# #

Empregada diz ao garoto de 15 anos: – Você está doido para dar o mandu!

800 palavras | 2 |3.86

Quequéu que trabalhava na minha casa, quando me viu, Duda, garotão bonito de quinze anos, descendo a escada para a sala, vestindo um biquini da irmã, dançando e rebolando, disse: – Você está uma gracinha! Está doido para dar este mandu! Sorrindo, perguntei o que significava mandu, ela respondeu: – É o escondidinho!. Sorri e continuei dançando para ela, quando reparei que o Zé, um rapaz negro de uns 25 anos, que cuidava da piscina e do jardim, estava me vendo pela varanda da casa, continuei dançando e rebolando em direção a ele, que aplaudiu dizendo que eu estava muito bem e gostosa.
Quequéu depois conversando comigo disse que eu estava uma graça, mas poderia melhorar, fazendo uma depilação total, já que eu tinha poucos pelos, cortasse um pouco meu longo e cheio cabelo, ficando corte chanel, quando penteasse solto, ou disfarçado quando amarrado com um elástico. No sábado, quando meus pais viajavam, quequéu me depilou e cortou meu cabelo (ela já tinha trabalhado em salão de beleza) e eu fiquei muito apetitosa. Quequéu me perguntou se eu já havia dado, disse que não, mas estava pensando em experimentar. Ela disse que achava ótimo eu sentir uma rola e que quando me viu dançando e rebolando, notou que o Zé ficou excitadíssimo e que comentou com ela, que quando eu quisesse experimentar, ele gostaria muito de ser escolhido.
No sábado seguinte, desci para a piscina, com um biquini de oncinha e fui apanhar sol. Eu estava com as duas partes do biquini e oculus escuros, quando quequéu me viu e disse: – Você está uma garota, bonita e gostosa. Me deitei de bruços para apanhar sol, quando vejo o Zé parado me olhando do jardim e peço para ele se aproximar e pergunto se ele poderia passar óleo nas minhas costas. Ele se agacha atrás de mim e pergunta se eu não iria tirar a parte de cima do biquini, para não marcar com o sol. Eu tinha uns peitinhos pequenos, mas acho que apetitosos. Pedi para o Zé abrir o sutiã atrás, o que ele fez com muito jeito e começou a passar o óleo nas minhas costas e pernas, perguntou se não seria bom abaixar um poucona calcinha do boquini, para eu pegar um solzinho no bumbum. Topei e ele foi abaixando um pouco a calcinha, mas estava meio ofegante, quando dei uma olhada para trás e vi um volume enormebdentro da bermuda do Zé. Ele estava de pau duro, por minha causa, o que me excitou bastante.
Quequéu apareceu com três sucos de laranja, um para mim, outro para o Zé e outro para ela que sentou junto conosco. Disse que eu estava uma graça, que estava doida para dar o mandu,mque omZévnão se aguentava mais de tesão e que aquela era a hora da minha estréia com uma rola. Mas disse, como é a sua primeira vez, tem de ser especial, que nem uma moça que perde o cabacinhoe deve ser completa,
ou seja: – Zé tira esta pica para fora que a nossa garota Duda, vai dar uma bicotinha nela para começar. O Zé tirou para fora aquela rola grande, grossa e preta e eu peguei com a mão, iniciei uma punhetinha, mas logo enchi de bicotinhas na cabeça da rola, quando Quequéu disse: – Como madrinha deste namoro eu ordeno que a Duda comece a chupar esta rola, colocando todinha dentro da boca,mfazendo o Zé enlouquecer, até gozar bastante na boquinha da Duda. Chupei muito aquela pica, que estava durinha e uma delícia, até quando o Zé acelerou as estocadas pela minha goela e gozou, gozou muito na minha boquinha, quando quequéu me para ela, puxando meus cabelos e ordenou: -Deixe eu ver sua linguinha toda branca, cheia de porra! Abri a boca Quequéu viu e disse: -Agora engole tudo viadinho! Adorei a ordem e sorrindo engoli tudinho e mostrei a lingua já
Depois o Zé, já meia bomba,manda eu chupar de novo, porque ele iria completar o serviço, comendo o meu até então cuzinho virgem. Chupo um pouco, ele fica duro de novo, o Zé me faz ficar de quatro, Quequéu passa uma pomada especial no meu cuzinho e o Zé encosta a rola na entrada e começa a enfiar, döi bastante, mas o Zé enfiava e parava, até entrar tudo, quando senti as bolas na minha bundinha. O Zé acelera para gozar, mete muito, uns vinte minutos e enche meu cuzinho de porra.
Adorei a estréia, com madrinha e tudo. Bou continuar …

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,86 de 22 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Claudia ID:19p1j2rm3

    Muito bom o conto. A primeira vez com uma pica, tanto em meninas como em meninos, deve ser prazerosa e você Duda, teve até madrinha para dar aquela força e apoio. Pelo que entendi você gostou muito de mamar o Zé, que gozou na sua boquinha, testemunhado pela madrinha que viu sua linguinha branca e depois limpinha. Depois quando penetrou a rola no seu cuzinho virgem, você não sentiu muita dor, porque a madrinha Quequéu, passou uma pomada anestésica, o que fez você aproveitar e gostar de ser enrabado. Parabéns e tenho certeza que você vai seguir em frente, excitando os rapazes e os esgotando, seja com sua boquinha ou com o provocante bumbum.

    • Veronica ID:19p1j2rm3

      Concordo com a Claudia, foi muito importante do Dudu, quando perdeu sua virgindade no bumbum com o Zé, ter tido o apoio de Quequéu, inclusive foi quem passou uma pomada anestésica para que não tivesse muita dor, o que sempre ocorre quando se penetrada no cuzinho pela primeira vez. O que é bem diferente quando se perde a virgindade na vagina, que é apenas uma ardência passageira.