# # #

Brincadeiras

839 palavras | 4 |4.00
Por

Quando me dei conta já tinha virado saco de porra do meu meio irmão

Na infância fui muito pobre, quando estava com 10 anos minha mãe juntou os trapos com um peão que conheceu no baile, uma semana depois estava nós duas de mudança pra casa dele, era maior que o barraco que moravamos tinha quatro cômodos, dois quartos, sala e cozinha.
Acontece que ele tinha um filho de 15 anos e eu teria de dividir o quarto com ele, o garoto me olhava de maneira estranha, quando nossos pais saia para trabalhar ele ficou com a tarefa de cuidar de mim.
Nós dois chegava da escola, almoçava e dava uma geral na casa ele ficava no video game e eu brincando, um dia de madrugada acordei com os gritos de minha mãe, levantei e encontrei o meu irmão batendo punheta enquanto via os pais transar, mesmo me vendo ali não parou.
Após isso era ele assistindo pornô e se masturbando na minha frente, nessa me chamou pra deitar com ele e assitir um filme no celular, era um filme pornô, ele começou a me tocar e a copiar o que o homem fazia com a mulher no filme, tentou me penetrar mas eu chorei ele parou, outro dia seguimos a rotina e depois da geral na casa ele trancou tudo e mandou eu deitar no tapete, passou a me beijar, chupar meu corpo, me fez chupa-lo tive ansias mas não me deixou parar até gozar na minha goela, pegou a porra que escorria da minha boca e passou na minha buceta, voltou a tentativa de penetração dessa vez nem meu choro e gritos o fez parar, metia forte gozou rápido várias vezes e não parou, me deu um tapão na cara e ameaçou caso não parasse de chorar ia me dá uma surra e contar para nossos pais que me ofereci pra ele, com medo porque nossos pais eram xucros, daqueles que batia primeiro para depois perguntar o que aconteceu, fiquei calada, ordenou que gemesse , me enforcou e não parava de meter até que fui sentindo um calor e formigamento estranho, quando dei por mim estava gemendo e gozando feito cadela no pau dele.
Depois desse dia não me deu paz, de madrugada ia pra minha cama e me fodia, as vezes aproveitavamos os gemidos escandalosos da minha mãe para trepar gostoso, fui pegando gosto pela coisa, com 15 anos já tinha sido fodida de todas as maneiras, lugares, meu irmão já era homem, um homem de 20 anos lindo, rústico, xucro, grosseiro, se mudou pra capital confesso que fiquei sem chão então ele apareceu e disse que me levaria pra morar com ele, trabalhava demais precisava de alguém pra lavar e passar e também na capital teria mais chances de estudar, não me fiz de rogada juntei minhas coisas e fui sem olhar pra trás.
Dentro do carro ele foi me apalpando, fiz um boquete com sacrifício já que o pau agora é gigante, nunca foi pequeno só que agora está maior, me fez gozar com os dedos calejados e grossos, me chamava de putinha e vagabunda, puxou meu cabelo, deu tapas, me tratou feito puta durante o caminho todo.
Morava em uma quitinete bem confortável, trabalhava na construção civil, e ganhava muito bem.
Sei que acordava e já era arregaçada pela rola cheia de veias e cabeça gigante, ereção matinal meu bem.
A rotina era me comia logo de madrugada pra acalmar a ereção, me comia no banho, tomavamos café da manhã me arrumava pro colégio e ele pro trabalho, no caminho rolava uns beijos e ameaças, ciumento que só deixava claro que não me queria de amizade com garotos, me dava uns tapas na cara e eu sorria safada, depois da aula eu ia para casa de ônibus, em casa dava a geral, lavava, passava e cozinhava, estudava e o resto da tarde me ocupava com algum som, filme ou jogo até ele chegar.
Era de lei chegava tinha de tirar as botas que calçava, e esperar as vontades dele, me comia todo santo dia nem que seja uma rapidinha e acabou que fiquei buchuda, então me assumiu, conversou com nossos pais estamos casados até hoje, nosso filho foi pra faculdade em outro estado, estou 34 anos e o meu marido completou 40 anos a todo vigor, é um marido chato pra caralho, ciumento, controlador mas que sabe me comer muito bem, ne dá de tudo, sou formada em pedagogia mas não exerço a função, meu querido esposo tem sua empreiteira hoje em dia, virou patrão, já me levou pra viajar várias vezes e prometeu que assim que o Júnior assumir a empresa vamos viajar pra fora do Brasil, o amo e as vezes odeio, sei que sou um fantoche mas a safada aqui até gosta, adoro levar uns tapas enquanto estou sendo fodida com força!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 12 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Zodd ID:7qddnbachi

    O mlk foi pra faculdade com 14 anos? Kkk

  • Responder Maicon ID:bemnf5uxii

    Eu tenho uma irmã mais nova por parte de pai nós nunca fomos muito próximos sempre moramos em casas diferentes mas eu acho ela muito gostosa por eu ter sido iniciado na infância não vejo problemas no incesto ou desejar a minha irmã nunca rolou nada demais entre nós mas ela tem peitões e uma vez na casa de nossa avó ela estava de camisa sem sutiã e em um momento eu toquei e senti o bico do peito dela através da camisa com a costa da mão por alguns segundos e ela não disse nada e também não se mexeu só ficou parada e depois o dia continuou normal como se nada tivesse acontecido mas eu tenho muita vontade de pegar ela só não sei como conseguir realizar esse desejo.

  • Responder Rafaella ID:funxvfyv3

    Ficou uma submissa. Mas se está feliz, ótimo !
    Beijos !!

    • Carlo ID:7r03uwp2m3

      Ótimo conto já fiz com a minha irmã também, chama no telegram @jrs221