#

Aventuras de uma casada solitária – O novinho

2452 palavras | 4 |4.62
Por

Sou uma casada solitária e aventureira. Esse é meu primeiro conto, espero que curtam.

Olá!
Não sei muito bem começar, essa é a primeira vez que decido publicar um conto, sou leitora a anos e finalmente tive a coragem de me abrir e na verdade, aqui é o único lugar em que posso compartilhar minhas experiências então, vamos lá;
Meu nome é Juliana, tenho 37 anos, 1 filho de 9 anos e sou casada a 12 anos. Atualmente sou dona de casa por opção mas minha formação é em Engenharia onde trabalhei por anos, até que tive meu filho e decidi largar a profissão. O meu marido é excelente como pai e como homem, ele também é engenheiro e por isso temos uma ótima estabilidade financeira, sempre vivemos bem e com isso, tenho tempo pro pilates e me cuidar pois, sou extremamente vaidosa e adepta a procedimentos estéticos.
Sou branquinha, cabelos pretos lisos e longos até o bumbum, não sou 100% magra mas tenho cintura fina e sem barriga porém, tenho coxas e bumbum grande e peitos medianos, sou cheia de curvas e por onde passo, chamo a atenção.
Apesar disso tudo e ser uma mulher parceira, eu e meu marido não temos uma relação boa como casal. Durante 9 anos de nossa relação, tudo era perfeito e lindo, no entanto, alguns anos depois, se afastamos. Ele não me procurava mais, quase não dialogamos a não ser que seja sobre coisas da casa e mal fazemos sexo e quando fazemos, é meia boca. Ele goza, vira pro lado e dorme. Eu levei essa vida até um certo ponto, até que cansei e decidi viver a minha vida sozinha mesmo que em um casamento até por que, me separar não seria uma opção. Apesar de tudo, temos uma história longa e de parceria, somos bons pais, temos estabilidade e segurança.

Enfim… Durante esses 4 anos, me relacionei com outros homens, em específico, tive um caso com um amigo por 2 anos, ele também é casado e queria se separar pra viver comigo mas eu não quis e acabamos terminado e seguindo nossas vidas. Meu marido jamais desconfiou de quaisquer traição e por vezes até penso que ele também tem um caso apesar de nunca ter tido nenhuma suspeita, mas sei lá..
Bom, a mais ou menos 3 meses atrás, entrei numa academia que tem em nosso condomínio e conheci um novinho de 20 anos chamado Bruno. Ele é estagiário da academia e por isso, se vemos todos os dias. Deixo meu filho na escola pela manhã e vou direto pra lá.
Eu gosto de vestir shorts curto, top e roupas que marcam bem e diversas vezes peguei ele me secando enquanto treinava. Ele dá aulas para os idosos e por isso, não tinha oportunidade de conversarmos mas mesmo assim, ainda achava ele bem gatinho. Apesar de novo, ele tem um corpo malhado e definido, é alto e bem moreno, tá sempre muito cheiroso e com cabelo e barba feita, fora o sorriso lindo.. O que acaba chamando a atenção de toda mulher. Inclusive, de manhã, algumas meninas da idade dele ficam se jogando pra ele mas percebo que ele mal dá atenção e continua me secando. Eu nunca tive interesse por meninos novos, pelo contrário, mas ele foi diferente e mexeu muito comigo. Inclusive, ele e meu personal comentam sobre mim pelos cantos e já percebi algumas vezes mas até então, nunca me falaram nada.
O meu personal é gay e já percebi ele tentando fisgar algumas coisas do tipo com perguntas pessoais de como está meu casamento e tudo mais mas por respeitar meu marido e ser reservada, evito falar sobre com outras pessoas.
Nesse meio tempo, certo dia eu precisava de um auxílio com um exercício e pedi ajuda pro novinho, ele com toda educação e paciência, veio até mim e me auxiliou no exercício e quando vimos, ele já tava dando a aula completa. Os idosos que ele treina não tinham ido no dia e acabou que ficamos conversando. Ele é do tipo meio tímido e eu gosto disso e no fim do treino, decidi dar uma alfinetada.
— Bru, eu gostei muito do treino hoje. Você podia me dar aula sempre, né? Eu adorei! Me senti melhor!
Ele meio sem jeito respondeu: — Claro! O problema é que das 7h as 11h eu já tenho os meus alunos. Você consegue vir no horário das 12h?
— Consigo sim, pode deixar que amanhã às 12h estarei aqui te esperando pra treinar.
Se despedimos e voltei pra casa. No outro dia, deixei meu filho na escola, voltei pra casa e dormi até dar 12h. Acordei, tomei um banho, me perfumei e vesti uma calça colada e um top curto. Cheguei pra treinar e ele tava lá, com todo pique do mundo. Durante o treino trocamos diversos olhares e eu tava deixando claro as minhas intenções mas ainda sim, percebia que ele tava muito tímido, então mais uma vez, alfinetei.
— Bru, nos finais de semana eu gosto de treinar, como não venho pra academia, eu faço em casa mesmo. Pode me passar seu whatsapp pra você me orientar em alguns treinos?
Ele pareceu surpreso mas passou assim mesmo e no final do treino, eu disse a ele que iria chama-lo.
Cheguei em casa e assim que olhei a foto de perfil, me surpreendi. Ele namorava uma menina claramente da idade dele e notei pela foto de perfil. Eu fiquei chocada e decidi não chamar. Confesso que isso me brocou naquele momento. Eu queria o novinho mas não queria estar entre um casal de adolescentes e decidir ficar na minha.
Durante a semana, mesmo treinando com ele parei de dar moral, mesmo percebendo que ele tava afim e segui minha vida plena até que na semana de eleição, estávamos treinando e ele disse:
— Ju, se quiser eu posso treinar com você no sábado. Eu queria mesmo começar a dar aulas particulares nos finais de semana. O que você acha?
— Eu acho ótimo! Onde podemos?
— Podemos treinar no parque municipal, o que acha?
— Perfeito. Pode ser às 6h?
— Eita… Bem cedo! Mas pode sim!
Ficou marcado e durante a semana inteira, ele não parou de flertar comigo e eu mesma não tava entendendo, até que entrei no perfil do whatsapp e ele estava sem a foto com a namorada e gostei.
Uma amiga que treinava comigo, durante uma conversa me disse que ele era um menino humilde e que a mãe dele já havia trabalhado pra ela a um tempo atrás. Ele quem sustentava a casa praticamente e soube que morava num bairro bem humilde. Eu já imaginava mas isso não foi páreo pra tirar o interesse que eu já estava.
Enfim… Sábado chegou, acordei bem cedo, tomei um banho, vesti um moletom e esperei por ele no parque. Ele disse que estava saindo de casa e enquanto isso, fiquei no carro a espera. Assim que o vi, fui em direção e se cumprimentamos, mesmo com roupa de malhar, ele tava um gato.
Começamos a treinar e suei bastante. Tirei a blusa de frio e ele disse meio que sem pensar.
— Nossa…
— Oi? O que? — Eu ri e questionei.
— Nada, Ju! Pensei alto! — Ele passou a mão na cabeça como quem não queria nada e disfarçou.
No fim do treino, já era 7h30 da manhã e uma barraca no parque estava abrindo pra atender e ele me convidou pra tomar um suco e eu aceitei como quem não quisesse nada e assim que terminamos, ele perguntou o que eu tinha programado pro meu dia.
— Meu filho tem inglês as 13h, vou levar ele e quando voltar, vou na depilação e manicure pra dar um trato e você?
— Depois daqui… Não sei. Queria relaxar. Você é uma mulher ocupada mesmo, em. Acho isso tão atraente, você se cuida tanto.
— Sou ocupada mas eu também queria relaxar, viu.. Tô precisando muito!
Nesse momento, meio que rolou um clima mas percebi ele bem nervoso hahaha, tadinho. Fiquei com dó do garoto e fui bem cara de pau e sem enrolação.
— Você mora onde por aqui?
— Eu? Eu moro a uns 6 minutos de a pé, é bem perto. Por que?
— Não sei… Queria conhecer melhor esse bairro, nunca vim aqui.
— Ah… Aqui não é pra você mas posso te levar quiser.
— Perfeito, eu topo!
Deixei meu carro no estacionamento do parque mesmo e fomos. Eu sabia que ele tinha privacidade pois, morava no fundo da casa da mãe pois ele me contou numa conversa, então, fiquei mais tranquila. Andamos e andamos até que chegamos, como tava cedo ele abriu o portão bem devagar e fomos pro tal quartinho. A casa é bem simples mesmo, bem diferente do que eu estou acostumada mas tudo bem, não reparei nisso.
Chegando lá, ele apresentou e disse:
— Bem vinda a esse pequeno paraíso. Nem acredito que você veio mesmo aqui, jamais pensei em trazer uma mulher como vc nesse lugar.
— Ahh… Eu adorei, é confortável! — Me deitei sobre a cama enquanto ele guardava a carteira. Ele ficou me olhando como quem sabia o que eu queria e não perdeu tempo, ele tirou a camisa e deitou também. Uau! Que tanquinho magnífico!
Em poucos minutos, começamos a se beijar intensamente. Acho que a gente tava se querendo a tanto tempo que foi tudo muito intenso e já no beijo ele me surpreendeu com a pegada maravilhosa. Ele tirou meu top e chupou meus seios por um bom tempinho, ao mesmo tempo que passava a mão por cima da minha calça. Uma delícia e eu pensava “Meu Deus! O que tô fazendo nesse quarto de criança?” e logo o pensamento sumia.
Ele beijou meu pescoço todo, voltou e foi descendo. Eu tirei o tênis e ele me ajudou com a calça.
Nisso, ele ficou provocando apenas dedilhando minha buceta enquanto eu soltava uns gemidinhos.
— Meu… Você é gostosa demais! Que isso… — Ele dizia enquanto me tocava.
Mais uma vez fui surpreendida, que oral perfeito! Ele me lambuzou e chupou com vontade e deu um baile nos homens maduros que já fiquei. Eu não me continha e me contorcia toda enquanto ele não desgrudava de mim, parecia um ímã rs. Eu tava peludinha pois, iria na depilação na parte da tarde e ele sem frescuras.
Nessa brincadeira, acabei gozando em pouco tempo e olha que sou difícil pra gozar. Dei uma gemida mais alta e quando ele percebeu, começou a me dedilhar enquanto eu tava ali cansada e satisfeita. Ele subiu novamente e começamos a se beijar. Ele me tocava inteira e se beijamos com muita intensidade.
Ele levantou e tirou o restante da roupa, a janela tava meio fechada mas ainda entrava a claridade do sol e vi a rola durasse dele que por sinal, não dava nada e no fim, era melhor do que imaginei, grande, torta para o lado e grossa, hahaha. Ele veio por cima e ficou pincelando o pau no meu clitóris enquanto eu gemia.
— Caramba… Esqueci que tô sem camisinha aqui. — Ele ficou meio puto nessa hora e sem saber o que fazer.
— Tudo bem! Não tem problema! — Respondi sedenta de vontade daquela rola jovem.
Ele riu, ficou com uma cara meio de “???” e não pensou 2x em meter tudo. Nossa! Que delícia! Fico com tesão toda vez que lembro.
Me senti totalmente preenchida e apertada praquela rola deliciosa. Ele meteu com muita vontade por um tempinho e logo me colocou de lado. Fomos mais devagar e ele ficou ali sentindo a minha buceta pulsar de tesão no pau dele.
Entre gemidos e beijos, ele disse no meu ouvido:
— Senta pra mim, gostosa.
Não pude desistir aquele bebê pedindo aquilo, né? Obedeci e fiquei sentando de costas, comecei devagarinho e logo depois, comecei a quicar bem mais rápido e mais forte. Começou a fazer barulho e cada vez que enfiava tudo eu gemia de prazer. Estávamos suados já e beeem cansados, até que ele me virou e veio por cima metendo mais forte.
— Caralho… Eu vou gozar!
— Goza, goza gostoso! — Aumentei o tom, cansada. Logo pude sentir a porra quente dentro e escorrendo.
Ele tava cansado, deitou do meu lado e me abraçou. Estávamos sem ar, ficamos assim por um tempinho e ele chegou até a pedir pra eu dormir com ele mas eu tinha compromissos e não aceitei. Me troquei enquanto ele ainda tava deitado e pedi pra ele me levar no portão, já era 11h e eu precisava voltar antes que meu marido acordasse.
Ele me levou até o carro e se despedimos.
Me senti numa adrenalina pura. Nunca tinha ficado com um cara tão novo e me surpreendi.
Cheguei em casa e meu marido ainda dormia, tomei um banho e já me vesti pra levar meu filho para o inglês. O dia passou, fiz meus afazeres e quando já era noite recebi uma mensagem dele dizendo o quanto tinha sido bom. Eu não respondi, apesar de ter sido bom não queria me envolver e fiquei na minha. Na semana seguinte parei de ir pra academia e ele me ligou. Quando atendi, ele perguntou se tinha feito alguma coisa.
— Não fez nada… Desculpa ter sumido mas não é bom me ligar, eu tô em casa. — Respondi.
— Posso ir aí? Vamos conversar? Gostei tanto daquele dia. Queria te ver de novo.
— Olha… Tá bom. Pode vir, mas vem logo!
Era umas 11h da manhã e ele apareceu em casa, mais uma vez transamos muito e dessa vez, na minha cama.
Assim que terminamos, ele me perguntou o pq eu tinha sumido.
— Olha… Você tem 21 anos, é um menino. Sei que namorava uma menina da sua idade e é isso que deve fazer. Eu sou casada, nunca vamos ter nada sério além de um lance. Não vou terminar com meu marido e gosto de ser livre.
Ele ficou meio sem reação e disse: — Tudo bem! Podemos ficar assim. Eu não ligo!

Achei interessante e decidi continuar, desde então, ficamos bem mais próximos e se vemos sempre, inclusive, temos viagem marcada pro final de semana que vem.
E foi isso, precisava compartilhar e espero que gostem. Deixem o comentário de vocês aqui e na próxima, venho com outra experiência de uma casada solitária pra vocês.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,62 de 29 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Bia ID:xglptrd3

    Que delicia gostei muito tenho outros fetiches mas curti esse se quiser chama [email protected]

  • Responder DomMk ID:4adeq532d9j

    Um caso em tanto, devo dizer.
    Soou belo e como um adepto de experiências reais, também sugestão de leitor, recomendo dar mais atenção na hora do sexo com falas selvagens reais de ambos, caso tenha realmente acontecido, é claro.
    No mais, bom conto!

  • Responder Domiciano ID:xlpkcoi9

    Com 16 transei com uma mulher de 39, depois disso viciei em mais velhas. Se quiser conversar: Telegram: Doomiciano, email: [email protected]

  • Responder Tony ID:g3iqubu41

    Passa seu @ pra gente se conhecer, tenho 20.