# # #

Vovô

4086 palavras | 2 |3.92
Por

Me chama Julia tenho 1,65m sou branca de cabelos castanhos, nesse conto relatarei sem muitos detalhes sobre como meu avô Teodoro, me engravidou e fizemos uma família. Bom, na época quando eu tinha 14 anos, meu pai João que é filho do meu avô decidir passar dois meses com ele. Fomos eu, minha irmã, minha mãe Vanessa e meu irmão Theo. A gente não via o vovô faz cinco anos.

Quando chegamos vi o sítio de vovô que era uma casa de dois andares rodeada por mato. Vovô estava na varando esperando por nós, ele esta sentado em uma cadeira de balanço e fumava, estava sem camisa; vovô Teodoro tem o corpo meio músculoso e alguns pelinhos no peito, a barba era meio grisalha, tem 1,83m. A gente saío do carro e fomos até ele, cada um de nós demos uma braços, mas quando chegou minha vez de abraçar ele encostou sua mão em minha bunda, eu não disse nada e nem ele. Presumi que vovô fez sem querer. E então ignorei. Nós ficamos na sala conversando com o vovô e falando o que tinha mudado.

— Muito coisa mudou. — disse meu pai.

— Sim, to vendo, minhas metas cresceram e já tem um corpo de mulher — disse vovô que me olhou nos meus olhos e sorrindo.

Depois desse comentário meus pais junto meu irmão foram ver o sítio e os animais de meu avô, e eu e minha irmã ficamos na casa e subindo para o segundo andar a procurar de nossos quatos, quando eu ia pegar na maçaneta de uma porta Carina passou por mim abrindo aporta e entrando.

— Esse quatro é meu, vá procurar seu!

— Porra Carina!

E fechou em minha frente. Eu fiquei com raiva e bato na porta. E continuei minha busca por meu quatro, do outro lado da casa em um corredor abri aporta. Vi um quarto com uma Cam grande tinha lençóis bonitos e uma penteadeira velha com espelho. Joguei minha mala na cama e comecei a tirar as minhas roupas e de repente sinto duas mãos em meu ombro virei e tá meu avô sorrindo.

— Vejo que você achou o melhor quato da casa.

— É, tive sorte.

Ele me abraçou por trás e senti um pequeno volume na minha bunda, fiquei envergonhada com isso.

— Você vai adorar ficar aqui Julia!

Eu senti sua respiração em meus pescoço, me fazendo ficar com o coração acelerado. E seguida ele disse que eu era uma boa garota antes de sair. No meu quarto havia um banheiro com chuveiro, e uma bandeira, bem que meu vó disse que fiquei com o melhor quarto. E a semana passou quase rápido, sem muito coisa eu ficava mais no meu quarto jogando no celular. Era um tédio ficar aqui, não tem internet e não tem outros pessoas da minha idade. Quando eu ia tomar banho me masturbava para passar o tempo, eu pensava em homens fortes e seu pênis me fudendo e gozando dentro de mim. Já era de noite nós estamos sentados a mesa comendo e conversando, eu estou sentada devfrvre a vovô, meu pai aí lado de minha irmã e meu irmão ao lado de minha mãe. Meus pais conversavam muito com meu avô parecia nunca acabaria. E quando eu estava acabando de comer senti um pé tocando em minhas pernas, olhei descetamente e vi que era no meu avô, olhei para ele, que ainda conversava com meus pais. A sua perna sua subiu para minha cochas e quase entre elas, fiquei com o coração acelerado e com um pouco de tesão. Mas como eu posso sentir tesão com isso? Ele era meu avô?! Pai do meu pai! É impossível. Depois de eu terminar de jantar eu fui para meu quator, eu estava muito nervosa e com tesão, um misto de medo e excitação. Eu descidi me deitar e descansar, quando um pouquinho mais tarde meu pai abriu a porta e disse que ia sair com minha mãe. Eu não disse nada. Com o passar da hora saí do meu quatro e fui para a sala vi meu avô assistindo tv no escuro e deitado no sofá com um lençol cobrido-o.

— Vô você viu meus irmãos? — perguntei.

— Vi, eles estão lá fora explorado o lugar.

Eu disse nada, fiquei parada lá até ele me disse:

— Vem assistir comigo — ele esticou o braço e eu peguei em sua mão esquerda e sentei perto dele.

Ficamos assistindo o programa, eu estava com a cabeça deitada sobre seu colo coberto pelo lençol. Ele passava sua mão em meus cabelos pretos.

— Julia você já queria alguém? — perguntou ele.

— já, por que está pergunta?

— Porque tem alguém que eu quero muito, mas eu não sei se ela me quer.

— Bom, o melhor que você pode fazer e ter a iniciatiava — eu disse, levantei e fui para meus perto dele. Deitei meu rosto em seu ombro — Se essa pessoa gostar de você então os dois podem ficar juntos.

— Mas ela não parece ter sentimentos por mim.

— Talvez sej porque ela não sabe o que quer.

Eu o olhei e ele também me olhou, nossos rostos estavam próximos, e eu dei um selinho degavare na boca dele e logo nós dois estamos se beijando loucamente, a nossa respiração era forte a apaixonada. Nossas línguas se entrelaçavam, sentia o seu gosto muito bom e molhado senti os pelos sua barba no meu rosto. Olhei em seus olhos marrons bonitos a gente parou por uns instantes percebi que ele era meu avô e isso era errado, mas e ele revelou de baixo dos lençois, Teodoro completamente pelado e seu pau grande gordo muito duro. Estava maravilhada com isso e com medo ao mesmo, mas vovô sabia como me acalmar. Ele falou que isso que nós estávamos sentindo era amor de familia, um amor mais puro do que os outros. Ele me beijou mais uma vez e fiquei mais excitada e molhadinha. Teodoro falou que não preciso ficar com medo que isso que sinto por ele é normal, vovô pediu para eu chupa-ló que ele estava ficando louco por mim. E logo comecei a chupa-ló degavar, sua cabeça roxa era gostosa lambuzava esse pau gostoso com minha saliva e as bolas grandes e suculentas chupei as duas uma de cada um.

— Julia, eu quero meter, vai sobe no pau do vovô!

Eu subi sobre ele e posicionando seu pau na minha buceta apertadinha ele e colocou dentro de mim me preenchendo por completo.

— Isso minha neta, assim!

— Vovô por favor me faz mulher — pedi manhosa.

Ele começou a meter em mim devagar para eu me acostumar ao seu pau. Me sentia uma puta. Neta é avô dois amantes de sangue fazendo sexo. Vovô metia agora bem forte dentro de mim repetidamente tirando e colocando, setia uma mulher amada. Eu estava apaixonada por meu avô. Meu corpo estava amando ser socada por meu avô.

— Eu vou te fazer mulher minha neta, você será minha mulher!

Ele pegou em minha cintura e começou a meter, mete e mete por mais alguns minutos ele disse que estava quase gozando, e eu estava pronta para sair de cima dele. Mas escutamos o barulho da porta de casa, eram meus pais eles logo vianheram para sala onde, agora eu e meu avô estamos sendo cobertos de lençol, e por de baixo estávamos sem roupas e o pau do vovô ainda estava dentro de mim. Meus pais conversarm com agente por um minuto, dizendo que na próxima vez assistiriamos um filme junto em família. Meu pais não desconfiaram nada por eu está deitado sobre meu avô. com uma das minhas mãos por debaixo do lençol tentei tirar o cacete de vovô, mas foi tarde demais vovô tinha gozado dentro bem fundo no meu útero. Passou alguns minutos eu cima do meu avô com o pau dentro de mim e ele sorria vitórioso enquanto conversava com meus pais normalmente. E logo os dois foram para o andar de cima. Eu saí de cima dele ficando em sua frente só com minha camisa e sem meus shorts:

— Vovô você gozou dentro! — eu falei baixinho — Eu posso engravidar!

— Mas é claro, você não disse que queria ser mulher? — perguntou ele se levantando do sofá e seu pênis meio bomba com cabeça vermelha melada de sêmen. — Para ser uma mulher de verdade deve engravidar de seu macho. Já nesse caso aqui amantes.

— Você não é meu macho e nem amante, você é meu avô!

— Avô, macho, amantes tudo é a mesmo coisa. Você me ama eu te amo muito, você minha neta que acabou de se entregar a mim! Você tem minhas sementes dentro de seu útero, e se for possível terá meus filhos.

— Isso é muito estranho — disse eu.

— Estranho? Minha filha todos os avô morriam de inveja por eu te engravidado minha neta.

— Vovô eu não quero ter um filho seu, é isso e nojento!

— Nojento? — ele se sentou no sofá de novo pegou seu pau e balançou para mim — Essa coisa nojenta te ama minha neta, eu te amo. Sempre quis ter você ou sua irmã, eu sei que não sou mais jovem, mas eu sei como fuder uma buceta!

— Você é meu avô!

— Eu posso ser mais do que avô! Podemos fazer uma família minha neta.

Eu não sei o que eu estava sentindo se era culpa te ter transado com vovô, medo, excitação ou o sêmen dele ainda dentro de mim. Mas eu estava meio que gostando disso. Mas não disse nada. Ele deitou no sofá e me chamou para dormir com ele. Eu fui até vovô me deitei novamente com ele, estavamos pelados e sujos, Teodoro nós cobriu e disse boa noite para mim, me chamado de “minha mulher” e depois me beijou e tocou em minha cintura dormimos abraçados naquela noite. Eu senti seu pênis perto de minha bunda.

As semanas pasaram se rápidas, vovô quando tinha um momento a sós comigo não perdia tempo, tirava as calças e sempre me conhecia deixá-lo monta em mim feito um cavalo, eu fazia boquetes para ele todo tempo lambia suas bolas grandes cheias de sêmen que logo era despejadas dentro de meu útero ou em minha boca. Transamos uma vez no banheiro, eu estava só, e quando olho para trás vejo vovô pelado com o pênis muito duro babando pré-gozo, e minutos depois atavamos trepando ao chuveiro caindo água, ele segurava minha perna direita enquanto seu pau grande metia em minha xoxota. Quando ele gozou virou meu rosto e beijou me. “Por favor vamos fazer uma família juntos?” Disse ele todo sentimental, porém na hora eu não disse nada e ele ficou meio triste. Meus pais e meus irmãos nunca desconfiaram de nossa aproximidade. Eu também parei de usar calcinha para facilitar. Houve a noite em família onde tido estavam no sofá cobertos pelos lençóis, eu e vovô estávamos com o nosso lençol da primeira foda deitado de lado.

— Fica quietinha — cochichou vovô no meu ouvido. Ele colocou seu pau dentro na minha vagina e meteu lentamente para ninguém desconfiar, teve uma hora que ele foi ousado em beijou. Sorte que ninguém viu. E continuou metendo e gozando muito bem na minha buceta, o líquido quente e forte dentro de mim me fazia amar vovô. Parecia que a cada gozada deixada em mim, me fazia mais apaixonada por ele. As suas sementes eram mágicas. Na quarta semana eu disse para ele quando fomos para mata que meu pai disse que meu irmão e minha mãe viram um bicho:

— Vovô me engravide! — eu parei em sua frente.

— Adorei sua resposta minha filhinha, mas eu andei pensando você é muito nova só tem 14 anos. A gente deveria esperar um pouco

— Eu não quero esperar vovô — eu toquei no seu rosto — Eu quero que me engravide feito um cavalo, meu amor! Eu me entrego a você, eu te amo muito.

Eu cheguei perto dele e o beijei. Eu estava apaixonada pelo meu avô.

— Por favor faça um filho em mim!

— Que bom meu amor! Mas e seu pais o que dirão?

— Eu não sei… Mas nosso amor é mais forte do que tudo no mundo meu amor!

Nós tiramos as roupas bem rápido.
Ele me pegou em botou de quatro me fudeu muito no meio do mato. Estavamos sem roupas e livres das amarras da sociedade éramos animais no cio. Avô e neta homem e mulher fazendo sexo e paixonados um pelo outro. Os nossos gemidos de amor era altos, e eu não tinha medo de meus pais escutarem, eu só queria sentir meu macho dentro de mim e me fazer mulher, me fazer sua fêmea e me fazer engravidar! Eu quero casar com meu avô e ter seus filhos. Todas as netas deveriam estar metendo com seus avôs e pais e deixar eles engravidarem como forma de um amor puro. Se elas soubesse que senti o leite especial de seu pai, irmão, tio e avô era como viver de verdade e ser amada por alguém que você já conhece desde pequena. Se alguma filha já foi iniciada pelo pai é o direito dela agora satisfaze-lo, deixando o papai gozar em sua bucetinha infantil. O mundo deveria normalizar o incesto, é muito bom para o corpo e o útero das filhas e mães que querem engravidar de sua própria família. Se algum pai que fuder sua filha vá em frente, foi você quem a criou, e seu deve iniciar sua filha por direito.

Eu estava contra uma árvore enquato Teodoro socava em meu útero sua rola gorda veiuda de velho safado e sujo. Meus peitos médias balançavam muitos e vovô apertava eles me deixando excitada e minha bucetinha apertava seu pau molhado. Gememos muito, ele beijou e disse que me amava, eu falei que o amava também. E finalmente ele gozou urrando e senti seu gozo quente e delicioso dentro de mim!

— Se for menina eu poderei fazer sexo com ela e engravida-lá? — disse vovô repirando pesado.

— Sim, meu amor, você pode engravidar minha filha — ele tirou seu pênis dentro de mim e saío muito esperma grosso de minha buceta — Se for um menino ensinarei a como meter na mãe e se possível ele me engravidara.

— A gente seria uma família que se ama bastante querida.

A gente ficou no mato se abraçando e se amando por mais alguns minutos. Eu espero que o mundo mude, eu quero viver com meu avô como marido e mulher. O primeiro mês se passou e descobri que minhas menstruação não desceu e eu fiquei muito feliz. Ao passar pelo corredor principal do segundo andar escutei alguns barulhos no quato de meus pais, eu logo soube is dois estavam trepando. São uns safados mesmo. Desci e fui contar para meu avô que ficou muito feliz, ele me beijou ardentemente.

— Agora é só esperar sua barriga cresce e te fuder loucamente.

— Aí vovô para!

— O que vocês tanto conversam? — perguntou minha mãe entrando na cozinha.

— Nada mãe, mas… Mãe você não estava com o papai no quarto? — perguntei eu estava confusa.

— Eu estáva lá nos fundos com seu irmão querida, quem deve estar lá em cima com seu pai é sua irmã.

E eu fiquei em choque meu pai e minha irmã estava trepando no quato!! Meu deus isso foi inesperado. Mamãe saío da cozinha e voltou para fora. Eu conversei com o vovô sobre seu filho e sua neta e ainda mostrei para ele, fomos para o quarto de meus pais abrimos um pouquinho a porta e vimos em cima da cama os dois transando.

— Papai me fode!

— Não se preocupe meu amor!

Papai metia seu pau grosso muito forte na buceta de Carina as bolas peludas batian na bunda dela. O som das peles dos dois se chocando era alto junto com o gemidos dos dois. E logo papai gozou muito enchendo o a buceta dela e melando suas bolas de gozo. E minha irmã disse que amava o papai e os dois se beijaram. Eu e vovô descemos e ele falou que estava orgulhoso de seu filho.

— Meu filho um fodedor!

— Eu fico feliz por senhor, mas e a gente como ficamos?

— Não se preocupe meu amor.

A gente foi para nosso quarto se amar ainda mais, era excitante saber que alguém senti a mesma coisa que eu nessa casa. Minha irmã tem sorte de fazer sexo com nosso pai. Papai tem 1,78m e tem 41 anos é branco e um pouco músculoso. Se passou o mês todo assim: vovô me leitando, meu pai leitando minha irmã e minha mãe e meu irmãos nem sabiam disso. Teodoro tem uns 19cm de pau e eu amava seu pau grande e gordo, e meu filho deve adora também. Transamos no quarto, no mato, banheiro, e sala de estar quando ninguém estava por perto. Era muito sexo rolando e muito sêmen. Vovô também metia no meu cu e gozava também, enchia de porra, ele ainda foi longe. Pegou um copo e o gozo que saío do meu cu e buceta foi para o copo e ele disse para eu tomar, e engoli todo o leitinho de vovô.

So faltava uma semana para eu e minha família querida irmos embora daqui. Eu etava com o Teodoro em cima da minha cama deitados olhando nos olhos dele enquanto ele passava a mão esquerda em meus cabelos, estamos juntos e pelados, a porta do quarto está trancada. A sua mão direta descanva em minha barriga.

— Eu não quero ir embora daqui, eu quero você Teodoro. — falei abraçando ele — Eu quero ter uma família com você.

Eu estava triste, eu não queria ir com minha família.

— Eu sei que você não quer ir — ele beijou em minha testa — eu sei que você me ama. E eu quero também fazer uma família com você meu amor. Eu quero meu filho perto de mim, eu quero cria lo.

A gente se beijou.

— Espero que um dia a gente consiga fazer isso meu amor — disse eu.

— Você me Ana Júlia? — perguntou vovô.

— Sim, te amo muito Teodoro — eu dei um selinho em sua boca — Você será o pai dos meus filhos e dos filhos deles. Eu amo você vovô!

E ficamos eu e Teodoro descansando na cama, abraçados com os rostos próximos e com paixão nos olhos. Nossos corpos juntos pelo amor de avô que está com o pau meio bomba e sujo de esperma e a neta com sementes da vida saindo da bucetinha que sujam o lençol. Ficamos assim por longo tempo. E os sete dias se pararam, segunda sexo no banheiro, terça sexo no mato, quarta sexo na sala, quinta masturbação, sexta mamadas em baixo da mesa, sábado sexo anal e domingo rapidinha antes da partida.

E então eu esto no meu quarto arrumando minhas coisas, e meu avô aparece por tás de mim e eu senti seu volume em minha bunda.

— Então aqui é um adeus vovô Teodoro.

— Não, não é — eu né virei surpresa e ele continuou — Eu vou fazer uma coisa que deixaram você viver comigo.

E então ele foi embora, eu escutei os passos dele e chamando meu pai para o segundo andar e eu fiquei por de trás da porta fechada escutando tudo do outro lado.

— O que é que você quer pai?

— Eu quero sua filha!

— Como assim minha filha?!

— Eu já engravidei minha neta, sua filha tem um filho meu!

— Pai! Que nojento o senhor é! Por que fez isso com sua neta!? Minha filha!

— Nojento não, você não pode falar assim comigo porque você faz a mesma coisa com uma de suas filhas. Eu sei que vocês tem trasando sob meu teto o mês inteiro! Ela sendo fudida pelo papai aqui!

Papai foi pego e ouve um silêncio por alguns segundos. E papai perguntou o que o vovô queria com eu:

— Eu quero ter ela como minha mulher — respondeu Teodoro. — Quero viver com ela e ter meus filhos com ela João.

— Isso é de mais pai… Eu não sei o que falar.

— Mas eu sei. Filho você é um fodedor, e vá em frente foda sua filha e ame sua filha que eu vou amar a Júlia aqui comigo.

E um tempão se passou até que meu avô abre o portão e diz alegre que minha família se foi e me deixou aos cuidados de meu avô.

— Aí vovô, você é um homem maravilhoso que tenho!

— Agora Júlia minha mulher podemos fazer nossa família incestuosa em paz.

E a gente se beijou muito. Transamos em cima de minha cama loucamente o pau de vovó era muito grande, ele me botou para mama até gozar em minha boca e depois me fodeu gostoso de ladinho na cama e gozou dentro. Eu amo muito meu macho eu quero ser sua esposa, eu vou ser a esposa de vovô. Com o andar das semanas eu e ele travamos toda hora o sítio de Teodoro acabou virando um lugar de foda louca pra nós dois. E foi assim que eu e vovô levamos a vida hoje em dia temos dois filhos um menino que se chama Alberto de 21 anos e uma menina que se chamam Katia de 20 anos. Eu estou com 35 anos e meu marido com 75 anos. A gente criamos nossos filhos muito bem, amamentei meu filho até os cinco anos de idade, e minha filha com dois, e depois disso ela começou a mamar o pau de Teodoro. Os dois foram para escola e são muito inteligentes. Nossos filhos são muito gostosos, iniciamos os dois bem jovens; com 13 anos Alberto já me fodia e Katia já era o depósito de porra de seu pai. Meu filho me fez de puta em sua adolescência, ele adorava esvaziar suas bolas cheias de sêmen em minha buceta. Os dois também fazem sexo um com o outro sem compromisso, uma vez peguei os dois trepando na sala, eles para por um instante e eu mandei continuar se divertindo. A gente vivia bem, já que meu avô/marido recebia da aposentadoria e meu filho que trabalha em uma cidade vizinha. Nossa família é muito unida. E o melhor, meu filho me engravidou, eu ainda me lembro de quando nos decidimos isso:

— Mãe deixa eu fazer um irmãzinho nessa sua buceta arrombada? — e ele metia seu cacetão bem fundo no meu uetro.

— Pode meu amor, faz um irmãozinho em mim!

E depois de foder o meu rabo e na minha buceta ele gozou litros. E semanas depois foi minha filha e Teodoro estavam trasando no quatro tentando ter um filho. Eles estavam trasando na cozinha e eu e meu filho escutavamos os gemidos e eles falando:

— Papai me faça sai vadia!

— Você é minha vadia, sua cadela. Enfia esse pau gostoso na sua buceta!

Eu sonhava em ter uma família e consegui. Hoje estou no sexto mês de gestação e minha filha no quarto. Nossos homens nos dão muito prazer e nos amam muito. O incesto é melhor coisa do mundo. Pai e mãe vocês tem o direito legal de iníciarem seus filhos na vida sexual, façam eles amarem o incesto e te amarem, faça uma família com seus filhos e se for possível namorem seus filhos ou casem com eles. Essa relação é uma relação proibida, mas cheia de amor e paixão. Espero que o mundo mude para que o incesto seja bem-vindo nas famílias mordernas.

Fim.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,92 de 13 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Edson ID:1dak6pwtm0

    Porra velho sortudo kkk

  • Responder Putinha do pai ID:1dak6pwtm0

    Ótimo conto! Como queria engravidar de meu avô ou pai