# #

Comi Meu Primo Que Sempre Me Desejou

2658 palavras | 4 |4.36
Por

Tenho um primo que é 4 anos mais velho que eu. Quando eu nasci, ele já frequentava minha casa, pois meus pais ainda não tinham filho e são padrinhos dele, então ele era o xodó, morava perto e passava mais tempo em minha casa do que na casa dele. Quando eu nasci, em vez de ele ter ciúmes de criança, ele criou foi uma ligação forte, uma forma protetora por mim (assim eu soube e sei) isso agradava muito minha mãe. Se alguém mexia comigo, ele partia pra cima. Depois dos meus pais, ele seria a terceira pessoa que eu confiava e confio.
A medida que fomos crescendo, fui percebendo que meu primo era diferente, acho que eu sou um dos poucos na família que saca que meu primo gosta de outras “aventuras”.
Eu nunca havia falado isso pra ninguém até agora. Na época não entendia muito bem, porém depois que fui crescendo entendi e saquei das malícias do meu primo. As vezes quando banhávamos juntos e se não tinha alguém por perto, ele sempre dava um jeitinho de pegar no meu pintinho, encostava pinto com pinto, enchia a boca de água e jogava no meu pintinho, esfregava o bumbum em mim. Essas brincadeiras acontecia quase sempre, mas nada sério, ele apenas roçava o bumbum no meu pinto. Ele gostava e eu também, pois dava uma cocegazinha no pinto, isso aconteceu até ele ter mais ou menos (sei lá) uns 12 anos. Uma vez meu tio (pai dele) quase nos pega, mas como estávamos no banho, com o box fechado e sempre tinha risos, ele não viu direito, e penso que sempre interpretou como brincadeiras no banheiro. Ele apenas deu uma bronquinha:_ vamos para de brincadeira aí no banho, estão gastando muita água, se banhem logo! E saiu deixando a gente.
O tempo passou, nos separamos, eles mudaram para um pouco longe, e com isso cada um seguiu sua vida, mas apesar dessa mudança, sempre mantivemos contato. Sinto que meu primo sempre nutriu um sentimento melhor por mim, pois de todos os primos, ele me trata com mais zelo, sempre preocupado com o meu bem estar.
Ele casou-se, e tem um filho, hoje já grandinho, mas ele se separou quando o filho ainda tinha uns 4 ou 5 anos (sei lá).
Eu há muito tempo, moro longe da família e fico muito feliz quando visito-os ou alguém vêm aqui.
Fazia mais ou menos uns 3 anos que eu não o via. A última vez que o vi, ele veio aqui com o filho e parentes. Porém ano passado ele me ligou, disse que estava vindo à minha cidade a trabalho, que iria ficar uma semana. Fiquei feliz, pois fazia tempo que não o via.
Perguntei, porém já o intimando pra ele vir para minha casa, nada de hotel, pois provavelmente a gente só se veria no final de semana. Ele disse que também queria me ver, a empresa tinha alojamento, mas depois ele decidia onde ficar.
Eu falei:_ se você quiser, pode vir para minha casa, não vai me incomodar de jeito nenhum.
Ele falou ok.
Passou uma semana, ele disse que chegaria na segunda. Perguntei se tinha alguém pra buscá-lo e ele disse que sim, a empresa iria buscar.
Eu falei:_ tudo bem, mas me liga tá.
Na segunda, ele me ligou avisando que já havia chegado e já estava na empresa, e depois a gente se falava, e falamos os dias seguintes.
Na quinta, ele me ligou, disse que queria ir para minha casa, mas que não queria me incomodar e não queria quebrar minha rotina.
Eu disse:_ pô fala sério. É uma satisfação ter meu primo por perto pô.
Ele disse:_ então tá, que horas você estará em casa?
Eu: _ lá para às 06h00 já estarei em casa, mas farei um esforço se você quiser chegar antes.
Ele: _ Não, às 07h00 chego lá.
Eu: _ Ok, estarei aguardando.
Chegando em casa dei uma pequena organizada no “AP”. e fui fazer algo pra jantarmos.
Às 07h30, ele me liga, disse que já havia chegado, que estava em frente ao meu prédio, desci para buscá-lo. Quando nos vimos, demos um bom abraço fraternal e subimos.
Chegando em casa, entramos e indiquei o quarto para ele se acomodar e fui pra cozinha. Logo ele me fez companhia, perguntou o que eu fazia de jantar, mostrei e enquanto conversávamos, bebemos umas “brejinhas” pra relaxar, jantamos, terminamos, organizamos
a cozinha e fomos pra sala ver tv, e continuamos conversando, falando assuntos familiares, empregos e etc.
Até que ele disse: _ E aí Juan, cadê as gatas?
Eu:_ rapaz, eu estava namorando uma gata, mas percebi que ela era dominadora e ciumenta, e você sabe, tenho pavor de gente assim.
Ele: _ putz! É, realmente um relacionamento abusivo não dá né.
Ele: _ mas ela era gostosa?
Eu: _ era sim pô.
Continuamos batendo papo.
Logo eu disse que iria tomar um banho pra dormir. Ele disse que na sequência também iria.
Tomei meu banho, saí enrolando na toalha, dei uma toalha limpa pra ele o qual foi para o banho.
Me sequei vesti um calção e voltei pra sala.
Ele banhou, se trocou e foi pra sala também. Ficamos vendo mais um pouco de tv.
Ele puxou assunto:_ tua namorada, costumava vir aqui?
Eu:_ sim, porém mais nos fins de semana.
Ele:_ é qual foi o B.O. entre vocês?
Eu:_ um dia ela cismou que eu trouxe uma gata aqui.
Ele:_ e você trouxe?
Eu:_ não, ela que era maluca mesmo.
Ele sempre teve liberdade comigo e perguntou:_ mas pelo menos ela fodia bem?
Eu:_ não vou te mentir, ela podia ser “doidinha”, mas sabia foder muito bem.
Ele: _ é por bobagem, ela perdeu seu pau e você perdeu uma bucetinha né.
Eu sorri e disse:_ pois é.
Ele:_ sente saudades dela?
Eu:_ com certeza.
Ele:_ e você perdeu de tá metendo pau numa bucetinha e num cuzinho né.
Eu sorri.
Logo bateu o sono e falei:_ acho que vou dormir, mas fica a vontade aí.
Ele:_ Não, eu também tenho que acordar cedo.
E fomos dormir no mesmo quarto (meu apto e espaçoso, mas é estilo kitnet) ele ficou na minha cama e eu numa rede.
Conversamos um pouco e logo dormimos.
Na manhã seguinte acordamos, fizemos café e tomamos, dei uma chave do apto a ele, o carro da empresa veio buscá-lo e só nos vimos a noite e assim no outro dia.
No sábado, convidei-o para tomar umas brejas num boteco aqui perto de casa com uns amigos (Cris não estava nesse dia, quem leu o conto do Cris vai saber quem é) e depois fomos para outro lugar mais animado. Lá por volta de 02h00 da madruga ou não, nem lembro bem, voltamos pra casa, os dois loucão, eu acho que eu estava “mais alto” que ele.
Chegamos, e eu fui direto pro banheiro chamar o “sr. ugo”.
E fiquei no banheiro por um bom tempo, ele viu que eu demorava, foi ver o que aconteceu, me encontrou cochilando encostado no vaso, me chamou e disse:_ Juan, tudo bem com você, quer tomar um banho? Tá exalando cheiro de álcool e vômito por todos os lados.
Eu meio grogue aceitei, pensei que iria tomar banho só, mas não, ele me guiou ao box, tirou minha camisa, tirou minha calça me deixando só de cueca e abriu o chuveiro no frio. A água correu um tempo, ele resolveu tira minha cueca e meu pau meia bomba pulou pra fora.
Ele:_ eita primo, você cresceu mesmo né, nem parece aquele menininho.
Na hora eu nem, atentei muito o que ele falou.
Ele pegou o sabonete e começou a me ensaboar, passou sabonete no meu corpo, passou também no meu pau e no saco, e com esses toques, fez meu pau dá uma acordada.
Ele percebeu mas disfarçou.
Porém deu prioridade para meu pau, o qual apalpou sentindo o volume, mas com o pretexto de ensaboar. Acho que ele se excitou.
Banho tomado, ele pegou a toalha e me secou bem, tratou-me como uma criança. Me levou até a cama me deitando nú, cobriu com um lençol, deu um beijo na testa e disse:_ deita aí seu cachaceirinho.
Ouvi ele se direcionado ao banho, e eu apaguei ouvindo o barulho da água do banho.
Lá pelas tantas, acordei por sentir sua mão me apalpado, pegando carinhosamente no meu pau e acariciando o saco, o que fez meu pau acordar também. Mas fingir que continuava dormindo. Ele, percebendo minha ereção olhou meu rosto, mas não viu esboço algum e começou a me punhetar levemente.
Eu estava meio grogue, mas pensei: putz, meu primo me acariciando, que merda está acontecendo, mas sobre o efeito alcoólico, eu estava gostando de sentir sua mão acariciando meu pau.
De repente ele deu uns beijinhos na cabeça e abocanhou meu pau. Dei um suspiro forte, ele assustou-se e foi tirando meu pau da sua boca, mas num impulso segurei sua cabeça e abri os olhos, nos olhamos e vi que ele ficou envergonhado e desconfiado, porém eu dei um sorrisinho maroto pra ele e continuei segurando sua cabeça perto do meu pau. Pronto, isso foi a gota d’água pra ele saber que não fiquei zangado. Ele continuou mamando, querendo engoli, e se masturbando, ficou naquele movimento querendo engoli meu pau e por vez o saco. Não resisti e gozei na sua boca sem nem avisar. Enchi sua boca com meu “leite de macho” e ele engoliu tudo, deixando meu pau limpo e continuou dando um trato no meu pau que estava amolecendo. Veio em direção ao meu rosto, se direcionou perto do no meu ouvido, cheirando meu pescoço.
Ele falou:_ a muito tempo tenho vontade de fazer isso, quando éramos pequenos, acho que você nem se lembra, mas brincamos muito nos banhos e você gostava.
Eu louco, disse:_ eu lembro sim, só nunca quis tocar no assunto.
Ele falou: sério! Até hoje achava que você não lembrava.
Ele: _ E agora será que nossa amizade será abalada?
Eu num mixto de êxtase do tesão e álcool no juízo, falei: _ não meu primo, gosto muito de você, apenas vai ser estranho, mas a gente acostuma.
Ele cheio de tesão, me deu um beijo, cheirou meu pescoço, passou a língua nos meu mamilos, mamou-os um pouco, desceu beijando até minha barriga, beijou e meteu a língua no meu umbigo, eu me retorci todo (tenho cócega na região do umbigo) beijou minha virilha. Acho que ele queria me devorar, abocanhou alternando entre o saco, o pau, e o umbigo, até meu pau endurecer novamente.
Aquilo me deixará louco. Ele mamou mais um pouco e disse:_ posso subir nele?
Eu louco, só balancei com a cabeça.
Abri a gaveta do criado, peguei um lubrificante e umas camisinhas e dei pra ele.
Ele pôs uma camisinha em mim, lambuzou meu pau e o cuzinho dele, se posicionou e direcionou meu pau no seu buraquinho e forçou a entrada devagar.
Ele: _ quero sentir você dentro de mim. Agora não vai ser só no esfrega-esfrega como quando éramos pequenos não.
Senti a cabeça passar para dentro, ele deu um suspiro, relaxou um pouco e foi deslizando, sentir meu pau entrando com facilidade naquele cú quentinho.
Meu pau entrou todo, senti sua bunda e seu saco batendo na minha virilha, ele soltou um suspiro com um gemido. Deu uma paradinha sentido o volume que pulsava dentro dele, empurrou mexendo um pouco a bunda de encontro com minha virilha, para certificar que tinha entrado tudo, depois começou com movimentos de sobe e desce, sempre dando uma reboladinha quando ele sabia que meu pau estava todo dentro do seu cuzinho.
Eu estava em transe… Meu primo que eu tanto gostava, agora montando no meu pau.
Seu pau estava duro e soltava o pré gozo. Ele estava gostando de sentir meu pau dentro dele… Continuou nos movimentos, meu pau entrava e saí com uma facilidade e pontaria certa.
Ficamos nesse movimento até ele cansar da posição. Depois que eu gozo a primeira vez e também sobre efeito de álcool, demoro muito gozar (contato que o álcool não me apague né).
Mudamos de posição, ele quis ficar na posição frango, levantou as pernas deixando o seu o pau e o cú à amostra, tive a visão de um pau duro babando e o cuzinho piscando, melado de gel e esperando um visitante. Dei umas punhetadas no pau dele, me posicionei na entradinha, dei umas pinceladas no cuzinho que piscava, direcionei o pau e meti, vi a cabeça entrando e sumindo com o pau que deslizou sem dificuldade todo pra dentro, ele deu um gemido gostoso e disse:_ vai meu priminho gostoso, socar nesse cú que sempre deveria ter sido teu, entra dentro, me faz gozar, lembra quando você esfregava no meu cuzinho, agora você tá é dentro, ai ai ai ai… Mete.
Nem precisava, mas já falando aqui, que aquelas palavras me deixaram mais louco.
Eu olhava meu pau quase saindo para depois voltar deslizando por completo para dentro daquele rabo guloso.
O pau dele estava duro e vezes em quando dava umas punhetadas nele.
Ele gemendo falou: isso meu priminho safado, te adoro, me come, entra no cú desse teu primo, ai, ai, ai, ai… Sou todo teu. Devia ter feito isso a muito tempo, você que era pra ter comido meu cú primeiro, ter tirado minha virgindade. Sempre sonhei nós dois grudados.
Aquelas palavras me enlouqueciam, eu até imaginei um cenário: “se tivesse acontecido, nós dois adolescentes, ele mais velho e eu novinho, mas mesmo assim ele se entregando pra mim, talvez teria sido a primeira vez dos dois, eu fodendo pela primeira vez e sendo o cuzinho do meu primo”. Talvez isso teria acontecido, se ele não tivesse se mudado para longe de mim.
Bombeando o cuzinho dele, vi o rosto dele cheio de tesão e felicidade de ter o primo que ele desejava desde pequeno e agora estava dentro dele, realizando seu sonho.
Continuei bombando-o
até ele falar que ia gozar e gozou, senti meu pau sendo apertado a medida que ele ejaculava, ele soltou um jato grosso que caiu entre o peito e a barriga dele. Continuei bombando e ele gemendo. Logo também gozei, cada pulso de jateada que meu pau dava dentro do seu cú, sentia meu pau sendo apertado.
Tirei o pau de dentro dele e caí ao lado, estávamos exaustos e suados, ele me deu um beijo na boca e disse:_ sempre te amei.
Descansamos um pouco e nos limpamos. Adormecemos junto na cama, ele ficando de conchinha, com a bunda para mim.
No domingo acordamos com uma ressaca danada, porém conscientes do que fizemos. Acordamos tomamos banho, nos encaramos com pouca conversa, não saímos de casa, depois do meio dia até a noite, fodi ele no sofá, no banheiro (tentamos relembrar nossas brincadeiras) até na rede passei o pau no cuzinho dele. Aproveitamos o máximo.
Na segunda de manhã ele foi embora, mas falou que agora não iria passar tanto tempo sem ver o priminho que ele tanto mais amava.
Pouco tempo ele me ligou e disse que nas próximas férias virá para cá com seu filho.

Hoje fico pensando se deixamos as coisas saírem fora do nosso controle. Será que fizemos a coisa certa?
Sei não…

[email protected]

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,36 de 14 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Filho de Lilith ID:g62jdjdzj

    Primeiro ele é seu primo, para alívio é ótimo e nem precisa pagar nada, continuem SIM, este é o certo

    • Juan ID:w72dfyzl

      Obrigado por sua opinião.
      😘no❤️

  • Responder Eduardo ID:xlq12hrc

    Que bom que puderam aproveitar mesmo depois de distantes.
    Aproveitem e gozem muito.

    • Juan ID:w72dfyzl

      Valeu!
      😘no❤️