# # # #

A rua 4 continuação 3

2369 palavras | 1 |4.25
Por

Agora Karina sentiu uma pica bem maior e sentiu o que é ficar toda arrombada

Como dito no término da parte anterior, Julio estava com a pica na boquinha de Karina e brincando com sua bucetinha, que estava toda meladinha, pois a menina estava louca de tesão vendo sua mãe ser empalada por aqueles paus grandes e ver e ouvir ela gemendo e gostando,e depois gozando no pau gigante de Orlando, atiçou muito Karina,que ja estava se imaginando com aquele cacete que ela estava chupando entrando em sua bucetinha e fazendo ela gozar muito.
Nesta hora pra sua alegria, Julio tirou a pica de sua boca e disse.
_ Putinha, agora vc vai ver o que é uma pica de verdade, não esse pintinho do seu pai,vou te arrombar pra valer sua putinha do caralho.
Alberto assistia a tudo com muito tesão,mas na hora que escultou aquilo ficou apreensivo, pois a pica de Júlio e Chicão eram enormes perto da dele e a de Orlando então era gigante,se ele tentasse comer a karina,iria rasgar ela toda, visto o jeito que ficou a buceta de Clara, Karina talvez ja não aguentaria o Júlio, imagina o Orlando,que estava alisando o monstro que ja estava dando sinal de vida de novo.
Júlio colocou karina de franguinho assado,se ajoelhou de frente com aquela bucetinha bem inchadinha,deu uma lambida bem demorada, depois ergueu-se um pouco e ficou adimirando a bucetinha de Karina.
_ Essa vai dar uma puta das boas,desse tamanho e ja ta toda melada só de chupar minha pica e sentir meus dedos KKK. Vamos ver se ela aguenta meu pau todo.
Disse isso e se ajeitou entre as pernas levantadas de Karina e encostou a cabeça na bucetinha dela.
Nesse momento estavam todos de olho na cena que estava se desenrolando,na expectativa de ver Júlio enterrar a pica em Karina.
Apesar do tesão, Alberto estava apreensivo e Clara tmb, pois sabiam que Karina nunca tinha sido fodida com violência, sempre com carinho e com o pai que tinha um pinto bem menor que aqueles bandidos, e sabiam que eles não seriam carinhosos, assim como não foram com Clara que estava toda arrombada,mas tinha gostando, só restava esperar pra ver como Karina iria reagir e se ela suportaria.
Júlio começou a esfregar a cabeça do pinto entre os lábios da pequena buceta que quase sumia embaixo dela,com isso foi separando os lábios e abrindo a bucetinha, Karina gemia, por enquanto sentindo prazer com aquilo, quando Júlio sentiu a cabeça apontar na entradinha deu uma forte estocada.
_ Aaaiii…haa…ta doendo…aaii.
Karina sentiu uma dor tremenda na hora que a cabeça do pinto de Júlio sumiu pra dentro de sua bucetinha, ele não se importou com o choro dela,segurou firme em suas pernas e deu outra socada forte,foi até o meio da pica.karina deu outro grito sentindo sua bucetinha se arrombar.
_ Ela é muito apertadinha, que tesão da porra…Grita putinha que eu vou te foder gostoso.
E deu outra estocada forte, Karina se contorcia e gritava chorando, tentando empurrar Júlio com seus braços, mas em vão, enquanto isso Chicão botou Clara de 4 segurou ela firme e socou forte em seu cu fazendo ela gritar também.
_ Aai…ta … arregaçando meu…cu aaii….
_ Isso puta grita,grita pra fazer coro com a putinha.
Enquanto isso Júlio estava parado com bem mais da metade da pica enterrada na buceta de Karina, só sentindo a bucetinha latejar, apertar seu cacete, Karina ja não chorava mais, apenas gemia ainda com dor olhando pro lado e vendo sua mãe levar pica no cu, Júlio começou um vai e vem tirando quase todo o pau pra fora e enfiando novamente, Karina ja estava mais acostumada e só gemia ja não chorava como aconteceu com sua mãe qndo Orlando estava comendo ela,dava pra ver a bucetinha ser esticada pra fora quando Júlio puxava a pica,de tão esticada que tava,mas estranhamente ela assim como sua mãe estava começando a gostar,a pica ja entrava e saia com mais facilidade e ela estava gostando apesar da dor,o mesmo ocorria com Clara que estava sendo sodomizada por Chicão, que a essa altura ja estava todo enterrado em seu cu.
Júlio deu mais uma socada forte,e a pica entrou toda empurrando o útero de Karina que deu novo grito, Júlio socava a pica sem dó, enterrando tudo bem fundo.
_ Eu quero participar tmb, disse Orlando pro Chicão,vamos comer essa puta juntos quero o cu dela tmb,vai pra buceta Chicão.
Chicão meio a contra gosto largou de Clara deitou na cama e mandou ela sentar a buceta no seu pau,o que ela fez quase de imediato pois estava cheia de tesão de ver a filha aguentando aquele pauzão na buceta,ela tinha sido bem treinada pensou.
Encostou na cabeça do pau de Chicão e desceu até o saco com facilidade.
_:Ta vendo Orlando, depois que vc fode,vira um buraco largo,meu pinto entrou muito fácil.
Realmente Clara estava com a buceta laciada ainda por causa da foda com Orlando,que não quis nem saber, empurrou Clara no peito de Chicão, ajeitando o cu de Clara,deu uma guspida e encostou o cabeção e foi forçando, Clara tentou relaxar o máximo possível,mas na hora que sentiu aquele monstro entrar até a metade deu um grito e chorou, Orlando segurou forte seu quadril e enfiou o resto, Clara deu outro grito e desfaleceu em cima de Chicão que bombava com violência sua buceta, chegou a ficar inerte por uns momentos, mas quando Orlando começou o vai e vem tirando tudo e enterrando novamente, ela recuperou os sentidos e começou a gemer muito,eles metiam com violência em seus buracos agora arrombados como nunca tinham sido antes…
_ Putinha gostosa,ja ta gostando da minha pica né,sua cadelinha,eu disse que vc vai ser uma puta das boas,sua putinha mirim.
Dizia isso e bombava com força a pica em Karina que ja estava gostando de ser fodida daquele jeito por Júlio.
_ haa…haa…siim…haa. ta… bom moço…haa.,.
Karina ja estava acostumada com aquela pica entrando e saindo de sua buceta num ritmo forte, diferente de como seu pai sempre fazia.
Alberto vendo aquela cena das duas mulheres de sua vida levando pica na sua frente,ao invés de ficar com raiva estava cada vez mais excitado e ja estava a ponto de gozar escutando os gemidos de sua filha e esposa sendo fodidas com força daquele jeito e e gostando.
Júlio foi quem gozou primeiro,encheu a buceta de Karina e tombou de lado, pra se recuperar.
_ Daqui a pouco vou comer seu cuzinho putinha.
Os outros dois meteram mais uns 10 minutos e tmb encheram Clara de porra,ela ficou com o cu tão arregaçado qnt sua buceta e escorria porra por suas coxas.
De onde Alberto estava dava pra ver o cu de Clara todo aberto,ela estava com uma cara de satisfação na cara,era impressionante que apesar de estarem sendo estupradas, de tão safadas que eram mãe e filha,elas estavam gostando o que era uma vantagem pois assim colaborando os bandidos só queriam foder as duas putinhas, sem machuca-las.
Karina estava com a buceta bem aberta e escorrendo a porra de Júlio, então ele ordenou.
_ Venha aqui puta, quero ver vc limpando essa putinha pra mim comer o cuzinho dela.
Clara foi até Karina e começou a lamber e chupar sua buceta que estava bem arrombada por Júlio estava toda aberta,ela enfiava a língua toda na bucetinha aberta e Karina apesar da sensibilidade, estava gostando de sentir a língua de sua mãe na buceta que começava a a fechar,ficou chupando Karina por uns 5 minutos tomando toda a porra que escorreu de dentro daquela grutinha gostosa.
Júlio ja tinha se recuperado, colocou Karina de bruços em cima de 2 travesseiros altos, deixando ela com o cuzinho bem arrebitado,abriu a bundinha dela, abrindo a buceta e deixando o cuzinho bem exposto, ainda bem fechadinho, pois tinha feito anal poucas vezes ainda, Júlio deu uma lambida na buceta dela e no cuzinho,que na hora que sentiu a ponta da língua,deu uma retraída dando uma piscadinha.
_ A putinha ta querendo levar pica no cu,ta piscando KKK…vou deixar como deixei a bucetinha.
Deu mais umas lambidas e guspiu no cuzinho de Karina e foi enfiando o dedo, empurrou todo o dedo médio dentro de Karina que gemeu alto com aquela penetração em seu cuzinho que aceitou todo o dedo do meio dentro,fez uns movimentos de vai e vem, tirou o dedo e deu mais uma guspida,enfiou o dedo na boca de Clara e fez ela chupar,vem aqui puta abre a bunda da sua putinha pra mim enfiar o pinto nesse cuzinho apertado.
Clara se posicionou ao lado da cabeça de Karina que estava com a bunda bem levantada encima dos travesseiros,abriu a bunda de Karina, deixando o cuzinho a mostra, Júlio pegou o cacete deu mais uma guspida agora na cabeça,e encostou na entrada do cuzinho de Karina que na hora que sentiu a ponta da cabeça forçar,deu uma trancada no cu, imediatamente Júlio deu um tapa na bunda dela.
_ Relaxa o cuzinho putinha, senão vai ser pior prá vc,vou comer seu cuzinho de qualquer jeito.
_ Relaxa a bunda filha, que não dói tanto na hora que entrar,viu como eu aguentei os 2 pintos,vc tbm aguenta um pinto no cu, disse Clara a filha.
_ Ta bom mamãe vou tentar relaxar o meu bumbum mas to com medo de doer muito.
_ Vai doer filha,mas depois passa,como da primeira vez que seu pai comeu sua bucetinha,lembra?
_ Sim mamãe, vou tentar aguentar.
Ai Júlio encostou novamente na entradinha do cuzinho de Karina e desta vez ela relaxou, ele, começou a forçar, a cabeça foi abrindo o pequeno cuzinho forçando a passagem e se enfiando naquele cuzinho praticamente virgem, Karina gemia e se tremia de dor, Júlio só parou de forçar qndo ja estava mais do meio do pinto enterrado, então ele parou e ficou sentindo o aperto em sua pica,ficou assim por alguns minutos.
Clara abria a bunda de Karina e via o cuzinho dela pulsar em volta daquele pinto enorme em comparação com sua filha, ai Júlio ordenou que ela desse uma guspida no resto que faltava entrar do seu pau, pois não estava indo mais, Clara então se abaixou um pouco e lambuzou o restante do cacete com seu guspe, para facilitar para sua filha.
Júlio começou a forçar novamente e Karina soltou um grito, e chorava, gemendo muito, o que causou um tesão maior em todos que estavam no quarto.
Júlio começou um vai e vem tirando tudo e enfiando novamente, bem acelerado, estava fodendo o cuzinho de Karina com gosto, que a cada estocada dava uma gemida,seu cuzinho ja estava bem arregaçado qndo ele anunciou que iria gozar, então acelerou mais ainda os movimentos enterrando fundo na bunda de Karina e derrepente parou enfiado o mais que podia contraindo todos os músculos gozou bem no fundo,ficou sentindo o cacete pulsar soltando os jatos de porra, qndo terminou saiu de cima e deu pra ver o arrombo que estava o cuzinho de Karina,com a porra depositada no fundo, Karina só soluçava e gemia com a dor alucinante no seu cuzinho que estava todo arrombado agora.
Nessa noite ela sentiu o que era ser comida por um outro homem que não o seu pai,e com uma pica bem maior do que ela estava acostumada,mas aguentou tudo, só a experiência anal que não gostou, não sentiu prazer algum, devido a violência que Júlio empregou,mas na bucetinha até que gostou.
Depois de se recuperarem e tomarem um fôlego, pegaram Clara pra brincar novamente, Orlando se deitou e fez Clara sentar com o cu em seu pinto monstruoso de costas pra ele, depois que estava todo dentro fizeram-na deitar sobre o peito de Orlando ficando com a buceta aberta,,, Júlio então começou a enfiar os dedos,na buceta dela, primeiro 2, depois 3, 4 e por fim fechou o punho e forçou pra dentro da buceta de Clara,que gemia feito uma cadela no cio,com uma tora enfiada no cu e o punho todo na buceta,estava ficando super arrombada, enquanto isso Chicão estava experimentando a bucetinha de Karina, enfiando sua pica toda nela,que apesar da dor no cuzinho,estava gostando de levar pica na bucetinha novamente, Alberto gozava onde estava sem se tocar, pois estava todo amarrado,mas estava achando maravilhoso assistir aquele estupro de suas mulheres,todos os 3 tinham perdido a noção que aquilo era um estupro e estavam sentindo prazer com aquela violação toda., depois de meterem até amanhecer,os bandidos foram embora deixando mãe e filha juntas todas esporradas, e Alberto amarrado todo gozado tmb prometendo que voltariam em breve pra mais uma noite de sexo e que da próxima Orlando comeria a putinha,ja que desta vez ele não conseguiu.
Passou-se algumas semanas, e família não prestou queixa e aguardava ansiosamente que seus algozes voltassem, principalmente Karina, que agora queria ver se aguentaria sentir o pinto monstruoso de Orlando em sua bucetinha…

COMENTEM,ME DIGAM O QUE ACHARAM E LEIAM AS TRÊS PARTES DO CONTO,ME DIGAM SE QUEREM QUE KARINA EXPERIMENTE A PICA MONSTRUOSA DE ORLANDO.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 20 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder PGrande ID:8d5f1xtg8m

    Com certeza a putinha merece ter a pica monstuosa