# # #

A vida como ela é 3

607 palavras | 0 |4.62
Por

Conforme relatei no conto anterior, depois da primeira transa com papai e Suzi, houveram outras, mais nesse meio tempo eu tive uma surpresa. Em um sábado aleatório sai para beber com alguns amigos das antigas, foi muito bom reencontrar esse pessoal, botamos o papo em dia, nos divertimos e lá pelas tantas da madrugada decidi chamar um uber e voltar para casa. Quando entrei em casa, ouvi gemidinhos abafados vindo do escritório, com certeza papai estava fodendo nossa putinha, então fui até lá para tirar uma casquinha de minha filha, mais quando abri a porta me surpreende, Suzi estava de quatro peladinha mamando o pau de Arnaldo, sócio de papai, enquanto papai fodia sua buceta, então compreendi que eu e papai não éramos os únicos a foder minha filha. Eu passei a observar a foda deles, Arnaldo castigava Suzi atolando seu pau até o fundo de sua garganta, deixando minha filha sem ar, depois tirava e repetia tudo denovo, papai também castigava a neta penetrando-a com violência, e dando tapas em suas nádegas, deixando Suzi toda marcada. Quando Arnaldo cansou de foder a boquinha da minha filha, ele e papai trocaram de lugar, Suzi recebia com sacrifício o pau de Arnaldo em sua buceta, pois o sócio de papai tinha um membro maior e mais grosso que o nosso, a cada estocada, Arnaldo alargava a buceta da minha filha, mais Suzi gostava, ela gemia de prazer e rebolava com a tóra de seu amante arregaçando sua buceta. Eu estava adorando ver minha filha novinha sendo dominada por um velho pausudo, Arnaldo fodia Suzi hora com estocadas rápidas e fortes e hora com estocadas mais lentas, fazendo ela ir a loucura, papai por sua vez fodia a boca da neta como se fosse uma buceta. Depois de algum tempo nessa pegada frenética, papai gosou na boca de Suzi e fez ela engolir todo o seu esperma, mais Arnaldo continuava firme, ele deitou minha filha no sofa de barriga para cima, entrou entre suas pernas e passou a penetra-lá beijando sua boca, admito que nesse momento fiquei insiumado. Suzi começou apresentar sinais de cansaço, eu pensei que Arnaldo fosse acabar logo com a transa, afinal ela mau se mexia, mais o socio de papai ficou alucinado vendo minha filha nesse estado e passou a possuí-la como um animal, ele intensificou as estocadas na bucetinha de Suzi e passou a torcer os seus mamilos, em dado momento minha filha perdeu a consciência mais Arnaldo continuou regaçando a buceta da sua presa. Depois de um tempo comendo Suzi desacordada, Arnaldo gozou em cima dos seus seios, admito que ver minha filha sendo degradada dessa forma me deixou extremamente excitado, então aproveitei que Suzi ainda estava desacordada e fodi a buceta dela até gozar dentro. Vocês podem até dizer que o que fazemos com minha filha é errado, mais é inegável que Suzi é uma putinha obediente e adorado foder, depois que Arnaldo foi embora, perguntei a papai por que ele deixava o sócio foder Suzi, ele me respondeu de forma debochada que adorava ver o pauzão de Arnaldo arrombando nossa putinha e riu. Um pouco mais de seis meses depois desse sábado inusitado, papai teve um infarto e faleceu, minha filha ficou muito triste por muitos meses, mais felizmente conseguiu se recuperar, hoje ela mora com Arnaldo no interior, essa menina só fica feliz se tiver trepando com algum velho kkkkkkkkkk, e eu estou namorando uma pessoa incrível, mais sempre que posso fodo minha filha.

FIM

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,62 de 13 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos