# #

Romance proibido no sertão

910 palavras | 4 |4.11
Por

Conto aqui como me tornei a fêmea do meu avô, sem violência, apenas carinho e amor.

Tudo começou bem cedo (prefiro nao dizer a idade, imagine voce). Moramos no interior de Pernambuco, uma cidade pacata com uma vasta zona rural. Meu avô trabalha com agricultura e passa a maior parte do tempo no sítio, moro com ele e minha avó desde que minha mae foi morar em Portugal. Desde muito cedo eu e vovô eramos inseparáveis, sempre tive nele a figura de pai, nao conheço meu verdadeiro pai. Certo dia (ha muito tempo atras), dia que tudo começou haviamos ido pro sítio e ele foi cuidar nos afazeres enquanto eu fui no corrego tomar banho, estava sozinha então entrei sem roupa (algo normal, que eu fazia sempre). Depois de alguns minutos tomando banho meu avô apareceu e disse que queria se refrescar um pouco, tirou a roupa e entrou. Começamos a brincar dele me jogar pra cima dando cambalhotas, adorava fazer isso na agua com ele mas sempre estava vestida de calcinha, hoje como entrei so nao estava. Vovô acabava esbarrando o tempo todo em mim e aquele contato parecia estar diferente, principalmente porque ele ficava me abraçando ou me puxando pra perto toda hora. Apos brincarmos bastante vovó me disse:
Nika posso te fazer uma pergunta de adulto?
Eu disse que sim. E ele me perguntou se eu tinha algum namoradinho na escola. Eu fiquei muito sem graça e disse que não. Ai ele disse que ficou curioso porque meu corpo tava mudando, ai ele queria saber se ja tinha alguem “mexendo no meu corpo”. Fiquei com vergonha e falei que era melhor eu vestir, mas ele pegou na minha mão me puxou pra perto e pediu pra eu nao vestir, que gostava de me ver assim, que deixava ele feliz. Me pediu um abraço e eu senti por baixo da agua que ele estava com o pau duro. Eu ja havia lido sobre essas coisas, como homem e mulher tinham filhos e como se amavam, deixei meu avô me abraçar e ir tocando meu corpo. Ficamos abraçados um pouco, ele pegou minhas pernas e me escanchou nele, pediu pra eu ficar assim um pouco enquanto ele se acalmava pra gente sair. Enquanto eu estava grudada ali nele ele ficou falando que gostava muito de vir pro sitio so comigo, que eu era a companheira dele e que eu supria a falta que minha mae fazia, que eu era a alegria da família. Vovô era sempre assim carinhoso mas naquele momento ele tava diferente, e eu nao conseguia me sentir confortável com o membro dele me tocando embaixo, enquanto a gente se movida na água. Depois de ficarmos um tempo assim ele me soltou e pediu pra eu sair primeiro, ele ficou la de dentro me olhando , saí vesti e subi pro rancho. Olhei pra trás e vi q ele tava com as mãos dentro da água, tava um pouco raso e percebi que ele tava se masturbando (na epoca eu nem sabia que era esse o nome daquilo). Corri pro rancho e deitei na rede, vovô veio como se nada tivesse acontecido e enquanto ele mechia na cozinha acabei dormindo e acordei com ele me chamando pra almoçar. Sentei e comecei a comer, tava um clima estranho pq eu tava desconcertada quando terminamos de comer meu avo sentou no banco ao meu lado e disse.
-princesa o vovô queria te pedir desculpas. E preciso que vc nao conte a ninguém nosso segredo do rio ta? Prometo que nao vou fazer nada que vc nao quiser mas preciso q vv guarde segredo sobre o vovô desejar você. Porque isso é muito errado.
Fiquei com pena dele e disse que tava tudo bem. Eu tava assustada mas tava muito curiosa. Entao perguntei:
-porque quando eu sai o senhor ficou tocando embaixo com as mãos?
-porque quando a gente ama uma mulher a gente faz isso quando nao pode pegar nela. O vovô te ama e sempre faz isso pensando em você, por isso la no rio quando vc me abraçou ele cresceu. Disse ele apontando pro short. Eu percebi q tinha volume novamente ali.
-ta ficando grande de novo?
-sim princesa, sempre que fico muito perto de voce ele fica assim. Fica aí que vou no banheiro fazer ele ficar normal de novo.
-nao vô. Deixa eu ver. Ele sorriu e me deu um beijo no rosto, demorado e molhado. E entao tirou o membro duro pra fora e começou a se masturbar. Fiquei olhando encabulada, vovô se tocava e gemia de olhos fechados, abrindo a vezes pra olha pra mim que encarava a cena pertinho de mim.
Derrepente ele pegou uma das mãos e colocou no meu rosto acariciando, depois desceu ate o pescoço e por último dentro da minha blusa e tocou os meus seios, apertava e gemia mais alto, eu fiquei imóvel sem saber o que fazer e pela primeira vez senti algo que nunca havia sentido, uma leve coceira dentro da calcinha. Apertei as pernas e ele percebeu, entao pegou minha mão e colocou no início do cos do meu short.
-pega na sua bucetinha meu amor, vc ta sentindo o mesmo que o vovô, tesão. Tem que tocar nela também pra parar.

Breve posto a continuação. Isso foi so o início de uma fêmea feita para o vovô.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,11 de 19 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Lorde WCG ID:7btet7wpzk

    Bonito

  • Responder Was was ID:81rryw9m9j

    Delícia

  • Responder Vadia ID:1wm06nf8

    Uma delícia esse conto, continue por favor.

  • Responder HOMEM SP ID:3vi1xb9o209

    GOSTEI