# #

Aventura com os mendigos

1802 palavras | 3 |4.64
Por

3 mendigos acampados em uma praça publica me chamou a atenção, e depois de fazer amizade, dei o cu para os três.

Como sempre a procura de novas aventuras sensuais, me deparei com uma situação interessante, ali próximo ao hotel onde costumo encontrar com meu amante fixo o Manolo, uma praça feia e suja bem próxima a estação Armênia do metrô, local onde eu costumava aguardar para dar o horário para entrar no hotel, ocorre que normalmente eu marco até hoje o encontro com ele as 19:00 hs, porem sempre chego no hotel 4 horas antes para dar tempo de fazer a limpeza interna do cuzinho, me depilar, enfim me preparar para ser enrabado, ocorre que as vezes chego ali muito cedo e tenho de entrar no horário certo no hotel para pagar somente o período de 4 horas que atualmente como eu já informei aqui em outra história não existe mais, somente a diária agora; o preço do período de 4 horas era $ 45,00 e agora é uma diária a $ 100,00, uma pena, mas voltando ao assunto, quando eu chegava ali perto do hotel vindo de Osasco onde moro, muito cedo, eu parava na citada praça pois ali não tem muito movimento, deixava o carro estacionado junto a praça e me sentava em um dos bancos esperando dar o horário para o hotel e sempre era abordado por 2 mendigos que moram na praça, pedindo esmolas, eu sempre dava uns trocados a eles e sabia que era para comprar pinga mas tudo bem, acabei pegando uma certa amizade com os 2 mendigos pois sempre parava por ali, ficava conversando com eles e fui me inteirando das suas vidas, um deles o mais jovem uns 28 anos chamado Eduardo, foi expulso de casa devido a droga e álcool já a 2 anos vivia na rua e morava ali na praça, o outro um sr. preto de uns 40 anos chamado Pedro, era da Bahia, casado , tinha 2 filhos mas devido ao vício da cachaça vivia em conflito com os familiares e acabou deixando a família na Bahia e veio para São Paulo para trabalhar na construção civil mas o vício da pinga acabou fazendo ele perder o emprego diversas x e ai desistiu e veio morar na praça com seu vício, depois de algum tempo comecei a imaginar uma aventura com os 2 mendigos, era perigoso e sujo mas seria interessante, passei a dar mais atenção aos 2 e fui criando um vínculo sempre especulando sobre eles, até entrar no assunto sobre sexo, como faziam, se tinham amantes e coisas do gênero, o Eduardo apesar de aparentar estar bem fisicamente, era meio feioso e sendo mendigo e viciado em cachaça, não tinha chances com mulheres e me disse que vivia só na punheta rsrsrrs, o seu Pedro um pouco mais sério, grandão e aparentemente saudável também não tinha contato com mulheres a muito tempo e também disse que se aliviava só na punhetinha rsrsrs, perguntei quantas punhetas eles batiam, o Eduardo disse que todo dia o seu Pedro de vez em quando, depois de muitas histórias sobre sexo e mulheres, perguntei se já tinha feito sexo com homens, negaram ai falei a eles que eu era bissexual queriam saber o que era isso, expliquei que eu gostava dos 2 sexos e depois de explicar a eles minha preferência sexual por homens, propus fazer sexo com eles como passivo , acharam meio estranho, seu Pedro perguntou se eu era viado e coisas assim mas acabaram topando quando eu ofereci trazer bebida alcoólica e salgados para eles; acertei com eles vir no dia seguinte as 21:00 hs.
No dia seguinte me preparei para a trepada e apesar de estar com medo devido a situação dos homens com quem eu ia trepar, podiam estar com doenças, podia ate ser assassinado por eles pois não tinham nada a perder, mas o tesão falou mais alto, estava muito ansioso com muita tesão e no horário me dirigi para o encontro, lá chegando, estacionei o carro em um estacionamento para não deixar o carro exposto e fui a pé até a praça, encontrei os 2 sentados ao redor de uma fogueirinha conversando, sentei-me com eles e ofereci as garrafas de pinga e os salgados que eu havia trazido, ficaram muito contentes com a bebida mas pedi a eles que não bebessem demais senão não iriam conseguir ter ereção, riram e ficamos ali conversando por algum tempo, mas eu estava ansioso e não via a hora de começar a putaria, depois de algum tempo o Eduardo me convidou para ira até sua cama, escondida por trás de alguns cobertores pendurados na estrutura da ponte que escondia o colchão, fomos para lá, era um colchão no chão, meio sujo e mal cheiroso , muitos panos jogados por ali, mas eu estava interessado na trepada e já comecei a apalpar o pinto dele através das roupas, me ajoelhei sobre o colchão e comecei a abrir suas calças, desci sua calça e já deu pra ver o volume sobre a cueca, puxei ela para baixo e o pinto saltou para fora já meio duro, não era muito grande, uns 16 ou 17 centímetros, era cabeçudo e meio torto mas estava bem duro já, bati um pouco de punheta com as mãos e o cacete empinou ficando bem duro, o cheiro de urina era forte mas não me importei, arregacei o pinto sujinho e comecei a lamber a cabeça, ouvindo o homem gemer de prazer, enchi a boca com seu pau e mamei bem gostoso, suguei seu cacete devagar, engolindo todo, o homem gemia e segurava minha cabeça para meter em minha boca, quando percebi que ele estava quase gozando parei de chupá-lo e pedi para ele por na minha bunda, coloquei a camisinha em seu pau e tirei minha calça, ficando só de camisa e minha calcinha sem bunda, o homem me agarrou e eu senti seu pinto todo melado me roçando a bunda, passei mais um pouco de lubrificante em seu pau e no meu cuzinho e me preparei para recebê-lo, em pé mesmo, ele me agarrou e eu segurei seu pinto na direção certa do meu cuzinho faminto, senti a cabeça encaixar na entrada , dei uma mexidinha e o pinto escorregou para dentro de mim, ele entrou fácil, pois não era muito grande, entrou tudo e ele gemeu de prazer começando a meter em mim, nossa gozou muito rápido,uns 10 minutos metendo e senti as contrações do seu pinto gozando, no meu cuzinho, eu apertava seu pau dentro do cuzinho e ele gemeu gostoso enquanto gozava, ficou assim agarrado ao meu corpo até passar os tremores do gozo, ai saiu de dentro, vi a camisinha cheia de esperma, e ele disse que queria mais, eu disse a ele que tudo bem mas agora era a vez do seu Pedro; que ele poderia vir novamente depois, ele se vestiu rapidamente e saiu, logo depois chegou o seu Pedro, olhou para minha calcinha sem bunda e deu um sorriso maroto, começou a tirar a roupa até ficar peladão, tinha um corpo magro mas musculoso devido o trabalho pesado na construção civil, braços fortes e mãos grossas, me ajoelhei junto a ele e comecei a pegar em seu pinto preto já meio duro, um cacete lindo, preto brilhante e bem grande, uns 20 centímetros; o cheiro de urina era muito forte mas minha tesão mais forte ainda, fiz carinho com a mão batendo punheta até deixar ele duro, ai arregacei bem expondo a cabeça preta avermelhada e comecei a lamber a enorme cabeça, o negro gemia de prazer e eu comecei a mamar, bem devagar, sentindo seu pinto enorme se agitando dentro da minha boca, levei ele até a minha garganta, sempre fazendo movimentos de sucção com a boca, de repente sem me avisar ele explodiu em minha boca, uma quantidade de esperma enorme, quase me afoguei pois ele gozou na minha garganta, mamei cada gota da sua porra quente e grossa, o homem gemia de prazer e dizia toma viado, toda tudo, engole toda minha porra, eu fiquei ali mamando até sair todo seu leite, tirei da boca e o cacete continuava escandalosamente duro e empinado, ele me mandou ficar de 4 e veio pra cima de mim, falei a ele para por camisinha mas ele não me deu atenção, me agarrou com força, montou em mim e eu senti seu pinto extremamente duro procurando a entrada do meu cuzinho dolorido devido a última trepada, senti a cabeça toda melada, encaixar em meu buraquinho que ainda estava melado de lubrificante KY que eu havia colocado para a penetração dom o Eduardo e escorregar devagar para dentro, nossa como era grosso, as paredes do meu cuzinho se dilataram para acomodar a enorme cabeça dentro e eu pedi a ele parar, por devagar, eu sentia o membro enorme e cheio de veias entrando forte em mim, me abrindo o cuzinho, a pressão era enorme, e o negro gemia e me chamava de puta, viadinho e coisas assim, eu adorava e ia abrindo o cuzinho para ele, demorou bastante para ele por todo o pau dentro de mim, mas logo agasalhou todo ele dentro , ele gemia de prazer e me apertava, sempre me chamando de putinha, viadinho e minha mulherzinha, começou a meter forte, eu sentia seu membro enorme me arrombando e gemia de dor, ele tinha acabado de gozar em minha boca ai demorou uns 15 minutos para gozar, metia muito forte, nossa como doía, de repente ele se enterrou profundamente dentro de mim e eu senti seu orgasmo intenso, o pau totalmente atolado na minha bundinha, pulsava enquanto despejava seu leite bem no fundo, eu sentia as contrações do delicioso pinto gozando ai tive um orgasmo delicioso também, o homem ficou assim dentro de mim até passar os espasmos do gozo intenso e maravilhoso demais, tirou o enorme cacete de dentro de mim ainda meio duro e disse que adorou trepar comigo e iria repetir rsrsrsrs,
Nossa uma aventura ótima, adorei a trepada, fiquei preocupado a princípio pois seu Pedro me comeu sem camisinha e podia me passar uma doença mas mesmo assim foi ótima principalmente com ele, que pinto preto delicioso, repeti outras x com os 2 até que um dia não os encontrei mais, devem ter se mudado para outra praça mais confortável rsrsrsrs… só ficou a lembrança daquela aventura perigosa mas muito prazerosa…

View post on imgur.com

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 14 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Luiz ID:dlns5khrd

    Olha eu passei uns anos da minha vida que trepar com mendigos sem camisinha era minha diversao predileta euchegava do trabalho tomava banho e ia para os pontos onde sabia que encontraria e o pior é que levava para minha casa pois morava sozinho e algumas vezes fui roubado mas nunca me ameaçaram com violencia, eu adoro o cheiro dos pentelhos aquele suor me dava uma tezao aflorava meu lado puta

    • CARVALHO ID:8kqtk8020j

      Oi Luiz, eu já estive com outro mendigo aqui de Osasco, qualquer hora conto a história aqui, também gosto do cheiro deles, e normalmente estão sempre cheios de porra pois não tem facilidade com mulheres, muito bom….

  • Responder Claudinei ID:6stwykeoid

    Adorei seu conto. Sou uma cdzinha bem devassa adoro foder mendingos moradores de rua . Nas noites me transformo em uma menininha . Coloco uma peruca loira calcinha minuscula sainha espartilho meia calca arrastao sandalias salto alto me maqueio. Viro uma menina linda. Entao saio pelas ruas da cidade a procura dos mendigos. Vou pra debaixo dos viadutos onde facilmente os encontro ai e so jogar meu charme. Vou pra proximo deles empino a minha raba e fico rebolando pra provoca los nao ha malaco que rexista. E foda garantida . Certa vez fui fodida por 12 moradores de rua de uma vez. Meu cu virou deposito de porra. Adoro os mendingos pelo fato de todos foderem no pelo sem camisinha. Pois eu sou fissurada em porra.