#

Seu antônio: porteiro macho que iniciou-me na vida de gay passivo, 14ª parte

642 palavras | 5 |3.70
Por

Após minha mãe surpreender o meu tio, (irmão do meu pai) com a pica cravada em meu cu, expulsando ele do meu quarto e de sobre a minha bunda com a pica pingando porra, após encher meu cu de leite quente. Após algumas broncas e orientações, mandou que banhasse-me para receber o meu pai por está fedendo a cu que acabou de levar pica, para a nossa conversa sobre a minha homossexualidade, até então desconhecia por ele.

Para minha surpresa ao voltar ao meu quarto, envolto em uma toalha, encontrei seu pai sentado sobre a cama, usando seu velho e surrado short de seda, que ele sempre usava para dormir ou ficar em casa em momentos de descontração, que era a atração das amigas de minha mãe, que ao chegar em nossa casa, (quase sempre de surpresa) se maravilhavam ao ver o volumes da pica do meu pai soculhejando sob o tecido, fazendo minha mãe chamar sua atenção mandando colocar uma roupa descente.

Para minha surpresa, durante nossa conversa, meu pai estava demostrando já saber que em algum momento de nossa vida, nos teriamos essa conversa, ele só tentou prorrogando o máximo que pode; demostrando está propenso a aceitar a minha homossexualidade, por saber que na árvore geneológica, “esse genes gay” vagava entre os nossos familiares, sendo o meu tio (o que ele pensava ser o último da nossa geração, se diferenciando-se de mim por ser ativo).

Fazendo os nossos sentimentos se confundirem, fazendo com que eu em plantos corre-se para o seu colo, pendurando em seu pescoço e emplorava por perdão, pós nunca tive a intensão de decepciona-lo . Foi quando eu passei a sentir sua pica endurece sob short ao está em contato com a minha bunda envolta pela toalha.

Nos fazendo a ficar excitados, em passei a acomodar sua pica entre o rego da minha bunda, ele passou a acariciar meu corpo, acariciando minha cintura, subindo com as mão até os biquinhos dos meus peitinhos, dando abertões que me faziam gemer de tezão e falar no sue ouvido: espera pai!

Levantando do seu colo, tirando a toalha que envolvia o meu corpo, caminhei até a porta do quarto, trancando com a chave, ajoelhando entre suas pernas, retirei seu short, sugindo uma pica de uns 17 cm, porém de uma grossura desejavem a todos que adoram sentir prozer em receber em suas entranhas, uma pica maravilhosa e roliça.

Passando a punheta-la com uma mão e a outra, acariciava seu saco, em seguida passeia a beijar seu saco, passa a língua em sua chapeleta, fazendo ele se contorce de prazer ao sentir a testura de minha lingua em seu carralho duro como ferro que passou a expelir aquele líquido incolor de pré goso.

Ele me levantou, olhou nos meus olhos e perguntou: tem certeza que famos fazer isso?

Eu sem responder, subi sobre a cama, ficando de quatro, com a bunda arreganhada e o cu piscando, disse: vem pai, faz do seu filho um verdadeiro viado! Ele empunhou minhas nadegas, arreganhando passou a lingua meu cu, eu passei a abafar os meus gemidos com traviseiro, até que ele encostou a chapeleta na portinha que com uma estocada enterrou nas minhas entranhas, passando bombar, forte, profundo me fazendo sentir um dos melhores prazeres da mnha vida. Até que encheu meu cu de leite caindo sobre o meu corpo. Ficamos uns minutos em silêncio.

Até que disse: é meu filho, você nasceu para satisfazer machos! Vestindo seu short e saindo do meu quarto.

Dormi por algumas horas, acordando na hora do jantar, encontrando o seu Antônio sentado a mesa, e minha mãe com um sorriso disse: vem Ivinho, seu Antônio hoje é o nosso convidado!

Continua.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,70 de 10 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Nelson ID:3c793cycoii

    Delicia. Adorei mas não entendi por que tão curtinho e rápido acho que poderia ser mais caprichado não precisava ter sido uma trepada de galo.

    • Ivinho ID:8efegwpxib

      Foi muito difícil escrever esse conto envolvendo pai, vai de encontro a tudo que eu penso de sensualidade

  • Responder Yuri ID:g3jjxse8l

    Né veado,a tua mente degradada está totalmente carcomida pela bactéria gay não é,além de teu amontoado orgânico de carbono que você chama corpo estar impregnado pelo bicho da goiaba,que horror!Cuidado veado,sou o John Deere,eu limpo nossa sociedade desse horror pútrido que é a veadagem!

    • Zulu.rs ID:xlpkba8j

      Isso aí Jhon, tem que exterminar!

  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    Porra ser comido pelo proprio Pai é o maximo essa foi minha unica fustração