendo e começo a lamber suas bolas pois Gil tinha um saco grande e pesada e logo botei um ovo dele na boca e fui sugando devarzinho pra não machucar ele é trocava de bola de vez enquanto deixando Gil todo largado e curtindo o momento é volto a mamar na pica com vontade e quase fazendo o Gil gozar e ele me puxa e me deita no sofá e espalha mel nos meus peito e chupa um da cada vez até limpar todo mel aí ele começou a morder chupar e apertar me fazendo se contorcer como uma minhoca no chão quente e falo aiiii uiiii Gil me devora toda morde mas meus bicos e ele vendo que estava alucinada de tezão começou a dar tapas nos meus bico me fazendo urrar e dei um gritinho uiiiiiiiiiii Gil me trata como puta pois sou tua puta nisso acabo de falar ele me arreganha todo no sofá que pense que ele iria meter na minha buceta e até levei a mão pra impedir, mas não ele jogou o mel na minha buceta que escorria pro meu cu e Gil vai e cai de boca e chupa minha buceta e lambendo junto meu cu que piscava a cada línguada que ele dava Gil começou a dar tapas no grelo me fazendo gritar e falar bate mas isso tá gostoso espanca meu grelo meu velho tarado e Gil voltou a chupar minha buceta e morder meu grelo me fazendo delirar uiiiiii aiiiii isso mas forte eu vou vou goooooozarr e desabei num gozo longo que banhei a cara Gil toda e ele Izabel vc é minha vagabunda minha putinha novinha quero te arrombar deixar teu cu aberto, me levantei meia trêmula e peguei a toalha e dei pra limpar o rosto e fui n geladeira e peguei água pra nós beber, olho pro Gil e vejo sua pica querendo ficar mole e vou logo ficando de joelhos e caio de boca colocando toda a cabeça dentro da minha boca e fui batendo uma leve punheta e sentindo a minha boca encher com pica pois era uma bitola descomunal mas deixei, nisso Gil começa a fazer pequenos movimentos como se tivesse fudendo minha boca eu sentia aquela montra pica perto da minha garganta e como já não tinha mas fôlego pra aguentar eu tirei da boca e fiquei punhetando e vejo sua pica bem dura perecia uma estaca e pego a fita métrica e faço a medida é me assusto e digo Gil tua pica é um monstro tinha 19×05 e falo eu aguento ela toda, Gil me diz Izabel vc é a única que me dá o cu sem fazer escândalo e não tem frescura se vc não fosse menor eu faria tudo pra morar com vc, eu disse Gil acho que nunca vou ter um homem igual a vc e com uma pica gostosa como a sua, aí Gil me beija amassando meus peitos com força e ao mesmo tempo ele me faz girar ponta a cabeça e chupa minha buceta e meu cu ao mesmo tempo e meus joelhos arreiam em seus ombros e aquela pica linda batendo em minha testa aí me vem o gozo e no tezão abocanhei sua pica até na garganta e forçava a pica passar guéla pra dentro mas não conseguia pois me sufocava e eu me engasgava mas suportei tudo é com isso Gil fodia minha boca como era gostoso bebe o pre gozo do Gil, eu pedi pra parar um pouco e Gil me deitou no sofá e eu me levantei e o beijei como todo meu tezão e falei Gil goza na minha boca quero tomar toda porra tua,Gil me um tapinha na cara e me chama de galinha safada e digo então vc meu galo que adoro dar meu cu pra vc, Gil me dá sua pica e coloco a cabeça na boca e fico chupando e passando a língua e Gil segura minha cabeça empurra a pica na minha garganta me fazendo engasgar e a babar e fode minha boca com força que sinto a quase atravessar minha garganta e em poucos minutos enche minha boca de porra quase me sufocando e vou engolindo uma boa quantidade e o restante escorre caindo sobre meu seios e ele esfrega a sua pica por todo meu rosto me diz Izabel vc bebeu minha porra quase toda menina e vou lhe dizer nunca vi mulher fazer o que vc deixa eu toda suja de porra olho pra ele e digo,Gil e que gosto de mais dessa tua pica vejo que ontem vc me arrombou e hoje estrupa minha garganta, vc espera eu tomar um banho e Gil me pergunta posso tomar banho com vc e eu digo sim pode e repito Gil só não pode tocar na minha buceta o resto nós podemos fazer, aí peguei na sua pica e fui puxando ele pro banho e dizendo vamos meu jegue da pica monstro entramos e fui logo dando banho nele e ele em mim e me abaixo e fico lambemdo suas bolas e passo a língua pertinho do seu e Gil levanta uma das pernas e pedi vai putinha lambe meu cu, eu abri sua bunda e meti minha língua com vontade até forcei empurrar minha língua dentro e Gil arreganhou mas o cu e eu aproveitei e ia meter meu dedo mas disse não Izabel só gosto que chupe, tomamos banho nos secamos e voltamos pra sala e logo Gil me coloca de quatro e encosta a pica no meu cu e me diz Izabel agora vou estrupar teu cu não grita, confesso que senti medo mas fiquei quieta, Gil da cuspida na pica que estava colada na entrada do meu cu e deixa o cuspe espalhar um pouco e me segura pela cintura e empurra tudo de uma só e eu chego ir pra frente e dou um gritos abafado e peço espera Gil assim dói muito e Gil fala Izabel minha pica está tuda dentro do cu e eu é sério aí mas está ardendo e me levanto com sua pica até o talo e digo Gil vamos andar assim quero sentir como é, famos de passo em passo sentia sua pica se mover dentro e digo uiiiii meu tarado é gostoso assim Gil vai e levanta minha pernas e parecia que ele iria me rasgar ao meio e fez subir e descer na pica e eu disse uiiiiiiiii tua pica está no meu estômago vá i Gil me fode me rasga pode me estrupar eu estou gozando e começo a esguichar aí Gil me arreia e eu caio no tapete toda mole, e ele senta do meu lado e fala descanse um pouco, e me deitei em sua perna e ele me fazendo carinho em meu rosto, voltei a beijar e Gil disse senta na beira do sofá eu fiz do jeito que pediu, ele veio e me arreganhou e me chupa e morde meu grelo e quando estava quase gozando ele para e fala vc gostou de ser estrupada, eu disse sim mas doeu, ele me pergunta posso fazer outra vez, eu falo meu tarado safado se quiser pode, eu estava toda aberta no sofá e Gil sem tocar na pica encostou na minha argola que já estava dilatada e empurrou toda sem dó que cheguei a dar um gemido agudo mas me segurei pra não gritar e Gil foi socando com força e levantava minha bunda e sem pena fodia cada vez mas rápido e gozou que se deitou por cima de mim e ficou eu podia sentir seu coração batendo no meu peito, e o chamei Gil oi amor vc esta bem e ele se levanta um pouco e fala Izabel só estou cansado lãs estou bem é que vc acabou comigo,Gil tira a pica do meu e pede limpa minha pica com boca meu amor, achei tão carinhoso ele me chamar de amor que limpei toda sua pica, nisso olhamos à hora e já era 20hs e ele se ajeitou e eu disse Gil agora pra nós fuder terá que ser em outro lugar pois amanhã minha mãe vem é meu pai também, Gil fala eu depois eu te aviso e se cuida menina Gil ficou me namorando um pouco e pegou sua bicicleta e saiu no portão ainda dei um selinho e ele se foi, entrei ascendi as luzes e fiquei pesando como sou louca vou parar um pouco pois posso prejudicar a vida do Gil , assim este momento seguiu. Obrigada a todos e escreverei o próximo

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,80 de 5 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Izabel ID:81rfqgjoi9

    Oi Rafaella queria muito vc não só beijando minha ppk mas nós duas liberando tudo pois iríamos termos vários orgasmos beijos amor

  • Responder Rafaella ID:funxvfyv3

    Lindos relatos
    Beijos na sua ppk .. Izabel !