# # # #

Noitada das Gêmeas

2728 palavras | 15 |4.48
Por

Uma noite assistindo séries com minha irmã, até que uma cena erótica nos faz lembrar dos velhos tempos

皆さんこんにちは (Significa “Olá pessoal” em japonês kkkk), sou eu, a Mari, gostei muito de contar como eu e minha irmã descobrimos o verdadeiro prazer e decidi contar mais um relato sobre nós duas.
Caso não me conheçam, meu nome é Mariana Tonaka, sou uma mulher de 18 anos atualmente, filha de um empresário japonês (não vou falar o nome do meu Otousan) e de uma neurocirurgiã brasileira.
Minha irmã gêmea é a Daniela e somos idênticas em quase tudo, caso queiram saber da nossa aparência, não sei bem descrever isso mas sou branca, olhos puxados, cabelos ondulados até o ombro, temos um físico bem desenvolvido por sempre treinarmos artes marciais e a única coisa que me diferencia da minha irmã, é a nossa tiara, a minha é roxa e a dela é verde.
Sábado eu contei como uma amiga nos ensinou sobre o verdadeiro prazer e como isso nos uniu bastante, mas diferente de outras pessoas desse site aonde depois da primeira conexão, ficam fazendo amor pro resto da vida, nós duas fizemos até entrarmos na puberdade, aonde percebemos que aquilo era meio errado entre irmãs.

O nosso amor continuava enorme, mesmo sem o sexo, não sei se isso acontece com outros gêmeos, mas é como se ela fosse parte de mim, como se tudo o que ela sentisse, eu também sentia e apesar de pararmos de fazer amor entre a gente, uma coisa a gente decidiu não parar, mesmo que fosse errado, que eram os beijos, só que a gente não beijava de forma intensa como na infância, mas sim um selinho ou até mesmo um beijo rápido, as vezes beijavamos de língua, mas quando as coisas começavam a esquentar, nós paravamos o beijo.

Quando tinhamos 14 anos, nossos pais ficavam muito mais tempo no trabalho, meu pai costumava a viajar a cada 2 meses pro Japão e minha mãe ficava várias vezes de plantão para ajudar vários neurocirurgiões novatos. Num desses dias sem nossos pais, eu e a Dani decidimos fazer uma noite das séries, aonde iríamos maratonar uma série da netflix inteira em uma noite.

Dani ficou encarregada de fazer a pipoca, enquanto eu colocava a série pra gente na nossa TV gigante, eu estava com a blusa do meu pijama e só de calcinha, eu sempre ficava assim de noite, já a Dani, usava o pijama completo dela, ela não ficava só de calcinha por que tinha medo de alguma visita chegar sem avisar.

Eu estava deitadona no nosso sofá enorme vendo alguma série legal pra gente assistir juntas e ela aparece da cozinha e diz:

-Vai querer pipoca doce ou salgada Mari? – Diz Dani com só a cabeça aparecendo na porta da cozinha.

-Quero salgada Dani – Eu falo levantando um pouco a minha cabeça pra ver ela, mas sem deixar de ficar deitada.

-Chata – Dani da um sorriso e mostra a língua com aquele olhar travesso dela.

Eu sabia que a Dani gostava de pipoca doce, mas eu sempre fui fã da salgada, principalmente aquelas amanteigadas kkkk.
Eu já tinha escolhido a série, uma série de ação que nem lembro o nome, logo a Dani chega com os baldes de pipoca e 2 copões de cinema cheios de refri zero açucar e da um pra mim e eu sento pra comer. Dani se deita no meu colo e coloca o balde dela nos seios dela pra ir comendo enquanto ficava deitada.

Começamos a assistir a série e eu encostei no sofá enquanto a Dani continuava deitada no meu colo, tipo, nada sexual ou pervertido até então, quando de repente, no meio pro final de um episódio, o protagonista e a mocinha começaram a fazer sexo na cena, mas tipo, foi muito explícito e tanto eu quanto Dani ficamos vermelhas, fazia mais de 3 anos que nós não faziamos amor juntas e ver aquilo nos deixou bem sem graça, como se você reencontrasse seu ex namorado no meio de uma reunião importante da sua empresa.
Dani me olhou com seu rosto ofegante e disse:

-Eles sabem se divertir, não é? Ha ha ha – Dani querendo quebrar aquele clima sem graça.

-É, acho que sim, será que dói quando ele faz aquilo nela? – Eu um pouco incomodada vendo o protagonista fazendo penetração na mocinha.

-Perai, você nunca fez sexo? – Dani se senta e me olha surpresa.

Eu fico desconfortável já que tecnicamente eu tinha feito sexo sim, com a Dani e eu apenas balanço a cabeça positivamente e ela parece entender o que eu estava pensando:

-Ai merda… não falei da gente quando pequena Mari, falo com algum cara legal, você sempre foi meio certinha demais – Dani ficando mais vermelha enquanto tenta se justificar.

-Eu nunca fiz nada com ninguém além de você, você já fez? – Eu me encolho ainda mais sem graça e olho pra ela com olhar tímido.

-Já, lembra que eu namorei o Derick Alvez, ele meio que fez algo bem parecido com o que está na TV agora – Dani falando isso sem nenhum pudor com um sorriso largo e prazeroso.

-Você chupo o… dele? – Eu ficando levemente assustada vendo a mocinha chupando o pênis do protagonista.

-Ahan, isso entre outras coisas, mas não conta pro papai, ele iria me matar ha ha ha ha – Dani perdendo a vergonha daquela situação fazendo o rubor das bochechas dela sumir.

-Eu queria que alguém me amasse – Eu falo enquanto coço meu braço tentando disfarçar minha visivel excitação com toda aquela situação.

-Você nunca fez sexo com outras pessoas? – Dani me olhando com um ar surpreso.

Eu balanço a cabeça negativamente e fico olhando ela com um sorriso tímido e Dani olha pra TV e volta a olhar pra mim e diz:

-Você faz amor bem Mari, tenho certeza que qualquer homem que ficar com você vai sentir muito prazer – Dani piscando pra mim enquanto acaricia meu rosto.

-Você acha? – Eu dando um sorriso enquanto sinto um arrepio gostoso.

-Claro, você é linda, beija bem pra caramba, sabe fazer um amor gostoso, é toda fofa e meiga, é cheirosa pra caramba, tem esse ar apaixonante e… – Dani contando nos dedos enquanto seu rubor nas bochechas começam a voltar.

-Nossa, você acha tudo isso mesmo? – Eu também ficando vermelha mas com sorriso tímido.

-Claro, se você não fosse minha irmã, eu iria querer namorar você com certeza – Dani piscando pra mim enquanto eu a olho com olhar tímido.

Ficamos nos olhando por uns 10 segundos e Dani engoliu seco e disse:

-O que vamos fazer agora? -Dani fala sabendo o que estava prestes a acontecer naquela sala.

-Eu… eu não sei – Eu me fazendo de inocente enquanto meus desejos mais profundos voltam a tona.

-Quer beijar um pouquinho? – Dani ficando um pouco ofegante enquanto mexe um pouco nos cabelos.

Eu balanço a cabeça positivamente e ambas fechamos nossos olhos, sinto os lábios adocicados da minha irmã tocando os meus e sinto os braços dela me envolvendo, logo nossas línguas começam a se tocar e eu sinto nossos labios se contorcendo a cada estalo daquele beijo.
Eu deito no sofá e Dani deita em cima de mim ainda nos beijando, passo as mãos pelas costas dela, enquanto ela acaricia meu rosto com carinho e ternura.
Separamos nossos lábios e nos olhamos com um certo desejo nos olhos e ela disse:

-Sabe que fazer amor com você é errado não sabe? – Dani me diz com um certo medo do que estava prestes a acontecer.

-Eu não ligo, esse tabu deixa tudo mais tão excitante – Eu falo com certo desejo na voz.

-Era só pra deixar claro – Dani pisca pra mim e desliga a TV.

Dani tira a blusa do pijama, mostrando que ela estava sem sutiã e eu vou direto nos seios dela e começo a chupar eles como um bebê, fazendo Dani dar alguns gemidos leves.
Eu dou lambidas e chupões de leves, enquanto ela tocava na minha xana úmida por cima da minha calcinha:

-Mari, você tem uma língua tão boa e doce… -Dani dando alguns gemidos enquanto eu continuo nos seios dela.

-Eu sei exatamente como te dar prazer, Daniela – Falo de boca cheia ainda com o seio dela na minha boca.

Antes de continuar o relato, quero falar como é fazer amor com alguém literalmente igual a você, como se você estivesse fazendo sexo com seu espelho kkkk. É um pouco estranho, não sei se existem relatos de outros gêmeos, mas eu e Dani sempre levamos um susto quando abrimos os olhos e vemos alguém literalmente igual a você te lambendo ou beijando kkkkk. É difícil de explicar, muito difícil, a sensação que eu tenho ao fazer sexo com a Dani é uma espécie de prazer culposo, um prazer misturado com culpa, eu nunca consigo ficar totalmente de olhos abertos enquanto a Dani faz amor comigo, mas ver alguém igual a mim me chupando e beijando entre outras coisas, é estranhamente excitante.
Principalmente que eu e Dani somos compatíveis em tudo, eu sei como dar prazer nela e ela sabe como me dar prazer, isso deixa as coisas mais gostosas. Resumindo, fazer amor com alguém literalmente igual a você é muito estranho, mas super delicioso.

Continuando o relato, Dani puxa minha calcinha pro lado e começa a dedilhar minha xana com os dedos pervertidos dela, me fazendo dar alguns gemidos e logo eu paro de lamber os seios de Dani, os deixando completamente babados.
Dani tira minha calcinha e eu só olho pra ela ofegante e ela da aquele sorriso safado que só ela sabe e da uma lambida de cima a baixo na minha xana, me fazendo dar um gemido relativamente alto. Ela enfia a cara dela no meio das minhas pernas e eu sinto ela enfiando a língua dela dentro de mim e eu começo a ficar mais ofegante e coloco até minha língua pra fora.
Dani explorava meu útero com a língua, e eu cruzo minhas pernas involuntariamente, a prendendo entre minhas pernas, mas ela não para.
Sinto um orgasmo vindo e logo eu estremeço um pouco e gozo muito na cara dela, a deixando totalmente lambuzada e melada:

-Você caprichou hein Mari – Dani diz com meu gozo pingando pelo corpo dela enquanto ela lambe os dedos.

-Você é tão malvada, sabe que eu não aguento quando enfiam a língua em mim – Eu falo ainda ofegante enquanto eu sinto minhas pernas molhadas.

-Só uma pergunta, você vai ficar com seu pijama enquanto a gente se diverte? – Dani usando minha blusa pijama pra limpar o rosto dela.

-Você ainda está com seu shorts pijama também – Eu falo me sentando e apontando para o shorts dela.

Dani se levanta e tira os shorts pijama dela e depois tira a calcinha dela que estava ensopada e joga a calcinha em mim e diz:

-É sua – Dani com sorriso travesso.

Eu pego aquela calcinha ensopada de mel da minha irmã e coloco ela misturando nossos fluídos e Dani da uma risada e pega a minha calcinha que também estava molhada e Dani a coloca e diz:

-Ta molhada – Dani com um sorriso mostrando a língua.

-Que tal deixarmos elas ainda mais molhadas – Eu com sorriso animado enquanto minhas pernas continuam escorrendo.

Eu e Dani decidimos fazer a tesoura lésbica com as calcinhas, eu tiro minha blusa pijama mostrando meus seios pra minha irmã e ela me abraça e diz:

-Vamos voar para as alturas, Mari – Dani piscando pra mim

Começamos a nos beijar enquanto mexiamos nossas pernas raspando as calcinhas molhadas e grudentas. Nossos seios se batiam e raspavam um no outro e nossas línguas estavam brincando entre si enquanto nossas bocas salivavam de desejo.
Eu sentia a xana da Dani raspando na minha, apesar da calcinha toda melada e começamos a movimentar nossas pernas com mais forças nos fazendo gemer mais alto. Eu sentia o sofá ficando molhado e o cheiro de nós duas exalava pela sala inteira, mas ainda sim queríamos mais e fomos raspando nossas xanas cada vez com mais e mais força, ensopando aquele sofá enorme com o nosso suco de amor, até que nós duas demos um grito alto e sentimos nossas calcinhas inchar de tanto mel e logo aquilo dentro delas escorreu pelas nossas pernas começando a escorrer pelo chão.
Eu deito ao lado da Dani, apoiando minha cabeça no peito dela, enquanto ainda sentiamos mais mel saindo da gente:

-Nossa, isso foi tão divertido – Eu falo com os olhos brilhando de prazer.

-É, foi mesmo, sabe que o papai tem câmeras de segurança aqui na sala não é? – Dani me olha com sorriso maldoso.

-AI NÃO, ELE VAI MATAR A GENTE – Eu me sentando desesperada pondo as mãos na cabeça.

-Calma Mari, ninguém olha as câmeras de segurança da casa e depois de 10 dias, o programa das câmeras exclui automaticamente as gravações de 10 dias atrás – Dani rindo do meu desespero.

-Mas e se o papai decidir ver as gravações, por estarmos sozinhas? – Eu falo ainda um pouco preocupada com toda aquela situação.

-Ele nunca vê e mesmo se ver, aposto que ele iria gostar do nosso showzinho – Dani me puxando pra ficar deitada com ela.

-Eca, ele é o nosso pai – Eu falo mostrando a língua.

Ela encosta a língua dela na minha iniciando um beijo bem molhado e diz:

– Então, vai querer parar de fazer amor comigo como fez a 3 anos? – Dani dando mini selinhos em mim enquanto fala

-Não… – Eu falo toda tímida mas feliz.

Voltamos a nos beijar e novamente entrelaçamos nossas pernas, deixando as nossas pernas grudentas.

No dia seguinte, estavamos dormindo de conchinha só com as calcinhas e eu acordo primeiro e vejo o sofá grudando e nossas calcinhas pareciam estar cheias de leite condensado e eu me levanto e pego um pano nos fundos para limpar o chão.
Dani acorda e me olha ainda sonolenta e diz:

-Bom dia… – Dani me olhando com um amor no olhar.

-Oi Dani, vamos limpar rápido, a mamãe deve chegar em breve – Eu limpando o chão mandando um beijinho pra ela.

Dani olha mancha enorme no sofá e fica levemente vermelha e diz:

-Nós que fizemos isso? O sofá ta ensopado – Dani pondo a mão no sofá ainda sentindo ele grudento.

-Ficamos fazendo amor até as 4 da manhã sua boba, agora são 6 horas – Eu falo ainda esfregando o chão pra limpar ele.

Ela ajuda a limpar passando pano no sofá e eu passava pano no chão, jogamos nossas calcinhas na máquina de lavar e decidimos nadar peladas juntas. Ficamos dando mergulhos e nos beijando de baixo d’água por algum tempo e logo que o sol apareceu, decidimos tomar sol juntas:

-Ai que delicia de sol, da até vontade de dormir – Dani deitada numa espreguiçadeira.

-É, será que a mamãe iria brigar com a gente se a gente pegasse sol assim? – Eu falo enquanto olho pra Dani que estava de olhos fechados.

-Quer saber, to nem ai, vou dormir aqui pelada, me acorda quando a mamãe chegar – Dani fala se encolhendo pra dormir.

-Ta bom, vou ficar acordada aqui – Eu falo enquanto pego meu celular pra assistir vídeos.

E depois disso, nunca mais paramos de nos divertir juntas. Sempre que podemos ficar sozinhas, nós aproveitamos cada segundo, afinal de contas, nós somos as Gêmeas do Prazer .

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,48 de 23 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Jorge ID:81rn1pct0i

    Torço para que vocês fiquem juntas , Torço para que vocês sejam muito felizes , porque onde tem amor verdadeiro , Deus esta presente blz meninas .

  • Responder Anónimo ID:bf9d3cf4v3

    Não sei se é verdade ou não. Mas só imaginar um ménage com as duas. Me dá um tesão. Asiáticas ainda. Fico louco.

  • Responder Alucard ID:477hln3g8rk

    Erro número 1: a irmã ficava com medo de ficar de calcinha com medo de chegar alguma visita? Ué, a visita ia sair entrando pela porta do nada?

    Erro 2: “língua boa e doce” Carai..n acabaram de comer pipoca salgada?

    Parece esses contos hentai de hq

    • PapiVoyeur ID:81rg5nq49k

      Elas disseram ter 14 anos e estavam sozinhas, acho que qualquer garota adolescente ficaria com medo de ficar só de calcinha, sabendo que pode aparecer alguém.

      Sobre a pipoca, elas disseram que estavam tomando refrigerante, mesmo o zero, é muito doce, talvez até mais doce que o refrigerante com açúcar.

    • Renatinha Putinha ID:8d5za5mk0i

      Erro número 3: Você querer achar erros numa história excitante dessas, é cada uma que eu tenho que aturar rsrsrs

    • Bruninha_Safadinha ID:8d5za5mk0k

      Bom, pelo que eu li, ela fala isso enquanto a irmã lambe o peito dela, então acredito que o “doce” que ela disse tenha sido de maneira metafórica para uma sensação de prazer, doce não é só um sabor, mas também uma sensação.

  • Responder Caio ID:g61vcvov0

    legal, adoraria saber mais e falar sobre isso, vc tem telegram ou twt?

  • Responder you are dumb ID:cyvs5kpzl

    já saquei que era fake quando disse “sou branca” asiáticos chineses, japoneses, coreanos se denominam AMARELOS logo uma pessoa de cor e não brancos. uma pessoa que de fato é asiática, japonesa e AMARELA saberia disso é o mínimo.

    • PaulinhoTesão ID:81rg5nrk0a

      Pelo que eu entendi o parceiro, elas não são totalmente asiáticas, são filhas de um japonês com uma brasileira e até aonde eu sei, elas se denominariam amarelas se nascessem no Japão, mas pelo que eu entendi no conto anterior, elas nasceram no Brasil, além de serem uma mistura de japonês com brasileiros, elas nasceram no Brasil, então mesmo sendo orientais, está certo elas dizerem ser brancas.

    • Milf Rabuda ID:8efknnrfid

      Ai gato, elas são mestiças, elas podem ser brancas sim fofo

    • Brunonuno123454321 ID:8efknnrm9b

      Se ambos dos pais fossem orientais, faria sentido, mas por elas nascerem no Brasil e também a mãe delas ser brasileira, elas podem dizer ser brancas.
      Mesmo pq, os pais decidem isso no cartório quando vão registrar as crianças, pelo que parece, a mãe deve ter falado que elas eram brancas, não amarelas

    • Jomar63 ID:1a1p5xndz

      O cara queria que a japa falasse o que? “Sou amarela de olhos puxado”? Se eu lesse um conto erótico aonde alguém fala ser amarelo, eu iria logo pensar que é uma fanfic erótica dos simpsons ksksksksksk

  • Responder Rafaella ID:7xbyxpzfij

    E estão certissimas em fazer juntas..
    Coisa mais linda é sexo com quem a gente ama.. ( mesmo que essa pessoa seja seu irmão ou irmã )
    Beijos Mari e Dani !!

    • Pau grande ID:5h704k0c

      Vc deve ser linda e gostosa Rafaela ❤️❤️❤️q anos vc tem BB?

    • Bruce ID:6oehqeo78k

      Concordo com você, me add no face: Bruce Weiny…