# # #

Aventura na casa das primas exibicionistas

1915 palavras | 8 |4.60
Por

Aventuras que vivi com 14 anos na casa da minha tia e minhas 3 primas. Esse conto em específico foi como perdi minha virgindade

Me chamo Arthur, sempre fui meio sem noção no quesito de sexualidade, ainda mais quando era mais novo. Quando esse conto aconteceu, eu tinha uns 14 anos.

Por problemas familiares, quando tinha 14 anos, precisei passar um tempo na casa da minha tia Jane, ela era viúva, e tinha 3 filhas, Amanda a mais velha de 20 anos, Bruna de 15 e Bianca de 11. A casa tinha 3 quartos que eram bem apertados, um com duas camas onde as duas irmãs mais novas dormiam juntas. A mais velha e minha tia ficavam em um quarto cada.
Inicialmente eu ia dormir na sala, mas como minha tia acordava muito cedo, acharam melhor me pôr no quarto da Amanda, era bom também porque era um quarto com suíte.

Na primeira noite, já tive a primeira surpresa, a minha prima não tinha muitos pudores. Enquanto arrumava meu colchonete no chão, ela me sai do banho pelada, usando a toalha para secar o cabelo.

“Ué vai dormir no chão?” – ela perguntou encostada na parede
Quando vi ela ali pelada na minha frente congelei. Ela era esbelta, peitos medianos, sua cintura se alargava e embaixo, tinha sua buceta a mostra, não era raspada, mas tinha uma pelugem bem cuidada. Fiquei olhando-a embasbacado.

“Oi, terra para o Arthur?” – Ela acenou com a mão e eu saí do transe
“Nossa desculpa, vou sim ué, onde mais eu dormiria?” – Tentei focar no rosto dela para não me distrair mais
“Na cama né, guarda esse colchonete aí e vem comigo”
“Como assim na cama?” perguntei assustado
“Tudo bem, prefiro dormir acompanhada, só não vai me comer no meio da noite, tá?” Ela falou rindo apontado para meu short, que percebi no momento estava completamente esticado por causa do meu pau duro por baixo

Tentei cobrir com as mãos
“Desculpa, nossa foi mal” falei bem envergonhado desviando o olhar dela
“Tudo bem, olha, melhor se acostumar, aqui a gente sempre anda sem roupas pela casa. E se ficar de pau duro ficou, só não fazer muita sujeira na hora da ….” ela não terminou a frase, mas fez o gesto de punheta com a mão.
“Que isso, não vou fazer isso não né, que falta de respeito”. Respondi assustado, senti que estava sendo testado, não era possível ser verdade o que estava acontecendo.

Mesmo assim me recompus, e enquanto minha prima foi no armário finalmente por algo, guardei o colchonete. Apesar de achar estranho, fiquei muito animado em dividir a cama com minha prima que nem reclamei mais da proposta dela.

Para minha surpresa, ela só pôs uma camisola mais transparente impossível, e tão curta que na verdade parecia uma camisa.

“Só vai vestir isso?” perguntei, me acostumando com o fato dela ta expondo o corpo desde o inicio da conversa
“Sim ué, você já viu o que tinha que ver mesmo hahaha” Ela deu uma risadinha e pulou na cama. No ângulo que caiu dava para ver sua buceta mais aberta dessa vez, meu pau endureceu de novo na hora.
“De novo o menino aí acordou?” ela perguntou apontando para o meu pau.
“A desculpa” falei tampando-o.
“Para de se desculpar, to me expondo toda, o mínimo era ele ficar duro hahaha” – Ela riu um pouco e enquanto ria fiquei vendo os peitos dela balançando.

Nesse momento a porta abre e minha tia aparece.

“Tudo certo Arthur?”
“Ta sim tia, só Amanda me perturbando, olha o que ela ta vestindo” Tentei expor a situação para ver se ficava menos nervoso.
“Filha, provocando o menino, nessa idade sabe quantas punhetas ele precisa bater?” Fiquei chocado com minha tia falando com tanta naturalidade sobre punheta.
“Mãe, o Arthur disse que não vai bater nenhuma, acredita?”
“Sério Arthur? Não precisa ter vergonha tá, a quantidade de buceta que você vai ver todo dia, vai ser uma tortura para você”
“Que isso Tia” Fiquei pensando nas palavras dela, então realmente elas eram todas nudistas.
“Bom boa noite para vocês aí” Minha tia se despediu e deixou nós dois sozinhos no quarto.

Minha prima se vira na cama, colocando o rosto para perto de mim, ela fica de bruços, apoiando o rosto com as mãos.

“Não vai tirar a roupa para dormir?” Ela falou isso com o rosto bem próximo da minha cintura
“Acho que sim né” a ideia de ficar nu na frente da minha prima estava passando de algo estranho para excitante, estava deixando meu tesão subir a cabeça já.

Arranquei minha roupa, e quando tirei a cueca meu pau pulou, de tão duro até balançou como um pau de madeira mesmo

“Uau, primeiro pau tão novinho assim, já foi usado?” Minha prima falava com tom de brincadeira
“Não, quer dizer, só usei sozinho”
“haha, isso não conta né” ela voltou para a posição normal dela na cama.

Subi na cama e me deitei do lado dela, quando me virei para olhar ela meu pau encostou na cintura dela.

“Que macio ele hein” ela se virou para me ver, estava grudada no meu rosto

Nesse momento, ela abriu um sorriso cheio de maldade. E começou a segurar meu pau com as mãos e logo em seguida a massagear eles.
“Amanda, para com isso” falei assustado, mas gostando bastante
“Quer que eu pare?” ela falou fazendo uma cara de triste
“Não sei”
“Olha, se não falar que nem homem, não vai dar certo” ela largou meu pau enquanto falava isso, senti na hora a falta da mão dela, sabia que queria mais
“Ta, eu quero que vc continue”
“Só isso?”
“Continua pegar no pau, faz ele gozar vai” tentei falar com firmeza, mas saiu meio enrolado
“hahaha seu pedido é uma ordem senhor” ela falou sorrindo, mas logo mudando ele para aquele mais safado.
Ela começou a cada vez a me masturbar mais rápido, mesmo no seco estava muito gostoso e comecei respirar mais rápido. Ela acelerou mais ainda, até que do nada ela parou.
“Se você gozar, fica duro de novo?” ela perguntou de forma interessada
“Sei lá” nunca tinha tentado gozar duas vezes em seguida, mas o tesão era tanto que já não pensava.

Ela mordeu os lábios olhando para mim, e falou.
“Vamos mudar a brincadeira, não vou mais te masturbar. Agora a regra é simples, vou me virar para o outro lado, e você pode fazer o que quiser para gozar”

Fiquei em choque ouvindo isso, não entendi, será que irritei ela?
“Eu te irritei, porque ta fazendo isso?”
Ela riu
“Não seu tonto, usa a imaginação o que você quiser fazer para gozar, não vou recusar”

Nesse momento estalou na minha cabeça o que ela queria.
“Você tem camisinha?” perguntei lembrando do que tinha aprendido sobre sexo
“hahaha não se preocupa com isso, só foque em sentir prazer, o resto eu me viro” ela disse sorrindo.

Fiquei tão excitado com a ideia que podia sentir meu coração batendo mais forte, fiquei de joelhos do lado dela, ela já tinha se virado, puxei ela para virar de costas. Fiquei com medo de ter usado muita força, mas ela se virou sorrindo, um sorriso bem safado.
“Ai Arthur que homem hein”

Arranquei o pijama dela, e deixei os peitos dela livre, tentei lamber eles um pouco mas ela não reagiu muito, achei que estava fazendo algo errado e desisti.
Olhei para baixo para a buceta dela, escondida atras dos pelinhos, tentei levar a boca até ela, mas ela me parou.

“Não me depilei, vai ficar ruim, pode meter, já ta molhada o suficiente”

Parei no meio, estava bem nervoso sendo minha primeira vez, me posicionei em cima dela, por sorte meu pau tava muito duro e a buceta dela muito molhada. Enfiei ele, depois da resistência original, acabou enfiando tudo de uma vez. Ela abriu os olhos de susto, mas logo tava sorrindo de novo.
“Que gostoso” ela disse

Comecei a me movimentar, experimentado com ritmos diferentes, até achar um confortável, tirava quase o pau todo e metia de novo, com força e acelerando o ritmo a medida que ela gemia, mais e mais.
No meio da foda, ela me segurou com muita força, senti as pernas delas se abraçarem com as minhas e o corpo dela tremer.
“Puta que o pariu, to gozando” – ela falou em meio de gemidos, enquanto arfava
“Quer parar?” perguntei sem saber como reagir
“ta maluco, me fode mais, me fode mais…” o tom dela era uma mistura de alegria e desespero, como se eu foder ela fosse a coisa que ela mais quisesse nesse momento
Isso me reacendeu o fogo, e comecei a meter com mais força do que eu achava possível. Depois o gemido dela era tanto que já não tinha certeza se ela tava gozando ou não.
Mantive o ritmo até sentir meu gozo vindo, quando senti que ia gozar, acelerei mais ainda, só pelo tempo necessário para gozar, e gozei com tanta força que senti meu braço e perna formigar.
Para minha surpresa meu pau não amoleceu, e consegui continuar num ritmo mais lento, nesse momento ela olha para mim, suada e meio descabelada já
“Ta duro ainda, vai continuar?” ela perguntou com uma cara de sedenta
“Sim, claro” falei respirando pesado
“Nossa, como eu amo pau de novinho” ela falou fechando os olhos, dando o sinal para eu comer mais ela.
Nesse momento me lembrei dso vídeos pornôs, e decidi mudar a posição.
Falei para ela ficar de quatro, ela avisou para não meter no cu. Mas não pretendia, só queria a posição diferente.
Comecei a meter nela daquele jeito, nesse ângulo pude ver que buceta dela estava escorrendo um liquido branco, não sabia se era minha porra ou dela, mas ignorei e continuei metende, decidi imitar os vídeos que via e dar umas palmadas na bunda dela, e isso surtiu um efeito positivo, porque ela logo começou a gemer muito alto. Tão alto que em algum momento ouvi a porta se abrir atras de mim, mas a foda tava tão boa que ignorei, não queria ter que parar por nenhum motivo.
Na nova posição pude meter com mais força ainda, e depois de um tempo, senti que ia gozar de novo me debrucei por cima das costas dela para abraçar ela com força enquanto gozava e bombeava mais porra na bucetinha dela.
Dessa vez meu pau ficou mole, eu estava exausto e cai do lado dela.
“Que isso hein Arthur, puta que pariu que foda boa” ela falou arfando do meu lado
“Foi minha primeira vez”
“Uau menino vai deixar muita garota feliz na vida”

Dito isso ela se virou para me olhar e disse.
“Olha com esse desempenho, se acordar no meio da noite de pau duro, pode me foder, nem precisa me acordar” ela ainda estava arfando, mas falava em tom sério apesar da mensagem que ela passava.
“Não tem graça com você dormindo, mas vou deixar anotado” respondi em tom de brincadeira.

Depois disso fomos dormir, e assim terminou minha primeira noite na casa da minha tia.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,60 de 30 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder [email protected] ID:enmtekbwh

    Espero que tenha continuação pois adorei o conto parabéns

  • Responder Roman ID:g3ipe0m9c

    Otimo conto, continue

  • Responder Libras ID:w71hl9m0

    Um dos melhores contos que eu já li no site!!

  • Responder Meliban ID:8cipmgx5qi

    Continua!!!!!!!

  • Responder Fjoliveira ID:1ux7k56z

    Adorei o conto2, espero que continue, e colocar fotos dessas primas e da tia

  • Responder Pedro ID:3ynziywmk09

    Porra irmão passa o endereço das primas.
    Quero alugar um quarto. Kkkkkk
    [email protected]

  • Responder Mister ID:3c7842a7d9d

    Espero que continue muito bom.

  • Responder Ablon ID:41ih37w3qrb

    Continua por favor.