# # # #

Sarrando a irmãzinha escondido

830 palavras | 2 |3.14
Por

Chamei minha irmãzinha para dormir comigo, mas só era uma desculpa pra poder molesta-la

Me chamo Viktor, tenho 47 anos e venho contar esse relato. Ele não é meu, e sim de um conhecido que me mandou pelo telegram e me deu permissão para publica-lo. Eu também tomei a liberdade de corrigi alguns erros ortográficos. Pois bem…

“Me chamo Roberto, e há um bom tempo eu queria confessar meus fetiches pra alguém. Hoje eu tenho 27 anos, mas o ocorrido desse conto aconteceu na minha adolescência, quando eu tinha por volta de 14/15 anos.
Naquela época meus hormônios estavam a flor da pele, e eu vivia vendo porno no meu tempo livre, tanto que já virou um vício meu. Mas foi assim que eu conheci o incesto. Confesso que no começo foi bem estranho, principalmente os pornos de “mãe e filho” e “irmã e irmão”, mas pouco tempo depois eu viciei. A única coisa que me excitava fácil era um bom porno de incesto, mas eu nunca tive coragem para contar pra ninguém, nem mesmo para os meus amigos próximos.
Durante minhas férias escolares eu passava mais tempo em casa. Meus pais trabalhavam de manhã enquanto eu cuidava da minha irmã. Quando eu descobri meu novo fetiche os sentimentos que eu tinha pela minha irmã mudaram bastante. Eu vivia fantasiando com ela, e isso me gerava um enorme sentimento culpa, principalmente por ela ser mais nova do que eu. Mas os meus hormônios falavam mais alto naquela época.
Certo dia eu aproveitei que meus pais foram trabalhar e fui ver porno. Liguei o computador e pesquisei, e o título que mais me chamou a atenção foi “irmão come irmã dormida escondido”, e aquilo me deixou cheio de tesão. Bati a punheta mais maravilha da minha vida, tanto que decidi anotar o link daquele vídeo para assistir de novo. Eu não conseguia tirar aquele vídeo da mente. O irmão entrando no quarto da irmã e deitando ao lado dela, quando ele ia sarrando o pai duro na bunda dela… eu gozei só de me imaginar naquela situação com minha irmã.
Eu passei o dia todo pensando naquilo, na facilidade que o cara teve de molestar a própria irmã que estava dormindo. Então eu decidi fazer a mesma coisa.
No dia seguinte meus pais foram trabalhar, e minha irmã já estava acordada logo de manhã. Naquele dia chovia bastante, além de estar muito frio. Chamei minha irmã (vou chama-la de Vanessa [nome fictício]) para dormir comigo com a desculpa de estar muito frio, e ela aceitou. Levei ela para o quarto do nossos pais e nos deitamos lá. Joguei um cobertor por cima de nos e fiquei na minha esperando ela dormir.
Não sei quando tempo havia passado, mas o tesão já falava mais alto. Me aproximei dela bem devagar, e só parei ao estar bem do ladinho dela. Vanessa não se mexeu, então eu achei que ela já estava dormindo. Comecei a sarrar ela de leve enquanto dava algumas apalpadas em sua bunda, e em nenhum momento ela havia se mexido. Abaixei meu short e comecei a pincelar meu pau no meio da bundinha dela, e pra minha surpresa ela pegou no meu pau. Foi um choque, mas aquilo só me deixou com mais tensão ainda.
Ela tocou no meu pau por apenas uns segundo, e depois ficou quieta. Ela não reclamou e nem saiu de perto, então eu decidi continuar. Abaixei suas calças e voltei a encoxa-lá. Meu pau já tava todo babado, então foi fácil ele escorregar para o meio da bundinha dela. Fiz movimento de vai e vem enquanto eu a segurava pela cintura. Eu conseguia sentir a cabeça do meu pau passando pela entradinha da buceta dela. Eu estava louco de tesão pra penetra-la, então comecei a forçar meu pau no meio da bundinha dela.
Vanessa se contorceu e meu pau escorreu para o cuzinho dela. Eu estava tão cheio de tesão que continuei. Vanessa entrelaçou as pernas para se “proteger”, mas isso fez com a bundinha dela apertasse meu pau no meio dela. Eu até conseguia sentir o cuzinho dela piscando, e isso foi o ápice pro meu tesão. Forcei mais uma vez meu pau e gozei ali mesmo. Dei mais algumas estocadas antes de me vestir novamente. Mandei Vanessa tomar banho, e ela obedeceu.
O sentimento de culpa me tirou o sono naquele dia, mas logo depois voltei a molestar minha irmã. Aquilo só parou um ano depois, e eu nunca tive coragem de penetra-la. Teve dias que Vanessa me procurava, e teve dias que eu ia até ela… Enfim, hoje tenho 27 anos e não converso mais com ela, mas ainda tenho desejo de fode-la”

E você? Já esteve no lugar da Vanessa ou do Roberto? Conte aqui nos comentários sua experiência incestuosa.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,14 de 14 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder aaaa ID:8k4je2uhri

    Lixo

    • Anom ID:beml0tbkd1

      Guarde para si tua opinião sobre você mesmo.