# #

Dei a bundinha para um colega de aula…

1549 palavras | 3 |4.33
Por

Depois de dar para meus primos, comecei a dar para os novos amiguinhos…..

Meu apelido é boneco, tenho 57 anos , casado com mulher a 32. Já contei aqui varias estórias da minha primeira infância. Podem pesquisar aqui no site. Com 7 anos era um menino bonitinho, educadinho, tímido e com um corpinho bem bonitinho. Era bem atraente , com cabelos loirinhos, olhos verdes, corpinho bem redondinho , coxas grossinhas e uma bundinha branquinha bem arrebitada, como diziam meus primos : bundinha de menina.
Eu adorava ouvir eles elogiarem minha bundinha, principalmente quando diziam que era mais bonita que a bunda das minhas irmãs.
Logo começaram a passar a mão e em seguida me ensinaram a fazer a ¨meia¨. Eu nem sabia o que era , mas querendo aprovação dos primos mais velhos, aceitei. Aprendi que era fazer um troca-troca.
Ele comeriam minha minha bundinha e depois eu comeria eles. A primeira parte eles me ensinaram rapidinho. Vários dos meus muitos primos, mandaram eu baixar o curtinho short de algodão que eu usava e meteram no meu cuzinho. Mas todos eles sem exceção não me deram a bundinha.
Analisando hoje, acho que eu era muito bobinho mesmo, não chegava a ser afeminado. Mas convivendo muito só minhas irmãs, acabei ficando com um jeitinho delicado.
Sentava de ladinho e andava meio rebolando um pouco, coisa que tinha apreendido com minha irmã que brincava de desfilar comigo.
Eu sou o nenê da casa e as 3 sempre me superprotegeram. Em casa estavam sempre brincando de boneca ou de casinha comigo. Não tinha carrinho de brinquedo nem bicicleta, então elas brincavam que eu era o nenezinho ou então colocavam roupa em mim e mandavam eu desfilar. Aprendi a colocar uma perna na frente da outra , caminhando meio rebolando, parar com um perninha reta e a outra meio dobrado. Sem realçando a bundinha.
Era inicio dos anos 70, e acho que elas não tinham a intenção de me transformar em menina. Mas
eu fiquei submisso demais e acabei aceitando meu primos me comerem e não exigia comer eles.
Não sabia comer e abrir as perninhas era bem mais fácil.
Confesso que no começo quando eles me comiam em pé, não era lá muito bom, mas depois que eles me deitavam na cama ou no chão e deitavam em cima de mim, descanso seu corpos sobre o meu ,com o pauzinho batendo lá fundo do meu cuzinho , passei a gostar e também passei a convidar eles para fazerem a ¨meia¨. Eu sabia que eles iram comer , mas eu queria mesmo.
Com uns 8 anos mudei de bairro, e passei a não andar todos os dias com meus primos. Foi um balde de agua fria. Comecei a bater muita punheta, mas não tinha mais eles para brincarem na minha bundinha.
Novo bairro, novos amigos. Tive que começar a me enturmar e demorei um pouco até fazer bons amigos e dividir alguma intimidade.
Com uns 9 ou 10 anos , lembro de colega de aula, acho que uns 2 anos mais velho que eu. Eu entrei na escola muito cedo, então todos os colegas eram mais velhos. Tanto que terminei o primeiro grau aos 13 anos.
Aos 14 á estava no segundo grau.
Mas enfim , fui na casa deste amigo para um trabalho em grupo. Terminamos muito rápido e tínhamos quase a tarde inteira para brincar. Brincamos com alguns jogos e em seguida passamos a conversar sobre as meninas. Disse que estava louco para comer uma bucetinha e ele falou que já tinha comido uma prima e também alguns primos. Fiquei curioso.
Maliciosamente, perguntei se o pau dele era grande e se a menina aguentou. Logo tirou o pau para fora e mostrou.
—-Não é muito grande. falou ele segurando o Pau. E o seu ?
Tirei meu pau bem menor e mostrei. Ficamos se alisando um na frente do outro. Ele sugeriu uma lutinha de espadas. Logo estávamos batendo um pau no outro. Ambos ficaram duros.
—-Se teu pau não fosse tão grande , eu até toparia um troca-troca. Falei, já interessado em trepar.
—-Capaz , não é tão grande. Meu primo tem a tua idade e aguentou.
—-Tu ainda come ele ?
—-Sim ele gosta, sempre que ele vem aqui eu como ele.
Achei que era mentira, mas eu queria mesmo.
—-Tâ eu deixo tu colocar só cabecinha, mas se doer tu para.
—Claro, eu boto só a pontinha. Se tu pedir eu paro. Vira aí. Mandou ele.
Virei de bundinha para ele e baixei meu short. Ele salivou na mão e passou no meu rabinho. Empinei um pouco a bundinha para trás e ele cutucou a ponta do pau no meu cuzinho. Não entrou, tentou de novo e assim de pé estava difícil. Apesar de já ter dado a bundinha o pau dele já tem grandinho e ele era bem mais alto do que eu.
—–Espera aí . Falei. Acho melhor eu me abaixar.
Me ajoelhei no no chão e pus as mãos no chão. Ficando assim de quatro. Abri um pouco as pernas e chamei:
—–Tâ vem agora.
Ele molhou minha bundinha de novo e cutucou seu pau na portinha do meu cu. Doeu um pouco, mas minhas preguinhas foram se abrindo, e o pau foi entrando devagar. Reclamei da dor, ele segurou. Logo me acostumei e empurrei a bundinha para trás. Ele entendeu e foi metendo até o talo.
Quando senti ele encostar seu corpo na minha bundinha, gelei. Ele tinha metido tudo. Fiquei assustado , mas também realizado por conseguir um pau daquele tamanho. Ele deu 3 ou 4 metidas e logo gozou. Tirou o pau babando do meu cuzinho.
Coloquei meu shortinho rapidinho e fui embora correndo. Cheguei em casa já na hora do banho. Deixei o short ao lado do box e quando sai do banho pisei com os pés molhados para disfarçar o melado que tinha ficado da porra dele.
Alguns dias depois ele me procurou na escola :
—–Bah… tu apareceu mais lá em casa. Tenho joguinhos novos.
—–Tu não me convidou, se me chamar eu vou.
—–Passa lá então hoje, minha mãe vai visitar a vó.
—–Tâ bom.
Almocei correndo, fui escovar os dentes e aproveitei para passar um hidrante da minha irmã na bundinha , passei um perfume dela também e fui bem visitar meu colega.
Ele já estava sozinho e fomos direto para o quarto dele, conversamos um pouco sobre os joguinhos e quando eu me virei de costas para olhar a janela ele chegou por trás e me dando um encoxada, perguntou:
—–Deixa eu fazer esse copinho ?
—–Não tâ louco. Respondi sem me mexer.
Ele ainda me encoxando passou a alisar minha bundinha e falou no ouvido :
—-hum…deixa eu te comer, tu tâ até perfumadinho, deixa eu te comer, é só um pouquinho.
—–Aí , como tu é chato. Respondi , mas não me mexi.
Ele foi tirando meu shortinho bem devagar :
——vou botar só a cabecinha , igual eu fiz da ultima vez.
—–Mentiroso. Reagi, mas deixei ele tirar meu short. Da outra vez tu colocou tudo, nem sei como aguentei. Cheguei em casa todo dolorido.
——Tadinho, deita aqui na minha cama que eu dar um trato nessa bundinha. Não era para doer. mas hoje eu vou cuidar desta bundinha.
Obedeci. Deitei com a bundinha para cima. Ele passou cuspe no meu reguinho e sentou nas minhas coxas. Pincelou o pau na saliva que estava no meu rabinho e com o pau bem melado, apontou a cabeça no meu anelzinho.
Meu cuzinho se abriu e foi engolindo aquele mastro todinho. Logo ele estava me fudendo com vontade. Desta vez durou mais , talvez uns 5 minutos metendo antes de gozar. Descansou todo seu peso sobre minha costas e tirou o pau melado, e deixando ele sobre minha bundinha.
Quando levantou, me senti todo sujo. Fui ao banheiro me lavei e voltei peladinho para o quarto. Ele também foi se limpar e quando voltou eu ainda estava esperando me secar para poder vestir meu shortinho.
—–Tâ me esperando peladinho, quer fazer de novo.
Tentei explicar que estava esperando secar o corpo para colocar o short. Ele não entendeu.
—–senta aqui. falou ele apontando para cama.
Obedeci.
—-o que tu quer ?
—-da uma chupadinha aqui no teu comedor.
—-Tâ louco, eu nunca chupei. Nem sei fazer isso.
—-Da só beijinho….
Meio sem jeito, dei um beijinho no pau dele. Ele segurou o pau pelo base e foi esfregando na minha cara. Abri a boca e ele foi colocando o pau para dentro. Logo ele já estava fudendo minha boquinha como se fosse uma buceta.
Seu pau foi ficando duro, fiquei impressionado. Ele mandou eu deitar de novo na cama e pincelando meu reguinho com cuspe enviou seu mastro duro no meu cuzinho.
——Toma, engole esse pau. Tâ gostando neh …Empina essa bundinha para mim.
Não respondi , mas levantei a bundinha e senti seu pau lá nas entranhas.
Demorou mais , talvez uns 10 minutos e todo suado gozou no meu cuzinho.
Desta vez fui ao banheiro, me limpei e fui embora. Ele disse para eu voltar quando quisesse.
Claro que depois de experimentar o pau duro e grande dele eu voltei. Varias vezes. Sempre levando ferro.
Meu e-mail : [email protected]
Instagram : @ Tara 1965

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 9 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder PedroSafado ID:ona2xs4k0a

    Que tesão de conto
    @FNND2020

  • Responder boneco ID:w72i68rj

    Contei que sr, de idade tentou me comer no cinema quando eu tinha uns 10 anos. Mas não conseguiu. Meus primos eram mais velhos , mas não adultos. Eu tinha 5 ou 6 e eles 8.
    Mas depois de adulto já dei para alguns pauzudos. Inclusive um que conheci através do site. Contei esta estória também. Nos encontramos em SP, ele queria ser comido. Comi. Mas logo que vi o pau dele. Gelei. Quando ele tirou a roupa já estava super duro, deve ter uns 25 cm. Não resisti , comi ele mas tive que colocar aquela tora no meu cuzinho. Para saímos 3 vezes em SP. Ele também foi abusado na infância pelo tio. Gostou. Então me chama de paizinho e pede para eu enrabar ele. Mas o pau dele fica sempre duro. Parece um atou pornô. Tem que lacear bem o cuzinho para receber aquele caralho.

  • Responder Luiz ID:dlns5khrd

    vc nunca contou como foi sua primeira vez com um macho adulto