# #

Meu Pai Militar, fêmea dele e da Família toda, Ele quis assim. – Parte 40

8167 palavras | 9 |4.00
Por

Seguimos para casa, meu Pai disse no caminho que eu teria uma semana exaustiva, Sr Elvis estava louco para me ver, seu irmão primogênito de 35 anos havia chegado tb e queria seus direitos, o irmão de meu Bisa Sr Juscelino de 71 anos havia chegado no dia anterior com seus dois primogênitos, um de 55 do primeiro casamento e o outro lindo de viver de 30 anos, Sr Xisto que era um dos meus quatro padrinhos tb.
Com a voz calma depois de saciado e coberto os fluídos que estavam em mim com os seus, meu Pai disse-me alisando minhas costas, já tenho o Negro certo para vc filhote, nunca pensei em deixar vc ser sodomizado por um Homem não cigano, que dirá um homem de cor mas se Alexander diz que isso será bom prá vc e agradará nosso Grande Del me dobrarei à vontade dele, confio no Sacerdote que agora é seu Pai Espiritual e seu Homem tb, te entregarei à um Cara maduro, responsável e pai de filhos adultos já, tem 42 anos, saudável, se cuida, têm boa pinta o safado e preenche os requisitos dados por Alexander, tem compleição física avantajada no corpo e no membro tb e gosta da sodomia com garotos novos, o conheci na internet, criamos afinidades e nossa amizade já dura alguns anos, é militar tb, tenente da Polícia Rodoviária Federal em Volta Redonda mas mora na Penha, têm uma pequena transportadora em Realengo tb, è nela que ranga os garotos e até rapazes adultos pegos em situação irregular, drogas etc por Ele na estrada, se quiserem evitar problemas e dívidas, ele quebra o galho desde que se curvem e aguentem sua grande e grossa ferramenta como Ele diz mas é um Homem responsável, saberá te mostrar pq mereceu te ter como prêmio, prêmio dado por seu próprio Pai e Amigo dele.
Quando isso Papai perguntei-lhe, logo filho, será antes de sua anulação, ele conhecerá seu antes e depois como deseja Alexander mas antes tomarei uns drinks com Ele, vc estará junto para conhecê-lo primeiro, nunca teve um Homem fora do nosso Mundo, negão ainda, terá que se sentir confortável quando eu te entregar à Ele ok, sim Sr respondi, não esquente, teu Pai e Esposo sabe o que é melhor prá ti mas se não se sentir à vontade com Ele, entrego nas mãos do Sacerdote a escolha e vc honrará o Homem que ele escolher.
Hj irás descansar, Teu Bisa e Tio Bóris tão à sua espera tb, meu Avô não te têm há duas semanas, tá a beira de um ataque de nervos o safado, quer se aliviar em vc à todo custo, resumindo, vc talvez tenha 4 novos Homens da Tribo para devidamente os honrar fora os que já te possuem, tou quebrando a cabeça prá ver como eu e vc iremos fazer para deixar todo o Clã satisfeito e unido, talvez terei que te ceder a dois e até três deles no mesmo dia até regularizar a situação toda, Escola não precisa se preocupar, já acertei tudo lá, disse que farás uma pequena cirurgia, só voltará as aulas quando tiver tudo cicatrizado, ae realizarão tuas provas de forma individual.
Sim Sr Papai, respondi alisando o peitão dele, o Sr sempre sabe o que é melhor para mim, será tudo como o Sr decidir.
Passei o restinho da tarde ali deitadinho com meu Capitão, com meu Pai só de tar ali deitado com Ele, aquele monumento de Homem nú do meu lado já me deixava feliz, muito feliz, era bom tar nos braços dele, ser dele.
Depois dum tempo Ele me falou, hj depois do jantar, depois que sua mãe desmaiar com as drogas que toma vc vai prá seu antigo quarto, Júnior têm os hormônios a mil, precisa descarregar a adrenalina aqui, é melhor que tar fazendo besteira pelas ruas ok, ok Papai respondi, mas pq o Sr fala assim da minha mãe, ela não toma drogas, toma remédio prá dormir só, Ele alisou meus lábios com os dedos, é a mesma coisa filhote respondeu-me, é droga do mesmo jeito, tá viciada, quando pego ela de jeito, dorme sem tomar comprimido nenhum, mas prá mim já deu, parece que tou em cima dum móvel, não me honra devidamente como vc e outras ae fora fazem, prá mim faço apenas uma obrigação com Ela, lhe mostro que sou Homem mas é a cada dia prá mim apenas uma tarefa, creio que chegou a hora de aposentá-la dos deveres de esposa.
Fiquei quieto pensando, minha mãe tava cada dia mais distante de tudo, meu Pai dormindo no quarto comigo parecia ter deixado ela maís abalada ainda, só sentia Ela feliz quando íamos lá prá vó em Campo Grande, lá naquela casa humilde ela parecia voltar a ser a mocinha que fez o Bonitão do meu Pai se apaixonar, se sentia bem lá, eu tb adorava a casa dos meus avós, a vizinhança mas Júnior e meu Pai dificultavam nossas idas pra lá, o Capitão tratava todo mundo bem lá, sempre levava coisas gostosas quando ia, bebidas caras e era tratado muito bem tb por todo mundo lá mas eu preferia as delícias que minha Vó fazia, eles se acabavam com as coisas que o Capitão levava e eu só queria as coisas da Vovó, cada doce e salgado que só de pensar enchia minha boca d’água, fora Tio Adilson que tb enchia minha boca d’água, ô mulato lindo, quem sabe agora com essa coisa do Homem Negro e do Índio, meu Pai não mudasse de idéia e me entregasse ao Tio Materno tb, eu acho que ia adorar rs mas sem autorização dele eu acho que nunca iria honrar meu Belo Titio.
Tomamos banho depois, fomos prá cozinha, minha mãe tava concentrada no jantar, fazendo inhoque, ofereci ajuda, ela não quis, o Capitão foi pro seu Office e mandou eu levar um whisky prá Ele, levei, passei pela sala de tv, Júnior com suas putarias no Cel como sempre tava lá jogadão na poltrona, apertou a rola com a mão como que dizendo, hj tem esposinha, se prepara, eu ri, era gostoso ser do Mano mais velho, sentir a língua dele passeando em meus ouvidos enquanto me castigava gostoso com seu Teiuzão delicioso.
Entrei no Office, feche a porta ordenou meu Pai, tava em vídeo no PC conectado a um dos PCs do meu Tio Avô Bóris na casa dele, na tela quem aparecia era o espetáculo de meu Sétimo Macho Sr Elvis com seu irmão mais velho Leoni de 35 anos, raramente eu via Ele pessoalmente, pouco vinha ao RJ, era casado com varios filhos já lá numa tal Rio Claro em SP, alguns mais velhos que Eu, era impressionante a semelhança entre os dois, ambos fortes e altos mas os olhos do Sr Leoni eram castanhos bem escuros, usava uma barba quase tão grande quanto a do Sr Alexander, meu Sacerdote, os bigodes dele e do Sacerdote eram quase idênticos, ambos estavam a vontade de bermuda e sem camisa, Sr Leoni levantou-se da cadeira, os lisos pelos escuros no tórax e barriga o deixavam mais sedutor ainda, deu um sorriso safado, abaixou a bermuda e cueca juntas com uma mão só, me mostrando o que tinha reservado para mim, era um Soto Aguilar, o tamanho do belo Crocodilo não me espantou em nada, com Ele a redenção e resignação que tinha aprendido, iriam ser usadas do começo ao fim, seu olhar não negava, era tão malvado quanto meus Quarto e Sétimo Machos, seu Pai e Irmão.
Meu Pai fez sinal para eu me retirar e ficaram os três conversando entre Eles, com certeza acertando em qual dia daquela semana que se iniciava eu estaria em suas mãos para as honrarias que eu lhes daria.
Entrei na sala de tv, sentei perto de Júnior, ele já começou dizendo, é minha esposinha, guentou o Grandão lá em Magé hj, depois nosso Pai, logo mais vais rebolar no meu Pauzão guloso, gosto demais desse cuzinho maninho, quanto mais rola entra mas ele fica apertadinho, tu deve ter elástico invés de pregas nesse rabinho carnudo, o Capitão já te disse no caminho né, tens Machos novos na área te aguardando, dois já véios, vieram almoçar aqui ontem, um peludão de pelos pretos, outro que é irmão do Bisa todo peludo, cabelo tudo branco já, bonitão e grande o véio, do jeito que tu gosta, fiquei quieto, lá veio Ele me atentar com um porquinho sendo castrado por meu Sexto Macho, seu sogro Dom Pablo que tinha mandado prá Ele pelo celular, o bixinho gritava com as patas amarradas em cima duma mesa enquanto Dom Pablo exibia um olhar de satisfação capando o coitado, eu tinha agonia só de ver, sai rapidinho dali enquanto ele ria, é maninho, só falta dez dias prá tu berrar igual esse porquinho, num vejo a hora.
Fui prá cozinha com minha mãe, jantar já tava quase pronto, sentei e fiquei pensando, Júnior foi o único a votar contra minha anulação lá na Chácara, que deu nele prá mudar assim do nada quanto à isso, ia perguntar mais tarde à Ele quando estivessemos a sós no quarto
Minha mãe mandou eu perguntar ao Capitão se Ele queria que fosse servido o jantar já, fui lá, Ele mandou eu levar outra dose de whisky, em seguida jantariamos, levei, o PC agora tinha na tela o Sr Juscelino, irmão de meu Bisa e seus dois filhos, o Sr Xisto estava sempre no RJ, era meu Padrinho, um doce de Homem, sempre chegava com um presente prá mim, bombons, sorvetes, nem parecia um Soto Aguilar, era mais baixo que o resto da família, moreno claro, bigode baixo, barba rala, um olhar de quem nunca ficava nervoso, era a calma em pessoa com todo mundo, seu irmão mais velho chamava-se Juscelino Filho mas era chamado de Sr Lino por todos, era mais moreno, todo peludo como disse Júnior, o Pai tinha tirando uns pelos do bigode, cabelos e o corpão todo coberto de finos cabelos brancos, de camisa só estava meu Padrinho, por isso vi, Sr Juscelino não aparentava seus 71 anos, mostrava um rosto jovial, sorriso de jovem, como era costume dos Soto Aguilar, os dois mais velhos abaixaram as calças, vi pendente fora das cuecas os grandes Teius, um moreno outro branco que em breve estariam enfiando força e conhecimentos dentro de mim, meu Padrinho não sei se pq era seu afilhado não baixou a calça, só segurou na mão o que tinha escondido entre as pernas com olhar sério, fiquei sem saber se iria transformar seu afilhado em sua femeazinha ou não, dei boa noite à Eles e meu Pai ordenou-me que saísse e mandasse minha mãe por a mesa em quinze minutos, avisei minha mãe e sentei lá fora na varanda um pouco e pensando, Meu Tio Bisa era um Sr Macho, lindo demais, Sílvia Aurélia amava pelos brancos, não via a hora de tar debaixo daquilo tudo recebendo os conhecimentos e experiências que Ele tinha prá colocar dentro de mim, Ele é o filho mais velho eram praticamente desconhecidos para mim, plantavam soja e arroz lá em Rio Verde em Goiás, não tinham tempo prá sair de suas fazendas, só mesmo um jovenzinho de seus próprios sangues para honrá-los e que logo depois seria anulado conseguiria tirar aqueles fazendeiros de suas propriedades tão longe, eu teria que compensar todo esse trabalho que tiveram em vir lhes dando toda a energia jovem que trazia dentro de mim, quando, meu Pai e Esposo que decidiria dia e hora.
Meu Pai apareceu na porta, entre filhote, hora de jantar, se não se alimentar bem num guenta o tranco, disse com aquele sorriso malicioso no rosto, comida como sempre estava deliciosa, arroz, inhoque e carne assada de panela com salada de palmito, comi com vontade, meu Pai e Júnior tb, como sempre minha mãe foi tomar banho, em seguida era a mesma rotina de sempre, comprimidos e cama inté o outro dia.
Meu Pai chamou eu e Júnior lá pro deck, mandou eu pegar gelo e whisky pros dois, ficamos conversando, eles no whisky, eu na limonada, o assunto principal era Eu e os novos membros do Clã à quem iria honrar, nesses assuntos meu Pai e Júnior não eram Pai e Filho, conversavam como dois adultos discutindo sobre o que era melhor praquele que os dois eram os responsáveis diretos, na falta do Progenitor era o Ancião da Tribo ou o Irmão mais velho que ficava como responsável pelo mais jovem, em todos os sentidos, era assim desde os primórdios ciganos, sempre tinha dado certo, não havia pq mudar.
Acabou o primeiro whisky Júnior disse ao nosso Pai, tou cum soninho Capitão, doido prá deitar,a cara safada dele não negava que a última coisa que queria ao entrar no quarto era dormir, se aquiete safado, teu irmão não vai fugir daqui não,vamos acertar as coisas prá amanhã, depois tu cai no desfrute com tua fêmea.
Ficaram os dois pondo os pingos nos ís de como seriam meus próximos dias, meu Pai concluiu que de manhã ia me deixar no Leblon com meu Bisa e Terceiro Macho, era o primeiro da fila, eu gostei, tava cum saudades do Sr Lorenzo, dos olhos azuis que me enfiavam aquele imenso Crocodilo com calma e muita paciência, o acomodando aos poucos inteiro dentro de mim, era bom sentir aquele corpão loiro montado, gemendo sobre mim, aquele gozo que demorava a vir, quando vinha eu já estava todo molinho, todo entregue àquele prazer carregado de experiências que jorravam lá dentro de mim, do deck mesmo meu Pai ligou e avisou à Ele que enfim, seu bisnetinho seria dele de novo na manhã seguinte, logo após o almoço lá pelas duas da tarde, iria me buscar prá irmos até o Inhangá em Copa onde eu seria apresentado ao Tenente Firmino, o Negro e se houvesse afinidade de minha parte eu iria honrá-lo no dia seguinte, um Negão Pai já é demais, um Indígena até posso entender mas um Negão se esbaldando no que é nosso é foda disse Júnior, Alexander sabe o que faz Jr retrucou meu Pai, e não é um Negão, é um Sr de cor, amigo meu e responsável, tem filhos mais velhos que vc, não conheço outro Sr de cor melhor prá entregar meu caçula, tb não se esqueça que se sua mãe tem sangue negro, vc e seu irmão tem tb, seu irmão vai honrar Firmino como se tivesse honrando um antepassado de vcs, creio que no fundo é isso que Alexander quer, tá bom Capitão, Sr manda disse Júnior mas acho que esse Sr Negro como o Sr diz vai destroçar nossa Silvinha, vai não, saberá os limites dele e meu caçula só irá se quiser e assunto encerrado esse hj, tás com sono safado, vão dormir encerrou meu Pai.
Levamos a garrafa e os copos prá dentro, o Capitão ia dormir só hj, mal entramos no quarto, Júnior já tirou a camiseta e a bermuda, tirei minha roupa tb, só de cueca nos deitamos na cama de solteiro, Júnior montou em mim, me beijou com a boca linda e quente com bafo do Blue, depois a língua dele feito redemoinho ficou brincando em meus ouvidos, saudades de tu eu tava minha esposinha gostosa me disse, era bom ser daquele loiro cor de cobre, olhar aqueles olhos hora cor de mel, hora verdes iguais do nosso Avô, meu Quinto Macho, com nós dois não havia mais velho e mais novo, não havia as regras do nosso mundo cigano, éramos um mlk macho comendo um mais novo que era sua fêmea prá sempre, esqueciamos que éramos irmãos, ele comandava a festa mas não mandava, Silvia Aurélia se entregava de corpo e alma aquele mlk viril que fazia dela o que queria, mostrava à Ela que o Macho ali era Ele e Ele merecia todo o prazer que aquele mulekinho debaixo dele lhe dava.
Arrancou minha cueca depois, jogou junto com a sua na outra cama e montou em minhas costas se movimentando feito serpente por ela, com a língua sempre em meu ouvido, era assim que meu Segundo Macho me relaxava ele foi enfiando aqueles 21 cm de pinto dourado e muito duro dentro de mim, aquele corpo dourado, magro e todo definido em cima de mim, os cabelos alourados roçando os meus me faziam esquecer de tudo, como era bom ser daquele mlk que tomava conta de mim e me azucrinava o dia inteiro, a força dos mais velhos era muito bom, mas aquela energia jovem que trocava as dele com as minhas era boa demais tb, eu rebolava pro meu Segundo Macho gostoso, mostrando à Ele que sua Silvinha adorava estar ali lhe dando o prazer que um Macho como Ele merecia.
Ele tão jovem tb, na primeira gozava logo e gozou gemendo alto me encharcando de porra quente por dentro mas viriam outras, Jr nunca ficava satisfeito com uma só, eram duas, três, as vezes quatro, de manhã estaríamos os dois mortos de sono, ele prá ir às aulas, eu prá ir honrar nosso Bisavô.
Mal tinha gozado, meu Segundo e Gostoso Macho se estirou na cama de pernas abertas, hora de tomar leitinho disse o safado, engoli as bolas douradas e fiquei me deliciando com meu jovem Sr, as mãos fortes dele apertavam meus ombros seguindo o ritmo da minha língua em seu saco preparando aquele precioso leitão que logo eu estaria degustando gotinha a gotinha por inteiro.
Ele gemia gostoso prá sua fêmea esposinha ali embaixo lhe honrando, eu ao mesmo tempo me deliciava com as bolas e pelos dourados passeando em minha língua e boca, o gosto era de garotão zona sul, de quem pega praia a rodo aqueles testiculos redondos que bailavam em minha boca, depois de muito muito tempo, subi seu lindo e grande Teiú carinhosamente com a língua, engoli a cabeça enquanto Ele se debatia gemendo, passava a ponta da minha língua no burakinho mágico da glande por onde meu prêmio pela honraria iria passar desaguando aos jatos em minha boca já sedenta por ele, descia e subia engolindo seu Crocodilo inteiro, com ele atolado em minha boca, lambia os pentelhos umidos e parte do saco tb, meu Segundo Esposo e Macho se deliciava, me chamava de putinha gostosa, depois gozou jorrando o leite forte de Macho novo aos montes dentro de mim, era um sabor delicioso igual do nosso Pai, doce, grosso e ácido ao mesmo tempo, engoli tudo sempre olhando os olhos lindos de meu Macho se revirando ora cor de mel, ora verdes tb fixos no rosto de sua feminha dedicada.
Ele ficou estirado na cama, eu com a cabeça em suas partes degustando aquele xero de macho saciado que em minhas narinas entravam, aquela mamadeira era deliciosa demais, meu Jr era um Homem de verdade, um Macho Soto Aguilar que merecia todos os carinhos do mundo de minha parte.
Perguntei à Ele pq tinha mudado de idéia sobre a anulação próxima, ele deu aquele sorriso lindo respondendo, sei lá minha Silvinha, andei conversando com nosso Avô, manja tudo de leis o teu Macho safado tb, ele disse que sou o responsável por vc depois do nosso Pai, pro futuro vc capadinho será mais fácil de eu conduzir, dar as ordens, ficará mais mansinho do que já é, andei vendo vídeos de bixo e até homem sendo castrado, as cara de dor e os berros dos danados me excitaram muito, agora quero, quero minha Silvinha toda lisinha na frente prá mim, num vejo a hora de Elvis e Dom Pablo te cortando essas carninhas mortas que tu tem, nunca vai usar prá nada, melhor arrancar mesmo, um burakinho pro xixi sair e tá perfeito, um capado, quase fêmea prá nós, espero que em breve, só sejas meu e do Capitão, num gosto de ver tu de fêmea prá esse bando de véio não, agora até dum negão vais ser, acho certo isso não.
Eu ri, meu Macho era ciumento demais o danado mas gostei, era bom saber que Ele só queria me dividir com nosso Pai mas que eu estava curioso prá conhecer esse Sr Negro eu estava e curioso tb prá saber como era um negro em cima de mim rs.
Fomos tomar banho depois, Jr foi tomar refri, fiquei no quarto vendo tv do jeito que vim ao mundo, nem me vesti, conhecia Jr, sabia que antes de dormir, Ele ia me querer de novo, safado tinha um tesão danado prá meter.
E não deu outra, logo Ele tava alisando minha bunda e querendo mais, me levou pro banheiro, já sabia que ia botar minha perna no lavatório, meu Segundo Macho adorava aquela posição, entrava em mim parecendo que ia enfiar até as bolas, danado me deixava tonto, socava forte o Teiuzão, brincava lá dentro, saia e socava de novo, depois que eu relaxava eu adorava, rebolava gostoso pro meu Macho, Ele ficava doido de tesão, pelo espelho ele via meu rosto, eu o dele revirando os olhos, se deliciando em mim, depois bombou forte, pela terceira vez na noite gozou gostoso, parecia que enfim tinha tirado o atraso, tomamos banho de novo e fomos dormir, já era madrugada, cedinho ia pro meu Pai deitar com Ele antes que acordasse, o Capitão não abria mão de colocar em mim seus sais matinais nunca.
Dormimos logo, o atleta sexual Jr estava cansado, eu tb, dia tinha sido movimentado, acordei cedo, Júnior no primeiro sono ainda, sai devagarinho da cama prá não acordá-lo, entrei no meu quarto, meu Pai estava só de cueca deitado assistindo jornal na tv, deitei do lado dele, alisou meu queixo e disse, sabia que vinhas cedo prá mim descarregar minha urina em ti, sempre boa esposa meu caçulinha, sabe de suas obrigações e as cumpre com desvelo, bora que tou me segurando não é de agora, levantou-se, eu tb, me ajoelhei, Ele abaixou a cueca azul, pôs a maravilha perto de meus lábios e me doou seus sais armazenados que guardava sempre para mim, quentinho, agri doce como sempre, eu adorava beber meu Pai assim direto da fonte.
Continuei ajoelhadinho, alisando meus cabelos Ele disse, bom rapaz meu menino, hj vais levar aquele Cel meu de novo, nem vais precisar caprichar muito prá deixar meu Avô derrubado, duas semanas sem te catar, irá se acabar hj dentro do bisnetinho, assim que Ele cair no sono depois de honrado, vá para o escritório, fotografe tudo que estiver no cofre, folha por folha, foto por foto minha esposa, agrade teu Pai e Homem como sempre faz, não sei se vou te entregar à Ele de novo mais antes de seres anulado e talvez nem depois mais, o velho já lambuzou-se demais em ti, se insistir comigo em te ter, será uma negociação pesada entre dois homens, não entre Avô e Neto como tem sido até agora, sim Sr Papai, respondi, Ele foi tomar banho e vestir-se prá me entregar ao Bisa e seguir pro Batalhão à paisana, ia trabalhar só até o almoço, depois ia me buscar pro encontro com o tal Firmino, eu fui prá cozinha ver se minha mãe queria ajuda.
Ela tava sentada com a cafeteira ligada, beijei-a, Mamãe tá morta hj meu filhinho, já acordei cansada, tinha biscoitos de gengibre prontos que o Capitão adorava com mel, deixe que eu acabo mãe, lhe disse, coloquei as coisas na mesa, leite, café, meu Pai desceu lindo como sempre, calça jeans clara apertada no corpo e camisa polo vermelha, dava água na boca só de olhar meu Homem lindo como estava, vá chamar o dorminhoco ordenou-me, ele não tem a primeira aula hj Pai lhe respondi, dane-se, chame do mesmo jeito, família faz as refeições sempre que possível todos juntos, mande ele vir rápido, banho ele toma depois.
Júnior tava dormindo aínda quando entrei, chamei Ele, pôs o pau prá fora da cueca durasso, faz aquela gulosa minha esposinha, cai na gargalhada, levanta logo, Pai tá na mesa te esperando safado, falou prá tu tomar banho depois, já vou, Capitão chato do caralho disse resmungando e vestindo um schort, eu sai na frente, tomamos café, era cedo ainda, fui pro meu banho me preparar pro Bisa, o Capitão, Júnior e minha mãe ficaram conversando na mesa.
Cheguei na cozinha, Júnior já tava arrumado prá escola, ia pegar uma carona com nosso Pai, saímos, o Capitão deixou Ele lá e seguimos pro Leblon.
Na porta do prédio meu Pai avisou pelo Cel que eu estava subindo, 13.45 desça filhão, estarei aqui te esperando, não vou subir, tá bom Pai respondi, beijei sua mão e fui de encontro ao Quarto Macho que não via há 2 semanas já e tava com saudades do meu Bisa, era grandão, peso parecido com o do Sr Alexander mas todo macio, aos 73 anos os músculos iam sumindo, depois que Ele acomodava aquela coisa gigante inteira dentro de mim, eu o honrava como merecia, adorava alisar os tufos de pelos amarelados que cobriam Ele todo.
Como sempre, desci do elevador, o Bisa já estava na porta me esperando, beijou meu rosto, ô minha Chica, saudades demais de e vc e tuas tenras carnes tou, vamos, não tenho tempo a perder, meu saco tá deveras pesado.
Me levou direto pro seu lindo quarto, tirou a camisa e a bermuda que estava usando, de cueca deitou-se dizendo, nua minha Chica, venha levar teu velho Lorenzo aos céus, deitei nuzinho, abocanhei sua cueca e a fui tirando, o Crocodilo gigante rosado de cabeça roxa pulou na minha cara, o Bisa estava no atraso mesmo, desci a cueca toda até os pés, a retirei e subi lambendo as pernonas grossas e aqueles pelos maravilhosos dele que acarinhavam minha língua, no sacão roxo que parecia tar carregado de espermatozóides vivos, caí de boca com vontade, meu Terceiro Macho relinchava com vontade como sempre, ali Ele era o Garanhão dos Pampas Argentinos, eu, sua eguinha mansa e obediente de sempre, deixei o sacão imenso nervoso com minha língua, depois umedeci sua Tora com vontade, a deixei toda babada, conhecia meu Bisa, Ele queria entrar com o Crocodilo enorme e grosso todo na sua menininha.
Me virou de bruços, deitou o peso todo sobre mim, eu debaixo daquela imensidão de Macho desaparecia, foi me lambendo os braços e toda carne minha que sua boca conseguia alcançar, senti a coisa enorme e dura entre minhas pernas procurando a entrada, relaxei todo prá facilitar sua triunfal entrada, prá agasalhar meu Bisa eu tinha que relaxar mesmo, em tamanho Ele só perdia prá seu neto Sr Ruan, meu Décimo Primeiro Macho, foi penetrando suave em sua bisneta fêmea toda dele, relinchava e ia forçando ao mesmo tempo, eu sentia as pulsações lá dentro a me invadir, aquele peso quente, seus pelos amarelados e fartos me roçando todo, e adorava aquilo tudo, prá Silvia Aurélia seu Macho quanto mais pelos brancos tivesse, melhor ela o honrava, eu era uma ciganinha nata, as experiências e os conhecimentos dos mais velhos não tinha preço, eu me abria todo prá receber o que tinham prá me dar.
Metade dele já estava atolada em mim, o sentia procurando meu fundo quando comecei a alisar seu corpo e tentar rebolar pro meu Garanhão, 60 anos mais experiente que eu, tava agradecendo à Ele tudo aquilo que estava me invadindo e lhe doando a energia vital jovem minha que Ele tanto gostava e necessitava, Ele continuou firme e lentamente seu trajeto, depois senti seu sacão cutucando-me lá embaixo, meu Macho estava instalado e bem acomodado dentro de mim por inteiro, começou a girar seu quadril sobre mim, me relaxando prás investidas que iam começar, conhecia meu Bisa e Macho, as estocadas vinham iguais a de um jovem, firmes, fortes e violentas, era assim que Ele absorvia a força jovem de sua obediente Chica, começou as estocadas, ai Bisa, meu Macho, gemi prá Ele mas em tom de resignação e não de lamúria, Ele gostou e foi virando um mlk em cima de sua fêmea, socava sem dó, quanto mais desconforto eu sentia mas o alisava e sua farta cabeleira provando que pertencia todo à Ele, Sr Alexander tinha me ensinado direitinho o que era resignação, agora eu provava à mim mesmo que tinha assimilado tudo por completo, as deliciosas carnes do Bisa me comiam por completo, por dentro e por fora, aquele corpo enorme e quente em mim, o Crocodilo mais quente ainda lá dentro, duro, esponjoso e macio ao mesmo tempo me deixavam doido e feliz por estar ali sofrendo mas honrando o mais velho da Tribo, o Chefe e Ancião que por decisão dele, aquele corpo ali debaixo dele seria transformado num Nullo dali a nove dias apenas, isso me deixava mais entregue à Ele ainda, eu tava honrando o Grande Chefe, o que batia o martelo, o Poderoso que havia selado o meu destino vida afora, era uma sensação boa demais servir todo aquele Poder que meu Terceiro Macho tinha conquistado com o tempo e que meu Pai com minha ajuda queria usurpar.
Eu tava todo macio prá Ele quando seus relinches ferozes começaram a aumentar, me sentia empalado por aquela força tremenda em mim, suas mãos me prenderam fortemente pela cintura e ae senti os espasmos de Macho se saciando, jorrando seus espermatozóides e experiências fartamente lá no fundo de mim, depois a sensação maravilhosa dos nervos se afrouxando dentro de minhas carnes, os relinches sumindo daquela boca que agora lambia minha nuca e pescoço, Sr Lorenzo estava em dia de novo, sua Chica tinha tirado seu atraso de duas semanas, senti o Teiuzão escorregando todo macio prá fora, por hora saciado, depois o tapão em minha bunda dizendo-me ah minha Chica, meu sangue, como é bom ser seu Macho e tb seu Senhor, obrigado Sr lhe respondi, lhe fazendo feliz, fico feliz tb.
Ele foi tomar banho, depois tb tome o meu, voltei pro quarto, o corpão todo nú estava estirado na cama, lembrei das ordens do Capitão, não lhe dei descanso, fui direto pro meio de suas pernas lhe honrar de novo, agora com a boca, precisava fazer meu Terceiro Macho dormir e dormir bem gostoso.
Fiz daquele Crocodilo carnudo e imenso uma espiga de milho em minha boca, ia debulhando mil a milímetro aquela deliciosa carne de Macho, mordiscava de leve a carne salgadinha e aqueles nervos e veias que o enfeitavam, dei o melhor de mim pro meu Bisa e Macho abocanhando aquilo tudo com carinho e muita vontade, Ele relinchava fora de si com os carinhos de minha boca e língua lhe honrando por completo, senti o leitão sagrado dele, salgado, muito salgado e azedo premiando meus lábios, língua, boca e garganta tudo junto, o saco estava pesado mesmo como Ele tinha dito quando cheguei, cheio de prêmio prá me oferecer, nada foi desperdiçado como exigiam os Soto Aguilar, espermatozóide por espermatozóide foram nadar em meu estômago, o Grande Homem desabou como meu Pai tinha previsto, mal acabou de ejacular suas proteínas, estirou os braços na cama e começou a roncar.
Sai da cama, me esgueirei pro escritório, cofre aberto como da outra vez, tirei a caixa que já tinha aberto da outra vez, abri em cima da mesa, fui vendo foto por foto, algumas eram com certeza de membros da Família que eu nem conhecia, a primeira de Tio Avô Bóris que eu vi era sodomizando o garotinho de olho azul que eu já tinha visto, depois em outra Ele fazia a mesma coisa com uma menina de minha idade com pele morena, registrei no Cel, a próxima me deixou de boca aberta, era meu Avô numa foto bem nítida amamentando um garotinho de no máximo oito anos com seu grande Teiú, a cara dele era de êxtase total, meu Quinto Macho gostava dessas artes tb, meu Bisa aparecia em várias fotos tb mas sempre com meninos próximos à minha idade e todos muito bonitos, Sr Juscelino aparecia em três fotos montado numa garotinha e dois rapazinhos bem jovens, eu estava num Clã cheio do que a Sociedade não Cigana chama de pedófilos, poucos da nossa grande Tribo não apareciam em nenhuma foto, registrei tudo, doctos tb, não deixei passar nada.
Voltei pro quarto, o Bisa roncava alto, tão cedo não ia acordar, olhei no relógio na parede, eram 12.30, as 13.45 eu tinha que tar lá embaixo, ia deixar ele dormir até às 13.30, ae tinha que acordá-lo, fiquei quietinho, deitado ao lado dele.
Meu Bisa se revirava na cama mas nada de acordar, na hora certa o chamei suavemente, Ele abriu os olhos azuis sorrindo, preciso ir Bisa, meu Pai me aguarda lá embaixo, Ele se levantou, ah minha Chica, nem tivemos tempo de conversar falou-me, é Bisa, a hora voou respondi, vestiu-se e desceu comigo, meu Pai estava do outro lado da rua me aguardando, o Capitão beijou as mãos do Avô, fiz o mesmo e fomos embora em direção à Copacabana, Sr Firmino nos aguardava no Inhangá.
E ae perguntou meu Pai assim que saímos, tudo certo? Tudo, respondi, alisou minha cabeça, grande Garoto este meu, disse-me, nunca falha numa missão dada
A Praia até Copacabana fervilhava de gente mas o trânsito estava de boa, chegamos no Inhangá depressa, meu Pai estacionou a L-200 e entramos, um Homem numa mesa afastada das outras levantou-se assim que nos viu, era o tal Firmino, era um negro de tom negro avermelhada a pele, não era desses negro azul não, era mais baixo que meu Pai, 1,80 ou um pouco mais talvez, estava vestido de camiseta vermelha e bermuda branca justa, era forte, de longe já vi, a bermuda mostrava que aquele Sr nada devia aos Soto Aguilar em termos de tamanho, um pacote considerável de Macho estava alojado dentro dela, deu um sorriso para nós, abraçou meu Pai, apertou minha mão e sentamos os três na mesa, é este então nosso garoto perguntou à meu Pai, em pessoa respondeu meu Capitão, que achas, o Negão deu um sorriso de ponta a ponta no rosto de barba, cavanhaque e bigode bem feitos, com todo o respeito meu Amigo Capitão, seu garoto é um filé, carne de primeira, Sr Faustino pediu uma rodada de chopp, suco de laranja prá mim e pastéis, bem gostei, tava com fome e muita, nada tinha entrado em minha boca além do Teiuzão do Bisa desde meu café da manhã.
Mas à que devo a honra de tão bela oferta perguntou o Tenente Faustino, nos conhecemos há um bom tempo Tenente, respondeu meu Pai, só Deus sabe as experiências que já tivemos por ae juntos,, meu caçula necessita servir um Homem Maduro e de cor, confio em vc, foi o primeiro à me vir a cabeça, ô Capitão, brigadão pela honra, farei por merecê-la disse o Tenente com um riso safado no rosto, o Garçom trouxe os pasteis e as bebidas, já peguei um de camarão, os pastéis do Inhangá são divinos de bom.
Meu Pai ficou conversando com o Tenente, eu comendo e observando, aquele Homem sem a farda não parecia nada ser um Tenente da PRF, tinha um jeitão desses pagodeiros que vem das periferias tocar e cantar nas praias da Zona Sul aos fins de semana, bater uma bola e tals mas era um Homem atraente, a frente da cabeca calva, laterais e atrás parecia passar máquina zero e os poucos cabelos não eram carapinha não, eram curtos mas pareciam ser lisos, a voz era agradável, decidida e gostosa de ouvir, por mim era Ele o primeiro negro que iria honrar ou talvez o único na vida
E ae meu caçula perguntou meu Pai, que tás achando do meu Amigo Tenente, legal Pai, respondi, o Sr é que sabe
O Negão me olhou com ar satisfeito pela resposta, olhar agora tinha ficado diferente, era um olhar de cobiça ou desejo sei lá
Pois então meu amigo Tenente, filhote tá deixando em minhas mãos o fexamento, vc tb o aprovou, resta saber quando vc pode disse meu Pai, ô Capitão, com o devido respeito à sua pessoa, uma carninha dessa eu arrasto prá Realengo é agora se vc quiser, hj não respondeu meu Pai rindo do Amigo mas amanhã podemos combinar hora de vc o pegar e tb a de me devolver inteirinho como o pegou, tranquilão Capitão disse o Tenente, garotão vai sentir o Black Power mais suave como Ele e vc merecem, mas tenho um pedido a lhe fazer, diga falou meu Pai, meu velho tá com 61 anos, trabalhador responsável, aposentado mais trabalha até hj, é um bom eletricista, tem casa em Barra Mansa onde vive e outra na Rocinha onde nos criou e a mantém até hj, quando está no Rio é lá que fica, deu uma piscada pro meu Pai e continuou, o velho num é negão como Eu, tá mais prá árabe, magro mas bem forte, cheio de saúde graças à Deus, piscou o olho de novo, é fissurado num novinho como nós, até acho que herdei esse gosto dele, já arrumei uns garotão que peguei nas erradas lá em Volta Redonda mas tudo 18 anos prá cima, sonho dele é catar um abaixo de quinze, teu garoto fez treze este mês né, meu Pai ia me agradecer de joelhos, faz 62 mês que vem, queria dar esse presente antecipado à Ele, meu Pai deu uma golada no chopp, olhou prá mim, coçou a cabeça, ae é phoda Tenente, meu caçula me obedece em tudo o que eu mandar fazer, se eu mandar ele honra teu velho mas pelo menos eu tenho que conhecê-lo antes né, sentir firmeza em quem vai ter meu filho nas mãos e no resto tb.
Entendo disse o Tenente mas posso lhe garantir que meu Pai é responsa total e tem mais presença que Eu, ok continuou meu Pai, passe meu nr prá Ele, converso via net com Ele e meço a febre dele por um novinho, se sentir firmeza no taco, pela nossa amizade te faço esse gosto de presentear teu Pai com o meninão que saiu do meu saco, fexou Capitão, qual melhor horário, hj mesmo ele entra em contato contigo, Manoel ou Neco como prefere ser chamado é o nome dele, prefiro que me contate à noite disse meu Pai, tou mais à vontade prá esses assuntos fora do serviço.
O Tenente me olhou com um olhar de fome e disse, então Capitão, bora desenrolar prá amanhã esse meu presentão, tá livre que hs amanhã, a partir das onze hs posso largar meu posto lá e só voltar no outro dia respondeu o Tenente, pode ser a partir desse horário ou a noite tb
A noite não tem como disse meu Pai, garoto vai tar ocupado e muito, podemos fazer assim, levo Ele pro Batalhão de manhã comigo, vc pega Ele lá, mais tardar cinco e meia vc devolve meu tesouro lá no Batalhão tb, fechado respondeu o Tenente com o olhar fixo em mim, a propósito meu garoto continuou o Tenente, meu nome é André Firmino mas vc amanhã o tempo todo irá me chamar de Tenente ok, ok Sr, respondi.
Os assuntos mudaram, começaram a falar de outras coisas enquanto bebiam e eu me divertia com os pastéis sempre olhando praquele Homem de quem eu seria fêmea no dia seguinte, sentir o Black Power como tinha dito Ele um pouco antes
Ficamos mais quase uma hora lá no Inhangá ainda, o Tenente não quis dividir a conta, pagou sozinho, saímos, ele foi até o carro com a gente, antes de entrarmos no carro ele apertou meu queixo, calminho amanhã neném, o Paizão aqui sabe cuidar bem duma criança, te quero bem tranquilo prá mim, ok Sr, respondi.
Fomos prá casa, então meu tesouro, gostou do meu Amigo perguntou meu Pai, simpático respondi, bom que o aprovou, é um problema a menos na minha cabeça falou meu Pai.
Ele parou no Empório de sempre, entramos prá comprar um monte de coisas gostosas, pegou duas garrafas de Blue Label, a conta deu 2500,00 reais, num sei que ginástica meu Pai fazia prá pagar a vida boa que a gente levava.
Chegamos em casa, era dia ainda, fui tomar banho e ajudar minha mãe a guardar as coisas e preparar nosso jantar, íamos ter bacalhau no forno, Júnior atrás de mim o tempo todo, queria de novo, e eu queria era dormir com meu Pai.
Fiquei na cozinha com minha mãe, meu Pai já eram umas oito horas quando saiu do Office, deu uma espreguiçada na varanda, fez umas flexões, depois entrou, mandou eu levar um whisky prá Ele e voltou pro Office, qq dia ficava cego de tanto olhar prá tela de computador e Cel meu Capitão.
Entrei no Office, Ele tava salvando as fotos que eu tinha tirado no PC e nos tais emails dele, senta aqui me disse batendo a mão em sua coxa, tava só de schort de futebol branco, sem cueca e suado, sentei, sentir o Teiuzão dele endurecer no ato, junto com o xero de Macho do suor dele me deu vontade de honrá-lo na mesma hora, tomou um gole do whisky e disse-me, hj meu caçulinha deu show pro Papai lá no meu Avô, melhor impossível, matou muitos coelhos com uma pedrada só, Papai hj vai te dar aquele trato prá agradecer filhinho, vou comer teu rabinho com a língua até ela criar calo, fiquei quieto mas pensei ebaaaaaaaaaa, a língua do meu Pai em qq lugar era uma delícia, lá então nem se fala.
Continuei no colo gostoso dele, Ele me mostrou uma foto dum coroa moreno bonitão só de camisa, sentado numa poltrona com o pau duro por cima da camisa aiai, que achas meu safadinho perguntou-me, nada, respondi, Ele riu, é o Pai do Tenente, o que quer um novinho igual vc, o tal Neco disse Ele, tens coragem, o Coroa é forte hen, num sei Pai, respondi, só faço o que o Sr mandar, minha boa esposa sempre continuou Ele, vou pensar no que ganho além de te entregar pro filho meu Amigo te entregar ao Pai dele tb, tira o short e deita no sofá de bumbum prá cima, vou tirar uma foto tua do pescoço prá baixo pro velho ver que meu filhote é prá quem tem bom gosto e dinheiro, uma iguaria só prá quem merece, fazer esse coroa se acabar na punheta hj.
Deitei no sofá, meu Pai bateu umas três fotos minhas deitado peladinho, se veste e sai daqui caçulinha, senão te como agora mesmo, fala prá tua mãe daqui meia hora servir nosso jantar, eu faço teu prato hj, vou ver o que vc pode comer, amanhã de manhã jejum total filhote, o Tenente é bem avantajado, quero que cause boa impressão nele e vamos dormir cedo hj, o acerto meu com o Tenente me deixou num tesão danado, tou só imaginando aquele safado se babando todo em cima de ti, negão de sorte o fdp, tudo culpa de Alexander que inventou isso.
Fui prá cozinha de novo, nem queria ficar perto de Júnior prá Ele não ficar me mostrando vídeos dos bichinhos sofrendo de novo.
Meu Pai veio jantar, chamou Júnior, ele não ia jantar disse, tinha comido dois pães de atum que tínhamos trazido do Empório, foda-se rapaz, se não quer comer não coma mas vai sentar na mesa com a gente, Jr viu nós comendo o bacalhau, não resistiu, acabou comendo um pouco tb, bixo era magro de ruim rs.
Minha mãe mal acabou de jantar pediu prá mim arrumar a cozinha que ia dormir, desde manhã que ela não estava bem falei pro meu Pai, teimosa a mãe de vcs respondeu Ele, já disse à ela que vai acabar morrendo com essas drogas que toma, vou tomar um bom banho disse-me, te espero no quarto, não demore e vc Júnior, larga essa porra de cel e vá se deitar tb, deixa o maninho prá mim que deito respondeu Jr, o Capitão fez uma cara, faz tempo que não apanha safado, cutuca onça que tu vai ver que é ficar arrebentado de cama uma semana, meu braço tá louco prá te fazer uns carinhos, foi pro banho, eu fiquei arrumando a cozinha com Júnior me perturbando o tempo inteiro, danado era elétrico parecia, sabia ficar quieto não.
Entrei no quarto, meu Pai tava me esperando com a luz acesa, aquilo tudo vestido só com uma cueca vinho cavada, acende o abajur, apaga a luz e vem ser feliz minha esposinha, teu Marido vai te dar o tratamento que merece pelo dia de hoje, deitei só de cueca e de bruços, na penumbra só via o abajur aceso, senti aquele corpão escultural se acomodando sobre mim, aquela língua quente que tantos beijos me dava encostando em meu pescoço me dando arrepios e descendo por minha coluna até meu bumbum, ele abocanhou minha cueca e com a boca a desceu até meus pés a retirando, sem dizer uma palavra, pegou o travesseiro, acomodou-o sob minha bunda, as mãos fortes jogaram minhas pernas pro lado, eu tava todo abertinho pro Capitão que eu amava, apagou a luz do abajur, agora eram dois corpos, o filhinho e o Papai seu Macho numa escuridão total, foi assim que senti a boca linda dele mordiscando minhas nadegas suavemente e depois uma língua furiosa me causando tremores pelo corpo, se deliciando em meu rabinho e forçando a entrada lá dentro, ai Papai gemi, que gostoso, Ele não podia falar nada, sua quente língua já estava girando em minhas bordas íntimas me levando à delírios inimagináveis de descrever, o Capitão sabia reconhecer o trabalho de sua fêmea e estava me mostrando com sua carne que eu nunca iria me arrepender de cumprir suas ordens, não ia mesmo, aquela recompensa valia qq trabalho, qq missão do meu Homem e Pai por mim seria realizada com fervor e vontade, a língua girava em meu rabinho que devagarinho rebolava e se abria todo prá Ela e pro meu Capitão Sr Ed Carlos Soto Aguilar, meu Pai, meu Esposo, meu Primeiro Macho e meu único Amor.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 4 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sluttyboy ID:gsut7x49c

    Eu espero a semana toda só para ler sobre a Silvinha, os contos são incrivelmente detalhados, bem escritos e muito excitantes .

    • Aurelius ID:19p2lvrzj

      Obrigado Querido. Postei um há pouco. Abraços. Boa noite.

  • Responder Zorro ID:g3j1no4qk

    Longo e mal escrito, impossível ler.

    • Aurelius ID:19p2lvrzj

      Não és obrigado né. Abraços Querido.

  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    Show de conto ta ficando muito melhor eu ainda li o 38 vc podiam pedir ao autor para reeviar, muito triste perder um capitulo

    • Aurelius ID:19p2lvrzj

      Este site dá umas furadas, de dois dias pula prá duas semanas direto, as vezes não respondo comentários não é por preguiça não, não consigo é lê-los mesmo. Abraços Querido.

  • Responder Drica loka ID:bf9kdis6ic

    Sumiu 2 capítulos do conto. Posta novamente.

    • Luiz ID:h5i094m9a

      Opa mais homem para esse moleque da eu adoro lê como ele se subimete as leis ciganas

    • Aurelius ID:19p2lvrzj

      O Site anda meio louco mesmo, vou postar. Abraços.